Política de preservação, conservação e restauração: patrimônio artístico e literário da UFBA

Palavras-chave: Preservação digital. Acervo cultural. Polo difusor. UFBA

Resumo

A Universidade Federal da Bahia (UFBA), que tem sua origem no século XIX,  acumula acervos significativos e representativos de diversas áreas do conhecimento. Esta situação estimulou um projeto que estabeleceu como objetivo políticas específicas de manutenção e preservação do seu acervo. Em 2015, iniciou o mapeamento dos bens culturais e artístico, móveis e imóveis nos campi da UFBA, em Salvador tendo como resultado o inventário, que apresenta componentes de identificação de tipologias e de classificação individual, do estado de conservação dos exemplares das diversas unidades acadêmicas, de prioridades no âmbito da conservação, preservação e restauração do patrimônio. O inventário, de método quantitativo e qualitativo, compõe uma base de dados eletrônica, atualizada, de acesso simples e democrático, que permite acesso à comunidade acadêmica, aos pesquisadores e a sociedade em geral. Quanto aos livros raros, localizados na coordenação Lugares de Memória, foram cadastrados 398 obras raras dos Séculos XVI a XVIII. Falta realizar inventário das coleções e livros com características especiais dos Séculos XVIII, XIX e XX. Ao estimar os resultados desse projeto, vale o investimento nas proposições apresentadas acima, pois eles não só favorecem a UFBA, mas também beneficia a sociedade, uma vez que esta instituição passará a ser um polo disseminador e promotor de políticas de preservação de acervos e salvaguarda do patrimônio cultural, que estarão disponíveis no repositório institucional para consulta da comunidade interna e externa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Referências

ANASTASSAKIS, Zoy. Aloísio Magalhães e o Centro Nacional de Referência Cultural, ou como fazer pesquisa em design sem sabê-lo. In: Congresso Internacional de Pesquisa em Design, 4º. 11 à 13 de outubro 2007. Rio de Janeiro. Disponível em:http://pt.slideshare.net/designjohnson/alosio-magalhes-e-o-centro-nacional-de-referncia-cultur. Acesso em: 22 de julho 2016.

BELLOTTO, Heloísa Liberalli. Reflexões sobre o conceito de memória no campo da documentação administrativa. In: _______. Arquivos permanentes: tratamento documental. 2. ed. rev. e ampl. Rio de Janeiro: FGV, 2004. p. 271-278.

BRASIL. Constituição dos Estados Unidos do Brasil, de 10 de nov. de 1937. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Constituicao37.htm. Acesso em: 26 ago. 2016

BRASIL. Constituição dos Estados Unidos do Brasil, de 18 de setembro de 1946.

Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Constituicao46.htm. Acesso em: 26 ago. 2016

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. 05 de out. de 1988. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Constituicao.htm. Acesso em: 26 ago. 2016

BRASIL. Decreto Lei n. 25, de 30 de nov. de 1937. Organiza a proteção do patrimônio histórico e artístico nacional. . Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 6 de dez de1937Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto-lei/Del0025.htm. Acesso em: 20 abr. 2016.

BRASIL. Lei no 3.924, de 26 de jul. de 1961. Dispõe sobre os monumentos arqueológicos e pré-históricos. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 27. jul.1961. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/1950-1969/L3924.htm. Acesso em: 26 ag. 2016.

CARTA Régia de Criação da Escola de Cirurgia da Bahia em 18 fevereiro de 1808. Disponível em https://www.ufba.br/noticias/faculdade-de-medicina-da-bahiaufba-completa-208-anos-de-funda%C3%A7%C3%A3o. Acesso em: 26 ago. 2016.

COUCEIRO, Sylvia; BARBOSA, Cibele. Patrimônio imaterial: debates contemporâneos. Cadernos de Estudos Sociais, Recife, v.24, n. 2, p. 151-159, jul./dez. 2008.

GALINDO, Mario. Patrimônio e instituições públicas no Brasil. In: BARRIO, A. E.; MOTTA, A.; GOMES, M. H. (Org.). Inovação cultural, patrimônio e educação. Recife: Fundaj, Massangana, 2009. p. 251-264.

HOBSBAWM, Eric; RANGER, Terence (Org.). A invenção das tradições. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1984.

MONTENEGRO, Antônio Carlos. Conservação preventiva: conceitos / Antônio Carlos Montenegro – Recife: [s.n.], 2015. 11 p.

MURGUIA, Eduardo Ismael; YASSUDA, Silvia Nathaly. Patrimônio histórico-cultural: critérios para tombamento de bibliotecas pelo IPHAN. Perspectivas em Ciências da Informação. Belo Horizonte, v. 12, n. 3, p. 65-82, set./dez. 2007.

NORA, Pierre. Entre memória e história: a problemática dos lugares. Projeto História: Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados em História e do Departamento de História da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, n. 10, p. 7-28, 1993.

PINHEIRO, Ana Virginia. Metodologia para Inventário de acervo antigo. Anais da Biblioteca Nacional. Rio de Janeiro, v. 123. 2007. 26p. Disponível em: http://planorweb.bn.br/documentos/anais_123_2003.pdf. Acesso em: 18 maio 2016.

PINHEIRO, Lena Vania R.; GRANATO, Marcus. Para pensar a interdisciplinaridade na preservação. In: SILVA, Rubens R. Gonçalves. Preservação documental: uma mensagem para o futuro. Salvador: EDUFBA, 2012, p. 23 – 40.

SILVA, Lucia. Trajetória de um conceito: patrimônio, entre a memória e a história. Mosaico – Revista Multidisciplinar de Humanidades, Vassouras, v. 1, n. 1, p. 36-42, jan./jun., 2010.

TEIXEIRA, Cid. Catedral Basílica de Salvador. 2008. Disponível em: http://www.cidteixeira.com.br/site/foto.php?sub=147 Acesso em: 18 maio 2016.

TOUTAIN, Lídia Maria Brandão. Registro da memória social e institucional no lançamento da pedra fundamental do ICI-UFBA. In: SILVA, Rubens R. Gonçalves. Preservação documental: uma mensagem para o futuro. Salvador: EDUFBA, 2012, p. 15- 21.

TOUTAIN, Lidia Brandão; LIMA, Ana Maria Cerqueira; DANNEMANN, João Carlos Silveira. Projeto plano diretor institucional – PDI: inventário patrimônio artístico da UFBA política de preservação, conservação e restauração. Salvador: UFBA, 2014. 15 f.

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA. Resolução nº 03 de 13 setembro de 2012. Aprova o Regimento Interno da Comissão Permanente de Arquivo da UFBA. Disponível em: https://www.ufba.br/sites/devportal.ufba.br/files/Resolu%C3%A7%C3%A3o%2003.2012_0.pdf. Acesso em: 08 de ago. de 2016.

VOGT, Olegário Paulo. Patrimônio cultural: um conceito em construção. MÉTIS: história & cultura. v. 7, n. 13, p. 13-31, jan./jun. 2008.

Publicado
2016-09-30
Como Citar
Toutain, L. B., Lima, A. M. C., & Ribeiro, M. A. S. (2016). Política de preservação, conservação e restauração: patrimônio artístico e literário da UFBA. RDBCI: Revista Digital De Biblioteconomia E Ciência Da Informação, 14(3), 368-386. https://doi.org/10.20396/rdbci.v14i3.8646334