Histórico do Conhecimento geológico sobre o Pré-Cambriano Paulista até o ano de 1955

  • Renato Henrique Pinto Universidade de São Paulo
  • Valdecir de Assis Janasi Universidade de São Paulo
Palavras-chave: Geologia paulista. Neptunismo. Comissão geográfica e geológica. Naturalistas.

Resumo

O “primeiro impulso dado à mineração no Brasil (...) foi devido à descoberta das lavras auríferas do Jaraguá”, onde já se anunciava a existência de ouro, desde 1562. No entanto, os primeiros escritos sobre a geologia paulista se dão a partir do Diário de uma viagem mineralógica pela província de São Paulo em 1805. A Comissão Geográfica e Geológica da Província de São Paulo foi responsável por efetuar os primeiros estudos pormenorizados na “serie de São Roque” (e.g., Derby; Francisco Oliveira e Gonzaga de Campos). Das explorações realizadas nos rios paulistas em 1905, por Florence, aos importantes trabalhos efetuados por Euzébio de Oliveira e Leonardos, muito se somou ao conhecimento da geologia na região. Coube a Moraes Rego em 1933 a primeira tentativa de reconstituição do paleoambiente sedimentar, admitindo uma origem marinha para a “serie de São Roque”. Tais considerações foram seguidas por Almeida em 1945 e Coutinho em 1955.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Renato Henrique Pinto, Universidade de São Paulo
Instituto de Geociências da Universidade de São Paulo, Departamento de Mineralogia e Geotectônica - São Paulo – SP,
Valdecir de Assis Janasi, Universidade de São Paulo
Instituto de Geociências da Universidade de São Paulo, Departamento de Mineralogia e Geotectônica - São Paulo – SP,

Referências

AB’SÁBER, A.N. 1947. Geomorfologia da Região do Jaraguá, em São Paulo. Anais Assoc. Geógr. Bras., 1: 32- 40.

AGASSIZ, J.L.R. 1865. On the drift in Brazil, and on decomposed rocks under the drift. New Haven: Editors, The American Journal of Science and Arts, 20 series, XL: 389-390.

ALMEIDA, F.F.M.de. 1944. Collenia Itapevensis sp. n. Um fóssil pré-cambriano do Estado de São Paulo. Fac. Filos., Ciênc. e Letras, Univ. São Paulo. 1(45): 89-106.

ALMEIDA, F.F.M.de. 1945. A Vida Pré-Cambriana. Geologia e Metalurgia, 1: 81-90.

ALMEIDA, F.F.M.de. 1955. As Camadas de São Paulo e a Tectônica da Serra da Cantareira. Bol. Soc. Bras. Geol.., 2(4): 23-40.

ALMEIDA, F.F.M.de. 1957. Novas Ocorrências de Fósseis no Pré-Cambriano Brasileiro. An. Acad. Bras. Cienc.,. 29(1): 63-72.

ALMEIDA, F.F.M.de. 2005. Participação do Brasil na grande revolução das Geociências. Terrae Didatica 1(1): 44-49.

ANDRADA e SILVA, J.B.de. 1797. Diamonds of Brazil. A Journal of Natural Philosophy, Chemistry and the Arts. 1(4): 24-26.

ANDRADA, M.F.R.de. 1805. Diário de uma Viagem Mineralógica pela Província de São Paulo no Ano de 1805. (transcrição) São Paulo, Bol. Paul. Geogr., 18: 35-42. Outubro de . 1954.

ANDRADA e SILVA, J.B.de, ANDRADA, M.F.R.de. 1820. Viagem mineralógica na Província de São Paulo (Primeira Parte). (transcrição) Bol. Paul. Geogr., 1: 66-74. Março de 1954.

ARRHENIUS, G., BONATII, E. 1963. Neptunism and Vul Neptunism and Vulcanism in the Ocean. Progress in Oceanography, 3: 7-22.

BARBOSA, O. 1948. A Chamada Série Ribeira. Mineração e Metalurgia. Setembro-outubro. 13(75): 187-188.

BARROSO, J.A. 1996. Os 40 anos da CAGE – Campanha Nacional de Formação de Geólogos, os cursos no Brasil e, em particular, no Rio de Janeiro. Anuário do Instituto de Geociências, 19: 143-156.

BRANNER, J.C. 1903. A Bibliography of the Geology, Mineralogy and Paleontology of Brazil. Archivos do Museu Nacional, Rio de Janeiro, v. XII:197-309.

