Suportes teóricos para pensar linguagens documentárias

Autores

  • Rodrigo de Sales

DOI:

https://doi.org/10.20396/rdbci.v5i1.2006

Palavras-chave:

Linguagem documentária, Terminologia, Lingüística, Representação da informação

Resumo

Este artigo consiste em uma breve revisão na literatura referente aos estudos e pesquisas que vêm sendo realizados no Brasil predominantemente nos últimos cinco anos a respeito da construção de modelos de representação do conhecimento, mais popularmente conhecidos como linguagens documentárias. O propósito é identificar quais as principais teorias vêm fornecendo subsídios para as respectivas pesquisas. Antes de mapear parte do campo epistemológico das linguagens documentárias, será explicitada uma breve contextualização histórica e conceitual a respeito das linguagens documentárias. Almeja-se concluir com a identificação de possíveis linhas ou tendências de pesquisa acerca da construção de modelos de representação do conhecimento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Rodrigo de Sales

Mestrando em Ciência da Informação – UFSC Bacharel em Biblioteconomia – UFSC Bolsista de Desenvolvimento Tecnológico Industrial do CNPq - Nível G Membro do Núcleo de Pesquisa em Informática, Literatura e Lingüística – NUPILL/UFSC Membro do Núcleo de Estudos em Informação e Mediações Comunicacionais Contemporâneas - UFSC Membro do Corpo Editorial da Revista Texto Digital ISSN: 1807-9288

Referências

ALVARENGA, Lídia. A Teoria do Conceito revisitada em conexão com ontologias e metadados no contexto das bibliotecas tradicionais e digitais. DataGramaZero: Revista de Ciência da Informação. v. 2, n. 6, dez/2001. Disponível em < http://www.dgz.org.br/dez01/Art_05.htm>. Acessado em: 17.mai.2005.

ALVARENGA, Lídia. Representação do conhecimento na perspectiva da ciência da informação em tempo e espaço digitais. Encontros Bibli: Revista Eletrônica de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Florianópolis, n. 15, 1o sem. 2003. Disponível em < http://www.encontros-bibli.ufsc.br/regular.html> Acessado em: 25.ago.2006.

BARTHES, Roland. Elementos de semiologia. Tradução de Izidoro Blinkstein. 3. ed. São Paulo: Cultrix, 1974, 116 p.

BATISTA, Gilda Helena Rocha. Redes de conceitos. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 9, n. 1, p. 6-17, jan./jun. 2004. Disponível em < http://www.eci.ufmg.br/pcionline/viewarticle.php?id=55>. Acessado em: 09.mar.2006.

BUFREM, Leilah Santiago. A relação inescusável entre lingüística e documentação. Encontros Bibli: Revista Eletrônica de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Florianópolis, n.19, 1o sem. 2005. Disponível em < http://www.encontros-bibli.ufsc.br/sumario.htm>. Acessado em: 04.mai.2006.

CABRÉ, M. Teresa. La terminología: representación y comunicación. Barcelona: Institut Universitari de Lingüística Aplicada, 1999. 369 p.

CABRÉ, M. Teresa. La terminología: teoría, metodología, aplicaciones. Traducción castellana de Carles Tebé. Barcelona: Editorial Antártida/ Empúries, 1993. 526 p.

CAFÉ, Lígia. Aplicação do modelo de predicação sintático-semântico na construção de linguagens documentárias facetadas. In: CUNHA, Miriam Veira da; SOUZA, Francisco das Chagas de. (Orgs.). Comunicação, gestão e profissão: abordagens para o estudo da Ciência da Informação. Belo Horizonte: Autêntica, 2006. 176 p.

