Gestão da informação e gestão do conhecimento na prática organizacional: análise de estudos de casos

  • Fabiana Borelli Amorim
  • Maria Inês Tomaél
Palavras-chave: Gestão da informação. Gestão do conhecimento. Prática organizacional

Resumo

Estudos sobre gestão de conhecimento (GC) e gestão da informação (GI) vêm sendo apresentados em profusão na literatura. Diversas discussões emergem a respeito das principais divergências e convergências destes conceitos, mas na prática a distinção ainda é bastante confusa. Desta forma, a proposta deste estudo é identificar as principais características de GC e de GI, por meio da literatura e pela análise de estudos de caso de empresas brasileiras apresentados no livro Gestão do Conhecimento no Brasil, organizado por Angeloni (2008). Os resultados demonstram e exemplificam a adoção de várias práticas de gestão como: lista de discussões, universidade corporativa, compartilhamento de conhecimento e experiências, entre outras, que em alguns casos culminaram na Gestão do Conhecimento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Fabiana Borelli Amorim
Mestranda no Programa de Pós-graduação em Gestão da Informação – Mestrado Profissional (UEL).
Maria Inês Tomaél
Professora do Departamento de Ciência da Informação (UEL), doutora em Ciência da Informação (UFMG).

Referências

ALVARENGA NETO, Rivadavia Correa Drummond de. Gestão do Conhecimento em Organizações. São Paulo: Saraiva, 2008.

ANGELONI, Maria Terezinha (Org). Gestão do conhecimento no Brasil: casos, experiências e práticas de empresas públicas. Rio de Janeiro: Qualitynark, 2008.

______ et al. Gestão estratégica da informação e o processo decisório: uma preparação para a gestão do conhecimento. In: Encontro Nacional de Engenharia de Produção – 1999. Disponível em: http://www.abepro.org.br/biblioteca/ENEGEP1999_A0054.PDF

BARBOSA, Ricardo Rodrigues. Gestão da informação e do conhecimento: origens, polêmicas e perspectivas. Informação & Informação, v. 13, n. esp., p. 1-25, 2008

BARRETO, A. de A. A questão da informação. São Paulo em Perspectiva, v.8, n.4, out./dez. 1994.

BERGERON, P. Information resources management. Annual Review of Information Science and Technology, v. 31, p. 263-300, 1996.

BEUREN, I. M. Gerenciamento da informação: um recurso estratégico no processo de gestão empresarial. São Paulo: Atlas, 1998

BUCKLAND, Michael K. Information as thing. Journal of the American Society for Information Science, v.42, n.5, p.351-360, 1991. Disponível em: http://people.ischool.berkeley.edu/~buckland/thing.html Acesso em: 09 dez 2008.

CAPURRO, R.; HJORLAND, B. The concept of information. Annual Review of Information Science & Technology, Medford, v.37, p.343-411, 2003. Disponível em:

< http://www.capurro.de/infoconcept.html> Acesso em: 05 dez 2008.

CARVALHO, Gilda Maria Rocha de; TAVARES, Márcia da Silva. Informação & conhecimento: uma abordagem organizacional. Rio de Janeiro: QualityMark, 2001. 127 p.

CARVALHO, Isamir Machado de. Estratégias para implantação da gestão do conhecimento. In: ANGELONI, Maria Terezinha. Gestão do Conhecimento no Brasil: casos, experiências e práticas de empresas públicas. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2008. p. 3-24.

CHOO, Chun Wei. Gestão da informação para a organização inteligente: a arte de explorar o meio ambiente. Lisboa: Caminho, 2003a.

CHOO, Chun Wei. A organização do conhecimento: como as organizações usam a informação para criar significado, construir conhecimento e tomar decisões. São Paulo: SENAC, 2003b.

DAVENPORT, T. H. Ecologia da informação: por que só a tecnologia não basta para o sucesso na Era da Informação. São Paulo: Futura, 2000.

______. Reengenharia de processos: como inovar na empresa através da tecnologia da informação. Rio de Janeiro: Campus, 1994.

FIATES, Gabriela Gonçalves Silveira. Cultura Organizacional: um fator determinante para a promoção da aprendizagem organizacional e da gestão do conhecimento. In: ANGELONI, Maria Terezinha. Gestão do Conhecimento no Brasil: casos, experiências e práticas de empresas públicas. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2008. p. 127-138.

GOLDMAN, Fernando L. Um modelo estruturado para implantação de gestão do conhecimento organizacional. Palestra proferida à Sociedade Brasileira de Gestão do Conhecimento. Rio de Janeiro, 2008.

