Banner Portal
Aqüifero Guarani: um retrato 3x4 de gestão e da experiência com estudantes em Ribeirão Preto (SP)
PDF

Palavras-chave

Aqüífero Guarani. Gestão. Ensino-aprendizagem.

Como Citar

CAMPOS, Heraldo Cavalheiro Navajas Sampaio; CANESIN, Maria Bernadete de Siqueira. Aqüifero Guarani: um retrato 3x4 de gestão e da experiência com estudantes em Ribeirão Preto (SP). Terrae Didatica, Campinas, SP, v. 3, n. 1, p. 74–85, 2015. DOI: 10.20396/td.v3i1.8637478. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/td/article/view/8637478. Acesso em: 17 abr. 2024.

Resumo

Experiências locais de gestão do Aqüífero Guarani e trabalhos desenvolvidos com estudantes no município de Ribeirão Preto (SP) visam enfrentar os desafios relacionados à melhor compreensão da qualidade e da quantidade de água desse mega-reservatório. Ribeirão Preto é uma área-piloto para estudo detalhado do Aqüífero Guarani, em função do acelerado crescimento urbano e da intensificação das atividades agrícolas e industriais. A demanda crescente de retirada de água subterrânea do Aqüífero Guarani tem levado um comitê gestor internacional a empreender dois tipos de ações: (a) para promover capacitação local junto a diferentes atores da comunidade local, como pode ser considerado o trabalho desenvolvido pela disciplina de Matemática “Aqüífero Guarani: ecologia e ciclo da água” na Escola Estadual Profª Eugênia Vilhena de Moraes, resultado de reflexões conduzidas para a inovação da prática na mudança do currículo escolar e (b) ações para promover gestão local e ordenamento territorial do espaço hídrico subterrâneo em conjunto com instituições envolvidas na execução das diversas tarefas de avaliação e conhecimento das características do reservatório; um exemplo disso é não permitir, na zona central da cidade, novas perfurações de poços, a não ser para substituição de poços do abastecimento público. 
https://doi.org/10.20396/td.v3i1.8637478
PDF

Referências

Ben-Zvi-Assarf O., Orion N. 2005. A study of junior high students’ perceptions of water cycle. J. Geosc. Educ., 53(4):366-373.

Bonato J.A. Cerezoli L. 2006. Zona para expansão: ocupação adequada é o maior desafio. Ribeirão Preto, Gazeta de Ribeirão, 16 mar. Cidades, p.7.

Brasil. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Média e Tecnológica. Parametros Curriculares Nacionais – Ensino Médio. MEC/SENTEC, Brasília: Ministério da Educação, 1999. 364p.

Busch G. 2006. A busca do Plano Diretor. Ribeirão Preto, Gazeta de Ribeirão, 19 fev. Plano Diretor, p.1-4.

Campos H. 2006. Águas de Ribeirão no México. Ribeirão Preto, Gazeta de Ribeirão, 19 fev. Opinião, p.3.

Canesin M.B.S., Gonçalves P.W. 2007. O Aqüífero Guarani e o ciclo da água numa cidade do interior paulista: um tema fora e dentro do ensino da matemática. In: Simpósio de Pesquisa em Ensino e História de Ciências da Terra, 1, e Simpósio Nacional sobre Ensino de Geologia no Brasil, 3, Campinas, 4-8.09. 2007. Anais... DGAE/IG/Unicamp. p. 181-187. (CD-ROM, 068.pdf).

Carneiro C. D. R. 2006. Visita monitorada a afloramentos do Aqüífero Guarani, Bacia do Paraná: formação Pirambóia e Botucatu. In: Jornada Estadual Aqüífero Guarani. 2006. Botucatu, Pref. Mun.Botucati, SP. (Roteiro de Campo) 104p.

Carneiro C. D. R. 2007. Viagem virtual ao Aqüífero Guarani em Botucatu (SP): Formações Pirambóia e Botucatu, Bacia do Paraná. 2007. Campinas: Instituto de Geociências, Unicamp. 24p. (Terrae Didatica, 3(1)). 50-73.

Ciências da natureza, matemática e suas tecnologias. / Secretaria de Educação Média e Tecnológica – Brasília: MEC; SEMTEC 2002. p.144. PCN + Ensino Médio: Orientações Educacionais complementares aos Parâmetros Curriculares Nacionais. 1. Ensino Médio. 2. Parâmetros Curriculares Nacionais.1 CD-ROM.

Gonçalves P.W. 2006. Ensino de Ciências do Sistema Terra e formação continuada de professores em efetivo exercício. Relatório Técnico FAPESP. Campinas: IG-Unicamp.

Lobato M. 1967. O poço do Visconde. São Paulo: Brasiliense. v.10, 253p.

Raths L.E. et al. 1977. Ensinar a pensar: teoria e aplicação. 2.ed. São Paulo: EPU. 441p.

Rojo R. 2004. Letramento e capacidades de leitura para a cidadania. São Paulo: CENP. 8p.

Sacristán J.G. 2000. O Currículo: uma reflexão sobre a prática. 3.ed. Porto Alegre: ArtMed. 352p.

Savenhago I. 2006. Aqüífero em debate. Gazeta de Ribeirão, Ribeirão Preto, 12 mar. Cidades, p.9.

Sicca N.A.L. 2002. As reformas curriculares e os programas para formação de professores In: Utsumi M.C. (org.). Entrelaçando saberes: contribuições para a formação de professores e as práticas escolares. Florianópolis: Insular. p.111-131.

Urbanização é risco. 2006. Gazeta de Ribeirão, Ribeirão Preto, 03 set. Cidades, p.8.

Zabala A. 1998. A função social do ensino e a concepção sobre os processos de aprendizagem: instrumentos de análise. In: Zabala A. A prática educativa: como ensinar. Porto Alegre: ArtMed. p. 27-52.

Terrae Didatica utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto, em que:

  • A publicação se reserva o direito de efetuar, nos originais, alterações de ordem normativa, ortográfica e gramatical, com vistas a manter o padrão culto da língua, respeitando, porém, o estilo dos autores;
  • Os originais não serão devolvidos aos autores;
  • Os autores mantêm os direitos totais sobre seus trabalhos publicados na Terrae Didatica, ficando sua reimpressão total ou parcial, depósito ou republicação sujeita à indicação de primeira publicação na revista, por meio da licença CC-BY;
  • Deve ser consignada a fonte de publicação original;
  • As opiniões emitidas pelos autores dos artigos são de sua exclusiva responsabilidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.