Ensaio sobre transição alimentar e desenvolvimento em populações caboclas da Amazônia

Autores

  • Rodrigo de Jesus Silva Universidade de São Paulo
  • Maria Elisa de Paula Eduardo Garavello Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.20396/san.v19i1.8634664

Palavras-chave:

Hábito alimentar. Cultura tradicional. Povos locais.

Resumo

Ensaio sobre transição alimentar e desenvolvimento aborda as consequências do processo de desenvolvimento socioeconômico nas populações caboclas da Amazônia. Usando a alimentação como indicador de transformação, o presente estudo faz asserções mais amplas, referentes aos impactos do estilo de vida moderno na cultura tradicional. Perante tais pressupostos o presente trabalho teve por objetivo discutir o processo de transição alimentar pelo qual os povos locais da Amazônia estão passando. Assim, conclui-se que as populações caboclas da Amazônia estão passando por um possível padrão de desarranjo da alimentação local por conta, principalmente, do acesso facilitado às cidades e do modelo assistencialista de políticas públicas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rodrigo de Jesus Silva, Universidade de São Paulo

Biólogo e Doutorando em Ecologia Aplicada, Departamento de Economia, Administração e Sociologia, Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” (ESALQ), Universidade de São Paulo (USP). Correspondência: Av. Pádua Dias, 11, CEP 13418-900, Piracicaba, SP. Tel. (19) 34294225 / Fax (19) 34336016.

Maria Elisa de Paula Eduardo Garavello, Universidade de São Paulo

Professora Livre Docente, Departamento de Economia, Administração e Sociologia, ESALQ (USP).

Referências

Poulain JP. Sociologia da alimentação: os comedores e o espaço social alimentar. Florianópolis: UFSC; 2004.

Montanari M. Comida como cultura. São Paulo: Editora Senac; 2008.

Murrieta RSS. Dialética do sabor: alimentação, ecologia e vida cotidiana em comunidades ribeirinhas da Ilha de Ituqui, Baixo Amazonas, Pará. Rev Antropol. 2001;44(2):39-88.

Moran E. A ecologia humana das populações da Amazônia. Petrópolis: Vozes; 1990.

Murrieta RSS, Dufour DL. Fish and farinha: protein and energy consumption in Amazonian Rural communities on Ituqui Island, Brazil. Ecol Food Nutr. 2004;43(3):231-55.

Silva AL, Begossi A. Biodiversity, food consumption and ecological niche dimension: a Study Case of the Riverine Populations from the Rio Negro, Amazonia, Brazil. Environment, Development and Sustainability. 2007;11(3):1-24.

Sahlins M. A primeira sociedade da afluência. In: Carvalho EA. (Org.) Antropologia econômica. São Paulo: Editora Ciências Humanas; 1978. p. 7-44.

Nugent S. Amazonia Caboclo Society: an essay on invisibility and peasant economy. Providence: Berg. Publishers; 1993.

Murrieta RSS, Dufour DL, Siqueira AD. Food consumption and subsistence in three caboclo populations on Marajó Island, Amazonia, Brazil. Hum Ecol. 1999;27(3):455-75.

Hintze S. Apuntes par aun abordaje multidisciplinário del problema alimentario. Cadernos de Debate. 1997;(5):1-19.

Carneiro H. Comida e sociedade: uma história da alimentação. Rio de Janeiro: Campus; 2003.

Pollan M. Em Defesa da comida: um manifesto. Rio de Janeiro: Intrínseca; 2008.

Monteiro CA, Mondini L, Souza AL, Popkin BM. The nutrition transition in Brazil. Eur J Clin Nutr. 1995;49(2):105-113.

Popkin BM. Global nutrition dynamics: the world is shifting rapidly toward a diet linked with non-communicable diseases. Am J Clin Nutr. 2006;84(2):289-98.

Weber K. Food Inc.: how industrial food is making us sicker, fatter and poorer; and what you can do about it. New York: PublicAffairs; 2009.

Piperata BA. Nutritional status of Ribeirinhos in Brazil and the nutrition transition. Am J Phys Anthropol. 2007;133(2):868-78.