CAFÉ, Lígia. Contribuições da Gramática Funcional da delimitação de segmentos descritores de informação. In: Organização e representação do conhecimento na perspectiva da ciência da informação. Georgete Medleg Rodrigues e Ilza Leite Lopes (organizadoras). Brasília: Thesaurus, 2003, p. 118-140. (Estudos Avançados em Ciência da Informação, v.2)

CAMPOS, Maria Luiza de Almeida. Modelização de domínios de conhecimento: uma investigação de princípios fundamentais. Ciência da Informação, Brasília, v. 33, n. 1, p. 22-32, jan./abril 2004. Disponível em < http://www.ibict.br/cienciadainformacao/viewarticle.php?id=77&layout=html>. Acessado em: 02.mai.2006.

CAMPOS, Maria Luiza de Almeida; GOMES, Hagar Espanha. Organização de domínios de conhecimento e os princípios ranganathianos. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 8, n. 2, p. 150-163, jul./dez. 2003. Disponível em < http://www.eci.ufmg.br/pcionline/viewarticle.php?id=140&layout=abstract>

Acessado em: 19.mai.2006.

CASTILHO, Ataliba Teixeira de. Um ponto de vista funcional sobre a predicação. ALFA: Revista de Lingüística. São Paulo, UNESP, v. 38, 1994. p. 75-95.

CAVALCANTI, Cordelia R. Indexação & tesauro: metodologia e técnicas. Brasília: Associação de Bibliotecários do Distrito Federal, 1978. 89 p. (Edição Preliminar).

CERVANTES, Brígida Maria Nogueira. Contribuição para a terminologia do processo de inteligência competitiva: estudo teórico e metodológico. Marília, 2004. 183 f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) – Faculdade de Filosofia e Ciências, Universidade do Estado de São Paulo, Campus de Marília, 2004.

CINTRA, Ana Maria et al. Para entender as linguagens documentárias. 2 ed. São Paulo: Polis, 2002. 92 p. (Coleção Palavra-Chave, 4).

DAHLBERG, Ingetraut. Teoria do conceito. Ciência da Informação. Rio de Janeiro, v. 7, n. 2, p. 101-107, 1978.

GAUDIN, François. Socioterminologie: des problemes semantiques aux pratiques institutionnelles. Rouen, França: Publications de L’Université de Rouen, 1993.

GOMES, Hagar Espanha (Coord.). Manual de elaboração de tesauros monolíngües. Brasília: Programa Nacional de Bibliotecas de Instituições de Ensino Superior, 1990. 78 p.

INTERNATIONAL ORGANIZATION FOR STANDARDIZATION. International Standard. Terminology work: principles and methods. 2. ed. 2000. (ISO 704).

INTERNATIONAL ORGANIZATION FOR STANDARDIZATION. International Standard. Terminology work: vocabulary. Part 1 – Theory and application. 1. ed. 2000. (ISO 1087-1).

KURAMOTO, Hélio. Uma abordagem alternativa para o tratamento e recuperação de informação textual: os sintagmas nominais. Ciência da Informação, Brasília, v. 25, n. 2, 1996. Disponível em < http://www.ibict.br/cionline/250296/25029605.pdf>. Acessado em: 09.mar.2006.

LARA, Marilda Lopez Ginez de. Diferenças conceituais sobre termos e definições e implicações na organização da linguagem documentária. Ciência da Informação. Brasília, v. 33, n. 2, p. 91-96, maio/ago. 2004a. Disponível em: < http://www.ibict.br/cienciadainformacao/viewaarticle.php?id=304&layout=html> Acesso em: 5 abril 2006.

LARA, Marilda Lopez Ginez de. Linguagem documentária e terminologia. Transinformação. Campinas. v. 16, n. 3, p. 231-240, set./dez., 2004b. Disponível em: < http://revistas.puc-campinas.edu.br/transinfo/viewissue.php?id=8>. Acesso em: 20 abril 2006.

LIMA, Vânia Mara Alves. Da classificação do conhecimento científico aos sistemas de recuperação de informação: enunciação de codificação e enunciação de decodificação da informação documentária. São Paulo, 2004. 148 f. Tese (Doutorado em Ciências da Comunicação) – Escola de Comunicação e Artes, Universidade de São Paulo, 2004.

