Perfil nutricional de moradores de rua e caracterização da alimentação distribuída em albergues do município de São Paulo

Autores

  • Maria Sinedes Neres dos Santos Universidade Paulista
  • Claudio Oliveira Montenegro Pita Universidade Paulista
  • Shyrle Mendes Trabuco Soares Universidade Paulista
  • Vivian Lee Universidade Paulista
  • Hellen Daniela Coelho Universidade Paulista
  • Eliana Menegon Zaccarelli Universidade Paulista

DOI:

https://doi.org/10.20396/san.v17i2.8634788

Palavras-chave:

Abrigo. Estado nutricional. Análise sensorial.

Resumo

A população de rua sobrevive no que se refere à alimentação, basicamente por meio da ação filantrópica de organizações sociais. Este trabalho teve por objetivo avaliar o estado nutricional de frequentadores de albergues do município de São Paulo, bem como caracterizar a alimentação oferecida nos mesmos, no que se refere à composição dos cardápios e a aspectos sensoriais. A pesquisa foi realizada em 3 albergues, com 200 indivíduos do gênero masculino durante o mês de julho de 2009. Peso e altura foram aferidos para cálculo do Índice de Massa Corporal (IMC), classificado segundo critérios da Organização Mundial da Saúde – OMS (2003). A análise sensorial foi feita para avaliar sabor, variedade e aceitação global da alimentação ofertada, com utilização da Escala Hedônica Facial de cinco pontos. Os resultados indicaram a prevalência de 25% dos indivíduos com sobrepeso e 11,5% de obesos. No que se refere à análise sensorial, as proporções de entrevistados que classificaram as refeições nas categorias “Bom” ou “Ótimo” foram de: 68 a 90%, quando foi avaliado o sabor; 58 a 82% em relação à variedade; e 64 a 94% quanto à aceitação global. O albergue que contava com melhor infraestrutura e equipe de nutricionistas não obteve a melhor avaliação quanto aos aspectos sensoriais da alimentação distribuída. São necessários estudos que identifiquem os determinantes da aceitação das refeições distribuídas nos albergues.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Sinedes Neres dos Santos, Universidade Paulista

Nutricionista pela Universidade Paulista (UNIP), São Paulo, SP.

Claudio Oliveira Montenegro Pita, Universidade Paulista

Nutricionista pela Universidade Paulista (UNIP), São Paulo, SP.

Shyrle Mendes Trabuco Soares, Universidade Paulista

Nutricionista pela Universidade Paulista (UNIP), São Paulo, SP.

Vivian Lee, Universidade Paulista

Nutricionista pela Universidade Paulista (UNIP), São Paulo, SP.

Hellen Daniela Coelho, Universidade Paulista

Docente do Curso de Graduação em Nutrição, Universidade Paulista (UNIP), São Paulo, SP.

Eliana Menegon Zaccarelli, Universidade Paulista

Docente do Curso de Graduação em Nutrição, Universidade Paulista (UNIP), São Paulo, SP. Correspondência: Rua Dardanelos, 108, Apto. 102, Bloco B, Alto da Lapa, CEP 05468-010, São Paulo, SP.

Referências

Dias CJM. População de rua. São Paulo: Hucitec; 1994.

Vieira MAC, Bezerra EMR, Rosa CMM. População de rua. Quem é, como vive, como é vista. São Paulo: Hucitec; 1992.

Glasser I. Homelessness in global perspective. New York: G.K. Hall & Co; 1994.

Rosa CMM. População de rua: Brasil e Canadá. São Paulo: Hucitec; 1995.

Souza H. Ação e reação contra a miséria. Jornal do Brasil. 1999 [acesso em 20 março 2009]. Disponível em: http://www.ibase.org.br/paginas/acm.html

São Paulo. Decreto no 40.232, de 2 de Janeiro de 2001. Regulamenta a Lei no 12.316, de 16 de abril de 1997, que dispõe sobre a obrigatoriedade do Poder Público Municipal a prestar atendimento à população de rua da Cidade de São Paulo, e dá outras providências [acesso em 20 março 2009]. Disponível em: http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/negocios_juridicos/cadastro_de_leis/index.php?p=325

Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional. Documento de Referência da II Conferência Nacional de SAN; 2004.

Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional. Documento de Referência da III Conferência Nacional de SAN; 2007.

Fernandes OS, Bernardo CO, Campos RMMB, Vasconcelos FAG. Avaliação do efeito da educação nutricional na prevalência de sobrepeso/obesidade e no consumo alimentar de escolares do ensino fundamental. J Pediatr. 2009;85(4):315-321.

World Health Organization/Food and Agricultural Organization. Diet, nutrition and the prevention of chronic diseases. Geneva: World Health Organization; 2003. (Technical Report Series, 916).

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Coordenação-Geral da Política de Alimentação e Nutrição. Guia alimentar para a população brasileira: promovendo a alimentação saudável. Brasília: Ministério da Saúde; 2005. 236p. (Série A. Normas e Manuais Técnicos).

Stata Corporation. Stata Statistical [Software: version 10]. Texas: Stata Corporation; 2007.

Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (FIPE). Censo dos moradores de rua. São Paulo: FIPE; 2003.

Ferreira HS, Florêncio TMTM, Fragoso MAC, Melo FP, Silva TG. Hipertensão, obesidade abdominal e baixa estatura: aspectos da transição nutricional em uma população favelada. Rev Nutr. 2005;18(2):209-218.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística [homepage]. Pesquisa de Orçamentos Familiares – POF 2002-2003. Análise da disponibilidade domiciliar de alimentos e do estado nutricional no Brasil [acesso em 01 nov 2010]. Disponível em: http://www.ibge.gov.br

Carneiro G, Faria NA, Filho FFR, Guimarães A, Lerario D, Ferreira SRG, et al. Influência da distribuição da gordura corporal sobre a prevalência de hipertensão arterial e outros fatores de risco cardiovascular em indivíduos obesos. Rev Assoc Med Bras. 2003;49(3):306-311.

Oliveira LPM, Assis AMO, Silva MCM, Santana MLP, Santos NS, Pinheiro SMC, et al. Fatores associados a excesso de peso e concentração de gordura abdominal em adultos na cidade de Salvador, Bahia, Brasil. Cad Saude Publica. 2009;25(3):570-582.

Brasil. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Secretaria de avaliação e gestão da informação. Pesquisa Nacional sobre a População em Situação de Rua. Brasília: Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome; 2008 [acesso em 30 out 2010]. Disponível em: http://www.mds.gov.br

Organização Mundial da Saúde. O relatório mundial da saúde: saúde mental: nova concepção, nova esperança. Genebra; 2001.

Almeida FN, Mari JJ, Coutinho E, França JF, Fernandes JG, Andreoli SB, et al. Estudo multicêntrico de morbidade psiquiátrica em áreas urbanas brasileiras (Brasília, São Paulo, Porto Alegre). Rev Bras Psiquiatr. 1992;14:93-104.

Cantelli AC, Lisboa M, Romano R, Prozzi S, Martinez S. Análise qualitativa de cardápios planejados para equipamentos sociais mantidos por uma organização social na cidade de São Paulo. Mundo da Saúde. 2009;33(3):303-309.

Brasil. Ministério da Educação. Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. Resolução FNDE no 38, de 16 de julho de 2009. Dispõe sobre o atendimento da alimentação escolar aos alunos da educação básica no Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) [acesso em 25 out 2010]. Disponível em: http://www.fnde.gov.br/index.php/legis-resolucoes

Downloads

Como Citar

1.
Santos MSN dos, Pita COM, Soares SMT, Lee V, Coelho HD, Zaccarelli EM. Perfil nutricional de moradores de rua e caracterização da alimentação distribuída em albergues do município de São Paulo. Segur. Aliment. Nutr. [Internet]. 9º de fevereiro de 2015 [citado 28º de outubro de 2021];17(2):1-13. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/san/article/view/8634788

Edição

Seção

Artigo de Segurança Alimentar e Nutricional