Tempo andante da intervenção urbana

Relações temporais nas obras Imagens Posteriores, Giganto e Polaroides (in)visíveis

Autores

  • Ana Rita Vidica Universidade Federal de Goiás

DOI:

https://doi.org/10.24978/mod.v2i1.900

Palavras-chave:

Tempo, Fotografia, Cidade, Olhar, Intervenção Urbana.

Resumo

O artigo “Tempo andante da intervenção urbana: relações temporais nas obras “Imagens Posteriores”, “Giganto” e “Polaroides (in)visíveis” é resultado das reflexões sobre o tempo em três intervenções urbanas que se utilizam da fotografia. Coloco-me diante das imagens e dos documentos-signo das obras “Imagens Posteriores” (2000-2013) de Patricia Gouvêa, “Giganto” (2009-2013) de Raquel Brust e “Polaroides (in)visíveis” (2005-2011) de Tom Lisboa, conforme proposição do filósofo e historiador da arte Georges Didi-Huberman (1998, 2013, 2015), de onde emerge um cruzamento temporal entre passado, presente e futuro. Este cruzamento se dá na percepção das linhas de tempo propostas pelo filósofo Gilles Deleuze (1987): “tempo que se perde”, “tempo perdido”, “tempo que se redescobre” e “tempo redescoberto”. Além dessas, acrescenta-se o conceito de “tempo andante”, criado pela pesquisadora,  que diz respeito à estrutura temporal que se dá na associação entre “tempo do acontecimento” e “espaço liso”. A percepção desses tempos desemboca na discussão dos cruzamentos temporais na relação com outras imagens da arte, da fotografia e da urbanidade, vistas de modo anacrônico no interior das obras, direncionando-se ao passado. E, ao futuro, no encontro com os olhares na cidade, fazendo emergir relações entre obra, artista e espectador, tanto no espaço urbano quanto no virtual.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Rita Vidica, Universidade Federal de Goiás

Doutora em História pela Faculdade de História da Universidade Federal de Goiás (FH/UFG), docente da Faculdade de Informação e Comunicação (FIC/UFG) e coordenadora do Núcleo de Pesquisa e Teoria da Imagem (Cnpq/UFG).

Referências

CHIODETTO, Eder (org.). Geração 00: A nova fotografia brasileira. São Paulo: Edições Sesc São Paulo, 2013.

DELEUZE, Gilles. Proust e os signos. Trad. Antônio Carlos Piquet e Roberto Machado. Rio de Janeiro: Forense-Universitária, 1987.

__________. Platão e o Simulacro. In: Lógica do sentido. Trad. Luiz Roberto Salinas Fortes. São Paulo: Ed. Perspectiva, 2009.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia (vol. 5). Trad. Peter Pélbart e Janice Caiafa. São Paulo: Ed. 34, 1997.

DIDI-HUBERMAN, Georges. O que vemos, o que nos olha. Trad. Paulo Neves. São Paulo: Ed. 34, 1998.

__________. Imagens apesar de tudo. Trad. Vanessa Brito; João Pedro Cachopo. Lisboa: KKYM, 2012.

__________. Diante da imagem: questão colocada aos fins de uma história da arte. Trad. Paulo Neves. São Paulo: Ed. 34, 2013.

__________. Diante do tempo: história da arte e anacronismo das imagens. Trad. Vera Casa Nova; Márcia Arbex. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2015.

DOSSE, François. Renascimento do acontecimento: um desafio para o historiador: entre Esfinge e Fênix. Trad. Constância Morel. São Paulo: Editora Unesp, 2013.

FOUCAULT, Michel. Outros espaços (Conferência 1984). In: Estética: literatura e pintura, música e cinema. Trad. Inês Autran Dourado Barbosa. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2006.

GUMBRECHT, Hans Ulrich. Pequenas crises: experiência estética nos mundos cotidianos. Trad. George Otte. In: GUIMARÃES, César; LEAL, Bruno; MENDONÇA, Carlos Camargos (orgs.). Comunicação e experiência estética. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2006.

LE GOFF, Jacques. Documento/Monumento. In: História e Memória. Trad. Bernardo Leitão. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2003.

MONTEIRO, Charles. História, fotografia e cidade: reflexões teórico-metodológicas sobre o campo de pesquisa. In: Revista Métis – História & Cultura, vol. 5, nº 9, p. 11-23, 2006.

RANCIÈRE, Jacques. A partilha do sensível: estética e política. Trad. Mônica Costa Netto. São Paulo: EXO experimental org.; Editora 34, 2009.

__________. O espectador emancipado. Trad. Ivone C. Benedetti. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2012.

VEYNE, Paul. Como se escreve a história. Lisboa, Portugal: Edições 70, 1971.

VISCONTI, Jacopo Crivelli. Novas derivas. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2014.

Downloads

Publicado

2018-01-15

Como Citar

VIDICA, A. R. Tempo andante da intervenção urbana: Relações temporais nas obras Imagens Posteriores, Giganto e Polaroides (in)visíveis. MODOS: Revista de História da Arte, Campinas, SP, v. 2, n. 1, p. 111–131, 2018. DOI: 10.24978/mod.v2i1.900. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/mod/article/view/8663354. Acesso em: 1 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos - Colaborações