Banner Portal
O público e a compreensão da informação nos rótulos de alimentos
PDF

Palavras-chave

Rotulagem de alimentos
Alimentos transgênicos
Informação e consumo

Como Citar

FURNIVAL, Ariadne Chloe; PINHEIRO, Sonia Maria. O público e a compreensão da informação nos rótulos de alimentos: o caso dos transgênicos. RDBCI: Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, SP, v. 7, n. 2, p. 1–19, 2009. DOI: 10.20396/rdbci.v7i1.1971. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rdbci/article/view/1971. Acesso em: 25 jul. 2024.

Resumo

A rotulagem constitui uma importante interface da informação técno-científica com o público em geral. Apresentam-se resultados de um estudo cujo objetivo foi o exame dos hábitos de leitura dos rótulos dos alimentos por parte dos consumidores, e a sua compreensão das informações neles contidas. A pesquisa foi realizada por meio de grupos focais e a aplicação de um questionário. A pouca leitura de rótulos constatada aponta implicações relevantes no contexto da importância atribuída à rotulagem dos alimentos transgênicos.
https://doi.org/10.20396/rdbci.v7i1.1971
PDF

Referências

AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITARIA (ANVISA), 2004. Disponível em: www.anvisa.gov.br. Acesso em: 10 mar. 2006.

BARBAGALLO, F; NELSON, J. UK GM Dialogue: separating social and scientific issues. Science Communication. v.26, n.3, p.318-325, 2005.

BOLETIM POR UM BRASIL LIVRE DE TRANSGÊNICOS, n.52, fev., 2001.

CAMARGO, M. A. B. Nem rotulados, nem embalados, nem seduzidos: a leitura de rótulos e embalagens. São Paulo: UNESP, 2003.

CANCLINI, N. G. Consumidores e cidadãos: conflitos multiculturais da globalização. 4. ed. Rio de Janeiro: UFRJ, 1999.

DOUGLAS, M; WILDAVASKY, A. Risk and culture: an essay on the selection of technological and environmental dangers. Berkerley: University of California Press, 1983.

EINSIEDEL, E.F. GM food labeling. The interplay of information, social values and institutional trust. Science Communication, vol. 24, n. 2, December, p. 209-221, 2002.

GERAQUE, E. Medidas urgentes. Boletim eletrônico FAPESP. 21/03/2006.

GROVE-WHITE, R.; MACNAGHTEN, P.; WYNNE, B. Uncertain world: genetically

modified organisms, food and public attitudes in Britain. Lancaster: Lancaster University,

GUIVANT, J. S. Ciência, tecnologia e sociedade: novos modelos de governança. In: CGEE (Org). A governança dos riscos e os desafios para redefinição da arena pública no Brasil. Brasília : Centro de Gestão e Estudos Estratégicos, 2005. p. 47-87.

GREEN ALLIANCE/ESRC GLOBAL ENVIRONMENTAL CHANGE PROGRAMME. Steps into uncertainty: handling risk and uncertainty in environmental policymaking. Brighton: University of Sussex, 2000. (Special Briefing, n.6)

INDÚSTRIA resiste à rotulagem de transgênicos. Folha de São Paulo, São Paulo, 10 mar. 2005.

LEVIDOW, L.; MURPHY, J.; CARR, S. Recasting “Substantial Equivalence”. Transatlantic Governance of GM Food. Science, technology and human values. v. 32, n.1, p.26-64, 2007.

MASSARINI, L. A opinião pública sobre os transgênicos. História, Ciências, Saúde – Manguinhos, v.7, n.2, 2000. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-59702000000300023&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt. Acesso em: 25 mar. 2006.

McINERNEY, C; BIRD, M; NUCCI, N. The flow of scientific knowledge from lab to the lay public. The case of genetically modified food. Science Communication, v.26, n.1, p.44-74, 2004.

MILLSTONE, E.; RAYOR, L.S., CARTER, M. E. Transgenic pollen harms monarch larvae. Nature, v.399, n.6733, p.214, 1999.

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE (MMA). Rotulagem ambiental, documento base para o programa brasileiro. Brasília: MMA, Secretaria de políticas para o desenvolvimento sustentável, 2002.

NODARI, R.; GUERRA, M.P. Plantas transgênicas e sues produtos: impactos, riscos e segurança alimentar (Biossegurança de plantas transgênicas). Revista de Nutrição, v.16, n.1, jan/mar, 2003. Disponível em:

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-52732003000100011. Acesso em: 27 mar. 2006.

ORGANISATION FOR ECONOMIC COOPERATION AND DEVELOPMENT (OECD). Safety evaluation of foods derived by modern biotechnology: concepts and principles. Paris: Organisation for Economic Cooperation and Development, 1993.

PORTILHO, M. F. F. O discurso internacional sobre consumo sustentável: possibilidades de politização e ambientalização da esfera privada. São Paulo: Cortez, 2005.

QIN, W.; BROWN, J. L. Consumer opinions about genetically engineered salmon and information effect on opinions: a qualitative approach. Science Communication, v.28, n.2, December 2006, p. 243-272.

RIBEMBOIM, J. (org.). Mudando os padrões de produção e consumo: textos para o século XXI. Brasília : IBAMA, 1997.

SPAARGAREN, G. Political consumerism for sustainable consumption practices. Rethinking the commitments of citizen-consumers with environmental change. In: CGEE (Org). Ciência, tecnologia e sociedade: novos modelos de governança. Brasília: Centro de Gestão de Estudos Estratégicos, 2005. p.135-168.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2009 Ariadne Chloe Furnival, Sonia Maria Pinheiro

Downloads

Não há dados estatísticos.