Banner Portal
O desenvolvimento do marketing e sua aproximação com os paradigmas da Ciência da Informação
PORTUGUES
INGLES
XML

Palavras-chave

Marketing
Ciência da informação
Paradigma científico

Como Citar

SANTOS, Jovenilda Freitas dos; LUBISCO, Nídia Maria Lienert. O desenvolvimento do marketing e sua aproximação com os paradigmas da Ciência da Informação. RDBCI: Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, SP, v. 16, n. 2, p. 380–396, 2018. DOI: 10.20396/rdbci.v16i2.8649765. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rdbci/article/view/8649765. Acesso em: 22 abr. 2024.

Resumo

Pesquisa descritiva que objetiva discutir, sob uma perspectiva histórica, o desenvolvimento do Marketing e sua convergência com os paradigmas da Ciência da Informação, conhecidos como paradigma físico, cognitivo e social. Sob o paradigma físico, pontua-se a relação do nascimento de ambas as áreas do conhecimento, que exclui o papel ativo do sujeito cognoscente de todo processo informativo e comunicativo. Em seguida, sob a visão cognitiva, analisa-se a proximidade das áreas, a partir das interações e necessidades do usuário em relação aos sistemas de informação, onde ambas as áreas não tinham como compreender o usuário, de modo a ajustar os serviços a ele. O último estágio do Marketing assemelha-se ao último paradigma da Ciência da Informação, cujo objetivo é integrar a abordagem física e cognitiva, considerando a constituição social do indivíduo para construir um modelo ideal que beneficie a todos os envolvidos no processo. Trata-se do paradigma social preconizado por Shera. Conclui-se o estudo, baseado em pesquisa bibliográfica, destacando a sintonia entre o Marketing e a Ciência da Informação, a qual beneficia não só teoricamente ambas as áreas, mas também as teorias e práticas da Administração e da Biblioteconomia, a partir de um objetivo comum a esses dois campos do saber: a satisfação das necessidades informacionais dos usuários/clientes.

https://doi.org/10.20396/rdbci.v16i2.8649765
PORTUGUES
INGLES
XML

Referências

AMARAL, Sueli Angélica. Marketing da informação: abordagem inovadora para entender o mercado e o negócio da informação Ci. Inf., Brasília, DF, v. 40 n. 1, p.85-98, jan./abr., 2011. Disponível em: < http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/1327/1506. Acesso em: 8 dez. 2017.

ANDREASEN, Alan R. Avanço do marketing para biblioteca do futuro. In: SILVEIRA, Amélia (Org.) Marketing em bibliotecas e serviço de informação: textos selecionados. Brasília: IBICT, 1987. p. 37-64.

BONIFACIO, Everton Lopes. Ciência da informação e marketing: uma interdisciplinaridade possível. Ciência da informação, Brasília, DF, v. 44, n. 3, p. 366-380, set./dez. 2015. Disponível em: http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/1791. Acesso em: 10 dez. 2017.

CAPURRO, Rafael. Epistemologia e ciência da informação. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, 5., 2003, Belo Horizonte, Anais... Belo Horizonte: Escola de Ciência da informação da UFMG, 2003. p. [1-18]. 1 CD-ROM.

COBRA, Marcos. Marketing básico: uma abordagem brasileira. 4. ed. São Paulo: Atlas, 1997.

DANTAS, Edmundo Brandão. A informação como insumo da prática do marketing na gestão do conhecimento do cliente. Inf. & Soc.: Est., João Pessoa, v. 16, n. 1, p. 35-47 já./jun. 2006. Disponível em: http://www.ies.ufpb.br/ojs/index.php/ies/article/view/440/1492. Acesso em: 10 dez. 2017.

DRUCKER, Peter Ferdinand. Administração de organizações sem fins lucrativos: princípios e práticas. 4. ed. São Paulo: Pioneira, 1997. 166 p.

KOTLER, Philip. Marketing para organizações que não visam o lucro. São Paulo: Atlas. 1978. 430 p.