BRICE, W.R., FIGUEIRÔA, S.F.M. 2001. Charles Hartt, Louis Agassiz, and the controversy over Pleistocene glaciation in Brazil. Science History Publications Ltd. Hist. Sci., xxxix: 161-184.

CAMJNHA, P.U.de. 1500. Carta a El Rei D. Manuel. Ortografia original copiada do original que existe no Arc. Nac. da Tôrre do Tombo - Portugal, gav. 8, maç. 2, no 8. URL: http://pt.wikisource.org/wiki/Carta_a_El_Rei_D._Manuel_(ortogra-fia_original). Acesso: 31.01.2014.

CARNEIRO, C.D.R., MIZUSAKI, A.M.P., ALMEIDA, F.F.M.de. 2005. A determinação da idade das rochas. Terrae Didatica 1(1): 6-35.

COUTINHO, J.M.V. 1955. Metaconglomerado e rochas associadas no Município de São Paulo. Boletim Faculdade de Filosofia. Ciências e Letras da Universidade de São Paulo, Mineralogia 13(186): 5-56.

CUVIER, M. 1818. Essay on the Theory of the Earth. Published by Kirk e Mercein. New-York 22. 431p.

DARWIN, C. 1859. The Origin of Species by means of natural selection, or the preservation of favored races in the struggle for life. John Murray, Albemarle Street, London. 502p.

DERBY, O.A. 1878. A Geologia da Região Diamantifera da Provincia do Paraná no Brasil. Archivos do Museu Nacional, 3: 89-98.

DERBY, O.A. 1880. On the age of the Brazilian gneiss series; Discovery of Eozoon. New Haven, Am. J. Sci., 3rd, XIX(W. N. CXIX): 324-325.

DERBY, O.A. 1882. Relatório acerca dos estudos geológicos praticados nos Valles do rio das Velhas e alto S. Francisco. Apres. ao Cons. Manoel de Araújo, 29 de março. Rio de Janeiro,Typographia Nacional.

DERBY, O.A. 1886. Os mapas mais antigos do Brasil. Revista do Instituto Histórico e Geográfico. -. 7(53): 38-62. (Transcr. 1902).

DERBY, O.A. 1889. Retrospecto Histórico dos Trabalhos Geográficos e Geológicos (Efetuados na Província de São Paulo). São Paulo, Rev. Inst. Hist. e Geogr., 7(3-4): 283-300. (transcrição, julho a dezembro de 1949).

DERBY, O.A. 1895. A denominação “Serra da Mantiqueira”. São Paulo, Rev. Inst. Hist. e Geogr., 1: 1-15.

DERBY, O.A. 1897. Um Mapa Antigo de Partes das Capitanias de S. Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro. São Paulo, Rev. Inst. Hist. e Geogr., 2: 197-219.

DERBY, O.A. 1898. A Estrada de S. Paulo ao Rio Grande do Sul no século passado. São Paulo, Rev. Inst. Hist. e Geogr., 3: 173-199.

DERBY, O.A. 189?. As Investigações Geologicas do Brasil. In: Resumo de Geologia por Lapparent, A. de. Rio de Janeiro. H. Garnier. p. 312-333.

DERBY, O.A. 1898. Geologia do Sudeste Paulista. Secr. Agric., Bol. Agricultura, 1951, 1: 3-4.

DERBY, O.A. 1906. The Serra do Espinhaço, Brazil. J. Geol.,. 14(5): 374-401.

ESCHWEGE, W.L.von. 1818. Jornal do Brasil. Trad. Friedrich E. Renger, Tarcísia Lobo Ribeiro e Günter Augustin, 2002. Centro de Estudos Históricos e Culturais. Fundação João Pinheiro. Belo Horizonte. 408p.

ESCHWEGE, W.L.von. 1824. Brasil, novo mundo. Trad. Domício de Figueiredo Murta, 1996. Centro de Estudos Históricos e Culturais. Fundação João Pinheiro. Belo Horizonte. 410p.

FERREIRA, F.I. 1885. Diccionario Geographico das Minas do Brazil. Concatenação de noticias, informações e descripções sobre as minas, extrahidas de documentos officiaes, memorias, historias, revistas, diccionarios, cartas geographicas, roteiros, viagens, explorações de rios, ditas de estradas de ferro e outras. Imprensa Nacional, Rio de Janeiro. 754p.

