Desperdício de alimentos: fator de insegurança alimentar e nutricional

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/san.v25i1.8649917

Palavras-chave:

Produção de alimentos. Sustentabilidade. Recursos naturais. Perdas.

Resumo

O crescimento demográfico projetado para as próximas décadas implicará na necessidade de maior produção de alimentos para alimentar as cerca de 9 bilhões de pessoas que deverão existir no ano de 2050. As modernas técnicas de produção de alimentos, tanto na agropecuária como nos processos de beneficiamento e armazenagem, promoveram maior produtividade e eficiência dos sistemas produtivos. Esses sistemas, entretanto, vêm reduzindo a capacidade de recuperação dos solos, desregulação da dinâmica hídrica e redução da biodiversidade, o que pode pôr em risco a produção de alimentos, em função da escassez dos recursos naturais. Os recursos devem, portanto, ser preservados e muito bem utilizados, no entanto, diversos estudos demonstram que há alto grau de desperdício na cadeia de produção e consumo de alimentos. Neste artigo, por meio de uma revisão bibliográfica, propôs-se fazer uma análise sobre os impactos do desperdício de alimentos na segurança alimentar. Concluiu-se que, embora sejam muitos os aspectos que interferem na segurança alimentar e nutricional, principalmente aqueles de caráter sócio econômico, as perdas na produção de alimentos consomem recursos naturais, os quais podem se tornar escassos e comprometer a produção e consumo de alimentos no futuro, gerando mais um fator de insegurança alimentar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Silvia Panetta Nascimento, Higiene Alimentar Publicações e Serviços Faculdade de Tecnologia de Itapetininga

Engenheira de Alimentos. Especialista em Gestão da Segurança dos Alimentos.

Referências

FAO. Global food losses and food waste – Extent, causes and prevention. Rome: FAO; 2011.

Brasil. Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional. Estudo destaca desperdício de alimentos no mundo [Internet]. 2017 [acesso em 10 abr 2017]. Disponível em http://www4.planalto.gov.br/consea/comunicacao/noticias/2017/estudo-destaca-desperdicio-de-alimentos-no-mundo

Zimmermann CL. Monocultura e transgenia: impactos ambientais e insegurança alimentar. Veredas do Direito. 2009;6(12):79-100.

Alexander P, Brown C, Arneth A, Finnigan J, Moran D, Rounsevell MDA. Losses, inefficiencies and waste in the global food system. Agricultural Systems. 2017;153:190-200.

Mutela H. O crescimento populacional e a questão alimentar. O País [Internet]. 2014 [acesso em 10 mai 2017]. Disponível em http://www.fao.org

Brauner MCC, Graff L. Segurança alimentar e produção agrícola: reflexões sobre a ótica da justiça ambiental. Veredas do Direito. 2015;12(24):375-400.

ONU. Declaração Dos Direitos Humanos [Internet]. 1948 [acesso em 10 mai 2017]. Disponível em http://www.onu.org.br

Albergoni L, Pelaez V. Da Revolução Verde à agrobiotecnologia: ruptura ou continuidade de paradigmas? Revista de Economia. 2007;33(1):31-53.

Soares WL; Porto MF. Atividade agrícola e externalidade ambiental: uma análise a partir do uso de agrotóxicos no cerrado brasileiro. Ciênc. Saúde Coletiva. 2007;12(1):131-143

Belik W, Cunha ARAA, Costa LA. Crise dos alimentos e estratégias para a redução do desperdício no contexto de uma política de Segurança alimentar e nutricional no Brasil. Planejamento e Políticas Públicas. 2012;38:107-132.

FAO. Food Wastage Footprint Impacts on natural resources. Summary Report. [Internet]. Rome; 2013 [acesso em 15 abr 2017]. Disponível em http://www.fao.org

Aurélio – Dicionário de Português Online [Internet]. 2017 [acesso em 10 mai 2017]. Disponível em https://dicionariodoaurelio.com

FAO. Desperdício de Alimentos tem consequências no clima, na água, na Terra e na biodiversidade [Internet]. 2017 [acesso em 10 abr 2017]. Disponível em http://www.fao.org.br

Nunes, MF. O direito fundamental à alimentação [dissertação]. São Paulo: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo; 2006.

Maluf RS, Menezes F. Caderno “Segurança Alimentar’. Agência Embrapa de Informação Tecnológica [Internet]. 2017 [acesso em 15 out 2017]. Disponível em: http://www.agencia.cnptia.embrapa.br

Nações Unidas no Brasil. A ONU e o meio ambiente [Internet]. 2017 [acesso em 10 out 2017]. Disponível em: https://nacoesunidas.org/acao/meio-ambiente

Jardim A, Machado Filho JV, Oliveira MRM. Segurança alimentar na era da sustentabilidade. RMAI 125. Economia Verde. 2017;(1):05-15.

Brasil. Itamaraty. O Brasil e o desenvolvimento sustentável [Internet]. 2017 [acesso em 10 set 2017]. Disponível em http://www.itamaraty.gov.br

Belik W. A Política Brasileira de Segurança Alimentar e Nutricional: concepção e resultados. Segur. Aliment. Nutr. 2012;19(2):94-110.

Brasil. Lei no 11.346, de 15 de setembro de 2006. Cria o Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional – SISAN com vistas em assegurar o direito humano à alimentação adequada e dá outras providências. Diário Oficial da União. 18 set 2006.

Costa CA, Bogus CM. Significados e Apropriações da Noção de Segurança Alimentar e Nutricional pelo Segmento da Sociedade Civil do Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional. Saude Soc. 2012;21(1):103-114.

Downloads

Publicado

2018-04-26

Como Citar

1.
Nascimento SP. Desperdício de alimentos: fator de insegurança alimentar e nutricional. Segur. Aliment. Nutr. [Internet]. 26º de abril de 2018 [citado 18º de outubro de 2021];25(1):85-91. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/san/article/view/8649917

Edição

Seção

Artigo de Nutrição em Saúde Pública