Insegurança alimentar e nutricional

uma análise sobre as políticas públicas de interface com alimentação e nutrição em meio a pandemia por Sars-CoV-2

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/san.v28i00.8661450

Palavras-chave:

Segurança Alimentar e Nutricional, Política Pública, Pandemia, COVID-19

Resumo

O presente estudo busca analisar a dinâmica das políticas de interface com a alimentação e nutrição no contexto da pandemia e suas interferências no cenário de Insegurança Alimentar e Nutricional (InSAN). Trata-se de uma pesquisa documental na qual elencou-se como fontes primárias de dados, documentos disponíveis em sites institucionais e textos divulgados em meios de comunicação jornalísticos. Desta forma, incluíram-se: legislações e textos jornalísticos digitais. Após a leitura exploratória dos documentos, foram delimitados os seguintes eixos de análise: Impactos da Emenda Constitucional no 95/2016 na atual crise sanitária; as políticas de alimentação e nutrição durante a pandemia e programas de transferência de renda e desemprego. Os resultados mostram que a atual crise sanitária agrava o cenário de InSAN, na medida em que as ações assistencialistas são insuficientes para atender a população nos períodos de calamidade pública. Soma-se a esse cenário o contexto anterior a pandemia, em que as necropolíticas de supressão dos direitos contribuíram com o agravo das vulnerabilidades sociais, incluindo a falta de acesso a comida.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcos Vinícius Alves Santos, Faculdade União de Goyazes

Bacharel em Nutrição pela Faculdade União de Goyazes

Ingryd Garcia de Oliveira, Faculdade União de Goyazes

Docente do Curso de Nutrição da Faculdade União de Goyazes

Fernando Marcello Nunes Pereira, Universidade Federal de Goiás

Mestrando em Saúde Coletiva pela Universidade Federal de Goiás

Polianna Ribeiro Santos, Faculdade União de Goyazes

Docente do Curso de Nutrição da Faculdade União de Goyazes

Referências

Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura. The State of Food Security and Nutrition in the Word: safeguarding against economic slowdowns and downturns. Roma: ONU; 2019. [acesso em: 04 jun. 2020]. Disponível em: <http://www.fao.org/3/ca5162en/ca5162en.pdf.>

Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura. Segurança Alimentar e Nutricional em Todo o Mundo em 2020. Roma; ONU. [acesso em: 07 set. 2020]. Disponível em: < http://www.fao.org/3/ca9692en/online/ca9692en.html#chapter-1_1>.

Silva MFS, NUNES ED. Josué de Castro e o Pensamento Social Brasileiro. Rev Ciência e Saúde Coletiva. 2017; 22(11): 3677-3687.

Almeida JA, Santos AS, Nascimento MAO, Oliveira JVC, Silva DG, Mendes-Netto RS. Fatores associados ao risco de insegurança alimentar e nutricional em famílias de assentamentos rurais. Rev. Ciência & Saúde Coletiva. 2017; 22(2): 479-488.

Bezerra TA, Olinda RA, Pedraza DF. Insegurança alimentar no Brasil Segundo Diferentes Cenários Sociodemográficos. Rev. Ciência & Saúde Coletiva. 2017; 22(2):637-651.

Sousa LRM, Segall-Corrêa AM, Ville AS, Melgar-Quiñonez H. Food Security Status In Times Of Financial And Political Crisis In Brazil. Rev. Cadernos de Saúde Pública. 2019; 35(7):01-13.

Sperandio N, Priore SE. Prevalência de Insegurança Alimentar Domiciliar e Fatores Associados em Famílias com Pré-escolares, Beneficiárias do Programa Bolsa Família em Viçosa, Minas Gerais, Brasil. Rev. Epidemiologia e Serviços de Saúde. 2015; 24(4):739-748.

