O comércio de comida de rua no centro histórico de Salvador – BA: caracterização da oferta de alimentos e aspectos higiênico-sanitários

Autores

  • Bianca Ferreira Rodrigues Universidade Federal da Bahia (UFBA).
  • José Ângelo Wenceslau Góes Universidade Federal da Bahia (UFBA).
  • Ryzia de Cássia Vieira Cardoso Universidade Federal da Bahia (UFBA).
  • Walter Moraes Souza Faculdade de Tecnologia e Ciências (FTC). Faculdade Ruy Barbosa (FRB).
  • Tereza Cristina Braga Ferreira Universidade Federal da Bahia (UFBA).

DOI:

https://doi.org/10.20396/san.v21i1.8638932

Palavras-chave:

Alimentos. Comida de rua. Higiene dos alimentos. Segurança alimentar.

Resumo

Este trabalho teve como objetivo caracterizar a oferta de alimentos e as condições higiênico-sanitárias dos pontos de venda do comércio de comida de rua, no Distrito Sanitário do Centro Histórico de Salvador (BA). Trata-se de um estudo transversal e descritivo com aplicação de formulário semi-estruturado junto a 226 vendedores desse segmento. A maioria da população era do sexo masculino (55,2%) e com ensino fundamental completo/incompleto (55%). Os alimentos mais comercializados no segmento foram as bebidas (42%). A maioria dos pontos de venda foi classificada como Regular (64,2%), quanto à higiene geral; em 30,8% deles observou-se a presença de animais e/ou pragas; 64,1% dos vendedores manipulavam o alimento diretamente com as mãos. Apenas a minoria dos vendedores estava de acordo com os requisitos de higiene que são preconizados, como ausência de adornos (49,8%), unhas limpas (44,6%), uso de luvas (7,6%), vestuário limpo (32,2%) e proteção do cabelo (29,4%). De modo geral, foi observado que as condições sanitárias desse segmento eram inadequadas e não atendiam às recomendações dos órgãos legisladores. Sendo assim, se faz necessária uma intervenção por parte das autoridades governamentais, a fim de trazer melhorias ao segmento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bianca Ferreira Rodrigues, Universidade Federal da Bahia (UFBA).

Graduanda do Curso de Nutrição, Universidade Federal da Bahia. Correspondência: Rua Araújo Pinho no 32, Canela, CEP 40110-150, Salvador – BA, Brasil. Telefone: (71) 8731-1221.

José Ângelo Wenceslau Góes, Universidade Federal da Bahia (UFBA).

Docente do Departamento de Ciência dos Alimentos, Escola de Nutrição, Universidade Federal da Bahia.

Ryzia de Cássia Vieira Cardoso, Universidade Federal da Bahia (UFBA).

Docente do Departamento de Ciência dos Alimentos, Escola de Nutrição, Universidade Federal da Bahia.

Walter Moraes Souza, Faculdade de Tecnologia e Ciências (FTC). Faculdade Ruy Barbosa (FRB).

Mestrando em Alimentos, Nutrição e Saúde, Escola de Nutrição, Universidade Federal da Bahia. Docente do curso de Nutrição na Faculdade de Tecnologia e Ciências e na Faculdade Ruy Barbosa

Tereza Cristina Braga Ferreira, Universidade Federal da Bahia (UFBA).

Docente do Departamento de Ciência dos Alimentos, Escola de Nutrição, Universidade Federal da Bahia.

Referências

Amson GV. Comércio ambulante de alimentos em Curitiba: Perfil de vendedores e propostas para programa de boas práticas higiênicas na manipulação de alimentos [dissertação]. Curitiba: Universidade Federal do Paraná; 2005.

Food and Agriculture Organization – FAO. Good hygienic pratices in the preparation and sale of street food in Africa: tools for training. Rome; 2009.

Food and Agriculture Organizations – FAO [internet]. Promessas e desafios do setor informal de alimentos em países em desenvolvimento. Roma; 2011 [acesso em 10 abr 2013]. Disponível em: http://www.fao.org/docrep/014/a1124p

Santos KB. O comércio da comida de rua no carnaval de Salvador – BA: desvendando as dimensões social, econômica, alimentar e sanitária [dissertação]. Salvador: Universidade Federal da Bahia; 2011.

Silva SA. Comida de rua na orla de Salvador – BA: Um estudo na perspectiva socioeconômica e da segurança de alimentos [dissertação]. Salvador: Universidade Federal da Bahia; 2012.

Vidal Júnior PO. Comida de rua e segurança de alimentos na orla marítima de Salvador – BA: um estudo na perspectiva do trabalho infantil [dissertação]. Salvador: Universidade Federal da Bahia; 2011.

