Bovinocultura de corte e SAN: percepção de sustentabilidade de agentes da cadeia

Palavras-chave: Bovinocultura de corte. Sistemas produtivos. Sustentabilidade. Segurança alimentar.

Resumo

A bovinocultura de corte é uma das principais atividades do agronegócio brasileiro e o consumo de carne bovina tem grande relevância para a garantia da segurança alimentar. No entanto, a baixa produtividade da maioria dos sistemas produtivos associa a atividade à importantes impactos ambientais e sociais – o que, por consequência, também desperta questionamentos acerca da segurança alimentar. Com base neste contexto e no quadro conceitual da Nova Economia Institucional, este estudo teve como objetivo identificar a percepção de agentes da cadeia da carne bovina em relação aos desafios da atividade e da sustentabilidade da produção. Foram realizadas 15 entrevistas não-estruturadas com agentes do setor. Os resultados apontam que o aumento de produtividade é percebido pelos entrevistados como o maior e mais imediato desafio da cadeia. Ainda que o uso de tecnologias venha crescendo, e a pecuária esteja se modernizando, a falta de visão de longo prazo, aliado ao perfil tradicional do pecuarista, aversão a risco e grande cautela em realizar investimentos foram pontos enfatizados. Sistemas de integração lavoura-pecuária ou lavoura-pecuária-floresta foram chamados de “tendência” no que se refere à incorporação de sustentabilidade na produção. Entretanto, os resultados evidenciam que a percepção da importância da sustentabilidade ambiental é secundária, a medida em que os esforços estão direcionados para a sustentabilidade econômica da produção. Ainda assim, as sinergias produtivas dos sistemas de integração podem ser “portas de entrada” para o debate da sustentabilidade em suas múltiplas dimensões.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Natália Salaro Grigol, Universidade de São Paulo

Mestre em Ecologia Aplicada pela Universidade de São Paulo. Pesquisadora do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada.

Mariane Crespolini dos Santos, Universidade Estadual de Campinas
graduada em Gestão Ambiental pela Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" - Universidade de São Paulo. Mestra e doutoranda em Desenvolvimento Econômico no Instituto de Economia - Universidade Estadual de Campinas.
Marianne Aline Tufani Batista, Universidade de São Paulo
Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada da Universidade de São Paulo
João Paulo Franco da Silveira, Universidade Federal de Uberlândia
Graduação em Zootecnia pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, mestrado e doutorado em Zootecnia pela Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia - Unesp e Pós Doutorado pela Universidade Federal de Uberlândia.
Caio Augusto de Souza Mello Monteiro, Universidade de São Paulo
Pesquisador da Equipe de Proteína Animal o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada desde 2017, onde desenvolve estudos relacionados aos custos de produção pecuários.

Referências

Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada. PIB do Agronegócio Brasileiro [Internet]. 2017 [Acesso em 27 jun 2018]. Disponível em: https://www.cepea.esalq.usp.br/br/pib-do-agronegocio-brasileiro.aspx

United States Department of Agriculture (USDA). Livestock and Poultry: World Markets and Trade [Internet]. 2018 [Acesso em 25 jun 2018]. Disponível em: https://apps.fas.usda.gov/psdonline/circulars/livestock_poultry.pdf

Silva PP. A conversa entre a cozinheira e o cordon bleu: breve reflexão sobre a cozinha e a gastronomia no Brasil. In: Miranda DS, Cornelli G (org.) Cultura e Alimentação: saberes alimentares e sabores culturais. São Paulo: SESC; 2007.

Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) [Internet]. [Acesso em 10 jul 2018]. Disponível em: http://abpa-br.com.br

Carvalho TB, Bacchi MRP. Estudo da elasticidade-renda da demanda de carne bovina, suína e de frango no Brasil. In: 35o Encontro Nacional de Economia, 2007; Recife. Recife: ANPEC; 2007.

