Banner Portal
Elementos de (in)segurança alimentar no povo indígena potiguara Mendonça do Amarelão, Rio Grande do Norte.
PDF

Palavras-chave

Segurança alimentar
Direito humano à alimentação adequada
Povos indígenas

Como Citar

FERREIRA, Thainá Targino; VILAR, Gabriel Dantas de Carvalho; SOUZA, Washington José de; CALAZANS, Dinara Lesley Macedo e Silva; PEQUENO, Nila Patrícia Freire. Elementos de (in)segurança alimentar no povo indígena potiguara Mendonça do Amarelão, Rio Grande do Norte. Segurança Alimentar e Nutricional, Campinas, SP, v. 30, n. 00, p. e023004, 2023. DOI: 10.20396/san.v30i00.8670705. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/san/article/view/8670705. Acesso em: 25 jul. 2024.

Resumo

A situação alimentar dos povos indígenas que residem em território potiguar acompanha dificuldades de outros povos originários. O objetivo do artigo é analisar o perfil socioeconômico, de insegurança alimentar e antropométrico dos indígenas residentes no território potiguar Mendonça do Amarelão. A pesquisa ocorreu em duas etapas, entre fevereiro e maio de 2022. Como resultado, a maioria dos indígenas são adultos maiores de 18 anos, sendo 53,5% homens. Contudo, destaca-se a liderança feminina nas decisões sobre o território. A maioria se declara agricultor familiar, tendo como principal fonte de renda o beneficiamento da castanha do caju (Anacardiun occidentale L.). A maior parte das famílias (75,3%) vive com renda per capita de cerca de 250 reais. A insegurança alimentar estava presente na maioria das famílias, sendo 33,2% na forma leve. Verificou-se também que 39,6% da população estava com o peso adequado segundo o IMC, 52,8%, acima do peso. Conclui-se que a baixa renda obtida pelas famílias, mesmo com as políticas públicas (PPs), não é suficiente para garantir a segurança alimentar da população indígena investigada. A situação é agravada pela dificuldade de manter a atividade produtiva e falta da demarcação oficial do território.

https://doi.org/10.20396/san.v30i00.8670705
PDF

Referências

Castro J. Geografia da fome (o dilema brasileiro: pão ou aço). 10a Ed. Rio de Janeiro: Antares Achiamé; 1982.

Cruz S. Características e Tendências Contemporâneas da Segurança Alimentar e Nutricional no Brasil: do Programa Fome Zero ao SISAN. [dissertação de mestrado]. Rio de Janeiro: Universidade do Estado do Rio de Janeiro; 2018. 123 p.

Frutuoso MF, Viana CV. Quem inventou a fome são os que comem: da invisibilidade à enunciação – uma discussão necessária em tempos de pandemia. Interface - Comunicação, Saúde, Educação [Internet]. 2021 [citado 23 ago 2022];25. Disponível em: https://doi.org/10.1590/interface.200256

Brito FR, Baptista TW. Sentidos e usos da fome no debate político brasileiro: recorrência e atualidade. Cadernos de Saúde Pública [Internet]. 2021 [citado 23 ago 2022];37(10). Disponível em: https://doi.org/10.1590/0102-311x00308220

Organizaçao das Nações Unidas (ONU). Declaração Universal dos Direitos Humanos. Nova York; 1948.

Lei Orgânica de Segurança Alimentar e Nutricional, Lei n.º 11.346, 15 de setembro de 2006.

FUNAI — Fundação Nacional do Índio. Política Indigenista; 2016.

Borges MF, Silva IF, Koifman R. Histórico social, demográfico e de saúde dos povos indígenas do estado do Acre, Brasil. Ciência & Saúde Coletiva [Internet]. Jun 2020 [citado 23 ago 2022];25(6):2237-46. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1413-81232020256.12082018

Pícoli RP, Carandina L, Ribas DL. Saúde materno-infantil e nutrição de crianças Kaiowá e Guaraní, Área Indígena de Caarapó, Mato Grosso do Sul, Brasil. Cadernos de Saúde Pública [Internet]. Jan 2006 [citado 23 ago 2022];22(1):223-7. Disponível em: https://doi.org/10.1590/s0102-311x2006000100025

Calazans D.L.M.S, Pequeno N.P.F, C Mara, J.P.T; Lyra, C.O. Povos Indígenas e Direitos Sociais: Análise do Direito Humano à Alimentação Adequada dos índios potiguaras de Sagi-Trabanda no Rio Grande do Norte. INTERFACE – Natal/RN; 2017; 14 (1).

Coimbra Jr, Carlos EA, Santos RV. Avaliação do estado nutricional num contexto de mudança sócio-econômica: o grupo indígena Suruí do estado de Rondônia, Brasil. Cadernos de Saúde Pública. 1991;7(4):538-562. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0102-311X1991000400006.

