Padrões de consumo alimentar baseados no orçamento das famílias na região metropolitana de São Paulo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/san.v25i3.8652327

Palavras-chave:

Padrões dec onsumo alimentar. Níveis de renda. Análise fatorial exploratória.

Resumo

Os padrões alimentares fornecem dados de frequência alimentar e de consumo, permitindo avaliar a dieta com base no orçamento das famílias analisadas. Os microdados analisados são fornecidos pela Pesquisa de Orçamentos Familiares – POF 2008/2009, incluindo 16 grupos de alimentos. Foi utilizada a Análise Fatorial Exploratória para a análise dos microdados, os quais foram ponderados pelo fator de expansão, representando a população do respectivo nível de renda analisado. Os níveis de renda A e B apresentaram padrão de consumo alimentar voltado para alimentos saudáveis e de origem vegetal; o padrão de consumo do nível de renda C não compreende grande parte dos alimentos de origem vegetal; o nível de renda D teve padrão baseado em produtos animais; o nível de renda E teve como padrão os produtos processados e de consumo rápido. Os níveis de renda diferentes apresentam padrões de consumo de alimentos distintos, sendo esses padrões mais homogêneos em classes de renda mais baixas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Davi Augusto Camargo, Universidade de São Paulo

Graduado em Ciências dos Alimentos - Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz / Universidade de São Paulo

Luiz Fernando Satolo, Universidade de São Paulo

Professor Departmento de Economia, Administração e Sociologia - Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz / Universidade de São Paulo

Referências

Moratoya EE, Carvalhaes GC, Wander AE, Almeida LMCDM. Mudanças no padrão de consumo alimentar no Brasil. Rev Política Agrícola [Internet]. 2013;22(1):72–84. Disponível em: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/bitstream/doc/958212/1/mudancas.pdf

Newby PK, Tucker KL. Empirically derived eating patterns using factor or cluster analysis: a review. Nutr Rev [Internet]. 2004 May [cited 2017 Aug 7];62(5):177–203. Disponível em: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/15212319

Teresa M, Olinto A. Parte I -Métodos em epidemiologia nutricional. 2007 [cited 2017 Aug 7];213–25. Disponível em: http://books.scielo.org/id/rrw5w/pdf/kac-9788575413203-15.pdf

Kourlaba G, Panagiotakos DB. Dietary quality indices and human health: A review. Maturitas. 2009;62(1):1–8.

Diez Garcia RW. A comida, a dieta, o gosto: mudança na cultura alimentar urbana. 1999 [cited 2018 Apr 21]; Disponível em: http://bases.bireme.br/cgi-bin/wxislind.exe/iah/online/?IsisScript=iah/iah.xis&src=google&base=LILACS&lang=p&nextAction=lnk&exprSearch=258737&indexSearch=ID

Rizzolo A, Pinheiro DO. SEGURANÇA Reflexões sobre o Processo Histórico / Político de Construção da Organic law of food and nutrition security : reflections on a historical – political process. 2008;15(2):1–15.

Hoffman R. Comparando a alimentação dentro e fora do domicílio, no Brasil, em 2008-2009. Segurança Aliment e Nutr [Internet]. 2013;20(1):12. Disponível em: http://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/san/article/view/8634618

Downloads

Publicado

2018-10-17

Como Citar

1.
Camargo DA, Satolo LF. Padrões de consumo alimentar baseados no orçamento das famílias na região metropolitana de São Paulo. Segur. Aliment. Nutr. [Internet]. 17º de outubro de 2018 [citado 26º de novembro de 2021];25(3):94-103. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/san/article/view/8652327

Edição

Seção

Artigo de Segurança Alimentar e Nutricional