Estado nutricional de escolares da rede pública de ensino de Piedade, SP

  • Giovana Eliza Pegolo Universidade Estadual de São Paulo
  • Marina Vieira da Silva Universidade de São Paulo
Palavras-chave: Antropometria. Escolares. Estado nutricional. Obesidade

Resumo

A pesquisa visou avaliar o estado nutricional de escolares da rede pública de ensino do município de Piedade, Estado de São Paulo. A amostra foi constituída por 150 escolares, de ambos os gêneros, com idade entre 7 e 14 anos. Para a análise da situação nutricional, foram utilizadas as medidas antropométricas de peso e altura. Os resultados mostraram que a proporção de 4% de escolares foi classificada com indicativo de déficit de altura, percentual considerado superior ao esperado (2,3%). No intervalo (−2 ≤ ZAI < −1) que discrimina os escolares com indicativo de comprometimento da altura, foram identificados 19,3%, enquanto a proporção esperada é 13,6%. Quanto às análises do IMC, foram observados 10,7% de escolares com baixo peso, enquanto na situação oposta (obesidade) a proporção verificada alcançou 1,6% dos integrantes da amostra. Os resultados obtidos diferem daqueles observados quando são examinados os dados entre estudantes, também matriculados na rede pública de ensino, de substancial número de municípios paulistas. Nesta pesquisa, a proporção de escolares classificados com baixo peso supera a prevalência de escolares com obesidade. Análises que envolvam, além da população urbana, também aquela moradora do meio rural, tornam-se valiosas por constituírem subsídios para o planejamento de ações efetivas de saúde pública.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Giovana Eliza Pegolo, Universidade Estadual de São Paulo
Faculdade de Ciências Farmacêuticas, Universidade Estadual de São Paulo
Marina Vieira da Silva, Universidade de São Paulo
Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Universidade de São Paulo

Referências

Fernandes BS. Nova abordagem para o grave problema da desnutrição infantil. Est Avanç 2003;17(48):77-92.

Monteiro CA. A dimensão da pobreza, da desnutrição e da fome no Brasil. Est Avanç 2003;17(48):7-20.

Batista Filho M, Rissin A. A transição nutricional no Brasil: tendências regionais e temporais. Cad Saúde Pública 2003;19(1):181-191.

Sawaya AL, Solymos GMB, Florêncio TMMT, Martins PA. Os dois Brasis: quem são, onde estão e como vivem os pobres brasileiros. Est Avanç 2003;17(48):21-44.

Laurentino GEC, Arruda IKG, Arruda BKG. Nanismo nutricional em escolares no Brasil. Rev Bras Saúde Matern Infant 2003;3(4):377-385.

Oliveira AMA, Cerqueira EMM, Souza JS, Oliveira AC. Sobrepeso e obesidade infantil: influência de fatores biológicos e ambientais em Feira de Santana, BA. Arq Bras Endocrinol Metab 2003;47(2):144-150.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Análise da disponibilidade domiciliar de alimentos e do estado nutricional no Brasil. [citado 2006 maio 20]. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/ home/estatistica/populacao/condicaodevida/pof/ 2002analise/default.shtm

Repetto G, Rizzolli J, Bonatto J. Prevalência, riscos e soluções na obesidade e sobrepeso: here, there, and everywhere. Arq Bras Endocrinol Metab 2003;47(6):633-635.

Dietz WH. Overweight in childhood and adolescence. N Engl J Med 2004;350(9):855-857.

Castro MPS. Hábitos alimentares de estudantes brasileiros das zonas urbana e rural: um estudo de Garça – São Paulo [dissertação]. São Paulo: Universidade de São Paulo; 2001.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo 2000. [citado 2005 jul 09]. Disponível em: http://www.ibge.gov.br

Instituto de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira – INEP. Resultados finais do censo escolar de 2004. [citado 2005 jul 09]. Disponível em: http:/ /www.inep.gov.br

Dean AG, Dean JA, Burton AH, Dicker RC. Epi Info 2000: a database and statistics program for public health professionals for use on Windows 95, 98, NT and 2000 computers [CD-ROM]. Atlanta: Centers for Disease Control and Prevention; 2000.

National Center for Health Statistics. Center for Disease Control and Prevention. Growth Charts. [cited 2005 Jul 09]. Disponível em: http:// www.cdc.gov/growthcharts

World Health Organization. Physical status: the use and interpretation of anthropometry. Technical Report Series, 854. Geneva; 1995.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa de Orçamentos Familiares: antropometria e análise do estado nutricional de crianças e adolescentes no Brasil. [citado 2007 fev 12]. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/ estatistica/populacao/condicaodevida/pof/ 2003medidas/default.shtm

Veiga GV, Burlandy L. Indicadores sócioeconômicos, demográficos e estado nutricional de crianças e adolescentes residentes em um assentamento rural do Rio de Janeiro. Cad Saúde Pública 2001;17(6):1465-1472.

Balaban G, Silva GAP. Prevalência de sobrepeso e obesidade em crianças e adolescentes de uma escola da rede privada de Recife. Jornal de Pediatria 2001;77(2):96-101.

Koga CR. Estado nutricional de escolares de 7 a 10 anos de idade: diagnóstico e comparação de métodos [dissertação]. São Paulo: Universidade de São Paulo; 2005.

Zancul MS. Consumo alimentar de alunos nas escolas de ensino fundamental em Ribeirão Preto (SP) [dissertação]. Ribeirão Preto: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto; 2004.

Ferreira HS, Albuquerque MFM, Ataíde TR, Morais MGC, Mendes MCA, Siqueira TCA, Silva GJ. Estado nutricional de crianças menores de dez anos residentes em invasão do “Movimento dos Sem Terra”, Porto Calvo, Alagoas. Cad Saúde Pública 1997;13(1):137-139.

Carvalho AT, Costa MJC, Ferreira LOC, Batista Filho M. Cartografia do retardo estatural em escolares do Estado da Paraíba, Brasil. Rev Saúde Pública 2000;34(1):3-8.

Castro TG, Campos FM, Priore SE, Coelho FMG, Campos MTFS, Franceschini SCC, Rangel AA. Saúde e nutrição de crianças de 0 a 60 meses de um assentamento de reforma agrária, Vale do Rio Doce, MG, Brasil. Rev Nutr 2004;17(2):167-176.

Maestro V. Padrão alimentar e estado nutricional: caracterização de escolares de município paulista [dissertação]. Piracicaba: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz; 2002.

Serdula MK, Ivery D, Coates RJ, Freedman DS, Williarnson DF, Byers T. Do obese children become obese adults? – A review of the literature. Prev Med 1993;22:167-177.

Como Citar
Pegolo, G. E., & Silva, M. V. da. (1). Estado nutricional de escolares da rede pública de ensino de Piedade, SP. Segurança Alimentar E Nutricional, 15(1), 76-85. https://doi.org/10.20396/san.v15i1.1826
Seção
Artigo de Segurança Alimentar e Nutricional

Artigos mais lidos pelo mesmo (s) autor (es)

1 2 > >>