Aspectos nutricionais e qualidade de vida após cirurgia bariátrica em pacientes da atenção primária à saúde

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/san.v24i1.8649757

Palavras-chave:

Obesidade mórbida. Cirurgia bariátrica. Atenção primária à saúde.

Resumo

O trabalho tem como objetivo avaliar aspectos nutricionais após cirurgia bariátrica em pacientes da Atenção Primária à Saúde. Estudo transversal exploratório com 30 pacientes cadastrados em quatro unidades de saúde de Curitiba (Paraná) submetidos à cirurgia bariátrica com período pós-operatório de 3 a 5 anos. Identificados dados sociodemográficos, clínico-cirúrgicos,  antropométricos e aplicado o Método BAROS. Associação entre sucesso cirúrgico e idade, peso e índice de massa corporal pré-operatórios e atuais, uso de suplementos e realização de tratamento clínico anterior a cirurgia verificados através dos testes Mann Whitney, ANOVA e Teste G. Todos realizaram gastroplastia com derivação intestinal. A média de idade foi 41,2 anos (DP=7,24), mulheres totalizaram 90% dos entrevistados. Índice de massa corporal médio pré-operatório e atual foram 47kg/m(DP=7,43)  e 32,25kg/m2 (DP=6,46) respectivamente. Percentual de perda do excesso de peso médio foi 70,27% (DP=23,86). Insucesso terapêutico observado em sete (23,4%) pacientes e dois (6,6%) apresentaram resultado insuficiente pelo Método BAROS. Ações de promoção, prevenção e tratamento precoce, desenvolvidas e ordenadas pela Atenção Primária em Saúde com participação de atores em articulação intersetorial - partindo da concepção de práticas alimentares saudáveis no contexto da Segurança Alimentar e Nutricional - podem reduzir a necessidade de cirurgias para tratamento da obesidade

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Francini Xavier Rossetti, Universidade de São Paulo

Departamento de Agroindústria, Alimentos e Nutrição, área de Segurança Alimentar e Nutricional.

Manoela Nobrega Lorenzi, Universidade Federal do Paraná

Especialista pelo Programa de Residência Muiltiprofissional em Saúde da Família da Secretaria Municipal de Saúde de Curitiba. Graduada em Nutrição pela Universidade Federal do Paraná.

Karyne Sant’Ana Gonzales Gomes, Faculdades Integradas do Vale do Ribeira

Professora das Faculdades Integradas do Vale do Ribeira (FVR/UNISEPE), Doutoranda em Ciência e Tecnologia de Alimentos, Escol a Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Universidade de São Paulo (ESALQ/USP).

Referências

Ministério da Saúde. Vigitel Brasil 2014. Vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por meio de inquérito telefônico. Brasilia, DF: Ministério da Saúde, 2015.

Ministério da Saúde. Portaria 483, de 1º de abril de 2014. Redefine a Rede de Atenção à Saúde das Pessoas com Doenças Crônicas no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS) e estabelece diretrizes para a organização de suas linhas de cuidado. Diário Oficial da União 2 abr 2014; Seção 1.

Ministério da Saúde. Guia alimentar para a população brasileira. Brasilia, DF: Ministério da Saúde, 2014.

Ministério da Saúde. Cadernos de Atenção Básica n. 38: Estratégias para o cuidado da pessoa com doença crônica - Obesidade. Brasilia, DF: Ministério da Saúde, 2014

Ministério da Saúde. Portaria 425, de 19 de Março de 2013. Estabelece regulamento técni-co, normas e critérios para o Serviço de Assistência de Alta Complexidade ao Indivíduo com Obesidade. Diário Oficial da União 15 abr 2013; Seção 1.

Prevedello CF, Colpo E, Mayer ET, Copetti H. Análise do impacto da cirurgia bariátrica em uma população do centro do estado do Rio Grande do Sul utilizando o Método Ba-ros. Arq Gastroenterol. 2009; 46( 3 ): 199-203. http://dx.doi.org/10.1590/S0004-28032009000300011.

