Insegurança Alimentar em Famílias do Programa Bolsa Família

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/san.v25i2.8649841

Palavras-chave:

Antropometria. Estado nutricional. Segurança alimentar.

Resumo

O objetivo desse estudo foi identificar a prevalência de Insegurança Alimentar (IA) e verificar se existe correlação entre IA com estado nutricional, número de integrantes do domicílio, sexo e escolaridade do responsável familiar nas famílias do Programa Bolsa Família (PBF) no município de Vale do Sol/RS. Trata-se de um estudo transversal, realizado com famílias do PBF. Utilizou-se um questionário estruturado para obtenção de informações socioeconômicas e a Escala Brasileira de Insegurança Alimentar (EBIA) para medir a IA. O estado nutricional foi avaliado através dos dados obtidos nas aferições de peso e estatura. Aplicou-se o teste Qui-quadrado para avaliar a associação de IA com as variáveis. A pesquisa contou com 59 famílias. A prevalência de IA foi de 78%, apresentou-se associada ao índice P/E em crianças menores de 5 anos (p=0,03). IA foi predominante nas famílias do PBF, sendo a maior parte casos de grau leve. As variáveis avaliadas não se relacionaram a IA com exceção do indicador P/E nas crianças menores de 5 anos. O elevado percentual de excesso de peso e obesidade encontrado demonstra que a transição nutricional está acontecendo nas famílias de baixa renda. Observa-se a necessidade do profissional da área de nutrição na Proteção Social Básica (PSB).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernanda Witt, Universidade de Santa Cruz do Sul

Departamanto de Educação Física e Saúde.

Bianca Inês Etges, Universidade de Santa Cruz do Sul

Departamanto de Educação Física e Saúde.

Luciano Lepper, Universidade de Santa Cruz do Sul

Departamanto de Educação Física e Saúde.

Referências

Brasil. O estado da segurança alimentar e nutricional no Brasil: um retrato multidimensional. Relatório 2014. p. 90, 2014.

Brasil. Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário. Bolsa Família. 2015. Disponível em: <http://mds.gov.br/assuntos/bolsa-familia/o-que-e/como-funciona>. Acesso em: 09 out. 2016.

Brasil. Lei nº 11.346, de 15 de setembro de 2006. Disponível em: <https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2006/lei/l11346.htm>. Acesso em: 10 nov. 2016.

Brasil. Emenda Constitucional nº 64, de 4 de fevereiro de 2010. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Emendas/Emc/emc64.htm>. Acesso em: 10 nov. 2016.

Lisboa RC. Direito humano à alimentação adequada. In: Revista Eletrônica de Direito do Centro Universitário Newton Paiva, p. 365-374, 2013.

Brasil. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome; Secretaria de Avaliação e Gestão da Informação; Secretaria Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional. MAPASAN 2014: Mapeamento de Segurança Alimentar e Nutricional. Brasília, DF, 2015.

Carmichael SL, Yang W, Herring A, Abrams B, Shaw GM. Maternal Food Insecurity Is Associated with Increased Risk of Certain Birth Defects. The Journal of nutrition, v. 9, n. 137, p.2087-2092, 2007.

Guerra LDS. Análise da insegurança alimentar e nutricional e fatores associados em domicílios com adolescentes de municípios da área de abrangência da BR 163 - Mato Grosso, Brasil, 2011. Dissertação - (Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva - UFMT), Cuiabá - MT, 2011.

Santos JV, Gigante DP, Domingues MR. Prevalência de insegurança alimentar em famílias de Pelotas, RS e estado nutricional das pessoas que vivem em insegurança alimentar. Caderno Saúde Pública, Rio de Janeiro, v.1, n.26, p.41-49, jan,, 2010.

Oliveira JS et al. Estado nutricional e insegurança alimentar de adolescentes e adultos em duas localidades de baixo índice de desenvolvimento humano. Revista de Nutrição, v. 22, n. 4, p. 453-465, 2009.

Pérez-Escamilla R, Segall-Corrêa AM, Maranha LK, Sampaio MFA, Marin-León L, Panigassi G. An adapted version of the U.S. Department of Agriculture Food Insecurity module is a valid tool for assessing household food insecurity in Campinas, Brazil. J Nutr., v.8134, n.8, p.1923-8, 2004. PMid:15284377.