Brasil. Lei no 11.346, de 15 de setembro de 2006 [Internet]. Diário Oficial da União. 2006 set. 15. [Acesso em 11 jul 2018]. Disponível em: http://www.unipac.br

Custódio MB, Furquim NR, Santos GMM, Cyrillo DC. Segurança alimentar e nutricional e a construção de sua política: uma visão histórica. Segur Aliment Nutr. 2011;18(1):1-10.

FAO – Food and Agriculture Organization of the United Nations. World Agriculture Towards 2030/2050 – The 2012 Revision. ESA Working Paper No 12-03, 154 p, Rome, FAO [Internet]. 2012 [Acesso em 01 mar 2018.] Disponível em: http://www.fao.org/docrep/016/ap106e/ap106e.pdf

Michelini J. A pecuária bovina de corte no Brasil: significados, contradições e desafios em busca da sustentabilidade [tese]. São José dos Campos: Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais; 2016.

De Zen S, Santos MC. Demanda por carne está ao alcance do Brasil! Revista DBO – a revista de negócios da pecuária. 2015: 18.

Dias-Filho MB. Degradação de pastagens: processos, causas e estratégias de recuperação. Belém: Embrapa Amazônia Oriental; 2011.

Herrero M, Thornton PK. Livestock and global change: Emerging issues for sustainable food systems. Proceedings of the National Academy of Sciences. 2013: 110(52): 20878-20881.

Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento: Nosso Futuro Comum. Rio de Janeiro: FGV; 1988.

Brasil. Ministério da Saúde. Guia alimentar para a população brasileira, Brasília: Ministério da Saúde; 2014.

Tobler C, Visschers VHM, Siegrist M. Eating Green. Consumers’ Willingness to Adopt Ecological Food Consumption Behaviors. Appetite. 2011; 57(3):674-682.

Kluthcouski J, Cordeiro LAM, Vilela L, Marchão RL, Salton JC, Macedo MCM, et al. Conceitos e modalidades da estratégia de Integração Lavoura-PecuáriaFloresta [Internet]. Brasília, DF: Embrapa, 2015 [Acesso em 17 jul 2018]. Disponível em: https://ainfo.cnptia.embrapa.br

Prado Júnior C. Formação do Brasil contemporâneo. São Paulo: Editora Brasiliense; 1945.

Furtado C. Formação Econômica do Brasil. Rio de Janeiro: Editora Fundo de Cultura S/A; 1964.

Correa VHC, Belik W. A expansão recente e a ocupação de novas áreas pelas produções de soja, cana-de-açúcar e pecuária bovina no Centro-Oeste. In: Anais do 51o Congresso da Sociedade Brasileira de Economia, Administração e Sociologia Rural (SOBER), 2013; Belém. Belém: SOBER; 2013.

Domingues MS, Bermann C. O arco de desflorestamento na Amazônia: da pecuária à soja. Ambient. soc. [Internet]. 2012 [Acesso em 25 fev 2018]; 15(2): 1-22. Disponível em: http://www.scielo.br

Dias-Filho MB. Uso de Pastagens para a Produção de Bovinos de Corte no Brasil: Passado, Presente e Futuro. Belém: Embrapa Amazônia Oriental; 2016.

Fernandes VB, Morgan TA. Debilidade da governança de terras no Brasil: o caso do Pará. In: FAO/SEAD. Governança de terras: da teoria à realidade brasileira. Brasília: FAO/SEAD; 2017.

Scarborough P, Appleby PN, Mizdrak A, Briggs ADM, Travis R, Bradbury KE, et al. Dietary greenhouse gas emissions of meat-eaters, fish-eaters, vegetarians and vegans in the UK. Climatic Change. 2014; 125(2):179-192.