FIGUEIRÔA, S.F.M., VIEIRA, P.C., BOCHICCHIO, V.R. 1985. Um Século de Pesquisas em Geociências. São Paulo: Secr. Agric. Abast., Coord. Pesq. Rec. Nat., Inst. Geológico. 96p.

FIGUEIRÔA, S.F.M. 1992. Ciência na Busca do Eldorado: A institucionalização das ciências geológicas no Brasil, 1808-1907. Fac. Filos., Letras e Ciênc. Hum., Univ. São Paulo. 171p. (Tese Dout.).

FIGUEIRÔA, S.F.M. 1997. As Ciências Geológicas no Brasil: uma História Social e Institucional, 1875- 1934. São Paulo: Hucitec.

FITTIPALDI, F.C., GUTJAHR, M.R. 2006. Os 120 anos de criação da Comissão Geographica e Geologica 1886-2006. Instituto Geológico de São Paulo, Secr. Est. Meio Ambiente. (CD-ROM Multimídia).

FLORENCE, G. 1905. Notas geológicas sobre o rio Tieté. Comissão Geographica e Geológica de São Paulo – Exploração do Rio Tietê, 3o Edição-1930: 10-16.

FRANCO, R.R. 1981. A Mineralogia e a Petrologia no Brasil. In: M.G. Ferri, S. Motoyama, coords. História das Ciências no Brasil. São Paulo -, EDUSP. p.1-42.

FREITAS, M.V.de. 2001. Hartt: expedições pelo Brasil imperial, 1865-1878. São Paulo, Metalivros. 244p.

GONSALVES, A.D. 1928. Bibliographia de Geologia, Mineralogia e Peleontologia do Brasil. Serviço Geológico e Mineralógico do Brasil, Ministério da Agricultura, Indústria e Comércio, Officinas Typographicas do Serviço de Informações do Ministério da Agricultura, Rio de Janeiro, Boletim no 27. 205p.

GONZAGA DE CAMPOS, L.F. 1888. Secção Geológica. Relatório apresentado ao Dr. Orville A. Derby. 1888. Commisão Geographica e Geológica da Província de São Paulo. São Paulo, Typographia a Vapor de Jorge Seckler e Comp. 15 de Dezembro: . p. 1-34.

GOUVÊA, O.N. 1880. Rochas Plutonicas do Brazil. These de Concurso a uma das vagas da primeira secção do curso de sciencias physicas e naturaes apresentada á Congregação da Escola Polytechnica, Rio de Janeiro, Typographia Universal de E. e H. Laemmert. 67p.

HARTT, F.C. 1870. Geology and Physical Geography of Brazil. Trad. Edgar Süssekind de Mendonça e Elias Dolianiti. Comp. Edit. Nac. 1941, no 200. 620p.

HOLT, N.R. 1989. Darwinism: Evolution or Revolution? Organization of American Historians Magazine of History, 4(2):30-33.

HUTTON, J. 1788. Theory of the Earth; or an investigation of the Laws observable in the Composition, Dissolution, and Restoration of Land up the Globe. Transactions of the Royal Society of Edinburgh, 1(2): 209-304.

IGLESIAS, D. 1943. Bibliografia e Índice da Geologia do Brasil, 1641-1940. Depto. Nac. Prod. Min., Div. Geol. Miner. Divisão de Geologia e Mineralogia, Boletim no 111. 323p.

KNECHT, T. 1934. Occorencia de Suppostos Fosseis na Serie de S. Roque em Araçaeiro, S. Paulo. Mineração e Metalurgia. 1(6): 250.

LAVINA, E.L. 2010. Alfred Wegener e a revolução copernicana da Geologia. Rev. Bras. Geoc., 40:286-299.

LAVINA, E.L. 2012. O Dilúvio de Noé e os primórdios da Geologia. Rev. Bras. Geoc., 42:91-110.

LEINZ, V. 1937. Natureza dos supostos fósseis de Araçaeiro, S. Paulo. Mineração e Metalurgia. 2(7): 36.

LEINZ, V. 1955. A Geologia e a Paleontologia no Brasil. In: As Ciências no Brasil. Obra organizada e publicada sob a direção de Fernando de Azevedo. Edições Melhoramentos. p.245-261.

LAMEGO, A.R. 1951. Derby, o Sábio Incompreendido. In: Orville A. Derby 1851-1951 Alguns aspectos da sua obra. Rio de Janeiro: DGM/DNPM. p.83-88.

