As singularidades do processo de trabalho nas bibliotecas universitárias especializadas em saúde

o serviço de referência em debate

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/rdbci.v20i00.8670252

Palavras-chave:

Bibliotecas universitárias, Serviço de referência, Serviços de informação, Bibliotecários de referência, Ciências da Saúde

Resumo

Introdução: o serviço de referência nas bibliotecas universitárias especializadas em saúde possui determinadas singularidades em razão das características do campo científico do campo das Ciências da Saúde, pela interface entre as práticas de ensino e a pesquisa científica, assim como pelo perfil geral e demandas por informação/evidências confiáveis por acadêmicos, docentes/pesquisadores e profissionais. Objetivo: apresentar e discutir as singularidades do serviço de referência nas bibliotecas universitárias especializadas em saúde, assim como os desafios/potencialidades da atuação bibliotecária nesse contexto. Método: O estudo, de caráter teórico, realizou pesquisa exploratória com pesquisa bibliográfica na literatura nacional e internacional da área de Biblioteconomia/Ciência da Informação. Resultados: Os resultados obtidos sinalizam que as singularidades do processo de trabalho nas bibliotecas universitárias são determinadas não apenas pelas idiossincrasias do pessoal da saúde, mas, sobretudo, pelo fato de a saúde humana (física e mental) ser o objeto de estudo e prática da área. Conclusão: Conclui-se que apesar dos desafios relacionados à formação bibliotecária no Brasil e do próprio desenvolvimento de competências/habilidades desejáveis e/ou requisitadas para atuação em saúde, tais elementos não se constituem como um óbice intransponível para a prática profissional com excelência. No entanto, o bibliotecário precisa reconhecer que tais variáveis são intervenientes em sua prática profissional e que a busca por aperfeiçoamento/especialização é uma demanda premente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Gesner Francisco Xavier Junior, Universidade Federal de Minas Gerais

Doutorando no Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Bibliotecário-Documentalista na Universidade Federal de Minas Gerais e coordenador da Biblioteca da Faculdade de Medicina (Belo Horizonte, MG - Brasil).

Alcenir Soares dos Reis, Universidade Federal de Minas Gerais

Doutora em Educação pela Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais. Professora Associada (aposentada) na Escola de Ciência da Informação da Universidade Federal de Minas Gerais (Belo Horizonte, MG - Brasil). 

Referências

ACCART, J.-P. Serviço de referência: do presencial ao virtual. Brasília:, DF Briquet de Lemos, 2012.

ALMEIDA FILHO, N. M. O conceito de saúde: ponto-cego da epidemiologia? Revista Brasileira de Epidemiologia, Rio de Janeiro, v. 3, n. 1-3, p. 4-20, 2000. DOI: https://doi.org/10.1590/S1415-790X2000000100002

ANDALIA, Rubén Del Cañedo. Bibliotecario clínico al informacionista: De la gerencia de información a la gestión del conocimiento. ACIMED, Havana, v. 10, n. 3, p. 1-11, 2002.

ANDRADE, A. Q. de. A tomada de decisão e sistemas de informação em saúde. 2008. 118 f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) – Escola de Ciência da Informação, Universidade Federal de Minas Gerais, belo Horizonte, 2008.

ANTUNES, M. da L. O papel de mediador do bibliotecário de referência na área da saúde. In: CONGRESSO NACIONAL DE BIBLIOTECÁRIOS, ARQUIVISTAS E DOCUMENTALISTAS, UNIVERSIDADE DOS AÇORES, 9., 2007, Lisboa. Anais [...]. Lisboa: BAD, 2015.

ANTUNES, M. da L. Serviço de referência na área da saúde em contexto universitário: o papel de mediador do bibliotecário de referência. 2006. 162 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Documentais) – Departamento de Ciências Documentais, Universidade Autônoma de Lisboa, Lisboa, 2006.

BÁEZ, F. História universal da destruição dos livros: das tábuas da Suméria à Guerra do Iraque. Rio de Janeiro: Ediouro, 2006.

BIAGGI, C.; VALENTIM, M. L. P. Perspectivas e tendências da atuação do bibliotecário na área da Saúde. Revista Brasileira de Educação em Ciência da Informação, Aracajú, v. 5, n. 1, p. 27-31, jan./jun. 2018. DOI: https://doi.org/10.22478/ufpb.1981-0695.2018v13n2.43292

BIRUEL, E.; PINTO, R. R.; ABDALA, C. V. Curso de acesso y uso de la informaciín científica em salud. São Paulo: BIREME/OPAS/OMS, 2017.