Brasil. Presidência da República, Subchefia para Assuntos Jurídicos. Lei no 11.346 de 15 de setembro de 2006. Cria o Sistema de Segurança Alimentar e Nutricional - SISAN com vistas em assegurar o direito humano à alimentação adequada e dá outras providências. Brasília, DF. 2006. [acesso em: 30 mai. 2020]. Disponível em: <http://www4.planalto.gov.br/consea/conferencia/documentos/lei-de-seguranca-alimentar-e-nutricional>.

Brasil. Presidência da República, Subchefia para Assuntos Jurídicos. Emenda Constitucional no 64 de 04 de fevereiro de 2010. Altera o art. 6º da Constituição Federal, para introduzir a alimentação como direito social. Brasília, DF. 2010. [acesso em: 30 mai. 2020]. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/emendas/emc/emc64.htm>.

Brasil. Presidência da República, Subchefia para Assuntos Jurídicos. Emenda Constitucional no 95 de 15 de dezembro de 2016. Altera o Ato das Disposições Constitucionais Transitórias, para instituir o Novo Regime Fiscal, e dá outras providências. Brasília, DF. 2016. [acesso em: 31 mai. 2020]. Disponível em: <http://pesquisa.in.gov.br/imprensa/jsp/visualiza/index.jsp?data=16/12/2016&jornal=1&pagina=2&totalArquivos=368>.

Mariano CM. Emenda Constitucional 95/2016 e o Teto dos Gastos Públicos: Brasil de Volta ao Estado de Exceção Econômico e ao Capitalismo do Desastre. Rev. de Investigações Constitucionais. 2017; 4(1): 259-281.

Segall-Corrêa AM, Marin-Leõn L, Melgar-Quinoñez H, Pérez-Escamilla R. Refinement of the Brazilian household food insecurity measurement scale: Recommendation for a 14-item EBIA. Revista de Nutrição. 2014; 27( 2): 241-251.

Ministério da Saúde (BR). O que é o coronavírus? Brasília: Ministério da Saúde: 2020. [acesso em: 09 abr. 2020]. Disponível em: https://www.saude.gov.br/o-ministro/746-saude-de-a-a-z/46490-novo-coronavirus-o-que-e-causas-sintomas-tratamento-e-prevencao-3.

Marconi MA, Lakatos EM. Fundamentos de Metodologia Científica. 5.ed. São Paulo: Editora Atlas, 2003.

Leite R, Rocha GA. Desenho de pesquisa, inferência e causalidade: caminhos entre a abordagem qualitativa e quantitativa. Rev. Eletrônica de Ciência Política. 2019; 10(1): 107-119.

Jinkings I. O golpe que tem vergonha de ser chamado de golpe. Para entender o impeachment e a crise política no Brasil. In: Jinkings I, Doria K, Cleto M. Por que Gritamos Golpe?. 1ed. São Paulo: Boitempo; 2016. p. 12-15.

Rossi P, Dweck E. O ódio como política: a reinvenção da direita no Brasil. In: Gallego ES. O discurso econômico da austeridade e os interesses velados. 1ed. São Paulo: Boitempo; 2018. p. 79-84.

Santos IS, Vieira FS. Direito à saúde e austeridade fiscal: o caso brasileiro em perspectiva internacional. Rev. Ciência e Saúde Coletiva. 2018; 23(7): 2303-2314.

Guimarães RM. Os impactos das políticas de austeridade nas condições de saúde dos países com algum tipo de crise. Rev. Trab. Educ. Saúde. 2018; 16(1): 383-388.

Brasil. Constituição, 1988. Constituição da República Federativa do Brasil. Art. 6º cap. II dos direitos sociais. Brasília: Senado Federal, 1988.

Menezes APR, Moretti B, Reis AAC. O futuro do SUS: impactos das reformas neoliberais na saúde pública–austeridade versus universalidade. Saúde em Debate. 2020; 43(especial): 58-70.

