Modos de organização e desafios da participação dos Agricultores Familiares no Programa Nacional de Alimentação Escolar

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/san.v28i00.8659189

Palavras-chave:

Agricultura familiar, Programa Nacional de Alimentação Escolar, Vendas locais

Resumo

Introdução: A venda dos produtos da agricultura familiar para o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) representa uma experiência que favorece a sustentabilidade alimentar. Objetivo: Descrever os alimentos fornecidos ao PNAE e caracterizar a venda do agricultor familiar segundo organização produtiva, considerando estabelecimento familiar e apoio institucional e técnico, nos municípios do estado de São Paulo. Métodos: Trata-se de um estudo transversal realizado entre 2012 e 2013 com 110 agricultores que forneceram alimentos para 16 municípios do PNAE no Estado de São Paulo. Os dados foram coletados por meio de questionários estruturados e para a análise foram utilizadas estatística descritiva e teste de McNemar. Resultados: Houve prevalência no fornecimento de alimentos in natura pelos agricultores familiares; e aumento das vendas para mercados institucionais, após a vigência da Lei no 11.947/2009. A falta de apoio institucional e de assistência técnica foram as dificuldades mais prevalentes para os agricultores. Conclusão: A agricultura familiar é uma fonte de acesso a alimentos in natura para o PNAE contribuindo para um cardápio escolar saudável, com alimentos frescos e locais. Os fatores que mais dificultam a venda da agricultura familiar para o PNAE são a necessidade de apoio técnico e institucional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Paula Cantarino Frasão do Carmo, Universidade de São Paulo

Nutricionista graduada pela Universidade Federal Fluminense. Mestre em Ciências pela Faculdade de Saúde de Pública da Universidade de São Paulo.

Betzabeth Slater Villar, Universidade de São Paulo

Mestre em Ciências, Doutora e Professora Livre Docente pela Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo.

Daniela Bicalho, Universidade de São Paulo

Mestre e Doutoranda em ciências pela Faculdade de Saúde de Pública da Universidade de São Paulo.

Flavia da Silva Miguel, Universidade de São Paulo

Nutricionista graduada pela Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo.

Flavia Schwartzman, Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura

Doutora em Ciências pela Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo.

Rosana Maria Nogueira, Universidade de São Paulo

Doutora em Alimentos e Nutrição pela Universidade Estadual de Campinas, e Pós-doutoranda pela Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo.

Referências

Toyoyoshi JY, Oliveira R, Santos MSN, Galisa MS, Galante AP. Avaliação da aquisição de gêneros alimentícios provenientes da agricultura familiar para a alimentação escolar. Mundo Saúde. 2013; 37(3):329-335.

Triches RM, Schneider S. Alimentação escolar e agricultura familiar: reconectando o consumo à produção. Saude Soc [Internet]. 2010 [acesso em 2019 ago 06]; 19(4):933-945. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0104-12902010000400019.

Ferigollo D, Kirsten VR, Heckler D, Figueredo OAT, Perez-Cassarino J, Triches RM. Aquisição de produtos da agricultura familiar para alimentação escolar em municípios do Rio Grande do Sul. Rev Saúde Pública. 2017;51:56

Saraiva EB, Silva APF, Souza AA, Cerqueira GF, Chagas CMS, Toral N. Panorama da compra de alimentos da agricultura familiar para o Programa Nacional de Alimentação Escolar. Cienc Saude Coletiva [Internet]. 2013 [acesso em 2019 ago 06]; 18(4):927-935. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1413-81232013000400004.

Brasil. FNDE – Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. Resolução/CD/FNDE no 32, de 10 de agosto de 2006. Estabelece as normas para a execução do Programa Nacional de Alimentação Escolar – PNAE. Brasília: FNDE; 2013.

Brasil. FNDE – Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. Lei no 11.947, de 16 de junho de 2009. Dispõe sobre o atendimento da alimentação escolar e do Programa Dinheiro Direto na Escola aos alunos da educação básica. Brasília: Diário Oficial da União. 2009 jun 16.

