Gestão da informação e gestão do conhecimento na prática organizacional: análise de estudos de casos

Fabiana Borelli Amorim, Maria Inês Tomaél

Resumo


Estudos sobre gestão de conhecimento (GC) e gestão da informação (GI) vêm sendo apresentados em profusão na literatura. Diversas discussões emergem a respeito das principais divergências e convergências destes conceitos, mas na prática a distinção ainda é bastante confusa. Desta forma, a proposta deste estudo é identificar as principais características de GC e de GI, por meio da literatura e pela análise de estudos de caso de empresas brasileiras apresentados no livro Gestão do Conhecimento no Brasil, organizado por Angeloni (2008). Os resultados demonstram e exemplificam a adoção de várias práticas de gestão como: lista de discussões, universidade corporativa, compartilhamento de conhecimento e experiências, entre outras, que em alguns casos culminaram na Gestão do Conhecimento.

Palavras-chave


Gestão da informação. Gestão do conhecimento. Prática organizacional

Texto completo:

PDF

Referências


ALVARENGA NETO, Rivadavia Correa Drummond de. Gestão do Conhecimento em Organizações. São Paulo: Saraiva, 2008.

ANGELONI, Maria Terezinha (Org). Gestão do conhecimento no Brasil: casos, experiências e práticas de empresas públicas. Rio de Janeiro: Qualitynark, 2008.

______ et al. Gestão estratégica da informação e o processo decisório: uma preparação para a gestão do conhecimento. In: Encontro Nacional de Engenharia de Produção – 1999. Disponível em: http://www.abepro.org.br/biblioteca/ENEGEP1999_A0054.PDF

BARBOSA, Ricardo Rodrigues. Gestão da informação e do conhecimento: origens, polêmicas e perspectivas. Informação & Informação, v. 13, n. esp., p. 1-25, 2008

BARRETO, A. de A. A questão da informação. São Paulo em Perspectiva, v.8, n.4, out./dez. 1994.

BERGERON, P. Information resources management. Annual Review of Information Science and Technology, v. 31, p. 263-300, 1996.

BEUREN, I. M. Gerenciamento da informação: um recurso estratégico no processo de gestão empresarial. São Paulo: Atlas, 1998

BUCKLAND, Michael K. Information as thing. Journal of the American Society for Information Science, v.42, n.5, p.351-360, 1991. Disponível em: http://people.ischool.berkeley.edu/~buckland/thing.html Acesso em: 09 dez 2008.

CAPURRO, R.; HJORLAND, B. The concept of information. Annual Review of Information Science & Technology, Medford, v.37, p.343-411, 2003. Disponível em:

< http://www.capurro.de/infoconcept.html> Acesso em: 05 dez 2008.

CARVALHO, Gilda Maria Rocha de; TAVARES, Márcia da Silva. Informação & conhecimento: uma abordagem organizacional. Rio de Janeiro: QualityMark, 2001. 127 p.

CARVALHO, Isamir Machado de. Estratégias para implantação da gestão do conhecimento. In: ANGELONI, Maria Terezinha. Gestão do Conhecimento no Brasil: casos, experiências e práticas de empresas públicas. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2008. p. 3-24.

CHOO, Chun Wei. Gestão da informação para a organização inteligente: a arte de explorar o meio ambiente. Lisboa: Caminho, 2003a.

CHOO, Chun Wei. A organização do conhecimento: como as organizações usam a informação para criar significado, construir conhecimento e tomar decisões. São Paulo: SENAC, 2003b.

DAVENPORT, T. H. Ecologia da informação: por que só a tecnologia não basta para o sucesso na Era da Informação. São Paulo: Futura, 2000.

______. Reengenharia de processos: como inovar na empresa através da tecnologia da informação. Rio de Janeiro: Campus, 1994.

FIATES, Gabriela Gonçalves Silveira. Cultura Organizacional: um fator determinante para a promoção da aprendizagem organizacional e da gestão do conhecimento. In: ANGELONI, Maria Terezinha. Gestão do Conhecimento no Brasil: casos, experiências e práticas de empresas públicas. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2008. p. 127-138.

GOLDMAN, Fernando L. Um modelo estruturado para implantação de gestão do conhecimento organizacional. Palestra proferida à Sociedade Brasileira de Gestão do Conhecimento. Rio de Janeiro, 2008.