BRASIL. Lei nº 4.084, de 30 de junho de 1962. Dispõe sobre a profissão de bibliotecário e regula seu exercício. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 30 jun. 1962.

BRASIL. Ministério da Saúde. Diretrizes metodológicas: Sistema GRADE – Manual de graduação da qualidade da evidência e força de recomendação para tomada de decisão em saúde. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2014.

CARR, N. A geração superficial: o que a internet está fazendo com os nossos cérebros. Rio de Janeiro: Agir, 2011.

CARVALHO, M. J. de J.; RIOS, S. V. da S.; ALMEIDA, R. de. Criação do grupo de bibliotecários em ciências da saúde em âmbito nacional. In: COLÓQUIO INTERNACIONAL “A MEDICINA NA ERA DA INFORMAÇÃO”, 3., 2014, Salvador. Anais [...]. Salvador: UFBA, 2014.

CENTERS FOR DISEASE CONTROL AND PREVENTION. Libraries. Whashington: CDC, 2022. Disponível em: https://www.cdc.gov/healthliteracy/education-support/libraries.html. Acesso em: 20 jun. 2022.

CIOL, R.; BERAQUET, V. S. M. Evidência e informação: desafios da Medicina para a próxima década. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 14, n. 3, p. 221-230, set./dez. 2009. DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-99362009000300014

CONSELHO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO. Árvore do conhecimento. Brasília, DF: CNPQ, 2019. Disponível em: http://lattes.cnpq.br/web/dgp/ciencias-da-saude. Acesso em: 20 jun. 2022.

CUNHA, M. B. da; CAVALCANTI, C. R. Dicionário de biblioteconomia e arquivologia. Brasília, DF: Briquet de Lemos/Livros, 2008.

CUNHA, M. B. da; DIÓGENES, F. C. B. A trajetória da biblioteca universitária no Brasil no período de 1901 a 2010. Encontros Bibli, Florianópolis, v. 21, n. 47, p. 100-123, 2016. DOI: https://doi.org/10.5007/1518-2924.2016v21n47p100

FERNANDES, M. R. Bibliotecário clínico: análise do perfil de um profissional dinâmico. 2015. 140 f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) – Escola de Ciência da Informação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2015.

FERREIRA, D. T. As novas competências do profissional da informação bibliotecário: reflexões e práticas. In: RIBEIRO, A. C. M.; GONÇALVES, P. C (org.). Biblioteca do Século XXI: desafios e perspectivas. Brasília, DF: IPEA, 2016. p. 79-90.

FIGUEIREDO, N. Evolução e avaliação do serviço de referência. Revista de Biblioteconomia de Brasília, Brasília, DF, v. 2, n. 2, p. 175-198.

FINAMOR, M. da S. O agir comunicativo e crítico do bibliotecário nas organizações de Saúde. 2017. 143 f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) – Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia, Rio de Janeiro, 2017.

FOUCAULT, M. O nascimento da clínica. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1977.

FOURIE, I. Learning from research on the information behaviour of healthcare professionals: a review of the literature 2004–2008 with a focus on emotion. Health Information, Aviemore, v. 26, p. 171-186, ago. 2009. DOI: https://doi.org/10.1111/j.1471-1842.2009.00860.x

GALVÃO, M. C. B.; LEITE, R. A. de F. Do bibliotecário médico ao informacionista: traços semânticos de seus perfis e competências. TransInformação, Campinas, v. 20, n. 2, p. 181-191, maio/ago. 2008. DOI: https://doi.org/10.1590/S0103-37862008000200006

GREENHALGH, T. Como ler artigos científicos: fundamentos da medicina baseada em evidências. 4. ed. Porto Alegre: Artmed, 2013.

GROGAN, D. A prática do serviço de referência. Brasília, DF: Briquet de Lemos, 1995.

HOUAISS, A.; VILLAR, M. Dicionário Houaiss da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, 2009.

KUGLEY, S. et al. Searching for studies: a guide to information retrieval for Campbell systematic reviews. Oslo: The Campbell Collaboration, 2017. DOI: https://doi.org/10.4073/cmg.2016.1

LEFEBVRE, Carol. Searching for and selecting studies. In: HIGGINS, Julian et al. (ed.). Cochrane Handbook for Systematic Reviews of Interventions. Londres: Cochrane Library, 2021. Disponível em: https://training.cochrane.org/handbook/current/chapter-04. Acesso em: 20 jun. 2022.

