Alimentos orgânicos: qualidade nutritiva e segurança do alimento

  • Renata Galhardo Borguini Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo
  • Elizabeth Aparecida Ferraz da Silva Torres Universidade de São Paulo
Palavras-chave: Alimentos orgânicos. Qualidade nutritiva. Resíduos de pesticidas.

Resumo

‘Orgânico’ é um termo de rotulagem que indica que o alimento é produzido de acordo com normas específicas que vetam o uso de quaisquer agroquímicos e que está certificado por uma agência devidamente constituída. Esta revisão discute as distinções entre os alimentos orgânicos e convencionais, com respeito à qualidade nutritiva e à segurança do alimento, e evidencia a existência de diversas diferenças qualitativas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Renata Galhardo Borguini, Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo
Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios. Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo
Elizabeth Aparecida Ferraz da Silva Torres, Universidade de São Paulo
Departamento de Nutrição. Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo

Referências

. Borguini RG & Mattos FL. Análise do Consumo de Alimentos Orgânicos no Brasil. In: Anais do XL Congresso Brasileiro de Economia e Sociologia Rural, 2002; 28 – 31 julho; Passo Fundo; Brasília: SOBER, 2002. p.38.

. Penteado SR Introdução à agricultura orgânica. Campinas: Grafimagem; 2000.

. Paschoal AD Produção orgânica de alimentos: agricultura sustentável para os séculos XX e XXI. Piracicaba: EDUSP, 1994.

. FAO/Organização Mundial da Saúde. Codex Alimentarius: Alimentos Producidos Orgánicamente, 2001 [citado em 2001 set 05]. Disponível em: http:/ /www. f ao. o rg/DOCREP/005/Y2772S/ Y2772S00.HTM

. Souza MCM. Aspectos institucionais do sistema agroindustrial de produtos orgânicos. Informações Econômicas. 2003; 33(3): 7-16.

. Brasil. Ministério da Agricultura, Pecuária e do Abastecimento. Lei Federal no 10.831 de dezembro de 2003. Dispõe sobre normas para a produção de produtos orgânicos vegetais e animais. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 23 dez 2003. Seção 1, p.11.

. Torjusen H, Lieblein G, Wandel M, Francis CA. Food system orientation and quality perception among consumers and producers of organic food in Hedmark County, Norway. Food Qual Preferences. 2001; 12: 207-216.

. Ormond JGP, Paula SRL, Faveret Filho P, Rocha LTM. Agricultura orgânica: quando o passado é futuro. BNDS Setorial 2002, 15: 3-34.

. Archanjo LR, Brito KFW, Sauerbeck S. Os alimentos orgânicos em Curitiba: consumo e significado. Cadernos de Debate. 2001; 8: 1-6.

. Assis RL, Arezzo DC, De-Polli H. Consumo de produtos da agricultura orgânica no estado do Rio de Janeiro. Rev Administração. 1995; 30(1): 84-89.

. Cerveira R, Castro MC. Consumidores de produtos orgânicos da cidade de São Paulo: características de um padrão de consumo. Informações Econômicas. 1999; 29(12): 7-19.

. Glaser LK, Thompson GD. Demand for organic and conventional frozen vegetables. In: American Agricultural Economics Association Annual Meeting, Nashville, 1999. Selected Paper. Ames: American Agricultural Economics Association, 1999 [citado em 2002 may 15]; p.1-14. Disponível em: http:// www. e r s.usda.g ov/publ i c ations/aib777/ aib777rf.pdf

. Lohr L. Factors affecting international demand and trade in organic food products. Athens: University of Georgia, Department of Agricultural and Applied Economics, 2000 [citado em 2002 may 15]; p.1-35. (Faculty Series 00–20) Disponível em: http://www.ers.usda.gov/publications/wrs011/ wrs011j.pdf

. Wier M, Andersen LM. Studies on consumer demand for organic foods: a survey. Copenhagen: AKF, 2001 [citado em 2002 may 15]; 15p. (Project on consumer demand for organic foods: domestic and foreign market perspectives. Working Paper, 1) Disponível em: http://www.akf.dk/organicfoods/ Papers/wp1-mw.pdf

. Souza APO, Alcântara RLC Alimentos orgânicos: estratégias para o desenvolvimento do mercado. In: Neves MF, Castro LT (org) Marketing e estratégia em agronegócios e alimentos. São Paulo: Atlas; 2003.

. Bourn D, Prescott J. A Comparison of the nutritional value, sensory qualities and food safety of organically and conventionally produced foods. Crit Rev Food Sci Nutr. 2002; 42(1): 1-34.

