O destino social de licenciandos e bacharéis em química

um estudo de caso sobre a formação de professores no plano microssociológico

Autores

Palavras-chave:

Ensino superior, Sociologia da educação, Pierre Bourdieu, Licenciatura

Resumo

A “teoria da reprodução”, enunciada por Bourdieu na década de 1960, sustentava que as classes menos favorecidas tinham acesso a oportunidades de menor prestígio no sistema escolar. No Brasil, desde então o sistema educacional sofreu uma grande ampliação qualitativa e quantitativa, gerando hierarquias de acordo com as classes sociais, inclusive entre modalidades de um mesmo curso de graduação. Neste trabalho, apresentaremos um caso que diverge dessa tradição no plano microssociológico em uma graduação em Química oferecida nas modalidades licenciatura e bacharelado. A partir de dados quantitativos, qualitativos e longitudinais, observamos que os licenciandos são originários de classes sociais menos favorecidas, mas concluem o curso com as mesmas oportunidades de inserção profissional e acadêmica que os bacharéis, de forma a alterar seu destino social mais provável.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luciana Massi, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho

Doudorado em Ciências pela Universidade de São Paulo. Professora Assistente do Departamento de Didática da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho.

Alberto Villani, Universidade de São Paulo

Doutorado em Física pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Pós-Doutorado pela Università di Bologna. Professor Senior da Universidade de São Paulo.

Referências

Bourdieu, P. (1998) Futuro de classe e causalidade do provável. In M. A. Nogueira, & A. Catani (Eds.), Escritos de educação (pp. 83-126). Petrópolis: Vozes.

Bourdieu, P. (2007). A distinção: crítica social do julgamento. São Paulo: Edusp.

Bourdieu, P., & Passeron, J.-C. (2012). Les héritiers: les étudiants et la culture. Paris: Les Editions de Minuit. Bourdieu, P., & Passeron, J.-C. (2014). A reprodução: elementos para uma teoria do sistema de ensino. Petrópolis: Editora Vozes.

Catani, A. M., Catani, D. B., & Pereira, G. R. M. (2001). As apropriações da obra de Pierre Bourdieu no campo educacional brasileiro, através de periódicos da área. Revista Brasileira de Educação, (17), 63-85. doi:10.1590/S1413-24782001000200006

Dias-da-Silva, M. H. G. F., & Muzzeti, L. R. (2006). Licenciaturas Light: resultado das lutas concorrenciais no campo universitário? Contexto e Educação, 21(75), 11-28. doi:10.21527/2179-1309.2006.75.11-28

Duru-Bellat, M. (2006). L’inflation scolaire: les désillusions de la méritocratie. Paris: Éditions du Seuil.

Hey, A. P. (2008). Esboço de uma sociologia do campo acadêmico: a educação superior no Brasil. São Carlos/SP: EdUFSCar.

Kaës, R. (1997). O grupo e o sujeito do grupo: elementos para uma teoria psicanalítica do grupo. São Paulo: Casa do Psicólogo.

Lahire, B. (2004). Retratos sociológicos: disposições e variações individuais. Porto Alegre: Artmed.

Lahire, B. (2012). Monde pluriel: penser l’unité des sciences sociales. Paris: Éditions de Seuil.

Massi, L. (2013) Relação aluno-instituição: o caso da licenciatura do Instituto de Química da Unesp/Araraquara. Tese de Doutorado, Universidade de São Paulo, São Paulo.

Massi, L. & Villani, A. (2014) Contribuições dos estudos de perfil dos graduandos: o caso dos cursos de licenciatura e bacharelado em Química da Unesp/Araraquara. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, 14(1), 151-170.

Massi, L. & Villani, A. (2015) O currículo da formação de professores em um Instituto de Química: encontros e desencontros entre a prescrição e a prática. Investigações em Ensino de Ciências, 20(3), 187-204. doi:10.22600/1518-8795.ienci2016v20n3p187

Nogueira, C. M. M., & Nogueira, M. A. (2002). A sociologia da educação de Pierre Bourdieu: limites e contribuições. Educação & Sociedade, 23(78), 15-36. doi:10.1590/S0101- 73302002000200003

Reay, D., David, M., & Ball, S. (2001). Making a difference?: Institutional habituses and higher education choice. Sociological Research Online, 5(4), 14-25. doi:10.5153/sro.548

Thomas, L. (2002). Student retention in higher education: the role of institutional habitus. Journal of Education Policy, 17(4), 423-442. doi:10.1080/02680930210140257

Zucco, C. (2007). Graduação em Química: avaliação, perspectivas e desafios. Química Nova, 30(6), 1429-1434. doi:10.1590/S0100-40422007000600010

Yin, R. K. (1989). Case study research: design and methods. Newbury Park: Sage Publications.

Publicado

2020-04-22

Como Citar

MASSI, L. .; VILLANI, A. O destino social de licenciandos e bacharéis em química: um estudo de caso sobre a formação de professores no plano microssociológico. Pro-Posições, Campinas, SP, v. 31, p. e20170089, 2020. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8660720. Acesso em: 25 set. 2021.

Edição

Seção

Artigos