LEME, P.T.de A.P. 1772. Informações sobre as minas de S. Paulo e dos sertões da sua capitania desde o anno de 1597 até o presente 1772. Revista do Instituto Histórico e Geográfico do Brasil. Publicata do ano de 1901, 44: 1-84.

LEONARDOS, H.O. 1934. Chumbo e Prata no Estado de São Paulo. Serviço de Fomento da Produção Mineral. 6: 3-43.

LEONARDOS, H.O. 1955. A Mineralogia e a Petrografia no Brasil. In: As Ciências no Brasil. Obra organizada e publicada sob a direção de Fernando de Azevedo. Edições Melhoramentos, p.267-313.

LYELL, C. 1835. Principles of Geology: being an inquiry how far the former changes of the earth’s surface are referable to causes now in operation. John Murray, Albemarle Street, London, vol. I. 406p.

MARTINS, F.P. 1943. A Propósito de Afonso Sardinha. Revista do Arquivo Municipal. Prefeitura do Município de São Paulo, XCII: 99-111.

MARX, K. 1867. O Capital. Fonte da Presente Transcrição: Centelha. Promoção do Livro, SARL, Coimbra, 1974. Trad. J. Teixeira Martins e Vital Moreira. Transcr. Alexandre Linares. URL:< http://pt.wikisource.org/wiki/O_Capital>. Acesso: 31.01.2014.

MASTER, S. 2009. Plutonism versus Neptunism at the southern tip of África: the debate on the origin of granites at the Cape, 1776-1844. In: Sixth Hutton Symposium The Origin of Granites and Related Rocks. The Geological Society of America, Special Paper 472:1-13.

MAWE, J. 1812. Viagens ao Interior do Brasil. Trad. Selena Benevides Viana. São Paulo. Editora da Universidade de São Paulo. 243p.

MORAES, L.J.de. 1944. A Serra do Japí, Estado de São Paulo. Bol. Fac. Filos., Ciências e Letras USP. 1(45): 34-40.

MORAES REGO, L.F.de. 1930. A Geologia do Petróleo no Estado de S. Paulo. Serviço Geológico e Mineralógico do Brasil. Rio de Janeiro, 46: 1-70.

MORAES REGO, L.F.de. 1931. As estructuras antigas do Brasil. Annaes da Escola de Minas, 1: 27-85.

MORAES REGO, L.F.de. 1931. Ensaio sobre as montanhas do Brasil e sua genesis. Rio de Janeiro, Revista do Club Militar. , 1: 83-118.

MORAES REGO, L.F.de. 1943. A Geologia do Estado de São Paulo. Bol. Depto. Estradas e Rodagem. 3(3): 538-556.

MORAES REGO, L.F.de. 1936. O Vale do São Francisco (Ensaio de Monografia Geográfica). Originais deste trabalho foram publicados na Revista do Museu Paulista com reedição em 1945, São Paulo, Editora Renascença. 245p.

MORAES REGO, L.F.de, SOUZA SANTOS, T.D.de. 1938. Contribuição para o estudo dos Granitos da Serra da Cantareira. Instituto de Pesquisas Technologicas de S. Paulo. 18:1-162.

MORAES REGO, L.F.de, ALMEIDA, F.F.M.de. 1946. Seção Geologica de Capela da Ribeira a Curitiba. Escola Politécnica de Universidade de São Paulo, Separata de Geologia e Metalurgia, São Paulo, Brasil, 3: 5-30.

OLIVEIRA, A.I.de, LEONARDOS, O.H. 1943. Geologia do Brasil. Serviço de Informação Agrícola, Ministério da Agricultura. Rio de Janeiro. Serie didática 2. 813p.

OLIVEIRA, E.P.de. 1925. Analyses de Calcareos. Serv. Geol. e Mineral. Brasil. Minist. Agricultura Industria e Commercio. 10: 1-45.

OLIVEIRA, E.P.de. 1927. Geologia e Recursos Mineraes do Estado do Paraná. Serviço Geológico e Mineralógico do Brasil. (Monographia). 172p.

OLIVEIRA, E.P. 1939. Orville A. Derby [1851-1915]. Transcrito da Revista Brasileira de Geografia, ano I, no 4, outubro de 1939. In: Orville A. Derby 1851-1951 Alguns aspectos da sua obra. Rio de Janeiro: DGM/DNPM. 1951. p.13-15.