GOULART, Sonia. Gestão do Conhecimento Integrada à Estratégia Organizacional. In: ANGELONI, Maria Terezinha. Gestão do Conhecimento no Brasil: casos, experiências e práticas de empresas públicas. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2008. p. 25-36

HAYEK, F. A. The Pretence of Knowledge. The American Economic Review, [S.l.], v. 79, n. 6, p. 3-7, 1989. Disponível em: < http://www.jstor.org/stable/1914347>. Acesso em: 06 nov. 2008.

MORESI, Eduardo. Delineando o valor do sistema de informação de uma organização. Ciência da Informação, v. 29, n.1, 2000. Disponível em: < http://revista.ibict.br/index.php/ciinf/article/viewArticle/246>. Acesso em: 09 dez 2008

NONAKA, I.; TAKEUCHI, H. Criação de conhecimento na empresa: como as empresas japonesas geram a dinâmica da inovação. Rio de Janeiro: Campus, 1997.

NONAKA, I.; TOYAMA, R. Criação do conhecimento como processo sintetizador, In: NONAKA, I.; TAKEUCHI, H. Gestão do conhecimento. Porto Alegre: Bookman, 2008.

OLIVERIA, Leonardo Paiva Martins de; NEVES, Jorge Tadeu e Ramos. Gestão do Conhecimento em uma Instituição de Pesquisa: o caso da Embrapa Milho e Sorgo. In: ANGELONI, Maria Terezinha. Gestão do Conhecimento no Brasil: casos, experiências e práticas de empresas públicas. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2008. p. 177-190.

PEREIRA, R. O.; REZENDE, D. A.; ABREU, A. F. Gestão do conhecimento com apoio dos recursos de sistemas de informação e tecnologias emergentes. In: Encontro Nacional de Engenharia de Produção, São Paulo, 2000. Anais... São Paulo: ENEGEP, 2000. Disponível em: http://www.abepro.org.br/biblioteca/ENEGEP2000_E0144.PDF. Acesso em: 22 dez. 2008.

POLANYI, Michael. The tacit dimension. Gloucester, Mass: Peter Smith, 1983.

PONJÚAN DANTE, G. Gestíon de información: dimensiones e implementación para el êxito organizacional. Rosário: Nuevo Parhadigma, 2004.

RAY, Loye (Lynn). Requirement for knowledge management: business driving informatin technology. Journal of Knowledge Management, v. 12, n.3, p. 156-168, 2008.

ROWLEY, J. Towards a framework for information management. International Journal of Information Management, v.18, n.5, p.359–369, 1998.

SPENDER, J. C. Gerenciando Sistemas de Conhecimento. In: FLEURY, M. T.; OLIVEIRA JR, M. de M. (Orgs.). Gestão estratégica do conhecimento: integrando aprendizagem, conhecimento e competências. São Paulo: Atlas, 2008. p. 27-49.

SVEIBY, Karl Erik. A nova riqueza das organizações: gerenciando e avaliando patrimônios de conhecimento: gerenciando e avaliando patrimônios de conhecimento. 4. ed. Rio de Janeiro: Campus, 1998.

TARAPANOFF, K. Informação, conhecimento e inteligência em corporações: relações e complementaridade. In: ______ (org). Inteligência, informação e conhecimento em corporações. Brasília: IBICT, UNESCO, 2006. p. 19-35.

TERRA, José Cláudio Cyrineu. Gestão do conhecimento: o grande desafio empresarial. São Paulo: Negócio, c2005.

VALENTIM, Marta Lígia Pomim. Gestão da Informação e Gestão Do Conhecimento: especificidades e convergências. Infohome, 2004. Disponível em: < http://www.ofaj.com.br/colunas_conteudo.php?cod=88> Acesso em 20 nov. 2008.

VALENTIM, Marta Lígia Pomim. Informação e conhecimento em organizações complexas. In: ______(Org.). Gestão da informação e do conhecimento: no âmbito da ciência da informação. São Paulo: Polis: Cultura Acadêmica, 2008. p. 11-25.

Publicado
2011-02-25
Como Citar
Amorim, F. B., & Tomaél, M. I. (2011). Gestão da informação e gestão do conhecimento na prática organizacional: análise de estudos de casos. RDBCI: Revista Digital De Biblioteconomia E Ciência Da Informação, 9(1), 1-22. https://doi.org/10.20396/rdbci.v8i2.1931
Seção
Artigos