Educação e pós-modernidade: um olhar wittgensteiniano

Autores

  • Heloisa Helena Duval de Azevedo Universidade Federal de Pelotas
  • Neiva Afonso Oliveira Universidade Federal de Pelotas

DOI:

https://doi.org/10.20396/rfe.v2i2.8635499

Palavras-chave:

Pós-modernidade. Educação. Linguagem.

Resumo

O presente trabalho argumenta, a partir do filósofo Ludwig Wittgenstein, que o jogo de linguagem pode contribuir na discussão sobre educação. Objetivamos introduzir a percepção da linguagem como elemento inerente ao ser humano para abordar a relação sobre educação. Diante desse panorama, o trabalho discute as possibilidades dos jogos de linguagem, onde há regras que podem ser ou não as mesmas entre um jogo e outro. Jogar não significa ganhar, ter razão ou a verdade. Podemos jogar pelo prazer de inventar um jogo ou para fazer valer argumentativamente nossa opinião. As considerações finais apontam para o desafio da pesquisa em educação, na disciplina de Paradigmas Filosóficos da Educação e provocam desafios na área da pesquisa filosófico-educacional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Heloisa Helena Duval de Azevedo, Universidade Federal de Pelotas

Doutora em Filosofia pela PUC/RS e professora da UFPel.

Neiva Afonso Oliveira, Universidade Federal de Pelotas

Doutora em Filosofia pela PUC/RS e professora da UFPel.

Downloads

Publicado

2010-09-11

Como Citar

Azevedo, H. H. D. de, & Oliveira, N. A. (2010). Educação e pós-modernidade: um olhar wittgensteiniano. Filosofia E Educação, 2(2), 182–198. https://doi.org/10.20396/rfe.v2i2.8635499