Gestão de um programa de alimentação escolar em um município paulista

Autores

  • Marta Neves Campanelli Marçal Vieira Universidade de São Paulo
  • Maria Graças Carvalho Ferriani Universidade de São Paulo
  • Romeu Gomes Fundação Oswaldo Cruz
  • Graziela Vieira Bassan dos Santos Universidade de São Paulo
  • Eliana Maria Mattar Marchi

DOI:

https://doi.org/10.20396/san.v15i1.1823

Palavras-chave:

Políticas de alimentação. Programa de suplementação alimentar. Alimentação escolar. Merenda escolar.

Resumo

Esta pesquisa teve como objeto de estudo o Programa de Alimentação Escolar da rede municipal de ensino de Ribeirão Preto. Constitui-se como objetivo caracterizar o modelo de gestão deste programa, durante o período de 1996 a 2007. Na primeira fase do estudo, utilizou-se metodologia qualitativa, cujas técnicas foram: entrevista semi-estruturada, observação participante e análise documental. A análise de dados inspirou-se no método hermenêutico-dialético. Na segunda fase, a coleta de dados utilizou a análise documental. Durante a primeira fase do estudo, identificou-se que, de acordo com as percepções dos atores sociais envolvidos no programa, não era avaliado o impacto nutricional da alimentação oferecida, visando subsidiar o planejamento. No nível central, o processo de compras era considerado o maior entrave e nas unidades o maior problema foi a falta de infra-estrutura. Foram apontadas diferenças entre os programas desenvolvidos nas escolas estaduais e municipais. Recomenda-se revisão dos objetivos do programa, promovendo discussão que inclua a participação popular, através do Conselho Municipal de Alimentação, articulada às políticas de alimentação inseridas nos setores de Saúde e Bem-Estar. Na segunda fase do estudo, foram identificadas modificações na gestão do programa desenvolvido nas escolas municipais, com terceirização da mão-de-obra, implantação de ações pontuais para avaliação do estado nutricional dos usuários e de controle de qualidade na gestão de suprimentos, ainda que persistam problemas na política de compras e recrudescimento da deficiência de supervisão das unidades.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marta Neves Campanelli Marçal Vieira, Universidade de São Paulo

Departamento de Puericultura e Pediatria – FMRP, Universidade de São Paulo

Maria Graças Carvalho Ferriani, Universidade de São Paulo

Departamento de Enfermagem Materno-Infantil e Saúde Pública da EERP, Universidade de São Paulo

Romeu Gomes, Fundação Oswaldo Cruz

Instituto Fernandes Figueira, Fundação Oswaldo Cruz

Graziela Vieira Bassan dos Santos, Universidade de São Paulo

Departamento de Enfermagem Materno-Infantil e Saúde Pública da EERP, Universidade de São Paulo

Eliana Maria Mattar Marchi

Nutricionista

Referências

. Brasil. Ministério da Educação e Cultura. Secretaria de Apoio e Administração. Campanha Nacional de Alimentação Escolar. Brasília, O Ministério, 1972.

. Frozi DS, Galeazzi MAM. Políticas públicas de alimentação no Brasil: uma revisão fundamentada nos conceitos de bem-estar social e de segurança alimentar e nutricional. Cadernos de Debate. 2004; 11: 58-83.

. Brasil. Fundo Nacional do Desenvolvimento da Educação. Conselho Deliberativo. Resolução n° 32 de 10 de agosto de 2006. Estabelece normas para a execução do Programa Nacional de Alimentação Escolar – PNAE. Disponível em: http:// www1.fnde.gov.br/home/resolucoes_2006/ alimentacao_escolar/res32_10082006_pnae.pdf, visitado em 14 de março de 2007.

. Pavão LM. Histórico da merenda escolar em Ribeirão Preto. Ribeirão Preto, Secretaria Municipal da Educação, Departamento de Alimentação Escolar; 1992. (Mimeo).

. IBAM - Instituto Brasileiro de Administração Municipal. Manual de normas e procedimentos para a celebração de termos de ajuste. Rio de Janeiro: IBAM; 1972.

. IBAM - Instituto Brasileiro de Administração Municipal. Organização do conselho de merenda escolar. Rio de Janeiro: IBAM; 1994.

. São Paulo. Secretaria do Estado da Educação. Departamento de Suprimento Escolar. Merenda escolar: manual de orientação. São Paulo; 1996. 53p.

. Ribeirão Preto. Prefeitura Municipal. Anuário de Ribeirão Preto; 1993. Ribeirão Preto: Prefeitura Municipal; 1993.

. Governo do Estado de São Paulo. Secretaria de Educação do Estado de São Paulo. Pesquisa de escolas. Disponível em: http:// www.educação.sp.gov.br.

. Brasil – Lei de diretrizes e bases da educação nacional. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional.

. Minayo MC. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. São Paulo: Hucitec; Rio de Janeiro: Abrasco; 1992. 269 p.

. Triviños NA. Introdução a pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas; 1990.

. Gomes RA. Análise de dados em pesquisa qualitativa. In: Minayo MCS et al. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: Vozes; 1994. p. 67-80.

