Jogos interpretativos e palestras: ferramentas de educação ambiental do Parque Nacional dos Campos Gerais (Paraná)

Autores

  • Jasmine Cardozo Moreira Universidade Estadual de Ponta Grossa

DOI:

https://doi.org/10.20396/td.v14i4.8652465

Palavras-chave:

Meio ambiente. Jogos. Áreas protegidas.

Resumo

A Educação Ambiental pode integrar atividades lúdicas, ao apostar na sensibilização da sociedade para a conservação e proteção dos recursos naturais. Este artigo tem como objetivo apresentar o jogo interpretativo e resultados do Projeto de Educação Ambiental desenvolvido no Parque Nacional dos Campos Gerais – Paraná, intitulado “ICMBio vai às escolas: conhecendo as Unidades de Conservação da Natureza”. O projeto apresenta as características relevantes de geodiversidade e biodiversidade local que levaram à criação dessa unidade, buscando o apoio da comunidade para a conservação da região. O projeto tem como foco escolas dos municípios do entorno do Parque. A metodologia englobou pesquisa bibliográfica e documental, apresenta os resultados dos questionários de avaliação da atividade e dados sobre a elaboração e a aplicação do jogo. Conclui-se que o resultado dessas ações contribui para a sensibilização dos estudantes e para mostrar a importância da conservação do patrimônio natural do Parque Nacional dos Campos Gerais. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jasmine Cardozo Moreira, Universidade Estadual de Ponta Grossa

É professora associada da Universidade Estadual de Ponta Grossa, no curso de Bacharelado em Turismo e Pós Graduação em Gestão do Território (mestrado) e Geografia (doutorado). É também professora assistente adjunta (visitante), na Universidade de West Virginia, nos Estados Unidos, onde desenvolve pesquisas em parceria com o Serviço Florestal Americano.

Referências

Almeida C.G., Moro R.S. 2007. Análise da cobertura florestal no Parque Nacional dos Campos Gerais, Paraná, como subsídio ao seu plano de manejo. Terr@ Plural. 1(1):115-122. URL: http://www.revistas2.uepg.br/index.php/tp/article/viewFile/1146/856. Acesso 20.05.2015.

Assine M.L. 1999. Fácies, icnofósseis, paleocorrentes e sistemas deposicionais da Formação Furnas no flanco sudeste da Bacia do Paraná. Rev. Bras. Geoc., 29(3):357-370.

Baptista L., Moreira J.C. 2017. Ecoturismo de base comunitária no Parque Nacional dos Campos Gerais, PR: a ótica das comunidades de entorno. Pasos, Rev. Turismo y Patrimonio Cultural 15:195-210.

Baumgratz N.D.P, Pereira, R.F.P, Alves, M.P. 2016. Educação Ambiental em uma Unidade de Conservação: A visão de docentes de escolas públicas do sul fluminense. Revista Ciências&Ideias, 7(2):105-136. URL: http://revistascientificas.ifrj.edu.br:8080/revista/index.php/reci/article/view/412/392. Acesso 24.04.2017

Brasil. 1999. Lei nº 9.795 de 27 de abril de 1999. URL: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9795.htm. Acesso 05.02.2015.

Brasil. 2011. Diretrizes para Estratégia Nacional de Comunicação e Educacão Ambiental em Unidades de Conservação. Brasília: Min. Meio Ambiente, ICMBio. 48p. URL: http://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/comunicacao/publicacao_encea.pdf. Acesso 10.07.2018.

Brasil. 2015. Conflitos: estratégias de enfrentamento e medição. Série Educação Ambiental e Comunicação em Unidades de Conservação. Caderno 4. Brasília: Min. Meio Ambiente/ICMBio. 66p.

Brougère G. 1998. Jogo e Educação. Porto Alegre: Artes Médicas. 224p.

Dalazoana K., Moro R.S. 2011. Riqueza específica em áreas de campo nativo impactadas por visitação turística e pastejo no Parque Nacional dos Campos Gerais, PR. In: Revista Floresta, 41(2):387-396. URL: http://ojs.c3sl.ufpr.br/ojs/index.php/floresta/article/viewFile/22762/15023. Acesso 06.05.2015.

Delgado J. A. 2000. interpretação ambiental como instrumento para o ecoturismo. In: Serrano C. orgs. 2000. A educação pelas pedras – ecoturismo e educação ambiental. São Paulo: Chronos. p. 155-169.

Dias G. F. 2004. Educação Ambiental: princípios e práticas. 9a ed. São Paulo: Gaia. 541p.

Evangelista L. M., Soares M. H. F. B. 2011. Atividades lúdicas no desenvolvimento da educação ambiental. In: Simpósio de Educação Ambiental e Transdiciplinaridade, II SAET, Goiânia. Anais..., Goiânia. URL: https://nupeat.iesa.ufg.br/up/52/o/45_Atividade_l__dicas.pdf Acesso 07.04.2015.

