“Exu, c’est pour vous”

Benjamin Péret visita locais de culto afro-brasileiros em 1930

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/modos.v6i1.8667466

Palavras-chave:

Benjamin Péret (1899-1959), Arte sacra, Religiões afro-brasileiras, Etnografia, Surrealismo

Resumo

O texto discute a série de treze artigos intitulada Candomblé e Makumba, publicada pelo poeta surrealista francês Benjamin Péret (1899-1959) entre novembro de 1930 e janeiro de 1931 no jornal paulistano Diário da Noite. Os artigos de Péret são inquiridos especialmente a respeito daquilo que revelam sobre as religiões afro-brasileiras no começo dos anos 1930 e como um exemplo da recepção dessas religiões por um intelectual europeu, que é aqui pensado como um representante da classe mais ampla de agentes que expressam uma “visão de fora” dessas religiões.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Arthur Valle, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

Artur Valle é Professor de História da Arte na Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Doutorou-se em Artes Visuais pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e realizou estágios pós-doutorais na Universidade Federal Fluminense, Niterói/Brasil e na Universidade Nova, Lisboa/Portugal.

Referências

ABREU, M. L. L. de. Benjamin Péret et le Brésil. 2012. Thése (Doctorat en Littérature Française) – Université Sorbonne Nouvelle, Paris 3, Paris, 2012.

ABREU, M. de A. A evolução urbana do Rio de Janeiro. 4 ed. Rio de Janeiro: IPP, 2013.

ANDRADE, M. de. Macunaíma. O heroi sem nenhum caracter. São Paulo: Oficinas Gráficas de Eugneio Cupolo, 1928.

CAPONE, S. A busca da África no candomblé: tradição e poder no Brasil. Rio de Janeiro: Contra Capa Livraria/Pallas, 2004.

CARDOSO, R. Modernity in Black and White. Art and Image, Race and Identity in Brazil, 1890–1945. Cambridge: Cambridge University Press, 2021.

CLIFFORD, J. On Ethnographic Surrealism. Comparative Studies in Society and History, Cambridge, v. 23, n. 4, p. 539-564, out. 1981.

CONDURU, R. Formações transatlânticas - Mestre Didi, Martiniano do Bonfim e a arte da África no Brasil desde os oitocentos. 19&20, Rio de Janeiro, v. XVI, n. 1, jan./jun. 2021. Disponível em: https://doi.org/10.52913/19e20.xvi1.05. Aceso em: 01 set. 2021.

DANTAS, B. G. Vovô nagô e papai branco: usos e abusos da África no Brasil. 1982. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1982.

FARIAS, J. B. Mistério da mandinga - As crônicas de Vagalume e as “religiões africanas” no Rio de Janeiro da Primeira República. In: GOMES, Valéria; GOMES, Flávio (org.). Religiões negras no Brasil [recurso eletrônico]: da escravidão à pósemancipação. São Paulo: Selo Negro, 2016.

GINWAY, M. E. Surrealist Benjamin Péret and Brazilian Modernism. Hispania, Birminghan, v. 75, n. 3, p. 543-553, set. 1992.

GIUMBELLI, E. Macumba surrealista: observações de Benjamin Péret em terreiros cariocas nos anos 1930. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 28, n. 55, p. 87-107, jan./jun. 2015.

GOMA-Laca: Cantos populares do Brasil de Elsie Houston / pesquisa e textos Biancamaria Binazzi e Ronaldo Evangelista. São Paulo: B. Binazzi, 2019.

HOUSTON, E. La musique, la danse et les cérémonies populaires du Brésil. In: Art populaire: travaux artistiques et scientifiques du 1er Congrès international des arts populaires (Prague, 1928). Paris: Éditions Duchartre, 1931, v. II, p. 162-164.

KAREPOVS, D. Présentation de L'Amiral Noir de Benjamin Péret. Trois cérises et une sardine, Lyon, n. 17, p. 11-13, out. 2005.

LEIRIS, M. L’Afrique fantôme. De Dakar à Djibouti (1931-1933). 2 ed. Paris: Gallimard, 1951.

LIMA, S. “Je ne mange pas de ce pain-là. Benjamin Péret”. A Phala, São Paulo, n. 1, p. 115-130, ago. 1967.

LODY, R. Brasil bom de boca: temas de antropologia da alimentação. São Paulo: Senac, 2008.

LÖWY, M. Walter Benjamin: aviso de incêndio. Uma leitura das teses "Sobre o conceito de história". São Paulo: Boitempo, 2005.

MAESTRI, M. Benjamin Péret: um olhar heterodoxo sobre Palmares. In: PÉRET, Benjamin. O quilombo de Palmares. Porto Alegre: EdUFRGS, 2002, p. 47-74.

ORTIZ, F. Hampa Afro-Cubana. Los Negros Brujos (Apuntes para un estudio de etnologia criminal). 2 ed. Madrid: Editorial-América, [1917].