Souza FVL. Contextualizando o Golpe de 2016 e Seu Impacto nas Políticas Sociais. In: Anais VI Seminário Cetros. 2018, Fortaleza. p. 1-9. [acesso em: 08 abr. 2020]. Disponível em: <http://www.uece.br/eventos/seminariocetros/anais/trabalhos_completos/425-51175-13072018-083019.pdf>.

Rizzotto MF. A reafirmação da democracia e do direito universal à saúde em tempos de ultraneoliberalismo. Rev. Ciência e Saúde Coletiva. 2018; 23(6): 1717-1718.

David G, Cardoso A, Zigone C, Magalhães M, Beghin N, César Y, et al. Monitoramento dos Direitos Humanos em Tempos de Austeridade no Brasil. Instituto de Estudos Socioeconômicos – INESC, Oxfam Brasil, Centro Para Direitos Sociais e Econômicos; 2018. [acesso em: 09 jun. 2020]. Disponível em: <https://www.inesc.org.br/wp-content/upload/2018/08/Rel_Dir_Hum_Temp_Aust-NOVO-1-_V3.pdf>.

Saad-Filho A. Um Golpe no Brasil? A direita do Brasil está determinada a remover Dilma Rousseff do poder e prejudicar quaisquer movimentos à sua esquerda; 2016. [acesso em: 08 jun. 2020]. Disponível em: <https://www.jacobinmag.com/2016/03/dilma-rousseff-pt-coup-golpe-petrobras-lavajato>.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Ministério da Economia. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios: Análise da Segurança Alimentar no Brasil. Rio de Janeiro, RJ. 2020. [acesso em: 07 set. 2020]. Disponível em: <https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv101749.pdf>.

Aliaga MA, Santos SC, Trad LAB. Política(s) de segurança alimentar e nutricional: narrativas de líderes e moradores de um bairro popular de Salvador, Bahia, Brasil. Rev. Saúde e Sociedade. 2019; 28(4):125-136.

Santarelli M, Burity V, Silva LNB, Prates L, Rizzolo A, Rocha NC, et al. Da democratização ao Golpe: avanços e retrocessos na garantia do direito humano à alimentação e à nutrição adequadas no Brasil. Brasília: FIAN Brasil. 2017.

Krein JD. O desmonte dos direitos, as novas configurações do trabalho e o esvaziamento da ação coletiva: Consequências da reforma trabalhista. Rev. Tempo Social. 2018; 30(1): 77-104.

Brasil. Presidência da República, Subchefia para Assuntos Jurídicos. Decreto no 7272 de 25 de agosto de 2010. Regulamenta a Lei no 11.346, de 15 de setembro de 2006, que cria o Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional - SISAN com vistas a assegurar o direito humano à alimentação adequada, institui a Política Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional - PNSAN, estabelece os parâmetros para a elaboração do Plano Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional, e dá outras providências. Diário Oficial da União. Brasília. 2010. [acesso em: 30 mai. 2020]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2010/Decreto/D7272.htm.

Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário (BR). Plano Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional: PLANSAN | 2016 - 2019. Brasília: Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário; 2017.

Brasil. Presidência da República, Subchefia para Assuntos Jurídicos. Medida Provisória nº 870 de 1º de janeiro de 2019. Estabelece a organização básica dos órgãos da Presidência da República e dos Ministérios. Brasília. 2019. [acesso em: 06 jun. 2020]. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato20192022/2019/Mpv/mpv870.htm#:~:text=MEDIDA%20PROVIS%C3%93RIA%20N%C2%BA%20870%2C%20DE%201%C2%BA%20DE%20JANEIRO%20DE%202019&text=Estabelece%20a%20organiza%C3%A7%C3%A3o%20b%C3%A1sica%20dos,da%20Rep%C3%BAblica%20e%20dos%20Minist%C3%A9rios>.

Alves KPS, Jaime PC. A Política Nacional de alimentação e Nutrição e seu diálogo com a Política Nacional de Segurança alimentar e Nutricional. Rev. Ciência & Saúde Coletiva. 2014; 19(11): 4331-4340.