Azevedo E, Rigon SA. Sistema alimentar com base no conceito de sustentabilidade. In: Taddei JA, Lang RMF, Longo-Silva G, Toloni MHA, organizadores. Nutr Saúde Pública. Rio de Janeiro: Rubio; 2011. p. 543-560.

Burlandy L, Maluf RS. Soberania alimentar. In: Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional. A segurança alimentar e nutricional e o direito humano à alimentação adequada no Brasil: indicadores e monitoramento da constituição de 1988 aos dias atuais. Brasília: CONSEA; 2010. Unidade 1-2.

Belik W, Souza LR. Algumas reflexões sobre os programas de alimentação escolar na América Latina. Planej Polít Públicas. 2009;33:103-122.

Teo CRPA, Monteiro CA. Marco legal do Programa Nacional de Alimentação Escolar: uma releitura para alinhar propósitos e práticas na aquisição de alimentos. Rev Nutr. [Internet]. 2012 [acesso em 2019 mai 23]; 25(5):657-668. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1415-52732012000500010.

Carvalho DG. Licitações sustentáveis, alimentação escolar e desenvolvimento regional: uma discussão sobre o poder de compra governamental a favor da sustentabilidade. Plan Polit Publicas. 2009;32:115-147.

Turpin ME. A alimentação escolar como fator de desenvolvimento local por meio do apoio aos agricultores familiares. Segur Aliment Nutr. [Internet]. 2009 [acesso em 2019 set 27]; 16(2):20-42. Disponível em: https://doi.org/10.20396/san.v16i2.8634783

European Commission. Green public procurement: a collection of good practices. Luxembourg: Publications Office of the European Union; 2012.

Chaves LG, Mendes PNR, Brito RR, Botelho RBA. O programa nacional de alimentação escolar como promotor de hábitos alimentares regionais. Rev Nutr [Internet]. 2009 [acesso em 2019 set 27]; 22(6):857-66. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1415-52732009000600007

Sambuichi RHR, Silva AM, Oliveira MAC, Savian M. Compras Públicas sustentáveis e agricultura familiar: a experiência do programa de aquisição de alimentos (PAA) e do programa nacional de alimentação escolar (PNAE). In: Sambuichi RHR, Silva AM, Oliveira MAC, Savian M (Orgs). Políticas agroambientais e sustentabilidade desafios, oportunidades e lições aprendidas. Brasília: IPEA, 2014.

Spinelli MAS, Canesqui AM. O programa de alimentação escolar no estado de Mato Grosso: da centralização à descentralização (1979-1995). Rev Nutr [Internet]. 2002 [acesso em 2019 jun 24]; 15(1):105-117. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1415-52732002000100011.

Santos LMP, Araújo MPN, Martins MC, Veloso IC, Assunção MP, Santos SMC. Avaliação de políticas públicas de segurança alimentar e combate à fome no período 1995-2002. Cad Saude Publica. [Internet]. 2007 [acesso em 2019 jun 24]; 23(8):1931-1945. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0102-311X2007001100016.

Monteiro CA, Cannon G, Levy RB, Moubarac JC, Jaime PC, Martins AP, et al. NOVA. A estrela brilha. Classificação dos alimentos. Saúde Pública. World Nutrition. 2016;7(1-3):28-40.

Bicalho D, Villar BS. Efeito da lei do Programa Nacional de Alimentação Escolar na qualidade nutricional dos cardápios escolares. Segur Aliment Nutr. [Internet]. 2019 [acesso em 2020 mar 02]; 26:1-13. Disponível em: https://doi.org/10.20396/san.v26i0.8655583.

Brasil. Guia alimentar para a população brasileira. Ministério da Saúde. Brasília: Ministério da Saúde; 2014.

FNDE – Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. Resolução/CD/FNDE no 26, de 17 de junho de 2013. Dispõe sobre o atendimento da alimentação escolar aos alunos da educação básica no âmbito do Programa Nacional de Alimentação Escolar – PNAE. Brasília: FNDE; 2013.

Schwartzman F, Mora CAR, Bogus CM, Villar BS. Antecedentes e elementos da vinculação do programa de alimentação escolar do Brasil com a agricultura familiar. Cad. Saúde Pública [Internet]. 2017 [acesso em 2020 mar 02]; 33(12): e00099816. Disponível em: https://doi.org/10.1590/0102-311x00099816.

