Banner Portal
Determinantes da insegurança alimentar no brasil: análise dos dados da PNAD de 2004
PDF

Palavras-chave

Segurança alimentar. Pobreza. Brasil

Como Citar

HOFFMANN, Rodolfo. Determinantes da insegurança alimentar no brasil: análise dos dados da PNAD de 2004. Segurança Alimentar e Nutricional, Campinas, SP, v. 15, n. 1, p. 49–61, 2015. DOI: 10.20396/san.v15i1.1824. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/san/article/view/1824. Acesso em: 21 jun. 2024.

Resumo

São analisados os dados da pesquisa suplementar sobre segurança alimentar, feita pelo IBGE, junto com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios - PNAD de 2004, utilizando a Escala Brasileira de Insegurança Alimentar, que classifica os domicílios em quatro categorias: com segurança alimentar ou com insegurança alimentar leve, moderada ou grave. A análise de lógite permite avaliar o efeito de cada fator, controlando o efeito das demais variáveis explanatórias. Contrariamente ao que indica uma análise com apenas uma variável explanatória, verifica-se que residência rural, atividade agrícola e a presença de pessoas com menos de 18 anos no domicílio contribuem para reduzir a probabilidade de insegurança alimentar (IA). O determinante mais importante da IA é a baixa renda domiciliar per capita, o que mostra a importância de programas de transferência de renda relativamente bem focalizados, como o bolsa-família. Mesmo depois de controlado o efeito da renda, a escolaridade da pessoa de referência contribui, significativamente, para reduzir a probabilidade de IA. Esta probabilidade aumenta quando a pessoa de referência é preta ou parda, é mulher ou tem ocupação instável e/ou informal. Também são estimados os efeitos de vários outros determinantes, como região de residência, disponibilidade de água encanada e esgoto, os quais estão associados ao fornecimento de serviços públicos básicos.

https://doi.org/10.20396/san.v15i1.1824
PDF

Referências

IBGE. Segurança alimentar: 2004. Rio de Janeiro, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2006.

Sen, A. Poverty and famines: an essay on entitlement and deprivation. Oxford University Press. 1981.

Monteiro, C.A.; Benício, M.H. e Gouveia, N.C. Saúde e nutrição das crianças brasileiras no final da década de 80. In: perfil estatístico de crianças e mães no Brasil: aspectos de saúde e nutrição de crianças no Brasil, 1989. IBGE, 1992.

Monteiro, C.A. O mapa da pobreza no Brasil. Cadernos de Nutrição 4, p. 1-6.1992.

Hoffmann, R. Pobreza, insegurança alimentar e desnutrição no Brasil. Estudos Avançados 9 (24)159- 172, maio- agosto de 1995.

Soares, F.V.; Soares,S.; Medeiros,M. e Osório,R.G. Cash transfer programmes in Brazil: impacts on inequality and poverty International Poverty Centre,UNDP/IPEA, Working Paper n.21, junho de 2006.

Hoffmann, R. Transferências de renda e a redução da desigualdade no Brasil e cinco regiões entre 1997 e 2004. Econômica, Rio de Janeiro, v.8, n.1, p.55-81, junho de 2006.

Soares,S.; Osório,R.G.;Soares,F.V.; Medeiros, M. e Zepeda,E. Conditional cash transfers in Brazil, Chile and México: impacts upon inequality. International Poverty Centre, UNDP/OPES, Working Paper n.35, abril de 2007.

Medeiros, M.; Brito,T.e Soares, F. Programas focalizados de transferência de renda no Brasil: contribuições para o debate. IPEA, Brasília,Texto para Discussão n. 1283, junho de 2007.

A revista Segurança Alimentar e Nutricional utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.