Silva EKP, Medeiros DS, Martins PC, Sousa LA, Lima GP, Rêgo MAS, et al. Insegurança alimentar em comunidades rurais no Nordeste brasileiro: faz diferença ser quilombola?. Rev. Cadernos de Saúde Pública. 2017; 33(4): 2-13.

Anschau FR, Matsuo T, Segall-Corrêa AM. Insegurança alimentar entre beneficiários de programas de transferência de renda. Rev. de Nutrição. 2012; 2(25): 177-189.

Almeida FB, Almeida LMMC, Ferrante VLSB. Avaliação do Programa Bolsa Família na segurança alimentar das famílias rurais do município de Rio Verde, GO: efeitos, entraves e diferenciações. Rev. Interações. 2015; 16(2): 277-287.

Organização das Nações Unidas Para a Alimentação e Agricultura - FAO The State of Food Insecurity in the World: strengthening the enabling environment for food security and nutrition. Roma: ONU. 2014. [acesso em: 04 jun. 2020]. Disponível em: http://www.fao.org/3/a-i4030e.pdf.

Brasil. Ministério da Educação. Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. Resolução no 02 de 09 de abril de 2020. Dispõe sobre a execução do Programa Nacional de Alimentação Escolar – PNAE durante o período de estado de calamidade pública, reconhecido pelo Decreto Legislativo no 6, de 20 de março de 2020, e da emergência de saúde pública de importância internacional decorrente do novo coronavírus – Covid-19.. . Brasília – DF. 2020. [acesso em: 30 mai. 2020]. Disponível em: <https://www.fnde.gov.br/index.php/acesso-a-informacao/institucional/legislacao/item/13453-resolu%C3%A7%C3%A3o-n%C2%B0-02,-de-09-de-abril-de-2020>.

Organização Das Nações Unidas Para A Alimentação E Agricultura - FAO . FAO faz alerta sobre o impacto do COVID19 na alimentação escolar na América Latina e no Caribe. Chile: ONU. 2020. [acesso em: 31 mai. 2020]. Disponível em: <http://www.fao.org/americas/noticias/ver/pt/c/1267030/>.

Brasil. Presidência da República, Subchefia para Assuntos Jurídicos. Medida Provisória no 957 de 24 de abril de 2020. Abre crédito extraordinário, em favor do Ministério da Cidadania, no valor de R$ 500.000.000,00, para o fim que especifica. Brasília, 27 abr. 2020. [acesso em: 02 mai. 2020]. Disponível em: http://pesquisa.in.gov.br/imprensa/jsp/visualiza/index.jsp?jornal=515&pagina=1&data=27/04/2020&totalArquivos=114.

Articulação Nacional De Agroecologia – ANA. Abaixo Assinado pela Retomada Urgente do PAA. [acesso em: 04 mai. 2020]. Disponível em: <https://agroecologia.org.br/abaixo-assinado-pela-retomada-urgente-do-paa/>.

Ministério da Economia. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada - IPEA. Programa de Aquisição de Alimentos e Segurança Alimentar: Modelo Lógico, Resultados e Desafios de uma Política Pública Voltada ao Fortalecimento da Agricultura Familiar. Brasília, 2019. [acesso em: 04 mai. 2020]. Disponível em: <https://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/TDs/td_2482.pdf>.

Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento. Companhia Nacional de Abastecimento - CONABE. Política de Garantia de Preços Mínimos para Produtos da Sociobiodiversidade. Brasília, 2016. [acesso em: 04 jun. 2020]. Disponível em: <https://www.conab.gov.br/uploads/arquivos/16_06_29_11_25_10_cartilha_pgpm_bio__bx.pdf>.

Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada - IPEA. A Trajetória Histórica da Segurança Alimentar e Nutricional na Agenda Política Nacional: Projetos, descontinuidades e consolidação. Rio de Janeiro, 2019. [acesso em: 31 mai. 2020]. Disponível em: http://repositorio.ipea.gov.br/bitstream/11058/3019/1/TD_1953.pdf.

