Banner Portal
Análise da composição e da qualidade da carne previamente moída comercializada no estado do Rio de Janeiro (RJ) – Aspectos forenses
PDF

Palavras-chave

Adulterações
Alimento
Bovina
Qualidade
Fraude
Inocuidade
Inspeção

Como Citar

LIMA, Pamella Pryscila de Alvarenga Bissoli Maciel de et al. Análise da composição e da qualidade da carne previamente moída comercializada no estado do Rio de Janeiro (RJ) – Aspectos forenses. Segurança Alimentar e Nutricional, Campinas, SP, v. 30, n. 00, p. e023012, 2023. DOI: 10.20396/san.v30i00.8670801. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/san/article/view/8670801. Acesso em: 20 jul. 2024.

Resumo

Este estudo avaliou a composição e os requisitos mínimos de identidade e qualidade da carne bovina previamente moída exposta à venda em estabelecimentos varejistas no Estado do Rio de Janeiro. As amostras foram coletadas nos estabelecimentos no período entre março e abril de 2019. Os produtos foram analisados quanto a composição, a apresentação, a temperatura, o pH, teor de lipídios, morfologia e histoquímica, e a identificação da espécie de animal que originou a matéria prima do produto. De 11 amostras coletadas, 72,7% foram moídas e armazenadas no próprio estabelecimento varejista e 27,3% foram previamente moídas e embaladas nos estabelecimentos industriais. Em 18,2% das amostras foi identificado teor de gordura 34% acima da quantidade máxima aceitável, apresentando alterações nas características sensoriais, como aspecto pegajoso, odor não característico e pH > 6,4. Foi observada perda de estriação nas fibras musculares esqueléticas e dos detalhes celulares em 54,5% das amostras, enquanto 9% do material coletado apresentou vestígios de tecido glandular. Em todas as amostras detectou-se a presença de bactérias, sendo que 81,8% delas foram identificadas como Gram-positivas e 18,2% como Gram-negativas. Foi identificado, em uma amostra, estruturas parasitárias morfologicamente compatíveis com Sarcocystis spp. Na análise de identificação de espécies pela qPCR Multiplex HRM, foi detectada, em 60% das amostras, a presença simultânea de material genético bovino e equino. Foi constatado que nenhuma das amostras avaliadas de carne previamente moída apresentou os requisitos mínimos exigidos relacionados à identidade e qualidade, de acordo com as normas técnicas específicas aplicáveis à carne moída de bovino.

https://doi.org/10.20396/san.v30i00.8670801
PDF

Referências

Pereira PM de CC, Vicente AF dos RB. Meat nutritional composition and nutritive role in the human diet. Meat Science. 2013 Mar;93(3):586–92.

Mann NJ. A brief history of meat in the human diet and current health implications. Meat Science. 2018 Oct; 144:169–79.

Wood JD, Richardson RI, Nute GR, Fisher AV, Campo MM, Kasapidou E, et al. Effects of fatty acids on meat quality: a review. Meat Science [Internet]. 2004 Jan [cited 2019 Jun 14];66(1):21–32. Available from: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0309174003000226

Williams P. Nutritional composition of red meat. Nutrition & Dietetics. 2007; 64: S113-S9. https://doi.org/10.1111/j.1747-0080.2007.00197.x

Pearson AM, Gillet TA. Processed meats. Maryland: Springer Science & Business Media; 2012.

Sans P, Combris P. World meat consumption patterns: Na overview of the last fifty years (1961-2011). Meat Science. 2015; 109:106-11. https://doi.org/10.1016/j.meatsci.2015.05.012

Bohrer BM. Nutrient density and nutritional value of meat products and non-meat food high in protein. Trends in Food Science & Technology. 2017; 65:103-12. https://doi.org/10.1016/j.tifs.2017.04.016

Nascimento MVD do, Guedes ATL, Silva HA, dos Santos VEP, de França Paz MC. Avaliação da qualidade microbiológica da carne moída fresca comercializada no mercado central em Campina Grande- PB. Revista Saúde & Ciência. 2014; 3(1): 56-68. https://doi.org/10.35572/rsc.v3i1.85

USDA. Livestock and Poultry: World Markets and Trade. United States Department of Agriculture, Foreign Agricultural Service. 2020. Disponível em https://apps.fas.usda.gov/psdonline/app/index.html#/app/ advQuery.

