A alimentação das famílias do Centro-Oeste brasileiro: subsídios para ações de segurança alimentar e nutricional

  • Carla Cristina Enes Universidade de São Paulo
  • Marina Vieira da Silva Universidade de São Paulo
Palavras-chave: Disponibilidade alimentar. Consumo de frutas e verduras. Renda familiar. Segurança alimentar. Pof

Resumo

O objetivo da pesquisa foi analisar a disponibilidade domiciliar de energia, colesterol e fibras, a participação relativa dos macronutrientes no Valor Energético Total - VET e a contribuição dos grupos de alimentos na energia disponível para as famílias residentes na Região Centro-Oeste do País. Utilizou-se, para a elaboração das análises, os microdados da Pesquisa de Orçamentos Familiares – POF, realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE, no período de 2002 a 2003. Para as análises nutricionais, utilizou-se o software Virtual Nutri. Constatou-se uma relação inversa entre a participação dos carboidratos no VET e a renda. A mesma tendência foi observada para os lipídios e colesterol. A disponibilidade de fibras revelou-se muito aquém dos valores preconizados para a totalidade dos estratos de renda. Quanto à participação dos distintos grupos de alimentos no VET, destaca-se a reduzida contribuição energética das frutas e hortaliças para os moradores das áreas urbanas e rurais. A contribuição dos doces, açúcares e refrigerantes foi identificada como excessiva no VET disponível para as famílias de ambos os estratos geográficos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carla Cristina Enes, Universidade de São Paulo
Departamento de Nutrição da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Marina Vieira da Silva, Universidade de São Paulo

Departamento de Agroindústria, Alimentos e Nutrição da Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” da Universidade de São Paulo

Referências

. Bermudez OI, Tucker KL. Trends in dietary patterns of Latin American populations. Cad Saúde Pública. 2003;19 (Supl 1):87-99.

. World Health Organization (OMS). Diet, nutrition and the prevention of chronic diseases. Geneva; 2003. 160 p. (WHO. Technical Report Series, nº 916).

. Mendonça CP, Anjos LA. Aspectos das práticas alimentares e da atividade física como determinantes do crescimento do sobrepeso/obesidade no Brasil. Cad Saúde Pública. 2004; 20(3):698-709.

. Barreto SAJ, Cyrillo DC. Análise da composição dos gastos com alimentação no Município de São Paulo (Brasil) na década de 1990. Rev Saúde Pública. 2001; 35(1):52-9.

. Claro RM. Influência da renda e preço dos alimentos sobre a participação de frutas, legumes e verduras no consumo alimentar das famílias do município de São Paulo. [dissertação]. São Paulo: Faculdade de Saúde Pública; 2006. 96 p.

. Darmon N, Ferguson E, Briend A. Do economic constraint encourage the selection of energy dense diets? Appetite. 2003; 41:315-22.

. Haddad L. What can food policy do to redirect diet transition? Washington; 2003 (FCND Discussion Paper no 165).

. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Pesquisa de orçamentos familiares 2002/2003: microdados – segunda divulgação. Rio de Janeiro, 2005.

. Ornellas LH. Técnica dietética: seleção e preparo de alimentos. 7a.ed. São Paulo: Atheneu; 2001.

. Silva SMCS da; Bernardes SM. Cardápio: guia prático para a elaboração. São Paulo: Atheneu; 2001.

. Philippi ST, Szarfarc SC, Latterza AR. Virtual nutri: versão 1.0 for windows (software). São Paulo: Universidade de São Paulo, Faculdade de Saúde Pública, Departamento de Nutrição, 1996.

. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Estudo nacional de despesas familiares: tabelas de composição de alimentos. 2. ed. Rio de Janeiro, 1999. 213p.

. Núcleo de Estudos e Pesquisas em Alimentação. Tabela brasileira de composição de alimentos. Campinas: Flamboyant; 2004.

. Universidade Federal de São Paulo. Tabela de composição química dos alimentos. [citado em 16 de mar de 2005]. Disponível em: http//www.unifesp.br/dis/sevicos/nutri

. Institute of Medicine (IOM). Food and Nutrition Board, Standing Committee on the Scientific Evaluation of Dietary Reference Intakes. Dietary reference intakes for energy, carbohydrate, fiber, fat, fatty acids, cholesterol, protein and amino acids. Washington, D.C., National Academy Press; 2002.

. Food and Agriculture Organization (FAO). Nutrition country profiles: Brasil. Rome, 2000. [citado em 19 ago 2005]. Disponível em: http://www.fao.org/es/ESN/nutrition/brae. stm.

