Por uma educação filosófica do olhar

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/rfe.v14i1.8668517

Palavras-chave:

Olhar, Escola, Educação filosófica

Resumo

Em tempos de aceleração, fragmentação, pobreza narrativa e precarização dos laços no presente, este artigo é um ensaio teórico que busca problematizar o conceito do olhar, mais especificamente a educação do olhar no encontro entre a filosofia e a educação. Para tanto, ensaia alguns deslocamentos em se tratando do conceito do olhar e os modos de vida e pensamento. Toma tal conceito desde Platão e Descartes até as perspectivas mais contemporâneas do pensamento da diferença, especialmente operando com o tema da conversão a partir de uma perspectiva foucaultiana do cuidado de si, para pensar sobre a potência de uma educação filosófica do olhar na escola.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcelo Felipe Vier, Universidade do Vale do Rio dos Sinos

Mestrando em Educação na Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, RS, Brasil. Professor de Filosofia na Instituição Evangélica de Novo Hamburgo. 

Betina Schuler, Universidade do Vale do Rio dos Sinos

Professora doutora da Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, Rio Grande do Sul, Brasil.

Referências

BENJAMIN, Walter. Experiência e Pobreza. In: WALTER, Benjamin. Magia e técnica, arte e política. Ensaio sobre literatura e história da cultura. Tradução de Sérgio Paulo Rouanet. 8. ed. São Paulo: Brasiliense, 2012. p. 114-119.

BENJAMIN, Walter. A obra de arte na era de sua reprodutibilidade técnica. Tradução de Gabriel Valladão. Porto Alegre: L&PM, 2017.

CABRERA, Julio. O cinema pensa. Uma introdução à filosofia através dos filmes. Rio de Janeiro: Rocco, 2006.

CAMPESATO, Maria Alice Gouvêa; SCHULER, Betina. Por uma atenção do cuidado de si na escola em tempos de dispersão hiperconectada. Revista Educação em questão, Natal, p. 12-13, out/dez 2019. DOI: https://doi.org/10.21680/1981-1802.2019v57n54ID18942

CERLETTI, Alejandro A. Ensinar filosofia: da pergunta filosófica à proposta metodológica. In: KOHAN, Walter O. (Org.). Filosofia: caminhos para seu ensino. Rio de Janeiro: DP&A, 2004. p. 19-42.

CHAUI, Marilena. Janela da alma, espelho do mundo. In: NOVAES, Adauto. O olhar. São Paulo: Companhia das Letras, 1988. p. 31-61.

DELEUZE, Gilles. Conversações. Tradução de Peter Pál Pelbart. 3. ed. São Paulo: Editora 34, 2013.

DESCARTES, René. Meditações. Coleção Os Pensadores. São Paulo: Nova Cultural, 1996a.

DESCARTES, René. Discurso do método. Coleção Os Pensadores. São Paulo: Nova Cultural, 1996b.

DIDI-HUBERMAN, Georges. Ninguém pode olhar pelos outros: Uma conversa com Georges Didi-Huberman, operário do pensamento. Entrevista realizada por Mariano Horenstein em Paris (2016) e Buenos Aires (2017). Tradução de Laura Veríssimo de Posadas e Gabriela Levy. Revista Calibán. Brasília, v. 16, n. 1, p. 171-188, 2018.

FOUCAULT, Michel. As palavras e as coisas. São Paulo: Martins Fontes, 1987.

FOUCAULT, Michel. História da sexualidade II: o uso dos prazeres. 8. ed. Rio de Janeiro: Graal, 1998.

FOUCAULT, Michel. A Hermenêutica do Sujeito. Curso dado no Collège de France (1981-1982). 3.ed. Tradução de Márcio Alves da Fonseca e Salma T. Muchail. São Paulo: Martins Fontes, 2010a.

FOUCAULT, Michel. O governo de si e dos outros. Curso dado no Collège de France (1982-1983). Tradução Eduardo Brandão. São Paulo: Martins Fontes, 2010b.

FOUCAULT, Michel. O corpo utópico, As heterotopias. Tradução de Salma Tannus Muchail. São Paulo: n-1 Edições, 2013.

FOUCAULT, Michel. A coragem da verdade: o governo de si e dos outros II. Curso no Collège de France (1983-1984). Tradução de Eduardo Brandão. São Paulo: Martins Fontes, 2020.

GROS, Frédéric. Situação de curso. In: FOUCAULT, Michel. A Hermenêutica do Sujeito. Curso dado no Collège de France (1981-1982). 3.ed. Tradução de Márcio Alves da Fonseca e Salma T. Muchail. São Paulo: Martins Fontes, 2010, p. 457-493.

HAN, Byung-Chul. Sociedade do cansaço. Tradução de Enio Paulo Giachini. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 2017.

LARROSA, Jorge. Tecnologias do eu e educação. In: SILVA, Tomaz Tadeu. O Sujeito da Educação. Petrópolis: Vozes, 1994, p. 35-86.

LÓPEZ, Maximiliano Valerio. Acontecimento e experiência no trabalho filosófico com crianças. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2008.

MASSCHELEIN, Jan. E-ducando o Olhar: a necessidade de uma pedagogia pobre. Revista Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 33, n. 1, p. 35-48, 2008.

NIETZSCHE, Friedrich. Escritos sobre educação. 7.ed. Tradução de Noéli Correia de Melo Sobrinho. Rio de Janeiro: PUC-Rio; São Paulo: Ed. Loyola, 2014.

NIETZSCHE, Friedrich. A Gaia Ciência. Tradução de Paulo C. de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

PLATÃO. Diálogos. Fedro – Cartas – O Primeiro Alcibíades. Belém: Ed. Universitária UFPA, 2007, p. 282-283.

OLIVEIRA, Jelson. “Nós” de Nietzsche: um pronome plural para a amizade e uma nova expressão para filosofia. Cadernos de ética e filosofia política, v.1, n. 20, São Paulo, 2012.

OLIVEIRA, Jelson. Elogio à simplicidade. 2. ed. Curitiba: PUCPRess, 2016.

RIBEIRO, Cintya Regina. “’Pensamento do fora’, conhecimento e pensamento em educação: conversações com Michel Foucault”. Educação e Pesquisa., v. 37, n. 3, São Paulo, set./nov., 2011, p. 613-628. DOI: https://doi.org/10.1590/S1517-97022011000300011

SÊNECA, Lúcio Aneu. Cartas à Lucílio. Tradução de J. A. Segurado e Campos. 4.ed. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2018.

SILVA, Tomaz Tadeu da. Dr. Nietzsche curriculista – com uma pequena ajuda do professor Deleuze. In: MOREIRA, Antônio Flávio. MACEDO, Elizabeth Fernandes (Orgs.). Currículo, práticas pedagógicas e identidades. Porto: Ed Porto, 2002. p. 35-52.

VEIGA-NETO, Alfredo. Olhares... In: COSTA, Marisa V. (Org.). Caminhos investigativos: novos olhares na pesquisa em educação. 2. Ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2002. p. 23-38.

Downloads

Publicado

2022-06-21

Como Citar

Vier, M. F., & Schuler, B. . (2022). Por uma educação filosófica do olhar. Filosofia E Educação, 14(1), 288–316. https://doi.org/10.20396/rfe.v14i1.8668517