Oliveira MMMd, Brugnera DF, Mendonça AT, Piccoli RH. Hygienic-sanitary conditions of meat-grinding machines, hanlers’ hands and microbiolobic quality of ground meat. Ciência e Agrotecnologia. 2008; 32: 1893-8. https://doi.org/10.1590/S1413-70542008000600031

Koistinen L, Pouta E, Heikkilä J, Forsman-Hugg S, Kotro J, Mäkaelä J, et al. The impact of fat contente, production methods and carbono footprit information on consumer preferences for minced meat. Food Quality and Preference. 2013; 29(2): 126-36. https://doi.org/10.1016/j.foodqual.2013.03.007

Schneider BC, Duro SMS, Assunção MCF. Consumo de carnes por adultos do sul do Brasil: um estudo base populacional. Ciência & Saúde Coletiva. 2014; 19: 3583-92. https://doi.org/10.1590/1413-81232014198.11702013

Sentandreu MÁ, Sentandreu E. Authenticity of meat products: Tools agains fraud. Food Research International. 2014; 60: 19-29. https://doi.org/10.1016/j.foodres.2014.03.030

Mousa MM, Helmy NM, Nasser MM. Biotechnological uses in assessment of some meat products adulteration with equine meat. Alexandria Journal for Veterinary Sciences. 2017; 54(2). 10.5455/ajvs.252393

Mane B, Mendiratta S, Tiwari A. Beef specific polymerase chain reaction assay for authentication of meat and meat products. Food Control. 2012; 28(2):246-9. 10.1016/j.foodcont.2012.05.031

Cawthorn D-M, Steinman HÁ, Hoffman LC. A high incidence of species substitution and milabelling detected in meat products sold in South Africa. Food control. 2013; 32(2):440-9. https://doi.org/10.1016/j.foodcont.2013.01.008

Izadi F, Sadeghinezhad J, Hajimohamadi B, Sheibani M. Efficay of histological examination in detection of fraud in minced meat. Journal of Health. 2016; 7(4):386-94.

Doosti A, Ghasemi Dehkordi P, Rahimi E. Molecular assay to fraud identification of meat products. Journal of food Science and technology. 2014; 51(1):148-52. https://doi.org/10.1007/s13197-011-0456-3

Ali ME, Razzak MA, Abd Hamid SB, Rahman MM, Al Amin M, Abd Rashid NR. Multiplex PCR assay for the detection of five meat species forbidden in Islamic foods. Food chemistry. 2015; 177:214-24. 101016/j.foodchem.2014.12.098.

Carvalho ACdS, Gennari SM, Paschoalin VMF. Consumption of animal products and frauds: DNA-based methods for the investigation of authenticity and traceability in dairy and meat-derived products- a review. Brazilian Journa of Veterinary Research and Animal Science. 2015;52(3):183-94. https://doi.org/10.11606/issn.1678-4456.v52i3p183-194

Kumar A, Kumar RR, Sharma BD, Gokulakrishnan P, Mendiratta SK, Sharma D. Identification of species origino f meat and meat products on the DNA basis: a review. Critical reviews in food Science and nutrition. 2015;55(10):1340-51. 10.1080/10408398.2012.693978

Tähkäpää S, Maijala R, Korkeala H, Nevas M. Patterns of food frauds and adulterations reported in the EU rapid alert system for food and feed and in Finland. Food Control. 2015; 47:175-84. https://doi.org/10.1016/j.foodcont.2014.07.007

Rahmati S, Julkapli NM, Yehye WA, Basirun WJ. Identification of meat origin in food products – A review. Food control. 2016; 68:379-90. https://doi.org/10.1016/j.foodcont.2016.04.013