OLIVEIRA, F.de P. 1887. Esboço Geológico da Região Comprehendida entre os Rios Sorocaba e Tieté. Relatório da Província de São Paulo, Commissão Geographica e Geológica. São Paulo, Typographia a Vapor de Jorge Seckler e Comp., 19 de novembro: 26-28.

OLIVEIRA, F.de P. 1888. Relatório da Província de São Paulo, enviado ao Sr. Adalbert Orville Derby. Comissão Geographica e Geológica de São Paulo. 10 de dezembro: 35-42.

OLIVEIRA, F.de P. 1892. Ouro em São Paulo. Contribuição para o estudo da mineração no Brazil. Imprensa da Casa da Moeda – Republica dos Estados Unidos do Brazil.

PALMER, T. 2003. Perilous Planet Earth Catastrophes and Catastrophism through the ages. Cambridge Univ. Press. 503p.

PETRI, S., CAMPOS, D.A. 2004. A Contribuição de Fernando Flávio Marques de Almeida para a Pesquisa Paleontológica no Brasil. In: V. Mantesso-Neto., Bartorelli, A., Carneiro, C.D.R., Brito Neves, B.B. (Organizadores): Geologia do Continente Sul-Americano: Evolução da obra de Fernando Flávio Marques de Almeida. São Paulo, Ed. Beca. Cap. XX. p.347-353.

PINTO, V.N. 1979. O Ouro Brasileiro e o Comércio Anglo-Português. Edt. Brasiliana. 346p.

PISSIS, M.A. 1848. Mémoire sur la position géologique des terrains de la partie australe du brésil, et sur les soulèvements qui, à diverses époques, ont changé le relief de cette contrée. Académie des sciences de l’institut national de France, Paris, Memoires t. X: 353-413.

RATH, C.J.F. 1856. Fragmentos geológicos e geographicos etc para a parte physica da estatística das províncias de S. Paulo e Paraná. Exploradas a próprias expensas do autor, começados no anno de 1845. Typographia Imparcial, de Joaquim Roberto de Azevedo Marques. 78p.

RATH, C.J.F. 1871. Notícia ethonologica sobre um povo que já habitou a costa do Brasil, bem como seu interior, antes do dilúvio universal. Revista do Instituto Histórico Geographico e Ethonographico do Brasil. Tomo XXXIV, 1: 287-298.

RENGER, F.E. 2005. O “Quadro Geognóstico do Brasil” de Wilhelm Ludwig Von Eschwege: Breves Comentários à sua Visão da Geologia no Brasil. Geonomos. 13(1-2): 91- 95.

SAINT-HILAIRE, A.de. 1822. II Viagem à Província de São Paulo e resumo da viagem ao Brasil, Província Cisplatina e Missões do Paraguai. Trad. Rubens Borba de Moraes. Bibl. Hist. Bras. 223p.

SPIX, J.B., MARTIUS, C.F.P. 1823. Viagem pelo Brasil: 1817-1820. Trad. brasileira promovida pelo Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro para a comemoração do seu centenário. 1938. Imprensa Nacional, Rio de Janeiro. 25p.

TAUNAY, A.de E. 1951. Derby e a História do Brasil. In: Orville, A. Derby 1851-1951 Alguns aspectos da sua obra. Rio de Janeiro. DGM/DNPM. p.51-52.

TAVORA FILHO, E. 1944. José Bonifácio Cientista, Professor e Técnico. Conferência lida na sala “José Bonifácio de Andrada e Silva” da Faculdade Nacional de Filosofia, no dia 26 de Agosto de 1943. Coleção Estudos Brasileiros, Rio de Janeiro. 43p.

TOSATTO, P. 2001. Orville, A. Derby, O Pai da Geologia do Brasil. Depto. Nac. Prod. Mineral DNPM (Museu de Ciências da Terra); CPRM – Serviço Geológico do Brasil. Rio de Janeiro. 110p.

WEGENER, A. 1929. The Origen of Continents and Oceans. Transl. John Biram in 1966. Dover Publ. 247p.

Publicado
2015-06-25
Como Citar
Pinto, R. H., & Janasi, V. de A. (2015). Histórico do Conhecimento geológico sobre o Pré-Cambriano Paulista até o ano de 1955. Terrae Didatica, 10(1), 52-66. https://doi.org/10.20396/td.v10i1.8637387
Seção
Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo (s) autor (es)