World Health Organization [internet]. WHO Global Strategy for Food Safety. 2002 [acesso em 10 abr 2013]. Disponível em: http://www.who.int/foodsafety/publications/general/en/strategy_en.pdf?ua=1

Food and Agriculture Organizations of the United Nations & World Health Organization. Setor Informal de Distribuição de Alimentos na África. In: Conferência Regional da FAO/OMS sobre Inocuidade de Alimentos na África. Harare, Zimbábue; 2005.

Brasil. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução de Diretoria Colegiada – RDC no 216, de 15 de setembro de 2004. Dispõe sobre o Regulamento Técnico de Boas Práticas para Serviços de Alimentação [internet]. [acesso em 15 abr 2013]. Disponível em: http://portal.anvisa.gov.br

World Health Organization. Division of Food and Nutrition. Essential safety requirements for street-vended foods. 1996 [acesso em 15 jun 2012]. Disponível em http://www.fao.org

Brasil. Conselho Nacional de Saúde. Resolução no 196, de 10 de outubro de 1996 [internet]. [acesso em 05 jan 2000]. Disponível em http://conselho.saude.gov.br/web_comissoes/conep/aquivos/resolucoes/23_out_versao_final_196_ENCEP2012.pdf.

Meneses RB, Cardozo RCV, Guimarães AG, Góes AW, Silva SA, Argolo SV. O comércio de queijo de coalho na orla de Salvador, Bahia: trabalho infantil e segurança de alimentos. Rev. Nutr. 2012;25 (3):381-392.

Bezerra ACD. O sanduíche baguncinha nas ruas de Cuiabá – MT: avaliação de intervenção educativa [tese]. São Paulo: Faculdade de Saúde Pública da USP; 2007.

Silva LIMM, Thé PMP, Farias GS, Telmos BMA, Fiúza MP, Castelo Branco CC. Condições higiênico-sanitárias do comércio de alimentos em via pública em um campus universitário. Rev. Alim. Nutr. 2011;22(1):89-95.

Abreu ES, Medeiros SF, Santos DA. Análise microbiológica de alimentos no município de Santo André. Revista Univap. 2011;17(30):40-57.

Brasil. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução de Diretoria Colegiada – RDC no 49, de 31 de outubro de 2013. Dispõe sobre a regularização para o exercício de atividade de interesse sanitário do microempreendedor individual, do empreendimento familiar rural e do empreendimento econômico solidário e dá outras providências [internet]. [acesso em 15 nov 2013]. Disponível em http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/anvisa/2013/rdc0049_31_10_2013.html.

Valverde CR, Badaró ACL. Qualidade microbiológica da água de coco (Cocus nucifera) comercializada por ambulantes na cidade de Ipatinga, Minas Gerais. Nutrir Gerais. 2009;3(5):489-504.

Lucca A, Torres EAFS. Condições de higiene de “cachorro-quente” comercializado em vias públicas. Rev Saúde Pública. 2002;36(3):350-352.

Brasil. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução de Diretoria Colegiada – RDC no 218, de 29 de julho de 2005. Dispõe sobre o Regulamento Técnico de Procedimentos Higiênico-Sanitários para Manipulação de Alimentos e Bebidas Preparados com Vegetais [internet]. [acesso em 10 nov 2012]. Disponível em: http://portal.anvisa.gov.br

Beiró CFF, Silva MC. Análise das condições de higiene na comercialização de alimentos em uma feira livre do Distrito Federal. Universitas: Ciências da Saúde. 2009;7(1):13-28.

Gonçalves GF, Souza SMFS, Medeiros APS, Florentino PB. Análise das condições higiênicas do comércio ambulante de alimentos no centro da cidade do Natal – RN. In: Livro de Resumos do Fórum de Higienistas; Natal; 2010. p.30

Brasil. Lei no 11.346, de 15 de setembro de 2006. Cria o Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional – SISAN com vistas em assegurar o direito humano à alimentação adequada e dá outras providências [internet]. [acesso em 07 nov 2008]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2006/lei/l11346.htm.

Downloads

Como Citar

RODRIGUES, B. F.; GÓES, J. Ângelo W.; CARDOSO, R. de C. V.; SOUZA, W. M.; FERREIRA, T. C. B. O comércio de comida de rua no centro histórico de Salvador – BA: caracterização da oferta de alimentos e aspectos higiênico-sanitários. Segurança Alimentar e Nutricional, Campinas, SP, v. 21, n. 1, p. 347–358, 2015. DOI: 10.20396/san.v21i1.8638932. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/san/article/view/8638932. Acesso em: 28 set. 2022.

Edição

Seção

Artigo de Segurança Alimentar e Nutricional