Silva H, Padez C. Body size and obesity patterns in Caboclo population from Pará, Amazonia, Brazil. Ann Hum Biol. 2010;37(2):218-30.

Ivanova SA. Dietary change in ribeirinha women: evidence of a nutrition transition in the Brazilian Amazon? [tese]. Columbus: Ohio State University; 2010. 56 p.

Wallerstein I. O Fim do mundo como o concebemos: ciência social para o século XXI. Rio de Janeiro: Revan; 2002.

Perrot D. Quem impede o desenvolvimento “Circular”? (Desenvolvimento e povos autóctones: paradoxos e alternativas). Cadernos de Campo. 2008;17(17):219-32.

Adams C, Murrieta RSS, Neves W. Sociedades Caboclas Amazônicas: modernidade e invisibilidade. São Paulo: Anablume; 2006.

Begossi A. Resiliência e populações neotradicionais: Os caiçaras (Mata Atlântica) e os caboclos (Amazônia, Brasil). In: Diegues AC, Moreira ACC. Espaços e recursos de uso comum. São Paulo: Nupaub/USP; 2001. p. 205-236.

Brondizio ES. The Amazonian Caboclo and the Açaí Palm: Forest Farmers in the Global Market. New York: New York Botanical Garden Press; 2008.

Adams C, Murrieta RSS, Sanches RA. Agricultura e alimentação em populações ribeirinhas das várzeas do Amazonas: novas perspectivas. Ambient Soc. 2005;8(1):1-22.

Ortiz R. Pierre Bourdieu: sociologia. São Paulo: Ática; 1983.

Noda SN, Noda H, Martins ALU. Agricultura familiar na Várzea Amazônica: espaço de conservação da diversidade cultural e ambiental. In: Scherer R, Oliveira JA. Amazônia: Políticas Públicas e Diversidade Cultural. Rio de Janeiro: Garamond; 2006. p. 163-194.

Silva AL. Comida de gente: preferências e tabus alimentares entre os ribeirinhos do Médio Rio Negro (Amazonas, Brasil). Rev Antropol. 2007;50(1):125-79.

Diegues ACS. O mito moderno da natureza intocada. São Paulo: Editora Hucitec; 1998.

Foladori G. Limites do desenvolvimento sustentável. Campinas: Editora da Unicamp; 2001.

Nardoto GB, Murrieta RSS, Prates LEG, Adams C, Garavello MEPE, Schor T, et al. De Moraes A, Rinaldi FD, Gragnani J, Moura EF, Duarte-Neto PJ, Martinelli LA. Frozen chicken for wild fish: Nutritional transition in the Brazilian Amazon region determined by carbon and nitrogen stable isotope ratios in fingernails. Am J Hum Biol. 2011;23(5):642-50.

Brondizio ES. Análise intra-regional de mudanças de uso da terra na Amazônia. In: Moran EF, Ostrom E. Ecossistemas florestais: interação homem-ambiente. São Paulo: Senac/Edusp; 2009. p. 289-327.

Giambiagi F. Brasil, raízes do atraso: paternalismo x produtividade. Rio de Janeiro: Elsevier; 2007.

Bianco A. Modernidade e degeneração: a crítica de Weston Price. Socitec e-prints. 2009;3(1):34-52.

Durham ER. Dinâmica da cultura: ensaios de antropologia. São Paulo: Cosac Naify; 2004.

Fraxe TJP. Cultura cabocla-ribeirinha: mito, lenda e transculturalidade. São Paulo: Annablumme; 2004.

Downloads

Como Citar

SILVA, R. de J.; GARAVELLO, M. E. de P. E. Ensaio sobre transição alimentar e desenvolvimento em populações caboclas da Amazônia. Segurança Alimentar e Nutricional, Campinas, SP, v. 19, n. 1, p. 1–7, 2015. DOI: 10.20396/san.v19i1.8634664. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/san/article/view/8634664. Acesso em: 4 out. 2022.

Edição

Seção

Artigo de Segurança Alimentar e Nutricional

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)