Farias M. F., Maracajá K. F. 2012. Necessidade de educação ambiental no turismo: um estudo realizado na pousada gargalheiras na cidade de Acari. In: Caderno Virtual do Turismo, 12(2):116-136. URL: <http://migre.me/mhqXm> Acesso 03.06.2014.

Falkembach G.A.M. s.d. O lúdico e os jogos educacionais. URL: http://penta3.ufrgs.br/midiasedu/modulo13/etapa1/leituras/arquivos/Leitura_1.pdf. Acesso 30.03.2018.

Gebauer I.C.L. 2014. Educação ambiental em eco-trilha do Parque Nacional do Iguaçu. Revista Eletronica do Mestrado em Educação Ambiental. v.esp.:318-330. URL: https://periodicos.furg.br/remea/article/view/4453 Acesso 10.02.2018.

Grupo Universitário de Pesquisas Espeleológicas. 2017. Cavernas: Parque Nacional dos Campos Gerais, Ponta Grossa (PR). Ponta Grossa: Radial. No. 1, 40p.

Guimarães G.B. 2000. As rochas granitóides do Complexo Granítico Cunhaporanga, Paraná: aspectos geológicos, geofísicos, geoquímicos e mineralógicos. São Paulo: Instituto de Geociências, Univ. São Paulo. 230 p. (Tese Dout.).

Guimarães G.B., Melo M.S., Giannini P.C.F., Melek P.R. 2007. Geologia dos Campos Gerais. In: Melo M.S, Moro R.S., Guimarães G.B. eds 2007. Patrimônio natural dos Campos Gerais do Paraná. Ponta Grossa: Ed. UEPG. p.23-32.

Guimarães T.O., Mariano G., Sá A.A. 2017. Jogos “geoeducativos” como subsídio à Geoconservação no litoral sul de Pernambuco (NE Brasil): uma proposta. Terrae Didatica, 13(1):30-42. URL: http://www.ige.unicamp. br/terraedidatica/. Acesso 10.02.2018.

ICMBio & WWF. 2016. Educação ambiental em Unidades de Conservação: ações voltadas para comunidades escolares no contexto da gestão pública da biodiversidade. Brasília: ICMBio / MMA / WWF. 66p. URL: http://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/comunicacao/publicacoes/publicacoes-diversas/DCOM_ICMBio_educacao_ambiental_em_unidades_de_conservacao.pdf. Acesso 15.04.2018.

ICMBio. 2012. Termo de referência - Projeto de Pesquisa para Elaboração de Estudos Prioritários de Uso Público para o Parque Nacional dos Campos Gerais- PR, como Ferramenta para a Gestão e Subsídios para o Planejamento. Ponta Grossa: ICMBio. 13p.

Ham S. 1992. Interpretacion ambiental: uma guia pratica para gente com grandes ideas y presupuestos pequenos. Colorado: North. Am. Press. 437p.

Jesus T.P. 1993. Caracterização perceptiva da Estação Ecológica de Jataí (Luiz Antônio, SP) por diferentes grupos sócio-culturais de interação. São Carlos: Univ. Fed. São Carlos. 378 p. (Tese Dout.).

Maciel G.G, Alves D. 2018. Educação Ambiental no Parque Nacional da Tijuca: Diálogo entre a política pública e a sociedade. O social em questão. 40 (1):135-160. URL: http://osocialemquestao.ser.puc-rio.br/media/OSQ_40_art_6_Maciel_Alves.pdf . Acesso 22.04.2018.

Maluf A.C.M. 2008. Atividades Lúdicas para Educação Infantil: Conceitos, orientações e práticas. Rio de Janeiro: Vozes. 69p.

Marques L.S., Ernesto M. 2004. O Magmatismo Toleítico da Bacia do Paraná. In: Mantesso-Neto V., Bartorelli A., Carneiro C.D.R., Brito-Neves B.B. eds. 2004. Geologia do continente Sul-Americano: evolução da obra de Fernando Flavio Marques de Almeida. São Paulo: Beca. p. 245-264.

Massuqueto L.P., Melo M.S., Guimarães G.B., Lopes M.C. 2009. Cachoeira de Santa Bárbara no Rio São Jorge, PR: bela paisagem realça a importante contato do embasamento com rochas glaciogênicas siluro-ordovicianas. In: Winge M., Schobbenhaus C., Souza C.R.G. Fernandes A.C.S., Berbert-Born M., Queiroz E.T. eds. Sítios Geológicos e Paleontológicos do Brasil. URL: http://sigep.cprm.gov.br/sitio047/sitio047.pdf. Acesso 10.07.2018.

Melo M.S., Lopes M.C., Boska M.A. 2005. Furna do Buraco do Padre, Formação Furnas, PR: Feições de erosão subterrânea em arenitos devonianos da Bacia do Paraná. In: Winge M., Schobbenhaus C., Berbert-Born M., Queiroz E.T., Campos D.A., Souza C.R.G., Fernandes A.C.S. eds. Sítios Geológicos e Paleontológicos do Brasil. Brasília, DF. URL: http://sigep.cprm.gov.br/sitio110/sitio110_impresso.pdf. Acesso 07.12.2016.