PALMEIRA, M. R. S. S. Poeta, isto é, revolucionário: itinerários de Benjamin Péret no Brasil (1929-1931). 2000. Dissertação (Mestrado em Teoria e História Literária) – Instituto de Estudos de Linguagem, UNICAMP, Campinas, 2000.

PÉRET, B. Amor sublime. Ensaio e poesia. São Paulo: Brasiliense, 1985.

PÉRET, B. Anthologie des mythes, légendes et contes populaires d’Amérique, Paris: Albin Michel, 1960.

PÉRET, B. O quilombo de Palmares. Porto Alegre: EdUFRGS, 2002.

PÉRET, B. Ouevres complétes. Tomo 6. Paris: Librairie José Corti, 1992.

PONGE, R. Des antropophagues de São Paulo aux prisons de Rio de Janeiro en passant par les Indiens Kalapálos que ont "mangé l'explorateur Fawcett": les séjours brésiliens de Benjamin Péret. Trois cérises et une sardine, Lyon, n. 17, p. 2-8, out. 2005.

PÉRET, B. “Desse pão, eu não como”: Trajetória revolucionária de Benjamin Péret, militante-e-poeta permanente. O Olho da História, Salvador, n. 13, dez. 2009, n.p.

PUYADE, J. Benjamin Péret: um surrealista No Brasil (1929-1931). Conexão Letras, Porto Alegre, v. 1, n. 1, p.1-15, 2005.

RIO, J. do. As religiões no Rio. 2 ed. Paris; Rio de Janeiro: H. Garnier Livreiro Editor, [1906].

RODRIGUES, N. O Animismo Fetichista dos negros Bahianos. Revista Brazileira, Rio de Janeiro, tomo VI, abr./jun. 1896, p. 75-84, p. 164-174 e p. 334-345; tomo VII, jul./set. 1897, p. 44-50, p. 79-92, p. 166-173 e p. 343-355.

ROTHENBERG, J. (ed.). Technicians of the Sacred: A Range of Poetries from Africa, America, Asia, Europe and Oceania is a book of spiritual writings and poetry collected from around the world. 3 ed. Oakland: University of California Press, 2017.

SCHWANHÄUßER, A.; WELLGRAF, S. From Ethnographic Surrealism to Surrealist Ethnographies. Hubert Fichte: Love and Ethnology, 15 out. 2019. Disponível em: https://www.projectfichte.org/from-ethnographic-surrealism-to-surrealist-ethnographies/. Acesso em: 01 set. 2021.

SEABROOK, W.B. The Magic Island. New York: The Literary Guild of America, 1929.

SILVA, V. G. da. Brazil's Eshu: At the crossroads of the Balck Atlantic. In: CHEMECHE, G. (ed.). Eshu: The Divine Trickster. New York: Antique Collectors' Club, 2013, p. 34-51.

SLENES, R. W. Africanos Centrais. In: SCHWARCZ, L.M.; GOMES, F. (orgs.). Dicionário da Escravidão e Liberdade: 50 textos críticos. Companhia das Letras: São Paulo, 2018, p. 56-63.

SODRÉ, M.; LIMA, L.F. Um vento sagrado: história de vida de um adivinho da tradição nagô-kêtu brasileira. Rio de Janeiro: Mauad, 2014.

SOUZA, L. de. No Mundo dos Espíritos. 2 ed. São Paulo: Editora do Conhecimento, 2012.

SOUZA, L. C. de. “As Revelações do Feiticeiro Nogueira”: Cultura visual e racismo em artigos da Gazeta de Noticias em 1912. 2019. Monografia (Licenciatura em Belas Artes) – Instituto de Ciências Humanas e Socias, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Seropédica, 2019.

QUERINO, M. A raça africana e seus costumes na Bahia. In: QUERINO, Manuel. A raça africana e os seus costumes. Salvador: Livraria Progresso Editora, 1955, p. 17-113.

SIMAS, L. A.; RUFINO, L. Flecha no Tempo. Rio de Janeiro: Mórula, 2019.

TEDLOCK, D. Syllabus. “English 699: Ethnopoetics”. Buffalo, NY: Colleges of Arts and Sciences. University at Buffalo, [s.d].

THOMPSON, R.F. A estrutura da recordação: a tradição visual Kongo no Novo Mundo. 19&20, Rio de Janeiro, v. XV, n. 2, jul./dez. 2020. DOI: https://doi.org/10.52913/19e20.xv2.01. Aceso em: 01 set. 2021

VALLE, A. Arte sacra afrobrasileira na imprensa: Alguns registros pioneiros, 1904-1932. 19&20, Rio de Janeiro, v. XIII, n. 1, jan./jun. 2018. DOI: http://dx.doi.org/10.52913/19e20.xiii1.04. Aceso em: 01 set. 2021

VALLE, A. Mapeando o sagrado: arte sacra e locais de culto afrobrasileiros em notícias sobre repressão policial no Rio de Janeiro, 1890-1941. Revista de História da Arte e Arqueologia (Online), Campinas, v. 1, p. 5-29, 2020. DOI: https://doi.org/10.20396/rhac.v1i2.13906. Aceso em: 01 set. 2021

VALLE, A. No mundo dos feitiços: Cultura material religiosa afrobrasileira em artigos na Gazeta de Noticias do Rio de Janeiro, 1904-1905. Revista Nós - Cultura, Estética e Linguagens, Anápolis, v. 2, p. 59-80, 2017.