Brasil. Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento. Secretária de Política Agrícola. Departamento de Análise Econômica e Políticas Públicas. Nota Técnica nº 42/2020. Trata sobre Guia Alimentar para a População Brasileira do Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, 2ª edição de 2014. [acesso em: 04 out. 2020]. Disponível em: <https://ojoioeotrigo.com.br/wp-content/uploads/2020/09/SEI_21000-090207_2019_56-SolicitacaoRevisaoGuiaAlimentar-Sept2020.pdf>.

Revista Rades. O Ronco da Fome. No semiárido nordestino, histórias de resistência aos cortes que podem levar o Brasil de volta ao Mapa da Fome. Rio de Janeiro. 186: 35 p. 2018. [acesso em: 08 jun. 2020]. Disponível em: <https://radis.ensp.fiocruz.br/phocadownload/revista/Radis186_web.pdf>.

Mbembe A. Necropolítica. 1 ed. São Paulo: Editora N-1 Edições. 2018.

Haack A, Fortes R, Ali BA, Alvarenga AP. Políticas e Programas de Nutrição no Brasil da Década de 30 até 2018: Uma Revisão da Literatura. Rev. Com. em Ciências da Saúde. 2018; 2(29): 126-138.

Maluf RS. Segurança Alimentar e Fome no Brasil - 10 Anos da Cúpula Mundial da Alimentação. 2. ed. Rio de Janeiro. 2006.

Brasil. Presidência da República, Subchefia para Assuntos Jurídicos. Lei nº 10.836, de 09 de janeiro de 2004. Cria o Programa Bolsa Família e dá outras providências. Brasília, DF. [acesso em: 07 jun. 2020]. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2004/Lei/L10.836.htm>.

Vasconcelos FAG, Machado ML, Medeiros MAT, Neves JA, Recine E, Pasquim EM. Public policies of food and nutrition in Brazil: From Lula to Temer. Rev. de Nutrição. 2019; 32(1): 1-13.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Ministério do Desenvolvimento Social e Combate a Fome e Ministério do Planejamento, Gestão e Orçamentos. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios – Segurança Alimentar. Rio de Janeiro – RJ. 2006. [acesso em: 07 jun. 2020]. Disponível em: <https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/monografias/GEBIS%20-%20RJ/segalimentar/suguranca_alimentar2004.pdf>.

Segall-Corrêa AM, Marin-Leon L, Helito H, Pérez-Escamilla R, Leonor Santos MP, Paes-Sousa R. Transferência de renda e segurança alimentar no Brasil: análise dos dados nacionais. Rev. de Nutrição. 2008; 21(0): 39-51.

Folha De São Paulo. Fila do Bolsa Família ainda penaliza norte e nordeste: Com pandemia, programa recebe mais verbas e tem avanço em Sul e Sudeste. 2020. Elaborado por Thiago Rezende. [acesso em: 08 jun. 2020]. Disponível em: <https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2020/06/fila-do-bolsa-familia-ainda-penaliza-norte-e-nordeste.shtml#:~:text=A%20fila%20chegou%20a%201,1%2C2%20milh%C3%A3o%20de%20fam%C3%ADlias>.

G1. Veja medidas econômicas adotadas pelos países para socorrer população e empresas: para tentar conter efeitos da pandemia sobre a economia, governos anunciam auxílios para famílias mais vulneráveis e incentivos tributários para empresas. Para tentar conter efeitos da pandemia sobre a economia, governos anunciam auxílios para famílias mais vulneráveis e incentivos tributários para empresas. 2020. Elaborado por Paula Salati. [acesso em: 07 jun. 2020]. Disponível em: <https://g1.globo.com/economia/noticia/2020/05/19/veja-medidas-economicas-adotadas-pelos-paises-para-socorrer-populacao-e-empresas.ghtml>.

