Condições socioeconômicas, demográficas e estado nutricional de adultos e idosos moradores em assentamento rural em Mato Grosso do Sul, MS.

Autores

  • Vivian Rahmeier Fietz Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul
  • Elisabete Salay Universidade Estadual de Campinas
  • Elaine Aparecida Mye Takamatu Watanabe Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul

DOI:

https://doi.org/10.20396/san.v17i1.8634801

Palavras-chave:

Condições socioeconômicas. Brasil. Estado nutricional. População rural. Assentamento rural.

Resumo

O objetivo deste trabalho foi avaliar as condições socioeconômicas, demográficas e o estado nutricional de adultos e idosos, moradores em assentamento rural, Ponta Porã, Mato Grosso do Sul (Brasil). Participaram da amostra indivíduos com idade entre 20 e 69 anos. Integraram a pesquisa 117 unidades domiciliares, envolvendo 217 pessoas (105 do gênero feminino e 112 do masculino). Verificou-se que a maioria dos entrevistados era casada e apresentaram média de 43 anos de idade e 5,2 anos de estudo. Entre as assentadas observou-se a média de 2,7 filhos por mulher. O rendimento médio mensal das famílias alcançou R$ 354,70 (U$ 117,06). As residências possuíam, em média, 4,2 cômodos e não dispunham de energia elétrica. A água de 95% dos domicílios provinha de poços “tipo caipira” e 68% da água para consumo humano não recebia nenhum tipo de tratamento. Os resultados demonstraram que 48,3% dos indivíduos foram classificados como eutróficos , tendo por base o Índice de Massa Corporal. No entanto, 36,9% apresentaram sobrepeso e 11,6% obesidade em diferentes graus. Ressalta-se que essa é uma condição preocupante. Estes resultados apontam a necessidade de implementação, entre outras estratégias, de um programa de educação nutricional, com a finalidade de buscar a segurança alimentar e nutricional das famílias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vivian Rahmeier Fietz, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul

Professora Doutora. Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul – UEMS. Rua Benjamin Constant, 2045, CEP: 79824-120. Bairro Jd. Girassol, Dourados, MS. Tel. (67) 3421-0969.

Elisabete Salay, Universidade Estadual de Campinas

Professora Livre- Docente. Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP. E-mail:

Elaine Aparecida Mye Takamatu Watanabe, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul

Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul – UEMS.

Referências

. Schlindwein, M. Quando chegaremos lá? Desafios do Desenvolvimento [homepage na internet]. Brasília: IPEA; 2008. 5 (41). [acesso em 15.06.2008]. Disponível em: http://desafios 2:ipea.gov.br.

. Gressler L, Vasconcelos LM. Mato Grosso do Sul: aspectos históricos e geográficos, Dourados: L. Gressler; 2005.

. Projetos de assentamento no Estado de MS [homepage na internet]. Campo Grande: IBGE; 2007. [acesso em 10 ago. 2008]. Disponível em: http://www.incra.gov.br.

. Relatório de atividades: INCRA 30 anos [homepage na internet]. Brasília: INCRA; 2001. [acesso em 12 mai. 2007]. Disponível em: http://www.incra.gov.br.

. Atlas do desenvolvimento humano, Perfil municipal de Ponta Porã (MS), entre 1991 e 2000 [homepage na internet]. Brasília: PNUD; 2000. [acesso em 20 out. 2007] Disponível em: http://www.pnud.org.br/atlas.

. Contagem de População 2007 [homepage na internet]. Rio de Janeiro: IBGE; 2007. [acesso em 23 mai. 2008]. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/cont agem 2007/contagem pdf

. Projetos de assentamento no Estado de MS [homepage na internet]. Campo Grande: INCRA; 2003. [acesso em 10 mai. 2008]. Disponível em: http://www.incra.gov.br.

. Faria NMX, Facchini LA, Fassa ACG, Tomasi E. Processo de produção rural e saúde na serra gaúcha: um estudo descritivo. Cadernos de Saúde Pública 2000; 16 (1): 115-118.

. Alvarenga MRM, Rodrigues FP. Indicadores socioeconômicos e demográficos de famílias assentadas no Mato Grosso do Sul. Revista de Enfermagem da UERJ 2004; 12 (3): 286-291.

. Veiga GV, Burlandy L. Indicadores socioeconômicos, demográficos e estado nutricional de crianças e adolescentes residentes em um assentamento rural do Rio de Janeiro. Cadernos de Saúde Pública 2001; 17 (6): 1465-1472.