. Faleiros Filho A. O papel da FAE na melhoria da qualidade da alimentação escolar. Encontro Estadual sobre Alimentação Escolar; 1996; Jundiaí. Jundiaí: Prefeitura Municipal de Jundiaí/ UNICAMP; 1996.

. Brasil. Ministério da Saúde. Portaria nº 1428, de 26 de novembro de 1993. Aprova, na forma dos textos anexos, o “Regulamento Técnico para Inspeção Sanitária de Alimentos”, as “Diretrizes para o Estabelecimento de Boas Práticas de Produção e de Prestação de Serviços na Área de Alimentos” e o “Regulamento Técnico para o Estabelecimento de Padrão de Identidade e Qualidade (PIQ´s) para Serviços e Produtos na Área de Alimentos”. Disponível em: http://e-legis.anvisa.gov.br/leisref/ public/showAct.php?id=18823&word=.

. Teixeira SMFG, Oliveira ZMC, Rego JC, Biscontini TMB. Administração aplicada às unidades de alimentação e nutrição. Rio de Janeiro: Atheneu; 1990. 219p.

. Teixeira HJ, Salomão SM, Santana SM. As abordagens superficiais e os mitos. In: Teixeira HJ, Santana S M. Remodelando a gestão pública. São Paulo: Edgard Blücher; 1995. p.1-5.

. Teixeira HS, Santana SM - Elementos para um novo modelo de gestão. In: Teixeira HJ, Santana S M. Remodelando a gestão pública. São Paulo: Edgard Blücher; 1995. p.6-21.

. Ribeirão Preto. Prefeitura Municipal. Relatório das receitas e despesas da Secretaria Municipal da Educação. Ribeirão Preto: Prefeitura Municipal; 1996.

. Mendes EV. As Políticas de Saúde no Brasil nos anos 80: a contribuição da reforma sanitária e a construção da hegemonia do projeto neoliberal. In: Mendes EV (org.). Distrito Sanitário: o processo social de mudança das práticas sanitárias do sistema único de saúde. 2ª ed. São Paulo: Hucitec; 1994.

. Sturion GL. Tópicos de administração de serviços de alimentação escolar. In: USP - ESALQ. Administração de programas e serviços de alimentação escolar. 2ª ed. Piracicaba; 1994. p.59-80.

. São Paulo. Secretaria do Estado da Educação. Departamento de Assistência ao Escolar. Divisão de Estudos, Normas e Programas de Nutrição. Orientações sobre merenda escolar às prefeituras municipais descentralizadas. São Paulo; 1985. (Mimeo).

. Lima DC. Planejamento e controle orçamentário para restaurantes de coletividade. Osasco: Silvaz, s/ d, 51 p.

. Ometto AMH, Furtuoso MCO. A avaliação de programas de intervenção nutricional. In: USP - ESALQ, Administração de programas e serviços de administração escolar. 2ª ed. Piracicaba; 1994. p. 81-93.

. Graham Jr CB, Hays SW. Para administrar a organização pública. Rio de Janeiro: Zahar; 1994. 280p.

. Teixeira HJ, Yoshizaki HTY, Santana SM. Planejamento da Gestão Pública. In: Teixeira HJ, Santana S M. Remodelando a gestão pública. São Paulo: Edgard Blücher; 1995. p.22-37.

. Ribeirão Preto. Prefeitura Municipal. Plano de metas: 2001-2007. Ribeirão Preto: Prefeitura Municipal; 2007.

. Burlandy L, Anjos LA. Acesso à alimentação escolar e estado nutricional de escolares no Nordeste e Sudeste do Brasil, 1997. Cad. Saúde Pública.2007; 23(5):1217-1226.

. Ribeirão Preto. Prefeitura Municipal. Relatório das receitas e despesas da Secretaria Municipal da Educação. Ribeirão Preto: Prefeitura Municipal; 2006.

. Silva MV. Avaliação da Adequação Nutricional dos Alimentos Consumidos em um Centro Integrado de Educação Pública (CIEP). Cad Saúde Públ. 1995; 11 (4): 552-559.

. Sturion GL, Silva MV, Ometto AMH, Maria Furtuoso MCO; Pipitone MAP. Fatores condicionantes da adesão dos alunos ao Programa de Alimentação Escolar no Brasil. Rev Nutr. 2005; 18(2):167-181.

. Institute of Medicine: “Preventing Childhood Obesity - Health in the Balance”. Washington, DC: National Academic Press, 2005.

. Gidding SS, Dennison BA, Birch LL, Daniels SR, Gilman MW, Lichtenstein AH, Rattay KT, Steinberger J, Stettler N, Van Horn L; American Heart Association. Dietary recommendations for children and adolescents: a guide for practitioners. Pediatrics. 2006; 117: 544-559.

. Brasil. Ministério da Saúde. Portaria Interministerial nº1.010 de 8 de maio de 2006. Institui as diretrizes para a Promoção da Alimentação Saudável nas Escolas de educação infantil, fundamental e nível médio das redes públicas e privadas, em âmbito nacional. Disponível em: http:/ / d t r 2 0 0 4 . s a u d e. g o v. b r / s a s / l e g i s l a c a o / portaria1010_08_05_06.pdf, visitado em 21 de junho de 2006.