MEDICAL LIBRARY ASSOCIATION. Professional competencies. Chicago: MLA, 2020. Disponível em: https://www.mlanet.org/page/competencies. Acesso em: 20 jun. 2022.

NATIONAL INSTITUTES OF HEALTH. Health literacy. Bethesda: NIH, 2022. Disponível em: https://www.nih.gov/institutes-nih/nih-office-director/office-communications-public-liaison/clear-communication/health-literacy. Acesso em: 20 jun. 2022.

PUGA, M. E. dos S.; OLIVEIRA, D. S. de. Bibliotecário de saúde: atuação, competências, experiência e desafio. In: SILVA, Fabiano Couto Corrêa da (org.). O perfil das novas competências na atuação bibliotecário. Florianópolis: Rocha Gráfica e Editora, 2020. p. 549-581.

REFERENCE AND USER SERVICES ASSOCIATION. Definitions of reference. Chicago: American Library Association, 2008.

SACKETT, D.; ROSENBERG, W. On the need for evidence-based medicine. Therapie, Paris, v. 51, n. 3, p. 212-217, maio/jun. 1996.

SANTANA, S. et al. Updating health literacy for Healthy People 2030: defining its importance for a new decade in public health. Journal of Public Health Management and Practice, Filadélfia, v. 27, p. 28-264, nov./dez. 2021. DOI: https://doi.org/10.1097/PHH.0000000000001324

SANTIN, D. M. Bibliotecário de referência. In: SILVA, Fabiano Couto Corrêa da (org.). O perfil das novas competências na atuação bibliotecário. Florianópolis: Rocha Gráfica e Editora, 2020. p. 15-47.

SCHWARCZ, L. M.; AZEVEDO, P. C. de; COSTA, A. M. da. A longa viagem da biblioteca dos reis: do terremoto de Lisboa à independência do Brasil. 2. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2002.

SILVEIRA, F. J. N. da. Bibliotecas como lugar de práticas culturais: uma discussão a partir dos currículos de Biblioteconomia no Brasil. 2007. 246 f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) – Escola de Ciência da Informação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2007. DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-99362008000200019

STEWART, R. et al. The evidence ecosystem in South Africa: growing resilience and institutionalisation of evidence use. Palgrave Communications, Berlim, v. 5, n. 90, p. 1-12, ago. 2019. DOI: https://doi.org/10.1057/s41599-019-0303-0

SWAMINATHAN, S. Strengthening the use of research evidence to advance health impact. In: WORLD HEALTH ORGANIZATION (org). Evidence, policy, impact: WHO guide for evidence-informed decision-making. Genebra: WHO Library, 2022. Disponível em: https://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/350994/9789240039872-eng.pdf?sequence= 1. Acesso em: 20 jun. 2022.

TALIM, M. C.; CENDÓN, B.V.; TALIM, S. L. Avaliação do impacto de um treinamento em pesquisa bibliográfica para mestrandos e residentes na área da Saúde. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 23, n. 2, p. 85-103, abr./jun. 2018. DOI: https://doi.org/10.1590/1981-5344/2846

UNITED STATES DEPARTMENT OF HEALTH AND HUMAN SERVICES. Health literacy in Healthy People 2030. Whashington: OASH, 2022. Disponível: https://health.gov/our-work/national-health-initiatives/healthy-people/healthy-people-2030/health-literacy-healthy-people-2030. Acesso em: 20 jun. 2022.

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Agência USP de Gestão da Informação Acadêmica. Espaço do pesquisador. São Paulo: USP, 2022. Disponível em: https://www.aguia.usp.br/apoio-pesquisador/. Acesso em: 20 jun. 2022.

WORLD HEALTH ORGANIZATION. Evidence, policy, impact: WHO guide for evidence-informed decision-making. Genebra: WHO Library, 2022. Disponível em: https://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/350994/9789240039872-eng.pdf?sequence= 1. Acesso em: 20 jun. 2022.

Publicado

2022-08-01

Como Citar

XAVIER JUNIOR, G. F. .; REIS, A. S. dos . As singularidades do processo de trabalho nas bibliotecas universitárias especializadas em saúde: o serviço de referência em debate. RDBCI: Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, SP, v. 20, n. 00, p. e022017, 2022. DOI: 10.20396/rdbci.v20i00.8670252. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rdbci/article/view/8670252. Acesso em: 2 dez. 2022.