Práticas e percepções de universitários sobre alimentação: estudo qualitativo utilizando grupos focais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/san.v25i3.8652959

Palavras-chave:

Pesquisa qualitativa. Comportamento alimentar. Grupos focais. Estudantes. Segurança alimentar e nutricional.

Resumo

Aspectos valorativos e atitudinais sobre alimentação entre jovens são pouco conhecidos. Objetivos: avaliar práticas e percepções de estudantes sobre alimentação em uma universidade pública. Métodos: a amostra (n=31) foi composta por estudantes de graduação do 1º ao 5º ano.  Os dados foram obtidos por meio de técnica qualitativa, utilizando-se o método de grupos focais (foram realizados quatro grupos). Os resultados foram analisados utilizando o procedimento de categorização das falas. Resultados: no tocante ao acesso e disponibilidade à alimentação, os estudantes citaram a conveniência, o preço baixo e variedade do restaurante universitário para a realização das refeições, mas citaram a monotonia de sabores como um empecilho à escolha do local.  O local de moradia caracteriza-se como o ambiente capaz de modificar seu comportamento alimentar e, associado a comensalidade promove o consumo de alimentos processados e ultraprocessados. Entre estudantes que saíram da casa da família para fins de estudo, a inabilidade de prover o alimento no domicílio dificulta a manutenção de hábitos alimentares adequados. O consumo de alimentos “prejudiciais à saúde” esteve associado a produtos processados e ultraprocessados. Estratégias de promoção de saúde entre jovens devem estar pautadas nos aspectos sociais e ambientais, afim de proporcionar mudanças individuais efetivas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Francini Xavier Rossetti, Universidade de São Paulo

Departamento de Agroindústria, Alimentos e Nutrição, área de Segurança Alimentar e Nutricional - Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, Universidade de São Paulo

Marina Vieira da Silva, Universidade de São Paulo

Professora do Departamento de Agroindustria, Alimentos e Nutrição - Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, Universidade de São Paulo

Referências

Mullaney M, Corish C, Loxley A. Exploring the nutrition and lifestyle knowledge, attitudes and behaviour of student home economics teachers: baseline findings from a 4‐year longitudinal study. Int. J. Consum. Stud. [Internet]. 2008 [Acesso em 2018 jul 18];32(4):314-322. Disponível em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/epdf/10.1111/j.1470-6431.2007.00650.x

Godfray HCJ, Beddington JR, Crute IR, Haddad L, Lawrence D, Muir JF, et al. Food Security: The challenge of feeding 9 billion people. Science [Internet]. 2010 [Acesso em 2018 jul 18];327(5967):812-818. Disponível em: http://science.sciencemag.org/content/327/5967/812/tab-pdf

Contreras JH. Patrimônio e globalização: o caso das culturas alimentares. In: Canesqui AM, Diez Garcia RW, organizadores. Antropologia e nutrição: um diálogo possível. Rio de Janeiro: Fiocruz; 2011, p.129-145.

Johns T, Powell B, Maundu P, Eyzaguirre PB. Agricultural biodiversity as a link between traditional food systems and contemporary development, social integrity and ecological health. J. Sci. Food. Agric. [Internet]. 2013 [Acesso em 2018 jul 18]; 93(14):3433-3442.Disponível em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/epdf/10.1002/jsfa.6351

Dernini S, Meybeck A, Burlingame B, Gitz V, Lacirignola C, Debs P, et al. Developing a methodological approach for assessing the sustainability of diets: the Mediterranean diet as a case study. New Medit. [Internet]. 2013[Acesso em 2018 jul 18];12(3):28-36. Disponível em: http://newmedit.iamb.it/share/img_new_medit_articoli/949_28-dernini.pdf

Rossetti FX. Consumo alimentar, estado nutricional e percepção de segurança alimentar e nutricional entre estudantes de uma universidade pública [dissertação]. Piracicaba: Universidade de São Paulo; 2015.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa de Orçamentos Familiares 2008-2009: antropometria e estado nutricional de crianças, adolescentes e adultos no Brasil. IBGE; 2010.

Gatti B. Grupo focal na pesquisa em Ciências Sociais e Humanas. Brasília: Liber Livros; 2005.

