Banner Portal
Reconstruindo o “elo perdido”: a reconexão da produção e do consumo de alimentos através do Programa De Alimentação Escolar no município de Dois Irmãos (RS)
PDF

Palavras-chave

Alimentação escolar. Segurança alimentar e nutricional. Saúde pública. Agricultura familiar. Desenvolvimento rural.

Como Citar

TRICHES, Rozane Márcia; SCHNEIDER, Sergio. Reconstruindo o “elo perdido”: a reconexão da produção e do consumo de alimentos através do Programa De Alimentação Escolar no município de Dois Irmãos (RS). Segurança Alimentar e Nutricional, Campinas, SP, v. 17, n. 1, p. 1–15, 2015. DOI: 10.20396/san.v17i1.8634796. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/san/article/view/8634796. Acesso em: 22 maio. 2024.

Resumo

Este artigo discute, a partir de um estudo de caso, como o Programa de Alimentação Escolar (PAE) foi utilizado para reconstruir as relações de produção e consumo. Seu objetivo consiste em refletir sobre uma experiência bem sucedida de construção de cadeias alimentares curtas no município de Dois Irmãos, Rio Grande do Sul/Brasil. A pesquisa foi realizada a partir de um estudo de caso que utilizou técnicas qualitativas de levantamento de dados por meio de entrevistas semiestruturadas (analisadas com o software NVivo 2.0), observação direta e dados secundários. O trabalho mostra como as políticas de atuação local podem constituirse em mecanismos de atendimento da demanda e apresentar-se como alternativas às falhas de mercados que afetam os pequenos agricultores familiares que ficam alijados do acesso às compras públicas em razão de regulamentações, processos licitatórios e exigências legais e sanitárias que obstaculizam sua formalização como fornecedores. Para tanto, destaca a importância da participação dos atores locais. A conclusão indica que o PAE pode ser considerado um instrumento efetivo de redesenho das políticas locais de abastecimento e apresenta efeitos positivos para consumidores e fornecedores, além de permitir que os atores da sociedade civil apropriem-se do próprio processo de execução das políticas públicas, via participação em Conselhos.

https://doi.org/10.20396/san.v17i1.8634796
PDF

Referências

. Wang Y, Monteiro CA, Popkin BM. Trend of obesity and underweight in older children e adolescents in the USA, Brazil, China and Russia. Am J Clin Nutr. 2002; 75:971-7.

. França CG, Del Grossi ME, Marques VPMA. O censo agropecuário 2006 e a agricultura familiar no Brasil. Mimeo; 2006.

. Long N. From paradigm lost to paradigm regained? The case for an actor-oriented sociology of development. In: Long N, Long, A (ed.). Battlefields of knowledge: the interlocking of theory and practice in social research and development. London: Routledge; 1992.

. Long N. Sociología del desarrallo: una perspective centrada en el ator. Mexico: Colsan/Ciesas; 2007.

. Sonnino R, Marsden TK. Beyond the divide: Rethinking relations between alternative and conventional food networks in Europe. Journal of Economic Geography. 2006; 6:181-189.

. Callon M, Méadel C, Rabeharisoa V. The economy of qualities. Economy and Society. 2002; 31:194– 217.

. Goodman D. The quality „turn‟ and alternative food practices: reflections and agenda. Journal of Rural Studies. 2003;19:1-7.

. Morgan K. Greening the realm: sustainable food chains and the public plate. Regional Studies, 2007.

. Morgan K. School meals and sustainable food chains the role of creative public procurement. Cardiff: Cardiff University; 2004.

. Lang T, Heasman M. Food wars: the battle for minds, mouths and markets, London: Earthscan; 2004.

. Minayo MC. O desafio do conhecimento. Pesquisa qualitativa em saúde. São Paulo: Hucitec; 1996.

. Schneider S. (org.). A diversidade da agricultura familiar. Porto Alegre: Editora da UFRGS; 2006.

. Guizzo BS, Krziminski CO, Oliveira DLLC. O software QSR NVivo 2.0 na análise qualitativa de dados: ferramenta para a pesquisa em ciências humanas e da saúde. Revista Gaúcha de Enfermagem. 2003; 24(1):53-60.

. Schneider S. Economia, sociedade e cultura em Dois Irmãos nos últimos 50 anos: como construímos o que somos e para onde vamos? In: Dreher M, Mugge E. (org.). Dois Irmãos: dos primórdios ao cinquentenário de emancipação 2009. São Leopoldo: Oikos; 2009.

. Schneider S. Agricultura familiar e industrialização: plutiatividade e descentralização industrial no Rio Grande do Sul. 2. ed. Porto Alegre: Editora da UFRGS; 2004.

. Triches RM, Giugliani ERJ. Obesidade, práticas alimentares e conhecimentos de nutrição em escolares. Revista de Saúde Pública. 2005; 39:541- 547.

. Manual sobre Alimentação Escolar. Porto Alegre: Emater/RS-Ascar; Fetag; Prefeituras Municipais dos Vales dos Rios dos Sinos e Paranhana/Encosta da Serra; 2006, 58 p.

. Morgan K, Morley A. Relocalising the food chain: the role of creative public procurement. Cardiff: Cardiff University; 2002.

. Amin A, Cohendet P. Architectures of knowledge: firms, capabilities, and communities. New York: Oxford; 2004.

. Stuiver M, Leeuvis C, Ploeg JDV. The power of experience: farmer´s knowledge and sustainable innovations in agriculture. In: Ploeg JDV, Wiskerke JSC. Seeds of transition. Assen: Van Gorcumm; 2004.

. Goodwin M. Rural governance: a review of relevant literature. Wales: University of Wales; 2003.

. Giddens A. Social theory and modern sociology. Cambridge: Polity Press; 1987.

. Gestão eficiente da merenda escolar: histórias gostosas de ler e boas de copiar. ONG Ação Fome Zero, vol. 2; 2007.

. Weber M. Capitalismo e sociedade rural na Alemanha. In: Gerth HH, Mills CW (org.). Ensaios de Sociologia. Rio de Janeiro: Guanabara; 1982.

A revista Segurança Alimentar e Nutricional utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.