Maghami ND, Nabipour A, Mohsenzadeh M, Torabi M. Histological and stereological approaches for detection of tissues and fraud in some meat products. Veterinary Research Forum; Faculty of Veterinary Medicine, Urmia University, Urmia, Iran; 2022. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC9094583/. 10.30466/vrf.2020.115238.2742

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Instrução Normativa n°83, de 21 de novembro de 2003. Dispõe sobre os Regulamentos Técnicos de Identidade e Qualidade de Carnes Bovina em Conserva (Corned Beef) e Carne Moída. Diário Oficial da República Federativa do Brasil [Internet]. 21 nov. 2003 [Acesso em: 20 mar. 2022]. Disponível em: https://www.defesa.agricultura.sp.gov.br/legislacoes/instrucao-normativa-sda-83-de-21-11-2003,666.html.

Brasil. Decreto Lei nº 986 de 21 de outubro de 1969. Institui normas básicas sobre alimentos. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil. 21. out., pág 008935 3.

Brasil, Guia nº 19/2019 - ANVISA – Guia para Coleta, Acondicionamento, Transporte, Recepção e Destinação de Amostras para Análises Laboratoriais no Âmbito do Sistema Nacional de Vigilância Sanitária, versão 2, de 20 de dezembro de 2019

Brasil. Manual de coleta de amostras de produtos de origem animal, Brasília MAPA Versão 05. setembro/2020

Brasil, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Instrução Normativa n° 68, de 12 de dezembro de 2006. Oficializa os métodos analíticos oficiais físico-químicos, para controle de leite e produtos lácteos, em conformidade com o anexo desta Instrução Normativa, determinando que sejam utilizados nos Laboratórios Nacionais Agropecuários. Diário Oficial da União. 14 dez. 2006; Seção 1:8.

Suvarna S.K., Layton C. & Bancroft J.D. 2013. Theory and Practice of Histological Techniques, 7th Edit. Churchill Livingstone, London.

Brasil. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Métodos Oficiais para Análise de Produtos de Origem Animal / Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Secretaria de Defesa Agropecuária. – Brasília: MAPA, 2022.

Lahif S. et al. Species-specifc PCR for the identifcation of ovine, porcine and chicken species in meat and bone meal (MBM). Mol. Cell. Probes 15, 27–35 (2001)

Fernandes TA. Detecção e diferenciação de carnes de espécies de açougue por PCR em tempo real multiplex e análise de “High Resolution Melting” [dissertação]. Rio de Janeiro: Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro; 2019. https://tede.ufrrj.br/jspui/handle/jspui/5257

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Manual de Métodos Analíticos Oficiais para Controle de Produtos de Origem Animal e seus Ingredientes. Brasília: MAPA; 2019.

Rio de Janeiro. Decreto Estadual nº 6.538 de 17 de fevereiro de 1983. Regulamento sobre alimentos, higiene e Fiscalização, Código de Saúde do Estado do Rio de Janeiro. Diário Oficial do Rio de Janeiro [Internet]. 18 fev. 1983.

Ferreira RS, Simm EM. Análise microbiológica da carne moída de um açougue da região central do município de Pará de Minas/MG. SYNTHESIS Revista Digital FAPAM. 2012;3(1):37-61.

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Decreto n°9013 de 29 de março de 2017. Regulamenta a Lei nº 1.283, de 18 de dezembro de 1950, e a Lei nº 7.889, de 23 de novembro de 1989, que dispõem sobre a inspeção industrial e sanitária de produtos de origem animal. Diário Oficial da União [Internet]. 30 mar. 2017 [Acesso em: 20 mar. 2022]. Disponível em: https://www.in.gov.br/materia/-/asset_publisher/Kujrw0TZC2Mb/content/id/20134722/do1-2017-03-30-decreto-n-9-013-de-29-de-marco-de-2017-20134698

Ministério da Saúde (BR). Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução RDC n° 259, de 20 de setembro de 2002. Regulamento técnico para rotulagem de alimentos embalados. Diário Oficial da União. Brasília, DF, 23 set. 2002. Seção 1 (184):33-4.