Oliveira MAC, Sambuichi RHR, Silva APM. Experiências agroecológicas brasileiras: uma análise a luz do desenvolvimento local. Revista Brasileira de Agroecologia. 2013;8(2):14-27.

Dias TF, Nunes EM, Torres FL, Torres ACM. O Programa de Aquisição de Alimentos da Agricultura Familiar (PAA) como estratégia de inserção socioeconômica: o caso do Território da Cidadania Sertão do Apodi (RN). Rev. Bras. de Gestão e Desenvolvimento Regional. 2013;9(3):100-129.

Triches RM, Baccarin JG. Interações entre alimentação escolar e agricultura familiar para o desenvolvimento local. In: Teo CRPA, Triches RM. Alimentação Escolar construindo interfaces entre saúde, educação e desenvolvimento. Chapecó: Ed. Argos; 2016.

Tesche RW, Machado JAD. A importância da reciprocidade no desempenho socioeconômico da agricultura familiar. Rev Estudos do CEPE. 2012;36:7-37.

Costa BAL, Junior PCGA, Silva MG. As Cooperativas da Agricultura Familiar e o Mercado de Compras Governamentais em Minas Gerais. Rev. Econ. Sociol. Rural [Internet]. 2015 [acesso em 2019 jun 24]; 53:109-126. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1234-56781806-9479005301006.

Souza LBB. Organizações da Agricultura Familiar no Estado de São Paulo e sua Experiência de Fornecimento para o PNAE. In: Projeto Nutre SP: análise da inclusão da agricultura familiar na alimentação escolar no estado de São Paulo, São Paulo: Instituto Via Pública; 2012.

Alexandre VP, Gomes LOF, Silva SU, Almeida GM, Martins KA, Monego ET, et al. Do campo à escola: compra de alimentos da agricultura familiar pelo Programa Nacional de Alimentação Escolar em Territórios da Cidadania de Goiás. Segur Aliment Nutr [Internet]. 2016 [acesso em 2019 jun 24]; 23:1049-1064. Disponível em: https://doi.org/10.20396/san.v23i0.8648015.

Corrêa ES, Silva LX, Agne CL. Programa nacional de alimentação escolar: um canal de comercialização da agricultura familiar em São Lourenço do Sul. In: 51o Congresso da Sociedade Brasileira de Economia, Administração e Sociologia Rural: novas fronteiras da agropecuária no Brasil e na Amazônia – desafios da sustentabilidade, 2013; Belém. Belém: SOBER; 2013.

Alexandre VP, Martins BB, Harold CAS. Construindo novas trajetórias e fortalecendo redes por meio de desenvolvimento rural sustentável – FANUT 133. Relatório final. Goiânia: Universidade Federal de Goiás; 2014.

Triches RM, Schneider S. Desestruturar para construir: interfaces para a agricultura familiar acessar o programa de alimentação escolar. Estudos Sociedade e Agricultura. 2012;20:66-105.

Bevilaqua K, Triches RM. Implicações da venda de gêneros alimentícios ao Programa de Alimentação Escolar nos aspectos de renda e organização dos agricultores familiares. Segur Aliment Nutr [Internet] 2014 [acesso em 2019 set 19]; 21(2):448-460. Disponível em: https://doi.org/10.20396/san.v21i2.8634474.

Gonçalves DB. Os desafios da Agricultura Familiar frente aos Programas de compras públicas de alimentos: um estudo sobre agricultores da região sudoeste do estado de São Paulo. Revista da Universidade Vale do Rio Verde. 2014;12:604-613.

Downloads

Publicado

2021-04-09

Como Citar

1.
Carmo APCF do, Villar BS, Bicalho D, Miguel F da S, Schwartzman F, Nogueira RM. Modos de organização e desafios da participação dos Agricultores Familiares no Programa Nacional de Alimentação Escolar. Segur. Aliment. Nutr. [Internet]. 9º de abril de 2021 [citado 20º de setembro de 2021];28(00):e021016. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/san/article/view/8659189

Edição

Seção

Artigos Originais