Avaliação do projeto “Criança Saudável – Educação Dez”: a visão de gestores e professores de escolas brasileiras de ensino fundamental

Autores

  • Maria Cristina Faber Boog Universidade Estadual de Campinas
  • Miriam Correa de Carvalho Universidade Estadual de Campinas
  • Marina Vieira da Silva Universidade de Sâo Paulo
  • Maria da Conceição Pereira da Fonseca Universidade Federal da Bahia
  • Denise Giacomo da Motta Universidade Metodista de Piracicaba
  • Rosana Maria Nogueira Secretaria Municipal de Saúde da Prefeitura Municipal de Campinas
  • Jaime Amaya Farfan Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/san.v16i2.8634785

Palavras-chave:

Avaliação de programas e projetos de saúde. Educação alimentar e nutricional. Educação em saúde. Materiais de ensino. Ensino fundamental.

Resumo

Trata-se de estudo relativo à avaliação do projeto “Criança Saudável – Educação Dez”, do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (Brasil), em termos de distribuição, conteúdo e efetiva utilização do material enviado às 140.000 escolas brasileiras de ensino fundamental. Foi selecionada uma amostra de 292 escolas de ensino fundamental abrangendo a totalidade dos estados brasileiros. Entrevistadores treinados se reuniram com 292 gestores e 1065 professores, e preencheram formulários contendo questões fechadas e abertas. Os dados foram digitados no software PrjEscola, desenvolvido em Visual Basic, e foram analisados estatisticamente. As questões abertas foram analisadas por meio do estabelecimento de categorias e respectivas freqüências. O estudo apontou que o material chegou a 90,7% das escolas, teve boa receptividade entre professores e alunos e foi efetivamente utilizado. Constatou-se ainda a necessidade de fazer adequações às características culturais regionais e focar os temas mais na promoção da saúde do que na prevenção de doenças.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Cristina Faber Boog, Universidade Estadual de Campinas

Professora Doutora aposentada da Universidade Estadual de Campinas

Miriam Correa de Carvalho, Universidade Estadual de Campinas

Doutora, Pesquisadora do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Alimentação da Universidade Estadual de Campinas

Marina Vieira da Silva, Universidade de Sâo Paulo

Professora Doutora, Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” da Universidade de São Paulo

Maria da Conceição Pereira da Fonseca, Universidade Federal da Bahia

Professora Doutora, Escola de Nutrição da Universidade Federal da Bahia

Denise Giacomo da Motta, Universidade Metodista de Piracicaba

Professora Doutora da Universidade Metodista de Piracicaba

Rosana Maria Nogueira, Secretaria Municipal de Saúde da Prefeitura Municipal de Campinas

Nutricionista, Mestre em Educação da Secretaria Municipal de Saúde da Prefeitura Municipal de Campinas

Jaime Amaya Farfan, Universidade Estadual de Campinas

Professor Titular da Faculdade de Engenharia de Alimentos da Universidade Estadual de Campinas

Coordenador Associado do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Alimentação da Universidade Estadual de Campinas

Referências

Organización Mundial de la Salud. 57ª. Assembléia Mundial de la Salud. Estratégia mundial sobre régimen alimentario, actividad física y salud. Ginebra: Organización Mundial de la Salud; 2004.

Brasil. Ministério da Saúde Portaria Nº 710/1999. Política Nacional de Alimentação e Nutrição. Brasília; 2003.

Brasil. Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional. Princípios e diretrizes de uma política de segurança alimentar e nutricional. Brasília: CONSEA; 2004.

Brasil. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: temas transversais. Brasília: MEC/SEF, 1998.

Pinto Neto PC, Pereira RB. A tabela de composição de alimentos na educação escolar. In: Salay E. Composição de alimentos: uma abordagem multidisciplinar. Campinas, SP: Núcleo de Estudos e Pesquisas em Alimentação; 2005. P. 95-112.

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria Nº 687/2006. Política Nacional de promoção da Saúde. Brasília; 2006.

Brasil. Portaria Interministerial Nº 1010 de 8 de Maio de 2006 – Promoção da alimentação saudável na escola, Brasília, 2006.

Brasil. Lei Federal Nº 11.346 de 15 de Setembro de 2006. Cria o Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional – SISAN com vistas em assegurar o direito humano à alimentação adequada e dá outras providências.

Brasil. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. http://www.mds.gov.br/programas/seguranca-alimentar-e-nutricional-san/educacao-alimentar-e-nutricional/projetos/crianca_saudavel_-_educacao_dez_mds_-_editora_globo Acesso em 5 de Fevereiro de 2009.

Brasil. Instituto de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. htpp:/ www.inep.gov.br/censo/escolar/DOU_final_2006.htm Acesso de 5 de abril de 2006.

Costa, E.Q., Ribeiro, V.M.B., Ribeiro, E.C.O. Programa de Alimentação Escolar: Espaço de aprendizagem e produção de conhecimento. Revista de Nutrição. 2001; 14 (3): 225-229.

Gonçalves FD, Catrib AMF, Vieira NFC, Vieira LJAS. A promoção da saúde na educação infantil. Interface. 2008;12(24):181-92.

Aerts, D; Alves, GG; Salvia, MW; Abegg, C. Promoção da saúde: a convergência entre as propostas da vigilância da saúde e da escola cidadã. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro. 2004; 20 (4): 1020-1028.

Burlandy, L. Segurança alimentar e nutricional. Saúde em Revista, UNIMEP. 2004; 6 (13): 9-16.

Minayo MCS. Introdução. In: Minayo, M.C.S., Assis, S.G., Souza, E.R. Avaliação por triangulação de métodos: abordagem de programas sociais. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2005.P. 19-51.

Bardin L. Análise de conteúdo. 3ª.Lisboa: Edições 70; 2004.

Buss PM. Uma introdução ao conceito de promoção da saúde. In: Czeresnia D. ; Freitas CM. Promoção da saúde: conceito, reflexões, tendências. Rio de Janeiro: Fiocruz; 2003. P 15-38.

Carvalho D. A educação está no gibi. Campinas: Papirus; 2006.

Passiani E. Na trilha do Jeca: Monteiro Lobato, o público leitor e a formação do campo literário no Brasil. Sociologias, Porto Alegre. 2002; 4(7): 254-270.

Battaglia SMF. „Avaliação pedagógica do material educativo. In: Avaliação do projeto „Criança saudável – educação dez‟. Campinas: NEPA/UNICAMP; 2007. Anexos, p. 61-69.

Oliveira KS. Avaliação do material didático do projeto „Criança saudável-educação dez‟, ano 2005. Interface. 2008; 12(25): 401-10.

Morin E. Os sete saberes necessários à educação do futuro. 3ª. São Paulo: Cortez; Brasília: UNESCO; 2001.

Downloads

Como Citar

1.
Boog MCF, Carvalho MC de, Silva MV da, Fonseca M da CP da, Motta DG da, Nogueira RM, Farfan JA. Avaliação do projeto “Criança Saudável – Educação Dez”: a visão de gestores e professores de escolas brasileiras de ensino fundamental. Segur. Aliment. Nutr. [Internet]. 10º de fevereiro de 2015 [citado 30º de novembro de 2020];16(2):60-86. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/san/article/view/8634785

Edição

Seção

Artigo de Segurança Alimentar e Nutricional

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 4 > >>