Xavier DR. Efeitos do usa da irradiação e de antioxidantes na estabilidade da carne moída refrigerada [Dissertação]. Minas Gerais: Universidade Federal de Minas Gerais; 2011.

Alcântara BLD, Silva FERD, Rosa RMSS, Bichara CMG. Qualidade bacteriológica e físico-química da carne bovina moída comercializada em supermercados e casas atacadistas no município de Belém/PA. Higiene Alimentar. 2020:e1011-e.

de Arreguy Baptista RIA, de Moura FML, Fernandes MFTS, Santos VVM, Fernandes EFTS. Aspectos qualitativos da carne moída comercializada na região metropolitana do Recife- PE. Acta Veterinária Brasílica. 2013;7(1):38-47. https://doi.org/10.21708/avb.2013.7.1.3215

Rosa RL. Características bacteriológicas da carne moída de bovino comercializada no município de Santo Antônio da Patrulha, RS [Monografia]. Rio Grande do Sul: Universidade Federal do Rio Grande do Sul; 2014.

Sousa TM, Neto AC, Hernandes T, Souto PCS. Microrganismos patogênicos e indicadores de condições higiênico-sanitária em carne moída comercializada na cidade de Barra dos Garças, MT. Acta Veterinária Brasílica. 2012; 6(2):124-30.

Machado NBL, Gonçalves LP, Pereira RACB. Condições higiênico-sanitárias de panificadoras de Bauru. Higiene Alimentar 2010; 25(192/193):29.

Pardi MC, Santos IF, Souza ER, Pardi HS. Ciência e Tecnologia da Carne. Niterói: EDUFF; 1993.

Ordonez JA et al. Tecnologia de Alimentos: Volume 1. Componentes dos Alimentos e Processos. Porto Alegre: Artmed Editora; 2005.

Flemming J, Bueno R, Cançado R, Freitas R, Neto MM. Avaliação dos teores de gordura em carne moída comercializada em supermercados. Archives of Veterinary Science. 2003;8(2). http://dx.doi.org/10.5380/avs.v8i2.4032

Degenhardt R, do Nascimento Syperrek APC. Determinação da qualidade da carne moída comercializada em mercados e açougues do Município de Videira. Jornada Integrada da Biologia; Joaçaba, Santa Catarina, Brasil; 2014. Disponível em: https://files.core.ac.uk/pdf/12703/235132472.pdf

Ferreira L, de Lima Caminotto E. Análise sensorial e físico-química de carne moída bovina na cidade de Araquari/SC. Brazilian Journal of Development. 2020;6(4):20137-44. https://doi.org/10.34117/bjdv6n4-258

Jay M. Microbiologia de alimentos. Porto Alegre: Editora Artmed; 2005.

da Costa Cipriano L, de Sousa LB, de Godoy Siqueira HP, Lima EF, Messias CT, de Marchi PGF, et al. Vida útil de carne bovina moída comercializiada no Município de Boa Vista- Roraima. Research, Society and Development. 2021;10(2):e19010212282-e. 10.33448/rsd-v10i2.12282.

Isaconi IV, Militaru M. Assessment of the microscopic structure-complementary method of quality controlo f sausages. Scientific Works. Series C. Veterinary Medicina. 2021; 67(1). Disponível em http://veterinarymedicinejournal.usamv.ro/pdf/2021/issue_1/Art21.pdf

Ballin NZ. Authentication of meat and meat products. Meat Science. 2010;86(3):577-87. https://doi.org/10.1016/j.meatsci.2010.06.001

Abd-Elhafeez HH, El-Sayed AM, Ahmed AM, Soliman AS. Detection of food fraudo f meat products from the diferente brands by application of histological methods. Microscopy Research and Technique. 2022;85(4):1538-56. 10.1002/jemt.24016

Guelmamene R, Bennoune O, Elgroud R. Techniques utilisées pour le controle de la qualité structurelle des viandes et des produits carnés. Nature & Technology. 2021(25):12-26.

