Qualidade microbiológica de produtos de origem animal produzidos e comercializados no Oeste Catarinense

Autores

  • Paula Rossi Universidade do Contestado
  • Gabriel Bonetto Bampi Universidade do Contestado

DOI:

https://doi.org/10.20396/san.v22i2.8642505

Palavras-chave:

Doenças transmitidas por alimentos. Saúde pública. Microbiologia de alimentos.

Resumo

O objetivo deste trabalho foi avaliar a qualidade microbiológica de produtos de origem animal (leite, carne e ovos) produzidos e comercializados na microrregião oeste e meio oeste de Santa Catarina durante o ano de 2013. Essa avaliação foi realizada através de laudos de análise microbiológica de produtos de origem animal com inspeção municipal, estadual ou federal disponibilizados por um laboratório situado no meio oeste Catarinense. As análises microbiológicas avaliadas foram: Salmonella sp., Staphylococcus coagulase positiva, Coliformes termotolerantes e Clostridium sulfito redutores. Das 856 amostras de carne, leite e ovos 16,2% estavam fora dos parâmetros estabelecidos pela legislação vigente, ou seja, impróprias para consumo humano. Em relação aos ovos, 100% das amostras atenderam a legislação, 31,8% dos leites e derivados analisados não apresentavam qualidade microbiológica satisfatória, seguidos por derivados de carne com 20,4% e carne in natura com 6,2% de amostras impróprias. Por fim, este trabalho possibilitou avaliar e caracterizar as condições higiênico sanitárias dos produtos de origem animal, produzidos e comercializados na região Oeste de Santa Catarina. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Paula Rossi, Universidade do Contestado

Graduada do Curso de Ciências Biológicas da Universidade do Contestado (UnC), Campus Concórdia, Departamento de Nutrição, Farmácia e Ciências Biológicas. 

Gabriel Bonetto Bampi, Universidade do Contestado

Docente da Universidade do Contestado (UnC), Campus Concórdia, Departamento de Nutrição, Farmácia e Ciências Biológicas. 

Referências

D’agostini FP, Campana P, Degenhardt R. Qualidade de embutidos produzidos no baixo Vale do Rio do Peixe, Santa Catarina: Brasil. E-Tech. 2009; 2 (2): 1- 13. Disponível em: http://dx.doi.org/10.18624/e-tech.v2i2.112

Moura LB, Moura RL, Guimarães FR. Análise de coliformes e Salmonella em leite pasteurizado no sertão central do Ceará. Hig Aliment. 2013; 27 (216/217): 146 – 9.

Franco BDGM, Landgraf M. Microbiologia dos alimentos. São Paulo: Atheneu; 2008. 182 p.

Souza ALM, Campos DMS, Vaillant VS, et al. Condições higienicossanitárias de carnes comercializadas em supermercados no município de Niterói, RJ. Hig Aliment. 2013; 27 (224/225): 95 – 8.

Senter L, Rossi EM, Sardiglia CU. Avaliação da qualidade microbiológica de salames artesanais e implantação de boas práticas de fabricação em uma mini-indústria. Hig Aliment. 2010; 24 (186/187): 126 – 31.

Welker CAD, Both JMC, Longaray SM, et al. Análise microbiológica dos alimentos envolvidos em surtos de doenças transmitidas por alimentos (DTA) ocorridos no estado do Rio Grande do Sul, Brasil. Rev Bras Bioci. 2010: 8 (1): 44-8. Disponível em: http://www.ufrgs.br/seerbio/ojs/index.php/rbb/article/view/1322

Duarte RS. Microrganismos mais frequentemente encontrados com limites acima dos aceitáveis, segundo a RDC nº 12/2001da ANVISA em produtos de origem animal, registrados junto à CISPOA [monografia]. [Porto Alegre]: Universidade Federal do Rio Grande do Sul; 2011. 42 p. Disponível em: http://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/52511

Silva FL, Fortuna JL. Pesquisa de coliformes em leite tipo C comercializado em supermercados do município de Teixeira de Freitas, BA. Hig Aliment. 2013; 27 (226/227): 116-21.

Chesca AC, Guimarães JM, Santos AL, et al. Coliformes fecais, Listeria monocytogenes e Salmonella em leite pasteurizado. Hig Aliment. 2013; 27 (224/225): 152 – 7.

Salvador FC, Burin AS, Frias AAT, et al. Avaliação da qualidade microbiológica do leite pasteurizado comercializado em Apucarana: PR e região. F@P Cien. 2012; 9 (5): 30 – 41.

Olivo R, Olivo N. O mundo das carnes: ciência, tecnologia e mercado. 3 ed. Criciúma; 2006. 209 p.

Barancelli GV, Martin JGP, Porto E. Salmonella em ovos: relação entre produção e consumo seguro. Seg Aliment Nut. 2012; 19 (2): 73-82. Diponível em: http://periodicos.bc.unicamp.br/ojs/index.php/san/article/view/8634612

Santos Filho JI, Schlindwein MM. Fatores determinantes do consumo de ovo no Brasil. In: Sociedade Brasileira de Economia, Administração e Sociologia Rural. XLV Congresso da Sociedade Brasileira de Economia, Administração e Sociologia Rural; 22-25 de jul 2007; Londrina, PR. Paraná: SOBER; 2007. p. 1-15.

AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA. Aprova o Regulamento Técnico sobre padrões microbiológicos para alimentos. Resolução RDC nº 12, de 02/01/2001 Diário Oficial da União. 2001. Seção I, 2001.

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA PECUÁRIA E ABASTECIMENTO. Métodos analíticos oficiais para análises microbiológica para controle de produtos de origem animal e água. Instrução Normativa n.62, de 26/08/2003. Diário Oficial da União.2003.Seção I, p.14.

Scapin D. Avaliação da qualidade microbiológica de alimentos antes e após a implementação de boas práticas de fabricação em agroindústrias da região extremo oeste Catarinense [monografia]. [São Miguel do Oeste]: Universidade do Oeste de Santa Catarina; 2011. 32 p. Disponível em: http://www.uniedu.sed.sc.gov.br/wp-content/uploads/2013/10/Diane-Scapin.pdf

Vaz ABS, Yatsuyamagi SE, Miyagusku L, et al. Avaliação da qualidade microbiológica de ovos proveniente de criação tipo “caipira” e de granja de produção comercial. Hig. Aliment. 2012; 26 (212/213): 138 – 42.

Hermann S. Principais pontos críticos de controle de ciclo da Salmonella na cadeia de produção avícola. In: Núcleo Oeste de Médicos Veterinários e Zootecnistas/SC. XIII Simpósio Brasil Sul de Avicultura; 17-19 abr 2012; Chapecó, SC. Santa Catarina: EMBRAPA; 2012. p. 39-51. Disponível em: http://www.cnpsa.embrapa.br/sgc/sgc_publicacoes/publicacao_j5x4i2v.pdf

Martins IM, Kabuki DY, Kuaye AY. Determination and characterization of pathogens found in dairy products. Rev Inst Adolfo Lutz. 2009; 68 (3): 359-65. Disponível em: http://periodicos.ses.sp.bvs.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S0073-98552009000300006&lng=pt&nrm=isso

Venquiaruto LD, Dallago RM, Santos D, et al. Avaliação microbiológica de manteigas artesanais comercializadas na cidade de Tapejara/RS. Perspectiva. 2013; 37 (139): 19-25.

Oliveira SM, Rossi EM, Scapin D, Sardiglia CU, Cunha, FB. Isolamento e perfil de suscetibilidade a antimicrobianos, de cepas de Salmonella sp. em queijos coloniais. Hig. Ali. 2010; 24 (190/191): 140-144. Disponível em: http://www.uricer.edu.br/site/pdfs/perspectiva/139_359.pdf

Silva LC, Machado TB, Silveira MLR, et al. Aspectos microbiológicos, pH e acidez de iogurtes de produção caseira comparados aos industrializados da região de Santa Maria – RS. Discip. Sci., Ser. Cienc. Saude. 2012; 13 (1): 111 – 20. Disponível em: http://sites.unifra.br/Portals/36/CSAUDE/2012/10.pdf

Oliveira S, Silva JA, Maciel JF et al. Avaliação das condições higiênico-sanitárias de carne bovina comercializada em supermercados de João Pessoa. Ali Nut. 2008; 19 (1): 61 – 6. Disponível em: http://serv-bib.fcfar.unesp.br/seer/index.php/alimentos/article/viewArticle/201

Chesca AC, Faria LB, Santos ALS, et al. Salmonella sp. e Coliformes fecais em carne crua temperada. Hig Aliment. 2012; 26 (208/209): 106-10.

Santos GG, Trindade RC, Barbosa Júnior AM, et al. Perfil microbiológico de carnes bovinas in natura comercializadas em feiras livres. Hig. Aliment. 2012; 26 (204/205): 121-5.

Penteado FR, Esmerino LA. Avaliação da qualidade microbiológica da carne de frango comercializada no município de Ponta Grossa – Paraná. UEPG Biol Health Sci. 2011; 17 (1):37-45. Disponível em: http://dx.doi.org/10.5212/publicatio%20uepg.v17i1.3446

Tussi EK, Locatelli PP, Alfaro AT, et al. Avaliação da qualidade físico-química e microbiológica do salame colonial comercializado em São Jorge D’Oeste – PR. Syn UTFPR. 2008; 03 (4): [cerca de 3 p.] Disponível em: http://revistas.utfpr.edu.br/pb/index.php/SysScy/article/view/324/117

Baú TR, Roman JA, Tiuman TS. Parâmetros microbiológicos de salames comercializados no município de Medianeira, PR. Hig Aliment. 2011; 25 (192/193): 170 – 4.

Bezerra MVP, Abrantes MR, Silvestre MKS, et al. Avaliação microbiológica e físico-química de linguiça toscana no município de Mossocó, RN. Arq Inst Biol. 2012; 79 (2): 297-300. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S1808-16572012000200021&lng=en&nrm=iso&tlng=PT

Evangelista J. Tecnologia de alimentos. 2 ed. São Paulo: Atheneu; 2008. 674 p.

Downloads

Publicado

2015-12-28

Como Citar

ROSSI, P.; BAMPI, G. B. Qualidade microbiológica de produtos de origem animal produzidos e comercializados no Oeste Catarinense. Segurança Alimentar e Nutricional, Campinas, SP, v. 22, n. 2, p. 748–757, 2015. DOI: 10.20396/san.v22i2.8642505. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/san/article/view/8642505. Acesso em: 6 fev. 2023.

Edição

Seção

Artigo de Segurança Alimentar e Nutricional