Brasil. Presidência da República, Subchefia para Assuntos Jurídicos. Lei nº 13.982, de 02 de abril de 2020. Altera a Lei no 8.742, de 7 de dezembro de 1993, para dispor sobre parâmetros adicionais de caracterização da situação de vulnerabilidade social para fins de elegibilidade ao benefício de prestação continuada (BPC), e estabelece medidas excepcionais de proteção social a serem adotadas durante o período de enfrentamento da emergência de saúde pública de importância internacional decorrente do coronavírus (Covid-19) responsável pelo surto de 2019, a que se refere a Lei no 13.979, de 6 de fevereiro de 2020. Brasília, DF. [acesso em: 19 mai. 2020]. Disponível em: <http://pesquisa.in.gov.br/imprensa/jsp/visualiza/index.jsp?data=02/04/2020&jornal=600&pagina=1>.

G1. Beneficiários chegam a dormir em filas para receber auxílio emergencial do governo federal: ‘É uma humilhação', diz auxiliar de serviços sobre dificuldade em conseguir sacar o dinheiro. Grande Recife continua registrando aglomerações filas. 2020. [acesso em 09 jun. 2020]. Disponível em: <https://g1.globo.com/pe/pernambuco/noticia/2020/04/28/beneficiarios-chegam-a-dormir-em-filas-para-receber-auxilio-emergencial-do-governo-federal.ghtml>.

Brasil. Presidência da República, Subchefia para Assuntos Jurídicos. Lei no 13.999, de 18 de maio de 2020. Institui o Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe), para o desenvolvimento e o fortalecimento dos pequenos negócios; e altera as Leis no 13.636, de 20 de março de 2018, 10.735, de 11 de setembro de 2003, e 9.790, de 23 de março de 1999. Brasília, DF. 2020. [acesso em: 20 mai. 2020]. Disponível em: <http://pesquisa.in.gov.br/imprensa/jsp/visualiza/index.jsp?data=19/05/2020&jornal=515&pagina=1>.

O Globo. Burocracia emperra acesso a crédito federal para as empresas: Empreendedores relatam demora na análise de pedidos e excesso de exigências das instituições financeiras. Elaborado por João Sorima Neto, Karen Garcia e Mariana Barbosa. 2020. [acesso em 09 jun. 2020]. Disponível em: <https://oglobo.globo.com/economia/burocracia-emperra-acesso-credito-federal-para-as-empresas-24365491>.

Fundo das Nações Unidas para a Infância – UNICEF. Impactos Primários e Secundários da COVID-19 em Crianças e Adolescentes. Segurança Alimentar. ONU, Brasil. [acesso em: 20 out. 2020]. Disponível em: < https://www.unicef.org/brazil/media/9966/file/impactos-covid-criancas-adolescentes-ibope-unicef-2020.pdf>.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Vigitel Brasil 2019: Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico. Brasília, DF. 2020. [acesso em: 09 jun. 2020]. Disponível em: https://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2020/April/27/vigitel-brasil-2019-vigilancia-fatores-risco.pdf>.

El Pais. Pandemia expõe “necropolítica à brasileira” e uma certa elite que não vê além do umbigo: Para psicanalista Christian Dunker, desigualdade provoca distorção da realidade que atinge parte importante das classes altas. [acesso em: 09 jun. 2020]. Disponível em: <https://brasil.elpais.com/economia/2020-05-08/pandemia-expoe-necropolitica-a-brasileira-e-uma-certa-elite-que-nao-ve-alem-do-umbigo.html>.

Downloads

Publicado

2021-03-04

Como Citar

1.
Santos MVA, Oliveira IG de, Pereira FMN, Santos PR. Insegurança alimentar e nutricional: uma análise sobre as políticas públicas de interface com alimentação e nutrição em meio a pandemia por Sars-CoV-2. Segur. Aliment. Nutr. [Internet]. 4º de março de 2021 [citado 18º de abril de 2021];28(00):e021003. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/san/article/view/8661450