Tolba A, Abd-el-aziz D, El-Sharkawy E. Modified innovative method for detection of adulteration of meat products with meat of other species. Bulgarian Journal of Veterinary Medicine. 2021. 10.15547/bjvm.2021-0111

Feitosa T. Contaminação, conservação e alteração da carne. Embrapa Agroindústria Tropical- Documentos (INFOTECA-E). [Documento eletrônico] 1999. Disponível em https://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/bitstream/doc/421977/1/Dc034.pdf

Forsythe, SJ. Microbiologia da segurança dos alimentos – 2. ed. – Porto Alegre: Artmed, 2013

Franco, BDGM; Landgraf, M. Microbiologia dos alimentos. São Paulo: Editora Atheneu, 2008. 93-98 p.

de Alcantara M, de Morais ICL, de Matos C, de Souza OdCC. Principais microrganismos envolvidos na deterioração das características sensoriais de derivados cárneos. Revista Brasileira de Higiene e Sanidade Animal. 2012;6(1):1-20.

Silva J.A. Microrgaismos patogênico em carne e frangos. Higiene Alimentar. 1998:9-14.

Meistro S, Peletto S, Pezzolato M, Varello K, Botta M, Richelmi G, Biglia C, Baioni E, Modesto P, Acutis P, Bozzetta E. Sarcocystis Spp. Prevalence in Bovine Minced Meat: A Histological and Molecular Study. Ital J Food Saf. 2015 Jun 9;4(2):4626. doi: 10.4081/ijfs.2015.4626

Shams M, Shamsi L, Asghari A, et al. Molecular Epidemiology, Species Distribution, and Zoonotic Importance of the Neglected Meat-Borne Pathogen Sarcocystis spp. in Cattle (Bos taurus): A Global Systematic Review and Meta-analysis. Acta Parasit. 2022; 67:1055–1072. https://doi.org/10.1007/s11686-022-00563-z

Rosenthal B M. Zoonotic Sarcocystis. Research in Veterinary Science. 2021; 136, 151–157. doi: 10.1016/j.rvsc.2021.02.008

Li J, Li J, Liu R, Wei Y, Wang S. Identification of eleven meat species in foodstuff by a hexaplex real-time PCR with melting curve analysis. Food Control. 2021; 121:107599. 10.1016/j.foodcont.2020.107599

Farshid M, Mohammadi R, Sehatkhah MR, Ebrahimi B. Identification of milabeling some meat products sold on the Iran Market using PCR-RFLP. Current nutrition & food Science. 2020;16(2):170-5. https://doi.org/10.2174/1573401314666181011121539

Günsen U, Özcan A, Karaca M, Kaygisiz M. Detection of presence of fraudulent meat in consumed some meat products by PCR technique. Bornova Veteriner Kontrol ve Arastirma Enstitüsü Dergisi. 2009;3(45):21-7.

de Oliveira ACdS, Ferreira BCA, Cardoso GVF, Silva C, da Silva AS, da Silva F, et al. Avaliação da técnica PCR multiplex para detecção de fraude por adição de carne bubalina em carne moída bovina. Revista do Instituto Adolfo Lutz. 2015;74(4):371-9.

Hou B, Meng X, Zhang L, Guo J, Li S, & Jin H. Development of a sensitive and specific multiplex PCR method for the simultaneous detection of chicken, duck and goose DNA in meat products. Meat Science. 2015;101:90-94. 10.1016/j.meatsci.2014.11.007

Mousavi SM, Khaniki GJ, Eskandari S, Rabiei M, Samiee SM, & Mehdizadeh M. Applicability of species-specific polymerase chain reaction for fraud identification in raw ground meat commercially sold in Iran. Journal of food composition and analysis. 2015; 40:47-51. https://doi.org/10.1016/j.jfca.2014.12.009

Felkl GS. Autenticidade molecular de produtos cárneos [Dissertação]. Paraná: Universidade Tecnológica Federal do Paraná – Ponta Grossa -2014

Brasil. Lei nº. 8.078, de 11 de setembro de 1990. Código de Defesa do Consumidor. Dispõe sobre a proteção do consumidor e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L8078.htm

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Copyright (c) 2023 Segurança Alimentar e Nutricional

Downloads

Não há dados estatísticos.