GOULART, Sonia. Gestão do Conhecimento Integrada à Estratégia Organizacional. In: ANGELONI, Maria Terezinha. Gestão do Conhecimento no Brasil: casos, experiências e práticas de empresas públicas. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2008. p. 25-36

HAYEK, F. A. The Pretence of Knowledge. The American Economic Review, [S.l.], v. 79, n. 6, p. 3-7, 1989. Disponível em: < http://www.jstor.org/stable/1914347>. Acesso em: 06 nov. 2008.

MORESI, Eduardo. Delineando o valor do sistema de informação de uma organização. Ciência da Informação, v. 29, n.1, 2000. Disponível em: < http://revista.ibict.br/index.php/ciinf/article/viewArticle/246>. Acesso em: 09 dez 2008

NONAKA, I.; TAKEUCHI, H. Criação de conhecimento na empresa: como as empresas japonesas geram a dinâmica da inovação. Rio de Janeiro: Campus, 1997.

NONAKA, I.; TOYAMA, R. Criação do conhecimento como processo sintetizador, In: NONAKA, I.; TAKEUCHI, H. Gestão do conhecimento. Porto Alegre: Bookman, 2008.

OLIVERIA, Leonardo Paiva Martins de; NEVES, Jorge Tadeu e Ramos. Gestão do Conhecimento em uma Instituição de Pesquisa: o caso da Embrapa Milho e Sorgo. In: ANGELONI, Maria Terezinha. Gestão do Conhecimento no Brasil: casos, experiências e práticas de empresas públicas. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2008. p. 177-190.

PEREIRA, R. O.; REZENDE, D. A.; ABREU, A. F. Gestão do conhecimento com apoio dos recursos de sistemas de informação e tecnologias emergentes. In: Encontro Nacional de Engenharia de Produção, São Paulo, 2000. Anais... São Paulo: ENEGEP, 2000. Disponível em: http://www.abepro.org.br/biblioteca/ENEGEP2000_E0144.PDF. Acesso em: 22 dez. 2008.

POLANYI, Michael. The tacit dimension. Gloucester, Mass: Peter Smith, 1983.

PONJÚAN DANTE, G. Gestíon de información: dimensiones e implementación para el êxito organizacional. Rosário: Nuevo Parhadigma, 2004.

RAY, Loye (Lynn). Requirement for knowledge management: business driving informatin technology. Journal of Knowledge Management, v. 12, n.3, p. 156-168, 2008.

ROWLEY, J. Towards a framework for information management. International Journal of Information Management, v.18, n.5, p.359–369, 1998.

SPENDER, J. C. Gerenciando Sistemas de Conhecimento. In: FLEURY, M. T.; OLIVEIRA JR, M. de M. (Orgs.). Gestão estratégica do conhecimento: integrando aprendizagem, conhecimento e competências. São Paulo: Atlas, 2008. p. 27-49.

SVEIBY, Karl Erik. A nova riqueza das organizações: gerenciando e avaliando patrimônios de conhecimento: gerenciando e avaliando patrimônios de conhecimento. 4. ed. Rio de Janeiro: Campus, 1998.

TARAPANOFF, K. Informação, conhecimento e inteligência em corporações: relações e complementaridade. In: ______ (org). Inteligência, informação e conhecimento em corporações. Brasília: IBICT, UNESCO, 2006. p. 19-35.

TERRA, José Cláudio Cyrineu. Gestão do conhecimento: o grande desafio empresarial. São Paulo: Negócio, c2005.

VALENTIM, Marta Lígia Pomim. Gestão da Informação e Gestão Do Conhecimento: especificidades e convergências. Infohome, 2004. Disponível em: < http://www.ofaj.com.br/colunas_conteudo.php?cod=88> Acesso em 20 nov. 2008.

VALENTIM, Marta Lígia Pomim. Informação e conhecimento em organizações complexas. In: ______(Org.). Gestão da informação e do conhecimento: no âmbito da ciência da informação. São Paulo: Polis: Cultura Acadêmica, 2008. p. 11-25.




DOI: https://doi.org/10.20396/rdbci.v8i2.1931

Métricas do Artigo

Carregando métricas...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2011 RDBCI: Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

(c) RDBCI: Rev. Digit. Bibliotecon. e Cienc. Inf. / RDBCI : Digit. J. Libr. and Inf. Sci., Campinas (SP) - ISSN 1678-765X.