Brasil. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. Resolução nº 466, de 12 de dezembro de 2012. Aprova as diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Diário Oficial da República Federativa do Brasil; 2013.

Costa M. Grupo focal. In: Duarte J, Barros A (editores). Métodos e técnicas em pesquisas em comunicação. São Paulo: Atlas; 2008.

Story M, Neumark-Sztainer D, French S. Individual and Environmental Influences on Adolescent Eating Behaviors. J. Am. Diet. Assoc. 2002;102(3):S40-S51.

Kepple AW, Segall-Corrêa AM. Conceptualizing and measuring food and nutrition security. Ciên. Saúde Coletiva [Internet]. 2011 [Acesso em 2018 jul 18]; 16(1):187-199. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csc/v16n1/v16n1a22.pdf

Carlsen B, Glenton C. What about N? A methodological study of sample-size reporting in focus groups. BMC Med. Res. Methodol. [Internet]. 2011[Acesso em 2018 jul 18];11(1): 26. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3061958/pdf/1471-2288-11-26.pdf

Yuyama LKO, Py-Daniel V, Ishikawa N, Medeiros J, Kepple A, Segall-Corrêa A. Percepção e compreensão dos conceitos contidos na Escala Brasileira de Insegurança Alimentar, em comunidades indígenas no estado do Amazonas, Brasil. Rev. de Nutrição [Internet]. 2008[Acesso em 2018 jul 18];21(supl.):53s-63s. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rn/v21s0/06.pdf

Segall-Corrêa AM, Marin-Leon L. A segurança alimentar no Brasil: proposição e usos da Escala Brasileira de Medida da Insegurança Alimentar (EBIA) de 2003 a 2009. Seg. Alim. Nutr. [Internet]. 2009 [Acesso em 2018 jul 18];16(2):1-19. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/san/article/view/8634782/2701

Nelson MC, Kocos R, Lytle L, Perry C. Understanding the Perceived Determinants of Weight-Related Behaviors in Late Adolescence: A Qualitative Analysis Among College Youth. J. Nutr. Educ. Behav. 2009; 41(4): 287-292.

Alves HJ, Boog, MCF. Comportamento alimentar em moradia estudantil: um espaço para promoção da saúde. Rev. Saúde Pública [Internet]. 2007[Acesso em 2018 jul 18];41(2):197-204. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rsp/v41n2/06-5577.pdf

Moreira Junior F, Pafiadache C, Loose LH, Piaia R, Scher VT, Peripolli A, et al. Satisfação dos usuários do restaurante universitário da Universidade Federal de Santa Maria: uma análise descritiva. Rev. Sociais e Humanas [Internet].2015[Acesso em 2018 jul 18];28(2):83-108. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/sociaisehumanas/article/view/14891/pdf

Young LR, Nestle M. The Contribution of Expanding Portion Sizes to the US Obesity Epidemic. Am. J. Public. Health. [Internet]. 2002[Acesso em 2018 jul 18];92(2):246-249. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC1447051/pdf/0920246.pdf

Imperatori TK. A trajetória da assistência estudantil na educação superior brasileira. Serv. Soc. & Soc. [Internet]. 2017[Acesso em 2018 jul 18];129:285-303. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/sssoc/n129/0101-6628-sssoc-129-0285.pdf

Brasil. Lei nº 11.947 de 16 de junho de 2009. Dispõe sobre o atendimento da alimentação escolar e do Programa Dinheiro Direto na Escola aos alunos da educação básica. Diário Oficial da União.17 jun 2009.

Papadaki A, Hondros G, Scott J, Kapsokefalou M. Eating habits of University students living at, or away from home in Greece. Appetite.2007;49(1) 169-176.