Traldi DRC, Almeida LMMC, Ferrante VLSB. Repercussões do Programa Bolsa Família no município de Araraquara, SP: um olhar sobre a segurança alimentar e nutricional dos beneficiários. Interações, Campo Grande, v. 13, n. 1, p. 23-37, jan./jun., 2012.

Ministério da Saúde. Protocolos do Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional (Sisvan) na assistência à saúde. Brasília: Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica, Ministério da Saúde, 2008.

World Health Organization. WHO Child Growth Standards: Length/ height-for-age, weight-for-age, weight-for-leigth, weight-for-height and body mass index-for-age. Methods and development. WHO (nonserial publication). Geneva, Switzerland: WHO, 2006.

World Health Organization. Development of a WHO growth reference for school-aged children and adolescents. Bull World Health Organ, v.7, p.85-660, 2007.

World Health Organization. Physical Status: The Use and Interpretation of Anthropometric Indicators of Nutritional Status. Geneva, World Health Organization, 1995. (WHO Technical Report Series, 854).

Nunes TS, Cruz JMG, Pinho L. Avaliação da segurança alimentar e nutricional de famílias beneficiárias do Programa Bolsa Família. Nutrire, v.2, n. 39, p.233-242, 2014.

Santos CF, Silva MS. Segurança alimentar e programa bolsa família no município de Itabuna - Bahia. IV Semana do economista e IV encontro de egressos, 2014.

Anschau FR, Matsuo T, Segall-Corrêa AM. Insegurança alimentar entre beneficiários de programas de transferência de renda. Revista de Nutrição, v.2, n.25, p.177-189, 2012.

IBASE.Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas. Repercussões do Programa Bolsa Família na segurança alimentar e nutricional das famílias beneficiadas. p. 1–21, 2008. Disponível em: . Acesso em: 26 maio 2017.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios: Segurança Alimentar 2013 - Suplemento. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/seguranca_alimentar_2013>. Acesso em: 26 maio 2017.

Saldiva SRDM, Silva LFF, Saldiva PHN. Avaliação antropométrica e consumo alimentar em crianças menores de cinco anos residentes em um município da região do semiárido nordestino com cobertura parcial do programa bolsa família. Revista Nutrição, v.3, n.23, p.221–9, 2010.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa de Orçamentos Familiares 2008-2009: antropometria e estado nutricional de crianças, adolescentes e adultos no Brasil. Rio de Janeiro: IBGE; 2010. Disponível em: . Acesso em: 26 maio 2017.

Carvalho AT, Almeida ER, Nilson EAF, Ubarana JA, Fernández IM, Immink M. Métodos de análise em programas de segurança alimentar e nutricional: uma experiência no Brasil. Ciência Saúde Coletiva, v.2, n.18, p.309-321, 2013.

Brasil. Ministério da Saúde. Vigitel Brasil 2015 Saúde Suplementar: vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico [recurso eletrônico] / Ministério da Saúde, Agência Nacional de Saúde Suplementar. Brasília: Ministério da Saúde, 2017.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa Nacional de Saúde, 2013. Rio de Janeiro: IBGE; 2014.

Souza N, Dias M, Sperandio N, Franceschini S, Priore S. Perfil socioeconômico e insegurança alimentar e nutricional de famílias beneficiárias do Programa Bolsa Família no município de Viçosa, estado de Minas Gerais, Brasil, em 2011: um estudo epidemiológico transversal. Epidemiol Serviço Saúde, v.4, n. 21, p.655-62, 2012. http://dx.doi.org/10.5123/S1679-49742012000400015.

Monteiro F, Schmidt ST, Costa IB, Almeida CCB, Matuda NS. Bolsa Família: insegurança alimentar e nutricional de crianças menores de cinco anos. Ciência & Saúde Coletiva, v.5, n.19, p.1347-1357, 2014.

Cabral MJ, Vieira KA, Sawaya AL, Toledo TMMT. Perfil socioeconômico, nutricional e de ingestão alimentar de beneficiários do Programa Bolsa Família. Estudos Avançados, v.27, n.71, p.87.7, 2013.

Downloads

Publicado

2018-08-02

Como Citar

1.
Witt F, Etges BI, Lepper L. Insegurança Alimentar em Famílias do Programa Bolsa Família. Segur. Aliment. Nutr. [Internet]. 2º de agosto de 2018 [citado 19º de outubro de 2021];25(2):85-93. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/san/article/view/8649841

Edição

Seção

Artigo de Nutrição em Saúde Pública