. Silveira FG, Magalhães LCG, Tomich FA, Vianna STW, Safatle L, Leal JC. Insuficiência alimentar nas grandes regiões urbanas brasileiras. Brasília: IPEA, 2002. (Texto para Discussão no 884).

. Bleil RAT. Disponibilidade de energia e nutrientes nos domicílios de famílias das regiões metropolitanas de Curitiba e Porto Alegre. [dissertação]. Piracicaba: Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”; 2004. 87 p.

. Fietz VR. Estado nutricional, consumo de alimentos e condições socioeconômicas das famílias de assentamento rural em Mato Grosso do Sul, Brasil. [tese]. Campinas: Faculdade de Engenharia de Alimentos da Universidade Estadual de Campinas, 2007. 157 p.

. Faganello CRF. Disponibilidade de energia e nutrientes para a população das regiões metropolitanas de Recife e São Paulo. [dissertação]. Piracicaba: Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”; 2002. 113 p.

. Bonomo E, Caiaffa WT, César CC, Lopes ACS, Lima-Costa MF. Consumo alimentar da população adulta segundo perfil socioeconômico e demográfico: Projeto Bambuí. Cad Saúde Pública. 2003; 19(5):1461-71.

. Mondini L, Monteiro CA. Mudanças no padrão de alimentação da população urbana brasileira (1962-1988). Rev Saúde Pública. 1994; 28(6):433-9.

. Fornés NS, Martins IS, Velásquez- Meléndez G, Latorre MRDO. Escores de consumo alimentar e níveis lipêmicos em população de São Paulo, Brasil. Rev Saúde Pública. 2002; 36(1):12-8.

. Oliveira MC de, Sichieri R. Fracionamento das refeições e colesterol sérico em mulheres com dieta adicionada de frutas ou fibras. Rev Nutr. 2004; 17(4):449-59.

. Lima SCV, Arrais RF, Pedrosa LFC. Avaliação da dieta habitual de crianças e adolescentes com sobrepeso e obesidade. Rev Nutr. 2004; 17(4):469-77.

. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Pesquisa de orçamentos familiares 2002/2003: análise da disponibilidade domiciliar de alimentos e do estado nutricional no Brasil. Rio de Janeiro, 2004.

. BRASIL. Ministério da Saúde. Atenção integrada às doenças prevalentes na infância. [citado em 10 ago 2005]. Disponível em: http//www.saude.gov.br/programas/scriança/cr iança/aidpi/aidpi1.htm

. Chen H, Ward MH, Graubard BH, Heineman EF, Markin RM, Potischman NA, Russel RM, Weisenburger DD, Tucker KL. Dietary patterns and adenocarcinoma of the esophagus and distal stomach. Am J Clin Nutr. 2002; 75(1):137-44.

. Ford ES, Mokdad AH. Fruit and vegetable consumption and diabetes mellitus incidence among US adults. Prev Medicine. 2001; 32(1):33-9.

. Tomita LY, Cardoso MA. Avaliação da lista de alimentos e porções alimentares de questionário quantitativo de freqüência alimentar em população adulta. Cad Saúde Pública. 2002; 18(6):1747-56.

. Haile RWC. Identifying a limited number of foods important in supplying selected dietary nutrients. J Am Dietetic Assoc. 1998; 86:611-16.

. Fornés NS, Martins IS, Hernan M, Velásquez-Meléndez G, Ascherio A. Food frequency consumption and lipoproteins serum levels in the population of an urban area, Brazil. Rev Saúde Pública. 2000; 34(4):380-7.

. Monteiro CA, Mondini L, Costa RBL. Mudança na composição e adequação nutricional da dieta familiar nas áreas metropolitanas do Brasil (1988-1996). Rev Saúde Pública. 2000; 34(3):251-8.

. Garcia RWD. Reflexos da globalização na cultura alimentar: considerações sobre as mudanças na alimentação urbana. Rev Nutr. 2003; 10(4):483-92.

Como Citar
Enes, C. C., & Silva, M. V. da. (1). A alimentação das famílias do Centro-Oeste brasileiro: subsídios para ações de segurança alimentar e nutricional. Segurança Alimentar E Nutricional, 15(2), 46-57. https://doi.org/10.20396/san.v15i2.1816
Seção
Artigo de Segurança Alimentar e Nutricional

Artigos mais lidos pelo mesmo (s) autor (es)

1 2 > >>