O riso de artistas feministas nas décadas de 1970/80

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24978/mod.v2i1.860

Palavras-chave:

Arte Feminista, Humor, Womanhouse, The dinner party, Guerrillas Girls.

Resumo

Questionando posições como a de Minois (2008) segundo a qual as mulheres são incapazes de elaboração humorística ou irônica, este trabalho trata o humor das artistas norte-americanas das décadas de 1970/80 que se identificam como feministas. Discuto aqui a incompreensão desse humor, assim como o modo pelo qual ele é utilizado pelas mulheres, não só como elaboração intelectual, mas também como fonte de prazer e arma pedagógica contra a injustiça de gênero no campo da arte.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Juliana Silveira Mafra, Universidade Federal de Minas Gerais

Doutora em Arte pela Universidade Federal de Minas Gerais.

Referências

ARISTÓTELES. El hombre de gênio y la melancolia (problema XXX). Trad. Cristina Serna. Barcelona: Acantilado, 2007.

BAKHTIN, M. A cultura popular na Idade Média e no Renascimento. O contexto de François Rabelais. 6.ed. Trad. Yara Frateschi Vieira. São Paulo: Hucitec; Brasília: Editora Universidade de Brasília, 1987.

BAUDELAIRE, C. Da essência do riso e, de um modo geral, do cômico nas artes plásticas. In: BAUDELAIRE. Escritos sobre arte. Organização e tradução Plínio Augusto Coelho. São Paulo: Imaginário / Edusp, 1991.

BEAUVOIR, S. O segundo sexo. Fatos e mitos. v. 1. 4. ed. Trad. Sérgio Milliet. São Paulo: Difusão Europeia do livro, 1970.

BENJAMIN, W. O autor como produtor. Conferência pronunciada no Instituto para o Estudo do Fascismo, em 27 de abril de 1934. In: ______. Magia e técnica, arte e política. Ensaios sobre literatura e história da cultura. Trad. Sergio Paulo Rouanet. vol.1. São Paulo: Ed Brasiliense, 1987. (Obras escolhidas. v. 1).

BERGSON, H. O riso: ensaio sobre a significação da comicidade. 2. ed. Trad. Ivone Castilho Benedetti. São Paulo: Martins Fontes, 2007. (Tópicos).

BROUDE, N; GARRAD, Mary. The power of feminist art. The american movement of the 1970’s, history and impact. New York: Harry N. Abrams, INC. Publishers, 1994.

CASTAGNINI, L.; ISAAK, J.; MC INNES, V. BACKFLIP: Feminism and humour in contemporary art. Australia: Monet Press, 2013. (Catálogo).

CASTAGNINI, L. Why guerrilla girl’s dont have to be naked to get into the Met. In: HEAGNEY, D. Contemporary art of Australia and Asia-Pacific. Experiment. v. 32, n. 3. September, 2012. (Magazine).

COMTE-SPONVILLE, A. Dicionário Filosófico. Trad. Eduardo Brandão. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

DEBRAY, C.; LAVIGNE, E. Elles: mulheres artistas na coleção do Centro Pompidou. Centro Cultural Banco do Brasil. Rio de Janeiro/Belo Horizonte: Arte3/BEI Editora, 2013.

ESCARPIT, R. El humor. v. 24. Trad. Delfín Leocadio Garasa. Buenos Aires: Editorial Universitária de Buenos Aires, 1962. (Lectores de Eudeba).

FLAUBERT, G. Bouvard e Pécuchet. Trad. Galeão Coutinho e Augusto Meyer. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1981. (Grandes romances).

FREUD, S. O humor (1927). In: Edição standard brasileira das obras psicológicas de Sigmund Freud. Trad. do alemão e do inglês sob a direção geral de Jayme Salomão. v. XXI. Rio de Janeiro: Imago, 1996.

ISAAK; J. Feminism and contemporary art. The revolutionary power of women's laughter. London/New York: Routledge, 1996.

ISAAK, J. Whoever wants to understand is invited to play. In: WELCHMAN, J. Black Sphinx: on the comedic in modern art. Zurich: JRP/Ringier. SoCCAS Symposium Vol. IV, 2010.

JANSON, H.W.; The history of art: A survey of the major visual arts from the dawn of history to the present day. Englewood cliffs, N.J.: Prentice Hall, 1962.

McGILL, D C. Janson's son revises classic art text. 12/03/1986. Disponível no site http://www.nytimes.com. Acesso: 8 jun 2017.

MINOIS, G. A história do riso e do escárnio. Trad. Maria Elena O. Ortiz Assumpção. São Paulo: Editora UNESP, 2003.

NOCHLIN, L. Starting from scratch: Of feminist art history. In: BROUDE, Norma; GARRAD, M. The power of feminist art. The american movement of the 1970’s, history and impact. New York: Harry N. Abrams, INC. Publishers, 1994.

NOCHLIN, L. Why are there no great women artists? In: GORNICK, V.; MORAN, B. Woman in Sexist Society: Studies in Power and Powerlessness. New York: Basic Books, 1971.

RAVEN, A. Womanhouse. In: BROUDE, N.; GARRAD, M. The power of feminist art. The american movement of the 1970’s, history and impact. New York: Harry N. Abrams, INC. Publishers, 1994.

WOOLF, V. O valor do riso e outros ensaios. Trad. Leonardo Froés. São Paulo: Cosac Naify, 2014.

Downloads

Publicado

2018-01-15

Como Citar

MAFRA, J. S. O riso de artistas feministas nas décadas de 1970/80. MODOS: Revista de História da Arte, Campinas, SP, v. 2, n. 1, p. 84–109, 2018. DOI: 10.24978/mod.v2i1.860. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/mod/article/view/8663356. Acesso em: 1 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos - Colaborações