O corpo como base da ética na teoria da motricidade humana: o desporto como foco de análise

Autores

  • Fabio Zoboli Universidade Federal de Sergipe
  • Renato Izidoro da Silva Universidade Federal do Amazonas
  • Adolfo Ramos Lamar Fundação Universidade Regional de Blumenau

DOI:

https://doi.org/10.20396/rfe.v3i1.8635474

Palavras-chave:

Ética. Corpo. Motricidade humana.

Resumo

A teoria da Motricidade Humana criada na década de 1980 pelo português Manuel Sérgio é uma presunção que tenta dar bases epistemológicas para criar um novo paradigma a fim de pautar as práxis da Educação Física. As bases da teoria se assentam numa perspectiva de corpo centrada na filosofia e ciências humanas para contrapor e somar as bases históricas das práxis da Educação Física historicamente fundadas no corpo anatomo-biológico. Neste sentido, o presente artigo tem como objetivo discutir a centralidade do corpo para a construção de uma base ética na teoria da Motricidade Humana. Para argumentar tal centralidade os autores estabelecem fundamentalmente um diálogo tensivo entre Nietzsche e Merleau-Ponty para fazer um paralelo de como Manuel Sérgio se apropria da filosofia de ambos para conceber o corpo enquanto dimensão ética na sua teoria.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fabio Zoboli, Universidade Federal de Sergipe

Professor do Departamento de Educação Física da Universidade Federal de Sergipe - UFS.

Renato Izidoro da Silva, Universidade Federal do Amazonas

Professor Adjunto da Universidade Federal de Sergipe no curso de Licenciatura em Educação Física, campus São Cristóvão. 

Adolfo Ramos Lamar, Fundação Universidade Regional de Blumenau

Fundação Universidade Regional de Blumenau/SC - FURB

Downloads

Publicado

2011-07-04

Como Citar

Zoboli, F., Silva, R. I. da, & Lamar, A. R. (2011). O corpo como base da ética na teoria da motricidade humana: o desporto como foco de análise. Filosofia E Educação, 3(1), 135–158. https://doi.org/10.20396/rfe.v3i1.8635474