Determinantes do consumo da merenda escolar no Brasil: análise dos dados da PNAD de 2004 e 2006

  • Rodolfo Hoffmann Universidade Estadual de Campinas
Palavras-chave: Merenda escolar. Brasil. Consumo da merenda.

Resumo

O objetivo deste trabalho é avaliar os efeitos de diversos fatores na probabilidade de um aluno consumir a alimentação servida na escola (“merenda escolar”), em unidades de ensino público (primeiro grau) que oferecem merenda. São utilizados os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios – PNAD, de 2004 e 2006, que adotou questionário suplementar com questões sobre educação e acesso à alimentação para moradores com até 17 anos de idade. Para alunos de escolas públicas de 1º grau, a proporção que frequenta escolas que oferecem merenda passou de 92,9% em 2004 para 96,7% em 2006. Ao mesmo tempo, nas escolas que oferecem merenda, a proporção de alunos que normalmente comem a merenda diminuiu de 84,0% para 82,0%. Os modelos de lógite estimados mostram que a probabilidade de consumo da merenda escolar é maior para residentes na área rural e decresce com a idade e com o aumento da renda. Essa probabilidade é maior para pretos e pardos do que para os brancos, sendo que a diferença de comportamento associada à cor é mais forte para meninos do que para meninas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rodolfo Hoffmann, Universidade Estadual de Campinas
Professor – Instituto de Economia, Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e Bolsista do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Correspondência: Rua Pitágoras, 353, CEP 13083-857, Campinas, SP.

Referências

Brasil. Ministério da Educação. Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. Resolução FNDE nº 38, de 16 de julho de 2009. Dispõe sobre o atendimento da alimentação escolar aos alunos da educação básica no Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) [acesso em 11 set 2009]. Disponível em: http://www.fnde.gov.br/home/ index.jsp?arquivo=/alimentacao_escolar.html

Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. Alimentação escolar. 2009 [acesso em 11 set 2009]. Disponível em: http://www.fnde.gov.br/home/index.jsp?arquivo=/alimentacao_escolar.html

Vieira MNCM, Ferriani MGC, Gomes R, Santos GVB, Marchi EMM. Gestão de um programa de alimentação escolar em um município paulista. Seg Alim Nutr. 2008;15(1):29-48.

Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. 2010 [acesso em 02 set 2012]. Disponível em: http://www.fnde.gov.br/index.php/noticias-2010/1923-fnde-envia-r-3308-milhoes-para-merenda-e-transporte-escolar

Burlandy L, Anjos LA. Acesso à alimentação escolar e estado nutricional de escolares no Nordeste e Sudeste do Brasil, 1997. Cad Saúde Pública. 2007;23(5):1217-1226.

Sturion GL, Silva MV, Ometto AMH, Furtuoso MCO, Pipitone MAP. Fatores condicionantes da adesão dos alunos ao programa de alimentação escolar no Brasil. Rev Nutr. 2005;18(2):167-81.

Silva MV, Pipitone MAP, Sturion GL, Caroba DCR. Educação e saúde e sua relação com o estado nutricional e práticas alimentares de escolares de 1º grau. In: ANAIS DO 16º CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ALIMENTOS, 1998, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: SBCTA, 1998. p. 616-9.

Como Citar
Hoffmann, R. (1). Determinantes do consumo da merenda escolar no Brasil: análise dos dados da PNAD de 2004 e 2006. Segurança Alimentar E Nutricional, 19(1), 33-45. https://doi.org/10.20396/san.v19i1.8634667
Seção
Artigo de Segurança Alimentar e Nutricional

Artigos mais lidos pelo mesmo (s) autor (es)

1 2 > >>