VILLANOVA, G. de. Elsie Houston e a cultura afro-brasileira. In: Elsie Houston - A Feminilidade do Canto. São Paulo: Negras Memórias / Atração Fonográfica / Grupo Takano, 2003, não paginado.

WOOD, P. Modernism and its Margins. In: CARTER, Warren (ed.). Art after Empire: From Colonialism to Globalisation. - Kindle edition - Manchester University Press, 2018.

ZIEGER, S. The Case of William Seabrook: Documents, Haiti, and the Working Dead. Modernism/modernity, v. 19, n. 4, p. 737-754, 2012.

Artigos em jornais e outros documentos de época

As alucinações do “candomblé.” A Noite, Rio de Janeiro, ano XIII, n. 4005, 1923, p.1.

DECRETO Nº 847, DE 11 DE OUTUBRO DE 1890. Promulga o Código Penal. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/1851-1899/d847.htm. Acesso em: 01 set. 2021.

CONSTALLAT, B. Na noite do subúrbio. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, ano XXXIV, n. 125, 24 maio 1924, p. 9-10.

CUNHA, N. da. Os Mysterios da Macumba. Vanguarda [1927], data exata e paginação desconhecidas. Exemplar encontrado nos Arquivos Mário de Andrade - IEB/USP.

LES POSSÉDÉES DE BAHIA. Paris Match, 12 mai. 1951.

OUVINDO os "Bachareis" do Samba - Faustino da Conceição faz um aviso aos seus colegas por causa do "Afouchê", do "Agougô" e do "Omelê". Diário Carioca, Rio de Janeiro, ano V, n. 1.361, 15 jan. 1933, p. 14.

PÉRET, B. Candomblé e Makumba. Diário da Noite, São Paulo, 25 nov. 1930 [1930a].

PÉRET, B. Os cumprimentos que fez Nhança. Diário da Noite, São Paulo, 28 nov. 1930 [1930b].

PÉRET, B. Um jantar de santo. Diário da Noite, São Paulo, (1930, data e mês desconhecidos) [1930c].

PÉRET, B. O palpite de São Cosme... ou São Damião. Diário da Noite, São Paulo, 9 dez. 1930 [1930d].

PÉRET, B. Dar comida à cabeça. Diário da Noite, São Paulo, 11 dez. 1930 [1930e].

PÉRET, B. Uma festa a Xangô na "Lei de Angola". Diário da Noite, São Paulo, 16 dez. 1930 [1930f].

PÉRET, B."Mané Kurú", "Pereké", Allan Kardec e Cia... Diário da Noite, São Paulo, 24 dez. 1930 [1930g].

PÉRET, B. A mythologia "nagô". Diário da Noite, São Paulo, 27 dez. 1930 [1930h].

PÉRET, B. "Ogum" no Supremo Tribunal. Diário da Noite, São Paulo, 31 dez. 1930 [1930i].

PÉRET, B. As origens das crenças dos negros brasileiros. Diário da Noite, São Paulo, 2 jan. 1931 [1931a].

PÉRET, B. As origens das crenças dos negros brasileiros [continuação]. Diário da Noite, São Paulo, 8 jan. 1931 [1931b].

PÉRET, B. As origens das crenças dos negros brasileiros (continuação). Diário da Noite, São Paulo, 15 jan. 1931 [1931c].

PÉRET, B. As origens das crenças dos negros brasileiros [fim]. Diário da Noite, São Paulo, 30 jan. 1931 [1931d].

RELATÓRIO apresentado ao Presidente da República dos Estados Unidos do Brasil pelo Ministro da Justiça e Negócios Interiores Dr. Augusto de Vianna do Castello em 1928. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1930.

SILVA, A,; MEDEIROS, J. As noivas dos deuses sanguinários. O Cruzeiro, Rio de Janeiro, ano XII, n. 48, 15 set. 1951, p. 12-26, 45, 49, 128.

SOUZA, L. de. No Mundo do Espíritos. O Espiritismo na Macumba. A Noite, Rio de Janeiro, ano XIV, n. 4373, 29 jan. 1924, p. 1.

UM protesto de Tio Faustino conta o uso indevido de seus "omelês". A Noite, Rio de Janeiro, ano XXIII, n. 7594, 3a. edição, 14 jan. 1933, p. 8.

Downloads

Publicado

2022-01-07

Como Citar

VALLE, A. “Exu, c’est pour vous”: Benjamin Péret visita locais de culto afro-brasileiros em 1930. MODOS: Revista de História da Arte, Campinas, SP, v. 6, n. 1, p. 340–376, 2022. DOI: 10.20396/modos.v6i1.8667466. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/mod/article/view/8667466. Acesso em: 11 ago. 2022.

Edição

Seção

Dossiê - Arte e diáspora africana: conflitos, cânones, recomeços