Método científico e controvérsias nas geociências

  • José Roberto Serra Martins Universidade Estadual de Campinas
  • Celso Dal Ré Carneiro Universidade Estadual de Campinas
Palavras-chave: Controvérsias em geociências. Pós-Colonialismo. Método científico.

Resumo

Este artigo representa o primeiro passo de uma caminhada na direção de proposta original de um currí- culo de ensino superior em Geociências. Partindo do fato que as polêmicas são basilares a qualquer ciência, sendo o debate fundamental ao questionamento dos princípios e ao processo de formação conceitual, e que as periodizações históricas das Geociências constituem instrumentos de alcance limitado à sua compreensão, este artigo visa demonstrar como a fluidez está a atuar sobre as ciências, ajudando a derrubar metanarrativas e desvelar essencialismos. Este trabalho propõe que todo cientista deva: (a) assumir função social diversa da atual, ao trazer, para o centro do debate, vozes dos que estão à margem do saber; (b) democratizar os resultados de suas experiências junto à sociedade, possibilitando ao cidadão comum agenciar suas próprias demandas, tomando por base este conhecimento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Roberto Serra Martins, Universidade Estadual de Campinas
Doutorando no Programa de Pós-Graduação em Ensino e História de Ciências da Terra, IG-Unicamp. Docente do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo, São João da Boa Vista, SP.
Celso Dal Ré Carneiro, Universidade Estadual de Campinas
Instituto de Geociências, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP

Referências

Adams F.D. 1954. The birth and development of the geological sciences. New York: Dover Publ. 506p.

Aranha M.L.A.1992. História da Educação. São Paulo: Moderna, 288p.

Bacci D.L.C. 2009. A contribuição do conhecimento geológico para a educação ambiental. Pesquisa em debate, v.6, n.2, pp.1-23, jul-dez. 2009.

Bachelard G. 1973. Epistemologia. Barcelona: Anagrama. 254p.

Bauman Z. 2005. Identidade. Trad. Carlos Alberto Medeiros. Rio de Janeiro: Jorge Zahar. 112p.

Bhabha H.K. 2001. O local da cultura. Trad. Myriam de Ávila, Eliana L. L. Reis, Gláucia R. Gonçalves. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 395p.

Borrón J.C.G. 1988. A filosofía e as ciências: métodos e processos. Lisboa: Teorema. 198p.

Bourdieu P., Chamboredon J.-C., Passeron J.-C. 2002. A profissão do sociólogo. Trad. Guilherme J. F. Teixeira. 3 ed. Petrópolis: Vozes. 328p.

Carneiro C.D.R., Brito-Neves B.B.de, Amaral I.A.do, Bistrichi C.A. 1994. O Atualismo como princípio metodológico em Tectônica. Bol. Geoc. Petrobrás, 8(2/4):275-293.

Carneiro C.D.R., Gonçalves P.W. 2013. Ciência do Sistema Terra em cursos superiores de formação de geógrafos. In: Vitte A.C. org. 2013. Ensaios sobre Geografia. Campinas: Bertrand Brasil. (cap. submetido em 28.02.2013).

Carneiro C.D.R., MizusakiA.M.P., Almeida F.F.M.de. 2005. A determinação da idade das rochas. Terrae Didatica, 1(1):6-35. URL: http://www.ige.unicamp.br/terraedidatica/v1/v1_a2.html. Acesso 02.08.2013.

Cerqueira H.E.A.G. 2006. A mão invisível de Júpiter e o método newtoniano de Smith. Estud. Econ. São Paulo, 36(4):667-697.

Deleuze G., Guattari F. 2007 [1972]. Mil Platôs: Capitalismo e Esquizofrenia. v.2. Trad. Ana L. Oliveira e Lúcia C. Leão. Lisboa: Ed. 34. 112p.

Espinosa B. 1978. Ética. São Paulo: Abril Cult.. 294p. (Col. Os Pensadores)

Franco Jr. H. 1986. A Idade Média: o nascimento do ocidente. São Paulo: Ed. Brasiliense. 204p.

Frodeman R. 1995. Geological reasoning: Geology as an interpretative and historical Science.Geol. Soc. Am. Bull., 107(8):960-968.

Frodeman R. 2001. A epistemologia das Geociências. In: L. Marques, J. Praia. coords. 2001. Geociências nos currículos básico e secundário. Aveiro: Univ. Aveiro. p.39-57.

Frodeman R., Turner C. 1996. Geology in a post-industrial society. J. Geosc. Educ.,44:36-37.

Fuganti L. 2010. Agenciamento.URL: http://escolanomade.org/pensadores-textos-e-vídeos/fuganti-luiz/agenciamento. Acesso em 02.08.2013.

Geikie A. 1962. Founders of Geology. 2 ed. New York: Dover Publ. 486p.

Hallam A. 1989. Great geological controversies. 2 ed. Essex: Oxford Science Publ. 244p.

Le Goff J. 1990. O maravilhoso e o quotidiano no ocidente medieval. Lisboa: Ed. 70. p.14-235.

Monteiro G.M.V. 2007. Controvérsias geológicas: seu valor científico-histórico e didático. Aveiro: Depto. Didática Tecnologia Educativa. 456p. (Tese Dout.)

Régis de Morais J.F.1978. Filosofia da ciência e da tecnologia: introdução metodológica e crítica. 5 ed.

Potapova M.S. 2008. Geologia como uma ciência histórica da natureza. Terrae Didatica, 3(1):86-90. [Trad. de: Potapova M.S 1968. Geology as an historical science of nature. In: Interaction of the science in the study of the Earth. Moscow: Progress, p.117-126]. URL: http://www.ige.unicamp.br/terraedidatica/v3/v3_a7.html. Acesso 27.02.2014.

Randles W.G.L. 1994. Da terra plana ao globo terrestre: uma mutação epistemológica rápida (1480-1520) Trad. Maria Carolina F. C. Pires. Campinas: Papirus. 162p.

Rudwick M.J.S. 1987. El Significado de los Fóssiles. Trad. Antonio Resines. Madrid: Herman Blume. 347 p.

Sousa Santos B. 2003. Um discurso sobre as ciências. São Paulo, Cortez. 58p.

Stengers I. 2002. A invenção das ciências modernas. Trad. Max Altman. São Paulo: Ed. 34. 208p.

Trindade D.F., Trindade L.S.P. 2007. Os caminhos da ciência e os caminhos da educação: ciência, história e educação na sala de aula. São Paulo: Madras. 254p.

Publicado
2015-06-23
Como Citar
Martins, J. R. S., & Carneiro, C. D. R. (2015). Método científico e controvérsias nas geociências. Terrae Didatica, 10(3), 240-249. https://doi.org/10.20396/td.v10i3.8637330

Artigos mais lidos pelo mesmo (s) autor (es)

1 2 3 4 > >>