Percepções e práticas dos diretores e coordenadores acerca da alimentação infantil em creches públicas do município de Jandira, São Paulo, Brasil

Autores

  • Fernanda Christina Moreira Marinho Universidade de São Paulo
  • Tatiana Yuri Assao Universidade de São Paulo
  • Ana Maria Cervato-Mancuso Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.20396/san.v17i2.8634791

Palavras-chave:

Alimentação infantil. Gestores. Creches. Pesquisa qualitativa.

Resumo

A creche tem importante função de promover alimentação saudável, já que é nos primeiros anos de vida que a criança estabelece seus hábitos alimentares. Este estudo examina as práticas e percepções dos gestores de creches sobre alimentação saudável para crianças. Foram realizadas entrevistas com 11 gestores de creches de Jandira, SP. A análise foi elaborada pela metodologia do Discurso do Sujeito Coletivo (DSC) e pelo software Quali Quanti Soft. Os gestores citaram alguns itens que compõem uma alimentação saudável, mas não foram contemplados itens como ambientes das refeições e satisfação das necessidades emocionais. Observou-se também uma lacuna entre aqueles que cuidam da alimentação e educadores. Verifica-se a necessidade de ampliar a abordagem do tema alimentação entre os profissionais do ensino. É preciso que ocorra uma aproximação entre educadores e os profissionais da alimentação, para que eles se tornem promotores de hábitos alimentares saudáveis.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernanda Christina Moreira Marinho, Universidade de São Paulo

Nutricionista pela Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo (USP).

Tatiana Yuri Assao, Universidade de São Paulo

Doutoranda, Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo (USP).

Ana Maria Cervato-Mancuso, Universidade de São Paulo

Profa. Dra. Faculdade de Saúde Pública (USP). Departamento de Nutrição. Correspondência: Av. Doutor Arnaldo, 715, CEP 01246-904, Cerqueira César, SP. 

Referências

Philippi ST, Colucci ACA, Cruz ATR, Ferreira MN, Coutinho RLR. Alimentação saudável na infância e na adolescência. In: Silva MV, organizador. Curso de atualização em alimentação para professores de rede pública de ensino. Piracicaba: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq); 2000. p.46-56.

Focesi E. Educação em Saúde na Escola: o papel do professor. Rev Bras Saude Esc. 1990;1(2):4-8.

Brasil. Portaria Interministerial nº 1.010, de 08 de maio de 2006. Institui as diretrizes para a Promoção da Alimentação Saudável nas Escolas de educação infantil, fundamental e nível médio das redes públicas e privadas, em âmbito nacional. Diário Oficial da União, Brasília, 09 maio 2006. Seção 1, p. 70.

Assao TY. Percepções e práticas do educador acerca da alimentação infantil em creches públicas do Município de Jandira, São Paulo [dissertação]. São Paulo: Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo; 2007.

Marinho FCM. Reflexão sobre a percepção dos profissionais da saúde e da educação sobre a alimentação saudável. In: Resumos do Simpósio de Iniciação Científica da Universidade de São Paulo. Ribeirão Preto, São Paulo; 2007. 48

Reis MGFA. O compromisso político-social do diretor como educador [dissertação]. São Carlos: Programa de Pósgraduação em Educação Especial, Universidade Federal de São Carlos; 2000.

Minayo MCS. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. São Paulo: Hucitec; 2004.

Lefèvre F, Lefèvre AMC, Teixeira JJV. O discurso do sujeito coletivo: uma nova abordagem metodológica em pesquisa qualitativa. Caxias do Sul: EDUCS; 2000.

Prefeitura do Município de Jandira [homepage na internet]. São Paulo; 2007 [acesso em 15 abr 2008]. Disponível em: http://www.jandira.sp.gov.br

Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Censo Escolar 2005 [acesso em 6 fev 2008]. Disponível em: http://www.inep.gov.br

Lefèvre F, Lefèvre AMC. Discurso do sujeito coletivo: um novo enfoque em pesquisa qualitativa (desdobramentos). Caxias do Sul: EDUCS; 2003.

Lefèvre F, Lefèvre AMC. Depoimentos e discursos: uma proposta de análise em pesquisa social. Brasília: Líber livros; 2005.

Arce A. Documentação oficial e o mito da educadora nata na educação infantil. Cad Pesq. 2001;(113):167-184.

Proença RPCP, Poulain J. Sociologia da alimentação: um enfoque na compreensão dos comportamentos alimentares. In: Taddei JAAC, coordenador. Jornadas científicas do Núcleo Interdepartamental de Segurança Alimentar e Nutricional. Barueri: Manole; 2007. p. 165-178.

Garcia RWD. A comida, a dieta, o gosto: mudanças na cultura alimentar urbana [tese]. São Paulo: Instituto de Psicologia, Universidade de São Paulo; 1999.

Amaral MFM, Morelli V, Pantoni RV, Rossetti-Ferreira MC. Alimentação de bebês e crianças pequenas em contextos coletivos: mediadores, interações e programações em educação infantil. Rev Bras Cresc Desenv Hum. 1996;6(1/2): 19-33.

Programa Nacional Alimentação Escolar. Avaliação do Programa Nacional de Alimentação Escolar – Censo Escolar 2004. Brasília; 2007.

Vieira MNCM, Ferriani MGC, Gomes R, Santos GVB, Marchi EMM.Gestão de um Programa de Alimentação Escolar em um Município Paulista. Segurança Alimentar e Nutricional. 2008;15(1):29-48.

Downloads

Como Citar

1.
Marinho FCM, Assao TY, Cervato-Mancuso AM. Percepções e práticas dos diretores e coordenadores acerca da alimentação infantil em creches públicas do município de Jandira, São Paulo, Brasil. Segur. Aliment. Nutr. [Internet]. 9º de fevereiro de 2015 [citado 28º de outubro de 2021];17(2):40-9. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/san/article/view/8634791

Edição

Seção

Artigo de Segurança Alimentar e Nutricional

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)