Earth system sciences and permaculture: contributions to environmental

Autores

  • Eliza C. Wenceslau Universidade Estadual de Campinas
  • Joseli M. Piranha Universidade Estadual Paulista

DOI:

https://doi.org/10.20396/td.v14i4.8653827

Palavras-chave:

Permaculture. Earth system sciences. Environmental education. Geosciences education.

Resumo

In view of the environmental crisis that plagues the world today, resulting from the dissociation of man and environment and the low effectiveness of educational policies, especially regarding Environmental Education, the need for a paradigm shift is evident, transforming the way of teaching and thinking about Environmental Education. In that respect, it is believed that the concepts advocated by Earth System Sciences, applied to Permaculture, can contribute to the development of a more humanistic and respectful culture, besides providing man with a new outlook on the environment. Thus, the present work exposes the foundations of these two theoretical references (Earth System Sciences and Permaculture), aiming to contribute to the reform in thought, and allowing the teaching and learning process in Environmental Education to be more effective and consistent. While Earth System Sciences allow the systemic understanding of the planet as well as the complex relationships between its various constituents, Permaculture seeks a harmonious coexistence of man and the environment. They value, in an analogous way, the interrelations between the constituents of the system, revealing alternatives that enable changes in the way the natural environment is occupied, making it more sustainable and raising consciousness.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eliza C. Wenceslau, Universidade Estadual de Campinas

Atualmente, desenvolve projeto de Mestrado no Programa de Pós-Graduação em Ensino e História de Ciências da Terra (PEHCT), junto ao Instituto de Geociências da Universidade Estadual de Campinas (IG/UNICAMP)

Joseli M. Piranha, Universidade Estadual Paulista

Docente colaboradora junto ao Programa de Pós-Graduação em Geociências (Mineralogia e Petrologia) do Instituto de Geociências da Universidade de São Paulo (USP). Atua na área de Ciências da Terra com ênfase em Ensino de Ciência do Sistema Terra, Geologia Ambiental, Recursos Hídricos e Desenvolvimento, Formação Inicial e Continuada de Professores.

Referências

Brazil. 1999. Lei n°9.795. Dispõe sobre a educação ambiental, institui a Politica Nacional de Educação Ambiental e dá outras providencias. 27.Apr.1999. Brasília.

Brazil. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Conselho Pleno. 2012. Resolução nº 2, estabelece as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Ambiental, 15 de Jun. de 2012. Brasília.

Barbieri J.C. 2002. Introdução. In: Brasil. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. Coordenação Geral de educação Ambiental. Educação Ambiental Legal. Brasília, MEC.

Bonito J., Rebelo D., Morgado M., Monteiro G., Medina J., Marques L., Martins L. 2011. A complexidade do tempo geológico e a sua aprendizagem com alunos portugueses (12-13 anos). Terræ Didatica, 7(2):81-92.

Capra F. 1996. A teia da vida. Uma nova Compreensão Científica dos Sistemas Vivos. São Paulo, Ed. Cultrix.

Carneiro C.D.R., Gonçalves P.W., Negrão O.B.M., Cunha C.A.L. 2005. Ciência do Sistema Terra e o Entendimento da Máquina Planetária em que Vivemos. Belo Horizonte, Geonomos, 13(1):11-18.

Compiani M. 2010. Formación de Profesores, Profesionales Críticos, en la Enseñanza de Geociencias Frente a los Problemas Socio-Ambientales. Enseñanza de las Ciencias de la Tierra, 10(2):162-172.

Cuba M.A. 2010. Educação Ambiental nas Escolas. ECCOM, 1(2):23-31.

Guerra A.F.S., Guimarães M. 2007. Educação Ambiental no Contexto Escolas: Questões levantadas no GDP. Pesquisa em Educação Ambiental, 2(1):155-166.

