Consumo de alimentos orgânicos e de produtos light ou diet no Brasil: fatores condicionantes e elasticidades-renda.

Autores

  • Fabíola Cristina Ribeiro de Oliveira Universidade Metodista de Piracicaba.
  • Rodolfo Hoffmann Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.20396/san.v22i1.8641571

Palavras-chave:

Elasticidades-renda. Alimentos light. Diet. Orgânicos.

Resumo

O expressivo crescimento da variedade de alimentos disponíveis para grande parte dos brasileiros durante o último século não levou, necessariamente, a uma alimentação saudável. Cresce a preocupação com o sobrepeso e a obesidade e com a qualidade dos alimentos, expandindo-se a demanda por alimentos com atributos especiais, como os orgânicos, os light e os diet. O principal objetivo deste artigo é estimar as elasticidades-renda das despesas e do consumo de diversos tipos de alimentos orgânicos e light/diet, comparando-as com as elasticidades-renda dos mesmos tipos de alimentos sem esses atributos especiais. São utilizados os microdados da Pesquisa de Orçamentos Familiares de 2008-2009. As elasticidades são estimadas por meio de um modelo que corresponde a uma poligonal com três segmentos mostrando como o logaritmo da despesa (ou consumo) varia em função do logaritmo da renda familiar per capita. Modelos de lógite estimados mostram que a probabilidade de uma família consumir esses alimentos especiais cresce com a renda e com a escolaridade. A residência urbana contribui para o consumo de alimentos light/diet, mas não para o consumo de produtos orgânicos. A elasticidade-renda dos alimentos orgânicos e dos alimentos light/diet é substancialmente maior que a dos alimentos correspondentes sem esses atributos especiais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fabíola Cristina Ribeiro de Oliveira, Universidade Metodista de Piracicaba.

Professora da Universidade Metodista de Piracicaba.

Rodolfo Hoffmann, Universidade de São Paulo

Professor Sênior da Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Universidade de São Paulo (USP), com apoio do CNPq.

Referências

Schlindwein MM. Influência do custo de oportunidade do tempo da mulher sobre o padrão de consumo alimentar das famílias brasileiras [tese]. Piracicaba: Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Universidade de São Paulo; 2006.

Silveira FG, Menezes TA de, Magalhães LCG, Diniz BPC. Elasticidade-renda dos produtos alimentares nas regiões metropolitanas brasileiras: uma aplicação da POF 1995/1996. Estud Econ. 2007;37(2):329-352.

Coelho AB, Aguiar DRD de, Fernandes EA. Padrão de consumo de alimentos no Brasil. Rev Econ Sociol Rural. 2009;47(2):335-362.

Monteiro CA, Mondini L, Costa RBL Mudanças na composição e adequação nutricional da dieta familiar nas áreas metropolitanas do Brasil (1988-1996). Rev Saúde Pública. 2000;34(3):251-258.

Bertasso BF. O consumo alimentar dos brasileiros metropolitanos. In: Silveira FG, Servo LMS, Menezes TA, Piola SF (organizador). Gasto e consumo das famílias brasileiras contemporâneas. Brasília: IPEA; 2006. p. 213-225.

Claro RM. Influência da renda e dos preços dos alimentos sobre a composição da dieta consumida nos domicílios brasileiros [tese]. São Paulo: Universidade de São Paulo; 2010.

Levy RB, Claro RM, Mondini L, Sichieri R, Monteiro CA. Regional and socioeconomic distribution of household food availability in Brazil, in 2008-2009. Rev Saúde Pública. 2012;46(1):06-15.

Bleil SI. O padrão alimentar ocidental: considerações sobre a mudança de hábitos no Brasil. Rev. Cadernos de Debate. 1998;6:01-25.

Souza ARD. Análise do comportamento do consumidor e do produtor/comercializador de hortifrutis orgânicos da região metropolitana de Belo Horizonte [dissertação]. Belo Horizonte: Faculdade de Ciências Empresariais da Universidade FUMEC; 2011.

Hall RJ, Lima Filho DO. Perfil do consumidor de produtos diet e light no Brasil. In: Anais do Simpósio de Engenharia de Produção; 2006; Bauru. Bauru: SIMPEP DEP-UNESP; 2006. 12 p.