. Ren H, Endo H, Hayashi T. Antioxidative and antimutagenic activities and polyphenol content of pesticide-free and organically cultivated green vegetables using water-solubre chitosan as a soil modifier and leaf surface spray. J Sci Food Agric. 2001; 81: 1426-1432.

. Toor RK, Savage GP, Heeb A. Influence of different types of fertilizers on the major antioxidant components of tomatoes. J Food Comp Anal. 2006; 19(1): 20-27.

. Smith BL. Organic foods vs. supermarket foods: element levels. J Appl Nutr. 1993; 45(1): 35–39.

. Schuphan W. Nutritive value of crops as influenced by organic and inorganic fertilizer treatment. Qualitas Plantarum: plant foods for human nutrition. 1974; 23(4): 333-358.

. Premuzic Z, Bargiela M, Garcia A, Rondina A, Lorio A. Calcium, iron, potassium, phosphorus and vitamin C content of organic and hidroponic tomatoes. Hortscience. 1998; 33: 255-257.

. Ishida BK, Chapman MH. A comparison of carotenoid content and total antioxidant activity in catsup from several commercial sources in the United States. J Agri Food Chem. 2004; 52: 8017-8020.

. Caris-Veyrat C, Amiot MJ, Tyssandier V, Grasselly D, Buret M, Mikoljozak M, Guilland JC, Bouteloup-Demange C, Borel P. Influence of organic versus conventional agricultural practice on the antioxidant microconstituent content of tomatoes and derived purees; consequences on antioxidant plasma status in humans. J Agric Food Chem. 2004; 52: 6503-6509.

. Borguini RG. Avaliação do potencial antioxidante e de algumas características físico-químicas do tomate (Lycopersicon esculentum) orgânico em comparação ao convencional [tese]. São Paulo: Universidade de São Paulo; 2006. 161p.

. Kotaka ET, Zambrone FA. Contribuições para a construção de diretrizes de avaliação do risco toxicológico de agrotóxicos. Campinas: ILSI Brasil; 2001.

. ANVISA. Portaria no 3, de 16.1.1992: ratifica os termos das “diretrizes e orientações referentes à autorização de registros, renovação de registro e extensão de uso de agrotóxicos e afins - n°1, de 09.12.1991”, publicadas no D.O.U. em 13.12.1991. Diário Oficial da União, Brasil, 4 fev. 1992.

. Lourenço RC. Discussão sobre o risco das interações de agrotóxicos na dieta brasileira [dissertação]. São Paulo: Universidade de São Paulo; 2003.

. Araújo ACP, Nogueira DP, Augusto LGS. Impacto dos praguicidas na saúde: estudo da cultura de tomate. Rev de Saúde Pública. 2000; 34(3): 309- 313.

. Caldas ED, Souza LCK. Avaliação de risco crônico da ingestão de resíduos de pesticidas na dieta brasileira. Rev Saúde Pública. 2000; 34(5): 529-537.

. Siderer Y, Maquet A, Anklam E. Need for research to support consumer confidence in the growing organic food market. Trends Food Sci Technol. 2005; 16(8): 332-343.

. Pussemier L, Larondelle Y, Peteghem CV, Huyghebaert A. Chemical safety of conventionally and organically produced foodstuffs: a tentative comparison under Belgian conditions. Food Control. 2006; 17: 14-21.

. Kouba M. Quality of organic animal products. Livestock Production Sci. 2003; 80: 33-40.

. Moore VK, Zabik ME, Zabik MJ. Evaluation of conventional and “organic” baby food brands for eight organochlorine and five botanical pesticides. Food Chem. 2000; 71: 443-447.

. Baker BP, Benbrook CM, Groth III E, Benbrook KL. Pesticide residues in conventional, integrated pest management (IPM)-grown and organic foods: insights from three US data sets. Food Additives and Contaminants. 2002; 19(5): 427-446.

. Rekha, Naik SN, Prassad R. Pesticide residue in organic and conventional food-risk analysis. J Chem Health Safety. 2006; 13(6): 12-19.

. Brasil. Ministério da Agricultura, Pecuária e do Abastecimento. Lei Federal no 10.831 de dezembro de 2003. Dispõe sobre normas para a produção de produtos orgânicos vegetais e animais. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 23 dez 2003. Seção 1, p.11.

Como Citar
Borguini, R. G., & Torres, E. A. F. da S. (1). Alimentos orgânicos: qualidade nutritiva e segurança do alimento. Segurança Alimentar E Nutricional, 13(2), 64-75. https://doi.org/10.20396/san.v13i2.1833
Seção
Artigo de Segurança Alimentar e Nutricional