SEEG. Sistema de Estimativas de Emissões e Remoções de Gases de Efeito Estufa (SEEG) – Observatório do Clima (OC). Base de Dados de Estimativa de Emissões de Gases de Efeito 70 Estufa no Brasil 1970-2016 – SEEG 5.0 [Internet]. 2018 [Acesso em 20 jun 2018]. Disponível em: http://plataforma.seeg.eco.br

North DC. Five propositions about institutional change. In: Knight J, Sened I (org.). Explaining social institutions. Ann Arbor: Michigan Universiy Press; 1995.

Santos MC, Belik W, De Zen S, Almeida LH. A rentabilidade da pecuária de corte no Brasil. Segur Aliment Nutr. 2014; 2:505-517.

Silva CAB, Batalha MO. Estudo sobre a eficiência econômica e competitividade da cadeia agroindustrial da pecuária de corte no Brasil. Brasília: IEL, CNA e SEBRAE; 2000.

Martha GB, Alves E, Contini E. Land-saving approaches and beef production growth in Brazil. Agricultural Systems. 2012; 110: 173-177.

Strassburg BBN, Latawiec AE, Barioni LG, Nobre CA, Silva VP, Valentim JF, et al. When enough should be enough: improving the use of current agricultural lands could meet production demands and spare natural habitats in Brazil. Global Environmental Change. 2014; 28:84-97.

Vedana MB, Vieira ETV, Itavo LCV. Produção Integrada: Possibilidade de Alimentos Seguros e de Qualidade. Agro em questão – Revista de Iniciação Científica da Faculdade CNA. 2017; 1(I):112-126.

Corsi M, Goulart R. O sistema de produção de carne e as exigências da sociedade moderna. In: Anais do Simpósio sobre manejo da pastagem, 2006; Piracicaba. Piracicaba; FEALQ; 2006.

Balbino LC, Cordeiro LAM, Porfirio-da-Silva V, Moraes ADE, Martinez GB, et al. Evolução tecnológica e arranjos produtivos de sistemas de Integração lavoura-pecuária-floresta no Brasil. Brasília (DF): Pesquisa Agropecuária Brasileira; 2011.

Balbino L, Barcellos AO, Stone LF. Marco referencial: integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF). Brasília (DF): ILPF; 2011.

Crespolini M, Tufani M, Ermita OP, Luna I. Desafios e Oportunidades da Integração Lavoura-Pecuária em Rondônia: um estudo de caso da Fazenda Quatro Maravilhas. In: Anais do 56o Congresso da Sociedade Brasileira de Economia, Administração e Sociologia Rural (SOBER), 2018; Campinas. Campinas; SOBER; 2018.

Organização Mundial das Nações Unidas no Brasil [Internet]. A cúpula. 2002 [Acesso em 28 ago 2018]. Disponível em: https://nacoesunidas.org/pos2015/cupula

Engel JF, Blackwell RD, Miniard PW. Comportamento do Consumidor. Rio de Janeiro: LTC Editor; 2000.

Maltz E, Kohli AK. Market intelligence dissemination across functional boundaries. Journal of Marketing Research. 1996; 33: 47-61.

Cooke P. Regional innovation systems - an evolutionary approach. In Cooke P, Heidenreich M, Braczyk HJ. Regional Innovation Systms. The role of governance in a globalized world. London: Routledge; 2004.

Bernard HR. Research Methods in Anthropology: qualitative and quantitative approaches. Plymouth: AltaMira Press; 2011.

Blum R. Agricultura Familiar: estudo preliminar da definição, classificação e problemática. In: Tedesco JC. (org.). Agricultura Familiar: Realidades e Perspectivas. Passo Fundo: EDIUPF; 2001.

Publicado
2019-03-27
Como Citar
Grigol, N. S., dos Santos, M. C., Batista, M. A. T., Silveira, J. P. F. da, & Monteiro, C. A. de S. M. (2019). Bovinocultura de corte e SAN: percepção de sustentabilidade de agentes da cadeia. Segurança Alimentar E Nutricional, 26, e019011. https://doi.org/10.20396/san.v26i0.8653853
Seção
Artigo de Segurança Alimentar e Nutricional