HEWIS, Elizabeth. Information need and use studies. Annual Review of Information Science and Technology (ARIST), v. 25, p. 145-172, 1990.

KOTLER, Philip. Marketing para organizações que não visam o lucro. São Paulo: Atlas. 1978. 430 p.

KOTLER, Philip; KELLER, Kevin Lane. Administração de marketing. 12 ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2006. 750 p.

KOTLER, Philip; LEE, Nancy. Marketing no setor público: um guia para um desempenho mais eficaz. Porto Alegre: Bookman, 2008. 350 p.

KUEHL, Philip. G. Marketing viewpoints for user need studies. In: TAYLOR, R. S. (Ed.) Economics of information dissemination: a symposium. Syracuse: Syracuse University: 1973: 49-67 apud Sueli Angélica do Amaral. Marketing: abordagens em unidades de informação. Brasília: Thesaurus, 1998. 245p.

LE COADIC, Yves, F. Ciência da informação. Brasília: Briquet de Lemos Livros, 1994. p. 82.

LEITÃO, Paulo Jorge O. Uma biblioteca nas redes sociais: o caso da Biblioteca de Arte da Fundação Calouste Gulbenkian no FLICKR. In: CONGRESSO NACIONAL DE BIBLIOTECÁRIOS, ARQUIVISTAS E DOCUMENTALISTAS, 10., Guimarães. Actas. Lisboa: BAD, 2010. Disponível em: http://www.bad.pt/publicacoes/index.php/congressosbad/article/view/189. Acesso em: maio 2017.

LEVITT, Theodore. A imaginação de marketing. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2007.

LIMEIRA, Tânia Maria Vidigal. Fundamentos de Marketing. In: DIAS, Sérgio Roberto. (Coord.). Gestão de marketing. São Paulo: Saraiva, 2003, cap. 1.

MATHEUS, Renato Fabiano. Rafael Capurro e a filosofia da informação: abordagens, conceitos e metodologias de pesquisa para a Ciência da informação. Perspectiva Ciência da informação, Belo Horizonte, v. 10, n. 2, p. 140-165, jul./dez. 2005.

MOREIRA, Roberto Resende. O uso da reclamação com meio de coleta de informações nas ouvidorias públicas. 2006. 190f. Dissertação (Mestrado em Ciência da informação) - Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Ciência da informação e Documentação (FACED), Universidade de Brasília, Brasília, 2006.

RICHERS, Raimar. Marketing: uma visão brasileira. 3. ed. São Paulo: RCA, 2000.

SANTOS, Tatiani et al. O desenvolvimento do marketing: uma perspectiva histórica. Revista de Gestão USP, São Paulo, v. 16, n. 1, p. 89-102, jan./mar. 2009.

SILVEIRA, Amélia. Marketing em bibliotecas universitárias. Florianópolis: UFSC, 1992. 161p.

SO, Denise Rodrigues. A segmentação de clientes em bibliotecas. 2007. 189 f. Dissertação (Mestrado em Ciência da informação) – Escola de Comunicação e Arte, Universidade de São Paulo (USP), São Paulo. 2007.

A Revista Digital de Biblitoeconomia e Ciência da Informação /  Digital Journal of Library and Information Science utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto, em que:

  • A publicação se reserva o direito de efetuar, nos originais, alterações de ordem normativa, ortográfica e gramatical, com vistas a manter o padrão culto da língua, respeitando, porém, o estilo dos autores;
  • Os originais não serão devolvidos aos autores;
  • Os autores mantêm os direitos totais sobre seus trabalhos publicados na Revista Digital de Biblitoeconomia e Ciência da Informação /  Digital Journal of Library and Information Science, ficando sua reimpressão total ou parcial, depósito ou republicação sujeita à indicação de primeira publicação na revista, por meio da licença CC-BY;
  • Deve ser consignada a fonte de publicação original;
  • As opiniões emitidas pelos autores dos artigos são de sua exclusiva responsabilidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.