Scabim VM, Neto JE, Tess BH. Adesão ao seguimento nutricional ambulatorial pós-cirurgia bariátrica e fatores associados. Rev Nutr. 2012; 25( 4 ): 497-506. http://dx.doi.org/10.1590/S1415-52732012000400007.

Marcelino LF, Patricio ZM. A complexidade da obesidade e o processo de viver após a cirurgia bariátrica: uma questão se saúde coletiva. Ciênc. saúde coletiva. 2011; 16(12): 4767-4776. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232011001300025.

Departamento de Informática do SUS. Procedimentos hospitalares por local de mora-dia. [acesso em 05 de dezembro de 2014]. Disponível em: http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/deftohtm.exe?%20sih/cnv/qrpr.def.

Oria HE, Moorehead MK. Bariatric Analysis and Reporting Outcome System (BAROS). Obes Surg. 1998; 8:487-99. http://dx.doi.org/10.1381/096089298765554043 .

Oria HE, Moorehead MK. Updated Bariatric Analysis and Reporting Outcome System (BAROS). Surg Obes Relat Dis. 2009; 5(1):60-6. http://dx.doi.org/10.1016/j.soard.2008.10.004.

Rocha QS, Mendonça SS, Fortes RC. Perda ponderal após gastroplastia em Y de Roux e importância do acompanhamento nutricional: uma revisão de literatura. Comun. Ciên. Sa-úde, 2011; 22(1):61-70.

Novais PFS, Junior IR, Leite CVS, Oliveira MRM. Evolução e classificação do peso cor-poral em relação aos resultados da cirurgia bariátrica - derivação gástrica em Y de Roux. Arq Bras Endocrinol Metab. 2010; 54( 3 ): 303-310. http://dx.doi.org/10.1590/S0004-27302010000300009.

Valezi AC, Junior JM, Menezes MA, Brito EM, Souza JCL. Evolução ponderal oito anos após derivação gástrica em Y-de-Roux. Rev. Col. Bras. Cir. 2011; 38( 4 ): 232-236. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-69912011000400006.

Bastos ECL, Barbosa EMWG, Soriano GMS, Santos EA, Vasconcelos SML. Fatores de-terminantes do reganho ponderal no pós-operatório de cirurgia bariátrica. ABCD, Arqu. Bras. Cir. Dig. 2013; 26( Suppl 1 ): 26-32. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-67202013000600007.

Junior ABG, Ferraz EM, Barroso FL, Marchesini JB, Szegö T. Cirurgia da obesidade. 1ª ed. São Paulo: Atheneu; 2006.

Farias, G. Redução de peso após cirurgia bariátrica: diferenças clínicas e nutricionais entre bons e maus respondedores [mestrado]. Curitiba: Universidade Federal do Paraná; 2014.

Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica. Consenso Bariátrico Brasileiro. 2006. [acesso 2015 jan 20]. Disponível em: http://www.sbcb.org.br/arquivos/download/consenso_ baria-trico.pdf.

Ministério da Saúde. Portaria 424, de 19 de Março de 2013. Redefine as diretrizes para a organização da prevenção e do tratamento do sobrepeso e obesidade como linha de cuida-do prioritária da Rede de Atenção á Saúde das pessoas com Doenças Crônicas. Diário Oficial da União 28 jun 2013; Seção 1.

Downloads

Publicado

2017-06-29

Como Citar

1.
Rossetti FX, Lorenzi MN, Gomes KSG. Aspectos nutricionais e qualidade de vida após cirurgia bariátrica em pacientes da atenção primária à saúde. Segur. Aliment. Nutr. [Internet]. 29º de junho de 2017 [citado 28º de outubro de 2021];24(1):75-82. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/san/article/view/8649757

Edição

Seção

Artigo de Nutrição em Saúde Pública