. Coordenação Geral da Política de Alimentação e Nutrição (CGPAN). Diagnóstico de saúde e nutrição da população do campo: levantamento de dados e proposta de ação [homepage na internet]. Brasília: MS; 2004. [acesso em 22 jul. 2007]. Disponível em: http://www.saúde.gov.br/bvs/publicações.

. Lohmann TJ, Roche AF, Martorell R. Anthropometric Standardization Reference Manual. Champaign: Abridged Edition; 1988.

. World Health Organization. Consultion on Obesity. Defining the problem of overweight and obesity. In: Obesity: preventing and managing the global epidemic. Geneva;1998.

. Perguntas e respostas sobre a Reforma Agrária [homepage na internet]. Brasília: IBGE; 2007. [acesso em 15 set. 2007]. Disponível em: http://www.incra.gov.br/_fale/faqs.

. De Luca MMBL. Histórias de identidades num Assentamento Rural. UNICAMP: Educação Temática Digital 2002; 4 (1): 10-31.

. Motta SHA. Estudo do perfil epidemiológico dos pequenos produtores agrícolas assentados em Guarantã do Norte, Mato Grosso. [dissertação]. Salvador: Universidade Federal da Bahia; 1990. 117 p.

. Soares W, Almeida RMVR, Moro S. Trabalho rural e fatores de risco associados ao regime de uso de agrotóxicos em Minas Gerais, Brasil. Cadernos de Saúde Pública 2003; 19 (4): 1117-1127.

. Paulilo MIS. Os assentamentos de reforma agrária como objeto de estudo. In: Romeiro A, Guanziroli CE, Leite S (Org.) Reforma agrária: produção, emprego e renda. O relatório da FAO em debate. Petrópolis: Vozes; 1994. p. 192-201.

. Heredia B, Medeiros L, Palmeira M, Cintrão R, Leite S. Análise dos impactos regionais da reforma agrária no Brasil. Estudos, Sociedade e Agricultura 2002; 18 (abr.): 73-111.

. Medeiros LS de. Reforma agrária de mercado e movimentos sociais: aspectos da experiência brasileira. In: Medeiros LS de. (Org.). Movimentos sociais, disputas políticas e reforma agrária de mercado no Brasil. Rio de Janeiro: UNRISD e editora da CPDA/UFRRJ; 2002.

. Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária. População estimada. Censo 2000 [homepage na internet]. Brasília: IBGE; 2001. [acesso em 29 set. 2007]. Disponível em: http://www.sidra.ibge.gov.br/estatistica/populacao/censo2 000.

. Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária. Síntese dos indicadores sociais [homepage na internet]. Brasília: IBGE; 2004. [acesso em 28 abr. 2007] Disponível em: http://www.ibge.gov.br/estatistica/população

. Programa LUZ para todos [homepage na internet]. Brasília: Ministério de Minas e Energia; 2004; [acesso em 04 set. 2007]. Disponível em: http://www.mme.gov.br/luzparatodos.

. Hoffmann R. Determinantes da Insegurança Alimentar no Brasil: Análise dos dados da PNAD de 2004.RSAN [periódico na internet]. Campinas 2008 [acesso em 15.07.2008]; 15 (1): 49-61. Disponível em: http://www.unicamp.br/nepa/arquivo_san.

. Monteiro CA, Souza ALM, Mondini L. Evolução da desnutrição entre adultos. In: Monteiro CA (Org.). Velhos e novos males da saúde no Brasil. A evolução do país e de suas doenças, São Paulo: Ed. Hucitec/Nupens; 1995. p.115–125.

. Coitinho DC, Leão MM, Recine E, Sichieri RC. Condições nutricionais da população brasileira: adultos e idosos. Brasília: INAN; 1991.

. Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária. Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF) 2002–2003: análise da disponibilidade domiciliar de alimentos e do estado nutricional no Brasil.[homepage na internet] Rio de Janeiro:IBGE; 2004;acesso em 13 agosto 2007: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística [6]. Disponível em: http://www.sidra.ibge.gov.br/.

Downloads

Como Citar

FIETZ, V. R.; SALAY, E.; WATANABE, E. A. M. T. Condições socioeconômicas, demográficas e estado nutricional de adultos e idosos moradores em assentamento rural em Mato Grosso do Sul, MS. Segurança Alimentar e Nutricional, Campinas, SP, v. 17, n. 1, p. 73–82, 2015. DOI: 10.20396/san.v17i1.8634801. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/san/article/view/8634801. Acesso em: 10 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigo de Segurança Alimentar e Nutricional