González-Gaudiano E. 2005. Interdisciplinaridade e educação ambiental: explorando novos territórios epistêmicos. In: Sato M., Carvalho I. orgs. 2005. Educação ambiental: pesquisa e desafios. Porto Alegre: Artmed. p. 119-133.

Holmgren D. 2013.Permacultura: Princípios e caminhos além da sustenrabilidade. Porto Alegre: Via Sapiens.

Huggett R. 2007. A history of the systems approach in geomorphology. Géomorphologie: relief, processus, environnement, 13(2):145-158.

Le Moigne J.L. 1977.A teoria do sistema geral: Teoria da modelização. Ed. Instituto Piaget. Morrow R. 2010. Permacultura Passo a Passo. Pirenópolis, GO, Ed. Mais Calango. 238 p.

Mollison B. 198. Introdução à Permacultura: panfleto I da série “curso de design em permacultura”. Yankee permaculture.

Mollison B., Holmgren D. 1981. Permacultura um - Uma Agricultura Permanente nas comunidades em Geral. Ed. Ground.

Mollison B., Slay R.M. 1994. Introdution to Permaculture. 2 ed. Austrália: A Tagari Publ. Odum H.T., Odum E.C. 2012. O declínio próspero: princípios e políticas. Tradução de Ortega, E. Petrópilis, RJ: Vozes.

Piranha J.M. 2006. O Ensino de Geologia como instrumento formador de uma cultura de sustentabilidade: o Projeto Geo-Escola em São José Do Rio Preto, SP. Campinas, SP. (Tese Dout.) Piranha J.M., Marques L., Prais J., Chaves I.S. 2011. Contributos do Pensamento de Edgar Morin para o ensino de Ciência do Sistema Terra numa abordagem complexa. Conferencia Iberoamericana de Complejidad, Informática e Cibernética: CICIC 2011. Orlando, Florida, EUA. Available in: http://www.iiis.org/cds2011/cd2011imc/cicic_2011/paperspdf/cb708ny.pdf. Aces.: 10/10/2017.

Possas A.R.O.C., Gemaque I.S.F.C. 2002. História da defesa do meio ambiente. In: CHAGAS M. A. (org.). Sustentabilidade e Gestão Ambiental no Amapá: Saberes Tucujus. Macapá: SEMA.

Ratto C.G., Henning P.C., Andreola, B. A. 2017. Educação Ambiental e suas Urgências: a constituição de uma ética planetária. Educação & Realidade, Porto Alegre, 42(3):1019-1034

Reigota M., Prado B.H. 2008. Educação Ambiental: utopia e práxis. São Paulo: Cortez.

Rodrigues C. 2001. A Teoria Geossistêmica e sua contribuição aos estudos geográficos e ambientais. Revista do Departamento de Geografia, 14.

Sato M., Carvalho I.C.M. 2005. Educação Ambiental: Pesquisa e Desafios. Porto Alegre: Artmed.

Sauvé L. 2005. Educação Ambiental: possibilidades e limitações. Educação e Pesquisa, São Paulo, 31(2):317-322.

Sorrentino M., Trajber R., Mendonça P., Ferraro-Junior L.A. 2005. Educação Ambiental como políticas públicas. Educação e Pesquisa, São Paulo, 31(2):285-299.

UNESCO. 1977. Declaração de Tbilisi. Paris.Zerfass H., Anjos-Zerfass G.S. 2016. A sedimentação em uma abordagem sistêmica. Terræ Didatica, 12(2):126-149.

United Nations (UN). (United Nations Declaration on Humanity, Stockholm, 1972). (United Nations Conference on the Human Environment).

Publicado

2018-10-30

Como Citar

WENCESLAU, E. C.; PIRANHA, J. M. Earth system sciences and permaculture: contributions to environmental. Terrae Didatica, Campinas, SP, v. 14, n. 4, p. 363–368, 2018. DOI: 10.20396/td.v14i4.8653827. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/td/article/view/8653827. Acesso em: 9 fev. 2023.

Edição

Seção

Artigos