Comparando a alimentação dentro e fora do domicílio, no Brasil, em 2008-2009

Autores

  • Rodolfo Hoffmann Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico

DOI:

https://doi.org/10.20396/san.v20i1.8634618

Palavras-chave:

Alimentação fora do domicílio. Dados pareados. Sobrepeso. Obesidade.

Resumo

Alguns artigos sugerem que a alimentação fora do domicílio, no Brasil, é menos saudável que a consumida no domicílio, associando a primeira com fast food. A análise dos dados do inquérito alimentar da Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF) 2008-2009 não sustenta essa ideia. É usual comparar a alimentação de quem eventualmente come fora do domicílio (40,2%) com a de quem se alimenta somente no domicílio (59,8%). Isso implica comparar grupos de pessoas muito diferentes. Os que eventualmente comem fora do domicílio têm maior renda per capita (45% maior) e escolaridade (8,8 versus 6,4 anos), são mais jovens (32,1 versus 40,5 anos) e têm maior ingestão calórica diária (2.063 kcal versus 1.801 kcal). Para estimar o efeito de “comer fora” é necessário controlar o efeito de outros fatores, incluindo alguns não observáveis. Usando os dados referentes às pessoas que comem tanto dentro como fora do domicílio (amostra de 12.045 pessoas), foi estimado o efeito de “comer fora” controlando o efeito de todas as características pessoais. Essa estimativa é obtida utilizando, para cada pessoa a diferença, no valor da variável dependente, entre alimentação fora e dentro do domicílio. Verifica-se que, para cada 100 kcal de alimentos, a alimentação fora do domicílio apresenta menos sal e mais frutas e vitamina C. Por outro lado, a alimentação fora do domicílio apresenta maior teor de açúcar e menor teor de vitamina A. Mostra-se, também, que o fato de comer fora do domicílio está associado a uma menor probabilidade de uma mulher apresentar sobrepeso ou obesidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rodolfo Hoffmann, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico

Professor Sênior da Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” (ESALQ), Universidade de São Paulo (USP), com apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Referências

Bezerra IN. Impacto do consumo de alimentos fora do domicílio na dieta e no peso corporal da população brasileira (tese). Rio de Janeiro: Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Faculdade de Ciências Médicas; 2012. 178 p.

Bezerra IN, Souza AM, Pereira RA, Sichieri R. Contribution of foods consumed away from home to energy intake in Brazilian urban areas: the 2008-9. Nationwide Dietary Survey. Br J Nutr. 2013;109(7):1276- 83.

Gorgulho BM. Alimentação fora do lar e sua relação com a qualidade da dieta de moradores do município de São Paulo: estudo ISA-Capital (dissertação). Universidade de São Paulo, Faculdade de Saúde Pública; 2012. 92 p.

Bezerra IN, Souza AM, Pereira RA, Sichieri R. Consumo de alimentos fora do domicílio no Brasil. Rev Saúde Públ. 2013;47(Supl. 1):200-11.

Abreu ES, Garbelotti ML, Torres EAFS. Dietary fiber consumption and composition of foods in “by-the-kilo” restaurants. Nutrition & Food Science. 2005;35(6):386-92.

Rodrigues AGM, Proença RPC, Calvo MCM, Fiates GMR. Perfil da escolha alimentar de arroz e feijão na alimentação fora de casa em restaurante de bufê por peso. Ciênc Saúde Colet. 2013;18(2):335-46.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Pesquisa de Orçamentos Familiares 2008-2009: análise do consumo alimentar pessoal no Brasil. Rio de Janeiro: IBGE; 2011.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Pesquisa de Orçamentos Familiares 2008-2009: tabelas de composição nutricional dos alimentos consumidos no Brasil. Rio de Janeiro: IBGE; 2011.

Hoffmann R. Determinantes do consumo da merenda escolar no Brasil: análise dos dados da PNAD de 2004 e 2006. Seg Alim Nutr. 2012;19(1):33-45.

Hoffmann R. Condicionantes do sobrepeso e da obesidade de adultos no Brasil, 2008-2009. Seg Alim Nutr. 2012;19 (2):1-16.

Bezerra IN, Sichieri R. Características e gastos com alimentação fora do domicílio no Brasil. Rev Saúde Públ. 2010;44(2):221-29.

Downloads

Como Citar

1.
Hoffmann R. Comparando a alimentação dentro e fora do domicílio, no Brasil, em 2008-2009. Segur. Aliment. Nutr. [Internet]. 3º de fevereiro de 2015 [citado 30º de novembro de 2021];20(1):1-12. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/san/article/view/8634618

Edição

Seção

Artigo de Segurança Alimentar e Nutricional

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>