Melo M.S, Moro R.S., Guimarães G.B. 2007. Patrimônio natural dos Campos Gerais do Paraná. Ponta Grossa: Ed. UEPG. 227p.

Melo M.S. 2015. O Parque Nacional dos Campos Gerais e a Educação para a Sustentabilidade. In: Semin. Pesq. Parque Nacional dos Campos Gerais, e da Reserva Biológica das Araucárias. Anais..., Ponta Grossa. URL: http://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/oquefazemos/pesquisas/dcom_anais_1_seminario_de_pesquisa_do_parna_dos-campos_gerais_rebio_das_araucarias.pdf. Acesso 10.10.2017.

Moreira J.C., Robles R. A., Bellini C. 2009. As palestras como meio interpretativo: estudo de caso com palestrantes em Fernando de Noronha, PE. Rev. Bras. Ecoturismo, 2:322. URL: http://www. physis.org.br/rbecotur/artigos/completo5.pdf. Acesso 5.05.2015.

Moreira J.C. 2010. A Elaboração de um Jogo da Memória como meio interpretativo para a região de Piraí da Serra. In: Simp. Pesq. Pós-Graduação, 3, 2010, Ponta Grossa. Anais..., Ponta Grossa. UEPG. URL: https://www.academia.edu/472927/A_ELABORAÇÃO_DE_UM_JOGO_DA_MEMÓRIA_COMO_MEIO_INTERPRETATIVO_PARA_A_REGIÃO_DE_PIRAÍ_DA_SERRA_-_PR. Acesso 10.02.2017

Moreira J.C. 2012. Interpretação ambiental, aspectos geológicos e geomorfológicos. Boletim de Geografia (UEM), 30:87-98.

Moreira J.C. 2014. Geoturismo e Interpretação Ambiental. Ponta Grossa: Ed. UEPG. 153p.

Moreira J.C., Rocha C.H. 2007. Unidades de Conservação dos Campos Gerais. In: Melo M.S., Moro R.S., Guimarães G.B. eds. 2007. Patrimônio Natural dos Campos Gerais do Paraná. Ponta Grossa: Ed. UEPG. p. 201-212.

Moreira J.C., Burns R.C. 2016. Parque Nacional dos Campos Gerais: Turismo, manejo de uso público e a percepção do visitante. Semin. Pesq. Parque Nacional dos Campos Gerais, e da Reserva Biológica das Araucárias. Anais..., Ponta Grossa. URL: http://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/oquefazemos/pesquisas/dcom_anais_1_seminario_de_pesquisa_do_parna_dos-campos_gerais_rebio_das_araucarias.pdf. Acesso 10.10.2017.

Oliveira E.A. 2012. O Parque Nacional dos Campos Gerais: Processo de Criação, Caracterização Ambiental E Proposta De Priorização De Áreas Para Regularização Fundiária. Curitiba: UFPR. 294p. (Tese Dout.).

Rampel C., Muller C.C., Clebsch C.C., Dallarosa J., Rodrigues M.S., Coronas M.V., Rodrigues G.G., Guerra T., Hartz S.M. 2008. Percepção Ambiental da Comunidade Escolar Municipal sobre a Floresta Nacional de Canela, RS. Porto Alegre. Rev. Bras. Bioc., 6(2):141-147. URL: http://www.ufrgs.br/seerbio/ojs/index.php/rbb/article/viewFile/938/784. Acesso 03.06.2014.

Santana E.M. de, Rezende D.B. 2008. A influência de jogos e atividades lúdicas no ensino e aprendizagem de Química. In: Enc. Nac. Pesq. Educ. Ciências. 6, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro. ANPEC. URL: http://www.nutes.ufrj.br/abrapec/vienpec/CR2/p467.pdf. Acesso 11.03.2012.

Schimanski E., Moreira J.C., Moro P.R. 2013. A importância da educação ambiental no processo de defesa do patrimônio natural e cultural: o caso de Piraí da Serra, Paraná, Brasil. Revista Configurações. 11:113-127.

Szabó G.A.J., Andrade F.R.D., Guimarães G.B., Carvalho F.M.S., Moya F.A. 2006. As jazidas de talco no contexto da história metamórfica dos metadolomitos do Grupo Itaiacoca, PR. Geologia USP, Série Científica, 5(2):13-31. URL: http://www.revistas.usp.br/guspsc/article/view/27409. Acesso 10.07.2018

Vasconcelos J.M.O. 2003. Interpretação ambiental. In: Mitraud S. org. 2003. Manual de ecoturismo de base comunitária. Brasília: WWF Brasil. p. 261-294.

Downloads

Publicado

2018-12-04

Como Citar

MOREIRA, J. C. Jogos interpretativos e palestras: ferramentas de educação ambiental do Parque Nacional dos Campos Gerais (Paraná). Terrae Didatica, Campinas, SP, v. 14, n. 4, p. 467–476, 2018. DOI: 10.20396/td.v14i4.8652465. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/td/article/view/8652465. Acesso em: 9 fev. 2023.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)