Associação Brasileira de Indústria para Alimentos Dietéticos – ABIAD. Tendências do mercado de alimentos [internet]. 2010 [acesso em 11 jul 2012]. Disponível em: http://www.abiad.org.br/index.php/estudos-sobre-o-setor

Lucchese T, Batalha OM, Lambert JL. Marketing de alimentos e o comportamento do consumo: proposição de uma tipologia do consumidor de produtos light e ou diet. Organizações Rurais & Agroindustriais. 2006;8(2):227-239.

Castañeda M. A emergência dos alimentos orgânicos: relações com as tendências da alimentação contemporânea. In: Anais do Encontro Nacional de Estudos do Consumo; 2010; Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: ENEC; 2010. 20 p.

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Secretaria de Política Agrícola, Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura. Cadeia produtiva de produtos orgânicos. Brasília (DF); 2007.

Hara CM. O perfil do consumidor de produtos light e diet no mercado de varejo supermercadista de Campinas. Revista Técnica FIPEP. 2003;3(1-2):39-48.

Andretta L, Pissaia E, Azzolini T, França VF, Benedetti VP. Nível do conhecimento populacional sobre os produtos alimentícios diet e light na cidade de Realeza – PR. Rev Biol Saúde Unisep. 2010;4(1a). [17] Meira CC, Tertuliano AF, Rodrigues F de L, Liberali R, Coutinho VF. Estado nutricional e consumo de alimentos diet e light entre adolescentes de escola privada do município de João Pessoa – PB. Ensaios e Ciência. 2010;14(1):61-85.

Hoffmann R. Elasticidade-renda das despesas e do consumo de alimentos no Brasil em 2002-2003. In: Silveira FG, Servo LMS, Menezes TA, Piola SF (organizador). Gasto e consumo das famílias brasileiras contemporâneas. Brasília: IPEA; 2007. v. 2, p. 463-483.

Hoffmann R. Estimativas das elasticidades-renda de várias categorias de despesa e de consumo, especialmente alimentos, no Brasil, com base na POF de 2008-2009. Rev de Economia Agrícola. 2010;57(2):49-62.

Oliveira FCR. Alimentos normais, light/diet e orgânicos: o consumo segundo as classes econômicas e suas elasticidades-renda [tese]. Piracicaba: Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Universidade de São Paulo; 2014.

Bonti-Ankomah S, Yiridoe EK. Organic and conventional food: a literature review of the economics of consumer perceptions and preferences. Truro: OACC; 2006.

Borguini RG, Torres EAF da S. Alimentos orgânicos: qualidade nutritiva e segurança do alimento. Segurança Alimentar e Nutricional. 2006;13(2):64-75.

Martins VA, Camargo Filho WP, Bueno CRF. Preços de frutas e hortaliças da agricultura orgânica no mercado varejista da cidade de São Paulo. Informações Econômicas. 2006;36(9):42-52.

Santos ELB dos, Nardi Júnior G de, Leandro JB. Estudo de viabilização da produção alternativa de aves. Tékhne e Lógos. 2012;3(1).

Barbosa S de C, Matteucci MB de A, Leandro WM, Leite AF, Cavalcante ELS, Almeida GQE de. Perfil do consumidor e oscilações de preços de produtos agroecológicos. Pesqui Agropecu Trop. 2011;41(4):602-609.

Silva EB da, Cardoso FT, Souza GG de, Almeida A. Perfil sócio econômico de consumidores de produtos orgânicos. Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável. 2013;8(1):83-89.

Hall RJ. Fatores que influenciam o consumo de produtos diet e light no Brasil [dissertação]. Campo Grande: Universidade Federal de Mato Grosso do Sul; 2006.

Hoffmann R. Condicionantes do sobrepeso e da obesidade de adultos no Brasil, 2008–2009. Segurança Alimentar e Nutricional. 2012;19(2):01-16.

Hoffmann R. Comparando a alimentação dentro e fora do domicílio, no Brasil, em 2008-2009. Segurança Alimentar e Nutricional. 2013;20(1):01-12.

Mooz ED. Disponibilidade domiciliar de alimentos orgânicos no Brasil [dissertação]. Piracicaba: Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Universidade de São Paulo; 2012.

Downloads

Publicado

2015-11-04

Como Citar

1.
Oliveira FCR de, Hoffmann R. Consumo de alimentos orgânicos e de produtos light ou diet no Brasil: fatores condicionantes e elasticidades-renda. Segur. Aliment. Nutr. [Internet]. 4º de novembro de 2015 [citado 6º de dezembro de 2021];22(1):541-57. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/san/article/view/8641571

Edição

Seção

Artigo de Segurança Alimentar e Nutricional

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>