Boas práticas em serviços de alimentação escolar

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/san.v24i1.8648035

Palavras-chave:

Boas práticas de manipulação. Serviços de alimentação. Refeições. Instituições de ensino. Alimentos.

Resumo

Objetivou-se avaliar as boas práticas nos serviços de alimentação escolar da rede municipal de um município do Vale do Taquari, Rio Grande do Sul. Foram avaliadas 13 escolas de ensino fundamental por meio da Portaria nº 78/2009, a qual constitui um checklist composto por 153 critérios de avaliação distribuídos em 12 categorias. Os dados foram analisados no software SPSS Statistics da IBM®, versão 20.0, considerando o nível de significância de 5% (p<0,05). Foram observados maiores percentuais de conformidade no Manejo de Resíduos (92,31±19,97%), seguido das Matérias Primas, Ingredientes e Embalagens (86,54±4,22%), Abastecimento de Água (82,69±19,46%), Preparação do Alimento (80,27±3,82%), Higienização de Instalações, Equipamentos, Móveis e Utensílios (78,37±9,75%) e Exposição ao Consumo do Alimento preparado (76,35±4,85%). Observou-se associação significativa entre as categorias Higienização de Instalações, Equipamentos, Móveis e Utensílios e Manipuladores (r=0,658, p=0,014), entre as categorias Controle Integrado de Pragas e Manejo de Resíduos (r=0,997, p<0,001) e entre as categorias Matérias Primas, Ingredientes e Embalagens e Preparação do Alimento (r=0,693, p=0,009). Os serviços de alimentação escolar atenderam alguns critérios da legislação, porém apresentaram inadequações que necessitam ser avaliadas para garantir a qualidade da alimentação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gabriela Quadros Nunes, Univates

Acadêmica do curso de nutrição.

Fernanda Scherer Adami, Univates

Professora do curso de nutrição.

Patricia Fassina, Univates

Professora do curso de nutrição.

Referências

Gomes KS, Fonseca AB. Programa Nacional de Alimentação Escolar e suas possibilidades para a Educação Alimentar e Nutricional: uma revisão da literatura. [internet] Trabalho apresentado no 9 Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências; 2013 nov. [acesso em 15 nov. 2016]; Águas de Lindóia, SP. Disponível em: http://www.nutes.ufrj.br/abrapec/ixenpec/atas/resumos/R1098-1.pdf

Ramos FP, Santos LAS, Reis ABC. Educação alimentar e nutricional em escolares: uma revisão de literatura. Cad Saúde Pública, 2013; 29: 2147-61.

Brasil. Resolução nº 26, de 17 de Junho de 2013. Dispõe sobre o atendimento da alimentação escolar aos alunos da educação básica no âmbito do Programa Nacional de Alimentação Escolar - PNAE. Diário Oficial [da República Federativa do Brasil], Brasília, 18 jun. 2013.

Oliveira MC, Vassimon HS. Programa Nacional de Alimentação Escolar e sua aceitação pelos alunos: uma revisão sistemática. Investigação, 2012; 12(1).

Brasil. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Cartilha sobre Boas Práticas para serviços de alimentação: Resolução-RDC nº 216/2004. [internet]. 3 ed. Brasília, DF, 2004. [acesso em ago. 2016]. Disponível em: http://www.anvisa.gov.br/divulga/public/alimentos/cartilha_gicra_final.pdf

Brasil. Ministério da Saúde. Vigilância Epidemiológica das Doenças Transmitidas por Alimentos-VE-DTA [internet]. São Paulo, out. 2015. [acesso em ago. 2016]. Disponível em: http://u.saude.gov.br/images/pdf/2015/novembro/09/Apresenta----o-dados-gerais-DTA-2015.pdf

Vila CVD, Silveira JT, Almeida LC. Condições higiênico-sanitárias de cozinhas de escolas públicas de Itaqui, Rio Grande do Sul, Brasil. Vigilância Sanitária em Debate: Sociedade, Ciência & Tecnologia, 2014; 2(2): 67-74.

Rio Grande Do Sul. Portaria nº 78, de 30 de janeiro de 2009. Aprova a Lista de Verificação em Boas Práticas para Serviços de Alimentação, aprova Normas para Cursos de Capacitação em Boas Práticas para Serviços de Alimentação e dá outras providências. Secretaria da Saúde. Porto Alegre, 30 jan. 2009 [acesso em ago. 2016]. Disponível em http://www.saude.rs.gov.br/upload/1365096500_portaria%2078_09.pdf

Mezzari MF, Ribeiro AB. Avaliação das condições higiênico-sanitárias da cozinha de uma escola municipal de Campo Mourão–Paraná. SaBios-Revista de Saúde e Biologia, 2012; 7(3).

Ferreira MA, José JFBDS, Tomazini APB, Martini HSD, Milagres RCDM, Sant’ana HMP. Avaliação da adequação às boas práticas em unidades de alimentação e nutrição. Revista do Instituto Adolfo Lutz, 2011; 70(2).

Porto EBS, Schmitz BAS, Recine E, MDLCF Rodrigues. Condições higiênico-sanitárias das cantinas de escolas públicas e privadas do Distrito Federal–Brasil e seus fatores associados. Vigilância Sanitária em Debate: Sociedade, Ciência & Tecnologia, 2015; 3(4): 128-135.

Mello JF, Schneider S, Lima MSD, Frazzon J, Costa MD. Avaliação das condições de higiene e da adequação às boas práticas em unidades de alimentação e nutrição no município de Porto Alegre–RS. Alimentos e Nutrição Araraquara, 2013; 24(2): 182.

Pospischek VS, Spinelli MGN, Matias ACG. Avaliação de ações de sustentabilidade ambiental em restaurantes comerciais localizados no município de São Paulo. DEMETRA: Alimentação, Nutrição & Saúde, 2014; 9(2): 595-611.

Gomes de NAAA, Campos MRH, Monego ET. Aspectos higiênico-sanitários no processo produtivo dos alimentos em escolas públicas do Estado de Goiás, Brasil. Rev. nutr, 2012; 25(4): 473-485.

Beux J, Primon V, Busato MA. Condições higiênico sanitárias em local de produção e distribuição de alimentos em escolas públicas sob a ótica da produção mais limpa. Revista da UNIFEBE, 2013; 1(11).

Silveira JT, Brasil CCB, Floriano JM, Garcia MV. Higiene dos serviços de alimentação no Brasil: uma revisão sistemática. Saúde em Revista, 2016; 16(42): 57-69.

Downloads

Publicado

2017-06-29

Como Citar

1.
Nunes GQ, Adami FS, Fassina P. Boas práticas em serviços de alimentação escolar. Segur. Aliment. Nutr. [Internet]. 29º de junho de 2017 [citado 25º de outubro de 2021];24(1):26-32. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/san/article/view/8648035

Edição

Seção

Artigo de Ciência e Tecnologia dos Alimentos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)