Potencializando o desenvolvimento humano sustentável por meio do apoio à mercados locais em um município de Goiás, Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/san.v25i3.8651328

Palavras-chave:

Desenvolvimento humano sustentável. Mercados. Políticas públicas. Segurança alimentar e nutricional.

Resumo

Este estudo teve como objetivo potencializar a execução de mercados locais como estratégia para o desenvolvimento sustentável. Estudo de intervenção quali-quantitativo, conduzido entre fevereiro e dezembro de 2013 em um município de Goiás, Brasil. Participantes: gestor municipal da educação, um gestor do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), um representante municipal da agricultura, nutricionistas, professores, agricultores familiares (AF). O projeto trabalhou três componentes: produção, cooperativismo e mercados. No componente “produção” 50 famílias de AF receberam assistência técnica visando o PNAE/Programa de Aquisição de Alimentos. Ao final do projeto foi observado: diversificação de cultivos, ampliação da variedade e quantidade de alimentos comercializados pela cooperativa, maior adequação dos alimentos processados às normas sanitárias e melhor organização produtiva. No componente “Cooperativismo”, AF e gestores da cooperativa participaram de formações, levando ao aumento no número de cooperados, motivação e maior capacidade de gestão da cooperativa. Sobre o componente “mercados”, os gestores do PNAE relataram como dificuldade a oferta irregular e insuficiente de alimentos. Os AF relataram ausência de apoio para produção e transporte. Conclui-se que o acesso de AF aos mercados locais pode contribuir para o desenvolvimento sustentável, no entanto, a cooperação intersetorial e interprofissional são necessárias para a superação dos desafios.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Veruska Prado Alexandre, Universidade Federal de Goiás

Docente, Faculdade de Nutrição - Universidade Federal de Goiás. Diretora Administrativa da Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional.

Bruna Bittar Martins, Gestão e Elaboração de Projetos para a Agricultura Familiar

Nutricionista. Extensionista rural na Gestão e Elaboração de Projetos para a Agricultura Familiar (Gepaaf Assessoria Rural)

Carlos Alexandre da Silva Harold, Empresa de Assitência Técnica e Extensão Rural

Engenheiro agrônomo. Atualmente atua na Empresa de Assitência Técnica e Extensão Rural (EMATER) do Paraná

Referências

United Nations Organizations. Transforming our world: The 2030 agenda for sustainable development. 2015. 41 p.

Landorf H, Doscher S, Rocco T. Education for sustainable human development Towards a definition. Theory and Research in Education. 2008; 6 (2): 221-236.

Sen A.. O desenvolvimento como expansão de capacidades. Lua Nova.1993; 28/29: 313-334.

Sen A. Desenvolvimento como liberdade. São Paulo: Cia. das Letras; 2000.

Sachs JD. From Millennium Development Goals to Sustainable Development Goals. The Lancet. 2012; 379: 2206-2211.

Triches RM, Schneider S. Alimentação, sistema agroalimentar e os consumidores: novas conexões para o desenvolvimento rural. Cuadernos de Desarrollo Rural. 2015; i2(75): 1-20.

Jones A. Healthy Food for a Healthy World: Leveraging Agriculture and Food to Improve Global Nutrition. A Report Issued by an Independent Advisory Group. Chicago, USA: The Chicago Council on Global Affairs; 2015. 136 p.

Sundaram JK, Rawal V, Clark MT. Ending Malnutrition from commitment to action. Itália/ Índia: Food and Agriculture Organization of the United Nations (FAO)/ Tulika Books, 2015.

Freitas TD, Rambo AG, Schneider S. Desenvolvimento humano e bem-estar no meio rural como superação da vulnerabilidade: o caso de Arroio do Tigre/RS. Colóquio – Revista do Desenvolvimento Regional. 2014; 11(2): 9-30.

Schneider S, Shiki S, Belik W. Rural development in Brazil: overcoming inequalities and building new markets. Rivista Economia Agraria. 2010; LXV(2): 225-259.

Schmitt C. Aquisição de alimentos da agricultura familiar. Integração entre política agrícola e segurança alimentar e nutricional. Revista de Política Agrícola. 2005; XIV(2): 78-88.

Rocha C, Burlandy L, Maluf R. Small Farms and Sustainable Rural Development for Food Security: The Brazilian Experience. Development Southern Africa. 2012; 29(4): 519-529.

Sidaner E, Balaban D, Burlandy L. The Brazilian school feeding programme: na example of na integrated programme in support of food and nutrition security. Public Health Nutrition. 2013; 16(6): 989-994.

Schneider S. Family farming in Latin America and the Caribbean: looking for new paths. of rural development and food security. International Policy Centre for Inclusive Growth (IPC-IG) Working Paper, n 137, march, 2016. 46 p.

Brasil, Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. Lei 11.947 de 16 de junho de 2009. Dispõe sobre o atendimento da alimentação escolar e do Programa Dinheiro Direto na Escola aos alunos da educação básica.

Bezerra OMPA, Bonomo E, Silva CAM, Correa MS, Souza AA, Santos PCT, Silva ML, Almeida MR, Carvalho KP, Marques LA, Souza DMS. Promoção da aquisição de produtos da agricultura familiar para a alimentação escolar em Territórios da Cidadania de Minas Gerais e Espírito Santo. Revista de Nutrição. 2013; 26 (3): 335-342.

