Insegurança alimentar em região de alta vulnerabilidade social da cidade de São Paulo

Autores

  • Viviane Laudelino Vieira Universidade de São Paulo
  • Elaine Gomes Fiore Universidade de Guarulhos
  • Ana Maria Cervato-Mancuso Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.20396/san.v13i2.1830

Palavras-chave:

Segurança alimentar. Vulnerabilidade social. População urbana.

Resumo

Com o objetivo de descrever algumas características das famílias acompanhadas pela Pastoral da Criança em região de alta vulnerabilidade social da cidade de São Paulo, com relação aos aspectos sócio-demográficos e identificação da situação de segurança alimentar e nutricional, utilizou-se, respectivamente, um questionário e um instrumento validado para classificação familiar segundo a Escala Brasileira de Insegurança Alimentar (EBIA). Verificou-se que a maioria das famílias era composta por até 6 pessoas, sendo comum a presença de no máximo três crianças menores de seis anos. O recebimento de doação na forma de alimentos foi relatado por mais da metade das famílias. Declararam apresentar geração de renda (trabalho registrado ou não) 62 (75%) famílias, sendo que 73 (95,1%) apresentavam renda per capita inferior a 0,5 salário mínimo. A situação de segurança alimentar foi observada em apenas 12% das famílias. Conclui-se que a situação de insegurança alimentar familiar predomina na população estudada, bem como renda familiar insuficiente e expressiva taxa de desemprego, fatores atrelados à condição de alta vulnerabilidade social.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Viviane Laudelino Vieira, Universidade de São Paulo

Centro de Saúde Escola Geraldo de Paula Souza da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo

Elaine Gomes Fiore, Universidade de Guarulhos

Universidade de Guarulhos

Ana Maria Cervato-Mancuso, Universidade de São Paulo

Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo

Referências

2O Conferência Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional. Carta de Olinda. [documento na Internet]. Acesso em 18 ago 2005. Disponível em: http: //www.fomezero.gov.br/ download/ Carta%20de%20Olinda.pdf.

Valente FLS. O direito humano à alimentação: desafios e conquistas. São Paulo: Cortez Editora, 2002. Do combate à fome à insegurança alimentar e nutricional: o direito à alimentação adequada; p. 37- 70.

Sícoli JL. Pactuando conceitos fundamentais para a construção de um sistema de monitoramento da SAN. [documento na Internet]. Acesso em 30 mar 2006. Disponível em: http: //www.polis.org.br/ download/65.pdf.

Fundação SEADE. Espaços e Dimensões da Pobreza nos Municípios do Estado de São Paulo.

[documento na Internet]. Acesso em 08 set 2005. Disponível em: http://www.seade.gov.br/produtos/ ipvs/analises/subprefeitura/butanta.pdf.

Talher Nacional. Equipe de Educação Cidadã e Mobilização Social Um Brasil diferente está em nossas mãos. Brasília: Ministério de Desenvolvimento Social e Combate à Fome; 2004.

SAS Secretaria Municipal de Assistência Social. Projeto caracterização de setores de alta vulnerabilidade social. São Paulo: Prefeitura da Cidade de São Paulo; 2003.

Marques M, Costa C. Implementação de centros de referência local em segurança alimentar e nutricional. São Paulo: Instituto Pólis; 2005.

Pastoral da Criança. Histórico, ações desenvolvidas, locais de atuação e organização. [site na Internet]. Acesso em 17 jan 2005. Disponível em: http:// www.pastoraldacrianca.org.br.

Avelino ES, Pinheiro LTS, Fiore EG, Silva AM, David RM. Estado nutricional de crianças acompanhadas pela Pastoral da Criança em um bolsão de pobreza. In: Livro de resumos do 9o Congresso Paulista de Saúde Pública, 2005 out 22- 26; Santos, BR. São Paulo: Saúde e Sociedade; 2005. p. 147.

Segall-Correa AM. (In) Segurança alimentar no Brasil: Validação de metodologia para acompanhamento e avaliação de segurança alimentar de famílias brasileiras. Campinas; 2004. [relatório técnico]. Disponível em http://www.opas.org.br/ publicac.cfm.

Pérez-Escamilla R, Segall-Correa AM, Maranha LK, Sampaio MFA, Marín-León L, Panigassi G. An adapted version of the U.S. Department of Agriculture Food Insecurity module is a valid tool for assessing household food insecurity in Campinas, Brazil. J Nutr. 2004; 134(8): 1923-8.

Marín-León L, Segal-Corrêa AM, Panigassi G, Maranha LK, Sampaio MFA, Pérez-Escamilla R. A percepção de insegurança alimentar em famílias com idosos em Campinas, São Paulo, Brasil. Cad Saúde Pública. 2005; 21(5): 1433-40.

Dean AG, Dean JA, Coulombier D. Epi Info™ Version 6.04a, a word processing, database and statistics program for public health on IBMcompatible microcomputers. Atlanta: Centers for Disease Control and Prevention; 1996.

Hoffmann R. Pobreza, insegurança alimentar e desnutrição no Brasil. Estudos Avançados. 1995; 9(24): 159-72.

IBGE Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Condições de Pobreza. [documento na Internet]. Acesso em 8 set 2005. Disponível em http:/ www.ibge. gov.br/ibgeteen/glossário/pobreza.html.

Hoffman R. Determinantes da insegurança alimentar no Brasil. In: Anais do 14o Congresso da Sociedade Latinoamericana de Nutrición; 2006; Florianópolis, BR.

Gerhardt TE. Situações da vida, pobreza e saúde: estratégias alimentares e práticas sociais no meio urbano. Ciênc Saúde Coletiva. 2003; 8(3): 713-26.

Belik W. Perspectivas para a segurança alimentar e nutricional no Brasil. Saúde Soc 2003; 12(1): 12- 20.

Brasil. Lei no 11.346: criação do Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional. Diário Oficial da União, 15 set 2006.

Newmann NA, Victora CG, Halpern R, Guimarães PRV, César JA. Desempenho da Pastoral da Criança na promoção de ações de sobrevivência infantil e na educação em saúde em Criciúma, uma cidade do sul do Brasil. Pan Am J Public Health 1999; 5(6): 400-10.

Conferência Nacional dos Bispos do Brasil. Pastoral da Criança. Construindo caminhos para a segurança alimentar na comunidade: uma estratégia de planejamento participativo. Curitiba: Pastoral da Criança; 2000.

MDS Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Indicadores de Insegurança Alimentar. [documento na Internet]. Acesso em 27 Abr 2006. Disponível em: http://www.mds.gov.br/ estatistica/Cadernos_2.pdf.

Sampaio MFA, Kepple AW, Segall-Correa AM, Oliveira JTA, Panigassi G, Maranha LK et al. (In) Segurança Alimentar: experiência de grupos focais com populações rurais do Estado de São Paulo. Segurança Alimentar e Nutricional 2006; 13(1): 64- 77.

Downloads

Como Citar

VIEIRA, V. L.; FIORE, E. G.; CERVATO-MANCUSO, A. M. Insegurança alimentar em região de alta vulnerabilidade social da cidade de São Paulo. Segurança Alimentar e Nutricional, Campinas, SP, v. 13, n. 2, p. 34–42, 2015. DOI: 10.20396/san.v13i2.1830. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/san/article/view/1830. Acesso em: 6 out. 2022.

Edição

Seção

Artigo de Segurança Alimentar e Nutricional