Poobalan A, Aucott L, Clarke A, Smith W. Diet behaviour among young people in transition to adulthood (18–25 year olds): A mixed method study. Health Psychol. Behav. Med. [Internet]. 2014[Acesso em 2018 jul 18];2(1):909-928. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4346025/pdf/rhpb-2-909.pdf

Martins AP, Levy R, Claro R, Moubarac J-C, Monteiro C. Increased contribution of ultra-processed food products in the Brazilian diet (1987-2009). Rev. de Saúde Pública [Internet]. 2013[Acesso em 2018 jul 18];47(4):656-665. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rsp/v47n4/0034-8910-rsp-47-04-0656.pdf

Loureiro MP. Estado nutricional e hábitos alimentares de universitários. Seg. Alim. Nutr.[Internet]. 2016[Acesso em 2018 jul 18];23(2):955-972. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/san/article/view/8647612/14849

Deliens T, Clarys P, De Bourdeaudhuij I, Deforche B. Determinants of eating behaviour in university students: A qualitative study using focus group discussions. BMC Public Health[Internet]. 2014[Acesso em 2018 jul 18];14(1):1-22. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3905922/

El Ansari W, Stock C, Mikolajczyk R. Relationship between food consumption and living arrangements among university students in four European countries - A cross-sectional study. Nut. J.2012;11(28):1-7.

LaCaille L, Dauner K, J Krambeer R, Pedersen J. Psychosocial and environmental determinants of eating behaviors, physical activity, and weight change among college students: a qualitative analysis. J. Am. Coll. Health.2011;59(6):531-538.

Hartman H, Wadsworth D, Penny S, Assema P, Page R. Psychosocial determinants of fruit and vegetable consumption among students in a New Zealand university. Results of focus group interviews.Appetite.2013;65:35-42.

Greaney M, Lees F, White A, F Dayton S, Riebe D, Blissmer B, et al. College students' barriers and enablers for healthful weight management: a qualitative study. J. Nutr. Educ. Behav.2009;41(4):281-286.

Rodrigues É M, Boog M CF. Problematização como estratégia de educação nutricional com adolescentes obesos. Cad. Saúde Pública. [Internet].2006[Acesso em 2018 jul 18];22(5):923-931. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csp/v22n5/05.pdf

Diez-Garcia R. Práticas e comportamento alimentar no meio urbano: um estudo no centro da cidade de São Paulo. Cad. Saúde Pública[Internet]. 1997 [Acesso em 2018 jul 18];13(3):455-467. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csp/v13n3/0170.pdf

Blichfeldt B, Gram M. Lost in transition? Student food consumption. High. Educ..2013;65(3):277-289.

Monteiro CA, Louzada MLdC. Ultraprocessamento de alimentos e doenças crônicas não transmissíveis: implicações para políticas públicas. In: Nogueira RP, Santana JP, Rodrigues VA, Ramos ZVO, organizadores. Observatório Internacional de Capacidades Humanas, Desenvolvimento e Políticas Públicas: estudos e análises 2. Brasília, UnB/ObservaRH/Nesp – Fiocruz/Nethis, 2015, p.167-180.

Brasil. Ministério da Saúde. Guia alimentar para a população brasileira. 2. ed. Brasília: Ministério da Saúde;2014.158 p.

Larson NI, Perry CL, Story M, Neumark-Sztainer D. Food Preparation by Young Adults Is Associated with Better Diet Quality. J. Am. Diet. Assoc.2006;106(12):2001-2007.

Pelletier JE, Laska MN, Neumark-Sztainer D, Story M. Positive attitudes toward organic, local, and sustainable foods are associated with higher dietary quality among young adults. J. Acad. Nutr. Diet.[Internet]. 2013[Acesso em 2018 jul 18];113(1):127-132. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3547614/pdf/nihms423964.pdf

Portilho F, Castañeda M, Rugani Ribeiro de Castro I. A alimentação no contexto contemporâneo: consumo, ação política e sustentabilidade. Ciênc. Saúde Coletiva [Internet].2011[Acesso em 2018 jul 18];16(1):99-106. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csc/v16n1/v16n1a14.pdf

World Health Organization. Global strategy on diet, physical activity and health. 2004.

Downloads

Publicado

2018-10-17

Como Citar

1.
Rossetti FX, Silva MV da. Práticas e percepções de universitários sobre alimentação: estudo qualitativo utilizando grupos focais. Segur. Aliment. Nutr. [Internet]. 17º de outubro de 2018 [citado 25º de outubro de 2021];25(3):81-93. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/san/article/view/8652959

Edição

Seção

Artigo de Segurança Alimentar e Nutricional

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 > >>