. Danelon MAS, Danelon MS, Silva MV. Serviços de alimentação destinados ao público escolar: análise da convivência do Programa de Alimentação Escolar e das cantinas. Segurança Alimentar e Nutricional. 2006;13(1): 85-94.

. Ribeirão Preto. Prefeitura Municipal. Projeto para atualização e implementação do ‘Núcleo: Passaporte para a Saúde’ Prevenção de Doenças Crônicas Não-transmissíveis. Ribeirão Preto: Secretaria Municipal da Saúde; 2006. (Mimeo).

. Caniné ES, Ribeiro VMB. A prática do Nutricionista em escolas municipais do Rio de Janeiro: um espaço-tempo educativo. Ciência & Educação.2007; 13(1): 47-70.

. Santos LMP, Santos SMC, Santana LAA, Henrique FCS, Mazza RPD, Santos LAS, Santos LS. Avaliação de políticas públicas de segurança alimentar e combate à fome no período 1995-2002. 4 – Programa Nacional de Alimentação Escolar. Cad. Saúde Pública.2007; 23(11):2681-2693.

. Spinelli MAS, Canesqui AM. Descentralização do Programa de Alimentação Escolar em Cuiabá: 1993-1996. Rev Nutr 2004; 17:151-65.

. Vianna RTP, Tereso MJA. O Programa de Merenda Escolar de Campinas: análise do alcance e limitações do abastecimento regional. Rev Nutr 2000; 13(1):41-49.

. BRASIL. Presidência da República. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Lei complementar nº 123 de 14/12/2006, que Institui o Estatuto Nacional da Microempresa e da Empresa de Pequeno Porte. Disponível em: http:// www.planalto.g ov.br/CCIVIL/Leis/LCP/ Lcp123.htm

. Weis B, Chaim NA, Belik W. Manual de Gestão Eficiente da Merenda Escolar. São Paulo: Eskenazi Indústria Gráfica Ltda; 2004, p.73.

. Brasil. Ministério da Educação. Resolução/ FNDE/CD/Nº 015 de 25 de agosto de 2000. Estabelecer critérios e as formas de transferência de recursos financeiros às secretarias de educação dos Estados e do Distrito Federal, às prefeituras municipais e às escolas federais, à conta do PNAE. Caderno de legislação. Encontro Regional de Capacitação. Conselhos de alimentação Escolar- CAE.

. Spinelli MAS, Canesqui AM. O programa de alimentação escolar no Estado de Mato Grosso: da centralização à descentralização (1979 - 1995). Rev Nutr. 2002; 15(1):105-117.

. Vieira MNCM, Santos GVB, Marchi EMM, Peixoto D, Fares R. Prevalence of obesity and illnesses auto-referred by cooks of school meal program. Nutrition in Health and Disease: Focus on Obesity and Gastrointestinal Disorders; 2005.

. Conselho Federal de Nutricionistas RESOLUÇÃO CFN Nº 358/2005. Dispõe sobre as atribuições do Nutricionista no âmbito do Programa de Alimentação Escolar (PAE) e dá outras providências.

. Centro de Vigilância Sanitária da Secretaria de Estado da Saúde. Portaria CVS nº6/1999. Estabelece o regulamento técnico sobre os parâmetros e critérios para o controle higiênico-sanitário em estabelecimentos de alimentos.

. Ribeirão Preto. Prefeitura Municipal. Termo de Visita. Ribeirão Preto. Secretaria Municipal da Educação. Departamento de Alimentação Escolar; 2002. (Mimeo).

. Silva C, Germano MIS, Germano, PML. Condições higiênico-sanitárias dos locais de preparação da merenda escolar, da rede estadual de ensino em São Paulo, SP. Hig aliment 2003; 17(110):49-55.

. Vieira, CRN, Silva, RR, Martino HSD, Chavasco JK. Qualidade microbiológica da merenda escolar servida nas escolas estaduais de Poços de Caldas, MG. Hig aliment 2005;19(128):90-94.

. Pistore AR. Avaliação dos conhecimentos higiênico-sanitários dos manipuladores de merenda escolar: fundamento para treinamento contínuo e adequado. Hig aliment 2006;20(146):17-20.

. Torres SAM, Miranda AS, Silva VA, Toledo SC, Silva MA, Rocha JF. Treinamento de manipuladores de alimentos: merendeiras. Hig. aliment 2006;20(143):33-36.

Downloads

Como Citar

VIEIRA, M. N. C. M.; FERRIANI, M. G. C.; GOMES, R.; SANTOS, G. V. B. dos; MARCHI, E. M. M. Gestão de um programa de alimentação escolar em um município paulista. Segurança Alimentar e Nutricional, Campinas, SP, v. 15, n. 1, p. 29–48, 2015. DOI: 10.20396/san.v15i1.1823. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/san/article/view/1823. Acesso em: 23 maio. 2022.

Edição

Seção

Artigo de Segurança Alimentar e Nutricional