Banner Portal
Violências no contexto escolar
PDF

Palavras-chave

Violência
Escola
Ensino fundamental

Como Citar

DALCASTAGNER, Graziela Boaszczyk; NUNES, Camila da Cunha. Violências no contexto escolar: percepções de alunos, professores e gestores. Filosofia e Educação, Campinas, SP, v. 11, n. 3, 2020. DOI: 10.20396/rfe.v11i3.8654929. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rfe/article/view/8654929. Acesso em: 24 jul. 2024.

Resumo

A violência escolar tem sido um tema de constante preocupação na comunidade escolar. Esta pesquisa objetiva analisar as percepções dos alunos, gestores e professores do Ensino Fundamental II, diante das violências encontradas em duas escolas municipais de Brusque/SC.  Realizou-se uma pesquisa exploratória com uma abordagem qualitativa. Participaram 18 professores e 60 alunos do Ensino Fundamental II das duas escolas municipais. Também, realizou-se uma entrevistada semiestruturada com 2 gestores que atuam um em cada escola. A partir do material coletado efetivou-se uma análise qualitativa. Por fim, descreve-se que a violência é recorrente nos meios escolares pesquisados, mesmo que ela não seja oriunda do ambiente escolar, ela é uma conseqüência da sociedade.

https://doi.org/10.20396/rfe.v11i3.8654929
PDF

Referências

ABRAMOVAY, M.; RUA, M. G. Violências na Escola. Brasília: Unesco, 2002.

ABRAMOVAY, M. Violências nas escolas. Brasília: UNESCO, 2003.

ABRAMOVAY, M. Conversando sobre violência e convivência nas escolas. Rio de Janeiro: FLACSO, 2012.

BORDIEU, P. O poder simbólico. Lisboa: Difusão Editorial. 1989.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição [da] República Federativa do Brasil. Brasília: Senado Federal, 1988.

BRASIL. Lei nº 13.185, de novembro de 2015. Institui o Programa de Combate à Intimidação Sistemática (Bullying). Diário Oficial da União, Brasília, DF, 9 de nov. 2015, Seção 1, p. 1.

BRASIL. Lei nº 8.069, de 13 de Julho de 1990. Estatuto da criança e do adolescente; ECA. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 16 jul. 1990, Seção 1, p. 13563.

BRASIL. Lei nº 13.431, de 4 de abril de 2017. Estabelece o sistema de garantia de direitos da criança e do adolescente vítima ou testemunha de violência. Diário Oficial da União, Brasília-DF, 5 abr. 2017, Seção 1, p. 1.

CHRISPINO, Á. Gestão do conflito escolar: da classificação dos conflitos aos modelos de mediação. Revista Ensaio, Rio de Janeiro, v. 15, n. 54, p. 11-28, 2007.

DEBARBIEUX, É.; BLAYA, C. (Org.). Violência nas escolas: dez abordagens européias. Brasília: UNESCO, 2002

DEBORTOLI, E, O. Em Brusque: 18º BPM implementa o projeto Policiamento Escolar de Aproximação. Disponível em: http://www.pm.sc.gov.br/noticias/em-brusque-18-bpm-idealiza-o-projeto-policiamento-escolar-de-aproximacaoasdf.html. Acesso em: 21. 11. 2018.

DURKHEIM, E. O que é fato social? As Regras do Método Sociológico. 6. ed. São Paulo, Companhia Editora Nacional, 1972.

FALEIROS, V. P. Escola que protege. 2. ed. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria da Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, 2008.

FERRO, J. P. Violência escolar em foco: percepções e encaminhamentos de professores e gestores. Paranaíba, MS: UEMS, 2013.

GERHARDT, T. E; SILVEIRA, D. T. Métodos de pesquisa. Porto Alegre: Editora UFRGS, 2009.

GONÇALVES, L. A. O.; SPOSITO, M. P. Iniciativas públicas de redução da violência escolar no Brasil. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 115, p. 101-138, 2002.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

HAIR JÚNIOR, J. F. et al. Fundamentos de métodos de pesquisa em administração. Porto Alegre: Bookman, 2005.

IBGE. Pesquisa Nacional de Saúde do escolar, 2015. Coordenação de População e Indicadores Sociais. Rio de Janeiro: IBGE, 2016.

KIL, Bertoldo. Principio da insignificância no direito penal. Cacoal: Fundação Universidade Federal de Rondônia, 2007.