Brand A. Desenvolvimento Local em comunidades indígenas no Mato Grosso do Sul: a construção de alternativas. Inter [Internet]. 1º de março de 2016 [citado 25º de agosto de 2022];1(2). Disponível em: https://interacoes.ucdb.br/interacoes/article/view/601

Athila AR, Leite MS. “A medida da fome”: as escalas psicométricas de insegurança alimentar e os povos indígenas no Brasil. Cadernos de Saúde Pública. 2020;36(10). Disponível em: https://doi.org/10.1590/0102-311X00208019.

Wenczenovicz TJ. Saúde Indígena: reflexões contemporâneas. Cadernos Ibero-Americanos de Direito Sanitário [Internet]. 2 abr. 2018 [citado 24 ago. 2022];7(1):63-82. Disponível em: https://doi.org/10.17566/ciads.v7i1.428

Inquérito Nacional de Saúde e Nutrição dos Povos Indígenas. Rio de Janeiro: FUNASA; dez 2009. 496 p. Relatório Final (Análise de dados) No7

Silva EC. Povos indígenas e o direito à terra na realidade brasileira. Serviço Social & Sociedade [Internet]. Dez 2018 [citado 23 ago. 2022];(133):480-500. Disponível em: https://doi.org/10.1590/0101-6628.155

Moura ADM, Boaventura LCL, Neves RCM. Povos indígenas no Rio Grande do Norte, direitos e ações em tempos de covid-19. Espaço Ameríndio, Porto Alegre. 2021;15(2):119-145. Disponível em: https://doi.org/10.22456/1982-6524.117951

Calazans DLM, Souza WJ, Pequeno NPF, Araújo FR, Lima Júnior V. Integrando a extensão universitária ao ensino e à pesquisa em Administração: sistematização de experiência junto a indígenas à luz dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável. Administração: Ensino E Pesquisa. 2019;20(3):563-608. Disponível em: https://doi.org/10.13058/raep.2019.v20n3.1505

Rede PENSSAN. II Inquérito Nacional sobre Insegurança Alimentar no Contexto da Pandemia da COVID-19 no Brasil: II VIGISAN : relatório final. São Paulo, SP: Fundação Friedrich Ebert : Rede PENSSAN; 2022. em: https://olheparaafome.com.br/wp-content/uploads/2022/06/Relatorio-II-VIGISAN-2022.pdf

Santos RV, Pontes AL, Coimbra Jr CE. Um “fato social total”: COVID-19 e povos indígenas no Brasil. Cadernos de Saúde Pública [Internet]. 2020 [citado ago 2022];36(10). Disponível em: https://doi.org/10.1590/0102-311x00268220

Leite MS, Ferreira AA, Bresan D, Araujo JR, Tavares ID, Santos RV. Indigenous protagonism in the context of food insecurity in times of Covid-19. Revista de Nutrição [Internet]. 2020 [citado ago 2022];33. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1678-9865202033e200171

O estado da Segurança Alimentar e Nutricional no Brasil: um retrato multidimensional. Brasilia: FAO; 2014. 90 p. Relatório

Segall-Corrêa AM, Marín-Leon LA, Azevedo MM., Ferreira MBR, Gruppi DR, Camargo DF, Pérez-Escamilla R. The Brazilian food security scale for indigenous Guarani households: development and validation. Food Security. 2018;10(6):1547-1559. DOI: 10.1007/s12571-018-0847-7

Status WE. Physical Status: The Use and Interpretation of Anthropometry (Technical Report Series). [local desconhecido]: World Health Organization; 1995. 452 p.

Lopes SA. Efeitos do beneficiamento artesanal da castanha de caju: condições de vida e de trabalho no território indígena Mendonça do Amarelão. [Trabalho de Conclusão de Curso]. Macaíba: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; 2022. 59 p. Graduação em Engenharia Agronômica].

Prefeitura Municipal de João Câmara. Plano Municipal de Saneamento Básico de João Câmara – PMSB. Diagnóstico Preliminar Técnico-Participativo. 2020 [citado em 2022 ago 22]. Disponivel em: https://joaocamara.rn.gov.br/painel/upload/saneamento/produto-c.pdf

Souza WJ, Calazans DLMS, Pequeno NPF, Júnior VL, Junior SM. Gestão Social de Políticas Públicas: contribuições da extensão universitária na segurança alimentar e nutricional na Comunidade Indígena Potiguara Mendonça do Amarelão (João Câmara/RN – Brasil, 2020). In: Nelson MS, et al (Org.). Povos originários e comunidades tradicionais: Trabalhos de pesquisa e de extensão universitária. Porto Alegre. Editora FI; 2020;:46-79.

Rede PENSSAN. II VIGISAN Inquérito Nacional sobre Insegurança Alimentar no Contexto da Pandemia da Covid-19 no Brasil: Suplemento I Insegurança Alimentar nos estados. São Paulo. Fundação Friedrich Ebert : Rede PENSSAN; 2022. Disponível em: https://www12.senado.leg.br/noticias/arquivos/2022/10/14/olheestados-diagramacao-v4-r01-1-14-09-2022.pdf

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Copyright (c) 2023 Segurança Alimentar e Nutricional

Downloads

Não há dados estatísticos.