Triches RM, Schneider S. Alimentação escolar e agricultura familiar: reconectando o consumo à produção. Saúde e Sociedade. 2010; 19(4): 933-945.

Paula MM, Kamimura QP, Silva JLG. Mercados institucionais na agricultura familiar: Dificuldades e desafios. Revista de Política Agrícola. 2014; 1: 33-43.

Alexandre VP, Gomes LOF, Silva SU, Almeida GM, Martins KA, Monego ET, Sousa LM, Campos MRH. Do campo à escola: compra de alimentos da agricultura familiar pelo Programa Nacional de Alimentação Escolar em Territórios da Cidadania de Goiás. Revista de Segurança Alimentar e Nutricional. 2016; 23: 1049-1064.

Medina G, Camargo R, Silvestre W, Lee F. Retrato da Agricultura Familiar em Goiás. In: Medina G. (Org). Agricultura Familiar em Goiás: lições para o assessoramento técnico. Goiânia: Editora Kelps; 2012.

Conselho Federal de Nutricionistas. Resolução/CFN nº 465 de 23 de agosto de 2010. Dispõe sobre as atribuições do Nutricionista, estabelece parâmetros numéricos mínimos de referência no âmbito do Programa de Alimentação Escolar (PAE) e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília-DF, 25 Ago 2010. Seção I, p. 118-119.

Alexandre V.P. Construindo novas trajetórias e fortalecendo redes por meio de desenvolvimento rural sustentável – FANUT 133. Goiânia: Projeto cadastrado na Pro Reitoria de Extensão e Cultura (PROEC UFG); 2012. 10 p.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Cidades. 2014.

Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA). Emissão de extrato de DAP por município. 2013.

Patton MQ. Qualitative evaluation and research methods. 2. ed. California: Sage; 2007.

Creswell JW, Clark VLP. Designing and conducting mixed methods research. 2 ed. California: Sage, 2011.

Helsloot N, Hak T. Pêcheux's Contribution to Discourse Analysis. Forum Qualitative Social Research. 2016; 8: 2.

Vogt SPC, Souza RS. Mercados institucionais como instrumento de fortalecimento da agricultura familiar: uma análise do Programa de Aquisição de Alimentos na Região Celeiro-RS. In: Livro de resumos do Congresso da Sociedade Brasileira de Economia, administração e sociologia rural, v. 47, 2009, Porto Alegre.

Teodoro PHM. O paradigma do desenvolvimento e a polissemia da sustentabilidade. Revista Sustentabilidad(es). 2011; 1-18.

Brasil, Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Guia alimentar para a população brasileira. 2 ed. Brasília: Ministério da Saúde; 2014. 156 p.

Pan American Health Organization, World Health Organization. Ultra-processed food and drink products in Latin America: Trends, impact on obesity, policy implications. Washington, DC: PAHO; 2015. 76 p.

Brasil, Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. Resolução nº 26 de junho de 2013. Dispõe sobre o atendimento da alimentação escolar aos alunos da educação básica no âmbito do Programa Nacional de Alimentação Escolar – PNAE.

Alexandre VP, Pereira M, Medina G, Martins BB. Passos da comercialização pelo Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae) e pelo Programa de Aquisição de Alimentos (PAA). In: Medina G. Agricultura Familiar em Goiás: lições para o assessoramento técnico. Goiânia: UFG; 2014.

Cazella AA, Bonnal P, Maluf RS. Multifuncionalidade da agricultura familiar no Brasil e o enfoque da pesquisa. In: Cazella AA, Bonnal P, Maluf RS. Agricultura familiar: multifuncionalidade e desenvolvimento territorial no Brasil. Rio de Janeiro: Mauad X; 2009.

Teo CRPA, Monteiro CA. Marco legal do Programa Nacional de Alimentação Escolar: uma releitura para alinhar propósitos e prática na aquisição de alimentos. Revista de Nutrição. 2012; 25(5): 657-668.

Peixinho AML. A trajetória do Programa Nacional de Alimentação Escolar no período de 2003-2010: relato do gestor nacional. Ciência e Saúde Coletiva. 2013; 18(4): 909-916.

Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional. Documento de referência: Comida de verdade no campo e na cidade. 5ª Conferência Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional. Brasília-DF: Consea, 2015. 51 p.

Paiva CS, Camargo IBC, Correia MHS. Análise dos Cardápios da Alimentação Escolar Pública de Município Goiano de Pequeno Porte. Trabalho de Conclusão do Curso apresentado à banca examinadora da Faculdade de Nutrição, da Universidade Federal de Goiás para obtenção do título de nutricionista. 2014. 45 p.

Downloads

Publicado

2018-10-17

Como Citar

1.
Alexandre VP, Martins BB, Harold CA da S. Potencializando o desenvolvimento humano sustentável por meio do apoio à mercados locais em um município de Goiás, Brasil. Segur. Aliment. Nutr. [Internet]. 17º de outubro de 2018 [citado 25º de outubro de 2021];25(3):17-28. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/san/article/view/8651328

Edição

Seção

Artigo de Segurança Alimentar e Nutricional

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)