MARRIEL, L.; ASSIS, S.; AVANCI, J.; OLIVEIRA, R. Violência escolar e auto-estima de adolescentes. Revista Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 36, n. 127, p. 35-50, 2006.

MARTINS, M. J. Agressão e vitimação entre adolescentes, em contexto escolar: Um estudo empírico. Revista Análise Psicológica, 2005. p. 401-425.

MCMILLAN, J.; SCHUMACHER, S. Investigación edcucativa. 5. ed. Madrid: Pearson Educación, 2005

MINAYO, M. C. S.; DESLANDES, S. F.; NETO, O. C.; GOMES, R. Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. 21. ed. Rio de Janeiro: Editora Vozes, 2002.

MINAYO, M. C. S.; SOUZA, E. R. Violência e saúde como um campo interdisciplinar de ação coletiva. Revista História, Ciência e Saúde, São Paulo: v. 4, n. 3, p. 513-531. [20-?]

MORAN, J. M.; MASETTO, M. T.; BEHRENS, M. A. Novas tecnologias e mediação pedagógica. São Paulo: Papirus, 10. ed. 2006.

OLIVEIRA, H. N.; MACHADO, C. J.; GUIMARÃES, M. D. Violência verbal contra indivíduos com transtorno mental no Brasil: prevalência e fatores associados. Belo Horizonte: J Bras Psiquiatria, 2013.

PIGATTO, N. A docência e a violência estudantil no contexto atual. Revista Ensaio, Rio de Janeiro, v. 18, n. 67, p. 303-324, 2010.

PINHEIRO, T. Meio crianças, meio adultos. Revista Nova Escola, 10. ed. 2012. Disponível em: https://novaescola.org.br/conteudo/7259/meio-criancas-meio-adultos#. Acesso em: 21. 11. 2018.

RISTUM, M. Violência na escola, da escola e contra a escola. In: In: ASSIS, S. G.; CONSTANTINO, P.; AVANCI, J. Q. (Org.). Impactos da violência na escola: um diálogo com professores. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2010.

RISTUM, M. O conceito de violência das professoras do ensino fundamental. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2001.

REIS, C. E. A violência escolar: a perspectiva da folha de São Paulo. Florianópolis: Escola do Legislativo do estado de Santa Catarina, 2003.

RUSSO, G.; TRINDADE, H.; DANTAS, J.; NOGUEIRA, J. Quando a realidade cala: violência psicológica intrafamiliar contra crianças e adolescentes em Mossoró-RN. Brasília: Temporalis, 2014.

SANTA CATARINA. Secretaria de Estado da Educação. Diretoria de Educação Básica e Profissional. I Caderno pedagógico: reflexões para a implementação da política de educação, prevenção, atuação e atendimento às violências na escola / Diretoria de Educação Básica e Profissional - Florianópolis: DIOESC, 2015.

SANTOS, I. A. Educação para a diversidade: uma prática a ser construída na Educação Básica. Paraná: Universidade Estadual do Norte do Paraná. 2008. Disponível em: http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/pde/arquivos/2346-6.pdf. Acesso em: 21. 11. 2018.

SILVA, A. B. B. Bullying: Mentes perigosas na escola. Rio de Janeiro: Objetiva, 2010.

SINGER, H. Projeto coletivo de escola para superar a violência. São Paulo: 2013. Disponível em: http://porvir.org/projeto-coletivo-de-escola-para-superar-violencia/. Acesso em: 12. 11. 2018.

SPOSITO, M. P. Um breve balando da pesquisa sobre violência escolar no Brasil. Revista Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 27, n. 1, p. 87-103, 2001.

TSUKAMOTO, F. C. C. A violência escolar na perspectiva dos professores do ensino fundamental de escolas públicas municipais de Cáceres – MT. Cáceres: Unemat, 2015.

TIELLET, M. H. S. As políticas públicas de redução e prevenção dos conflitos e da violência em ambiente escolar do estado de Mato Grosso, no período de 2003-2010, e os reflexos nas escolas estaduais do município de Cáceres. Dissertação (Dissertação de Doutorado em Educação) – UNISINOS, São Leopoldo, 2012.

TIELLET, M. H. S.; CORSETTI, B. Conflitos e violência em escolas públicas estaduais em uma região de fronteira, Cáceres, MT: a percepção dos professores. Série Estudos - Periódico do Programa de Pós-Graduação em Educação da UCDB Campo Grande, n. 32, p. 223-241, 2011.

O periódico Filosofia e Educaçãoutiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.