MENDONÇA, Ercilia Severina. A lingüística e a ciência da informação: estudos de uma interseção. Ciência da Informação., Brasília, v. 29, n. 3, set./dez. 2000, p. 50-70. Disponível em: < http://www.ibict.br/cienciadainformacao/viewarticle.php?id=259&layout=abstract>. Acesso em: 2 abr. 2006.

MOREIRA, Alexandra; ALVARENGA, Lídia; OLIVEIRA, Alcione de Paiva. O nível do conhecimento e os instrumentos de representação: tesauros e ontologias. DataGramaZero – Revista de Ciência da Informação. Rio de Janeiro, v.5, n.6, dez. 2004. Disponível em: < http://www.dgz.org.br/dez04/F_I_art.htm>. Acesso em: 20 abr.2006.

MOREIRA, Alexandra. Tesauros e Ontologias: estudo de definições presentes na literatura das áreas das Ciências da Computação e da Informação, utilizando-se o método analítico-sintético. Belo Horizonte, 2003. 150 f. il. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) – Escola de Ciência da Informação, Universidade

Federal de Minas Gerais, 2003. Disponível em < http://opus.grude.ufmg.br/opus/opusanexos.nsf/4d078acf4b397b3f83256e86004d9d55/915f0db8

ceb5bb3583256fb0006a1d5e/$FILE/mestrado%20%20Alexandra%20Moreira.pdf>. Acessado em: 16.abr.2006.

MOREIRO, José; MARZAL, Miguel Angel; BELTRÁN, Pilar. Desarrollo de un Método para la creación de mapas conceptuales. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, 6, 2003, Belo Horizonte. Anais... Belo Horizonte. CD-ROM.NEVES, Maria Helena de Moura. A Gramática funcional. São Paulo: Martins Fontes, 1997. 160 p. (Texto e Linguagem).

PEREIRA, Edmeire Cristina; BUFREM, Leilah Santiago. Princípios de organização e representação de conceitos em linguagens documentárias. Encontros Bibli: Revista Eletrônica de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Florianópolis, n. 20, 2o semestre de 2005, p. 21-37. Disponível em < http://www.encontros-bibli.ufsc.br/sumario.htm>. Acessado em: 04.mai.2006.

PEZATTI, Erotilde Goreti. Uma abordagem funcionalista da ordem de palavras no portuguêsfalado. ALFA: Revista de Lingüística. São Paulo, UNESP, v. 38, 1994. p. 37-56.

SARACEVIC, Tefko. Ciência da informação: origem, evolução e relações. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 1, n. 1, p. 41-62, jan./jun. 1996. Disponível em < http://www.eci.ufmg.br/pcionline/viewarticle.php?id=5&layout=abstract>. Acessado em: 09.mai.2007.

SAUSSURE, Ferdinand de. Curso de lingüística geral. Tradução de José Victor Adragão. 6. ed. Lisboa: Dom Quixote, 1992, 392 p. ISBN 972-20-0056-X

SOUZA, Renato Rocha. Uma proposta de metodologia para indexação automática utilizando sintagmas nominais. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, 6, 2005, Florianópolis. Anais... Florianópolis. CD-ROM.

TRISTÃO, Ana Maria Delazari; FACHIN, Gleisy Regina Bóries; ALARCON, Orestes Estevam. Sistema de classificação facetada e tesauros: instrumentos para organização do conhecimento. Ciência da Informação. Brasília, v. 33, n. 2, p.161/171, maio/ago. 2004. Disponível em: < http://www.ibict.br/cienciadainformacao/viewarticle.php?id=120&layout=abstract>. Acesso em: 26 maio 2006.

Downloads

Publicado

2008-10-29

Como Citar

SALES, R. de. Suportes teóricos para pensar linguagens documentárias. RDBCI: Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, SP, v. 5, n. 2, p. 95–114, 2008. DOI: 10.20396/rdbci.v5i1.2006. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rdbci/article/view/2006. Acesso em: 28 out. 2021.

Edição

Seção

Artigos