Análise de impactos ambientais da prática da escalada na Serra do Lenheiro, São João del-Rei, MG

Palavras-chave: Conservação, Esportes, Meio Ambiente

Resumo

Localizada no município de São João del-Rei/MG, a Serra do Lenheiro vem proporcionando ao longo das últimas décadas visitas e práticas esportivas em sua área. Por possuir características ideais de afloramentos rochosos, o lugar sempre recebeu escaladores e montanhistas de todo o Brasil. Porém nos últimos anos houve um grande aumento no número de praticantes de escalada e uma significativa mudança nas modalidades buscadas na Serra do Lenheiro (Boulder e Escalada Esportiva). Com a ampliação do esporte e também devido à abertura de novas áreas para a escalada na região, surgiram alguns impactos ambientais no local. Este estudo procura identificar e analisar tais impactos ambientais, positivos e negativos que estejam relacionados ao tema. Diante do aumento considerável de escaladores que visitam locais naturais para esse fim, faz-se necessário atentar para com os cuidados relacionados à conservação e preservação da área utilizada, contribuindo com o mínimo impacto ao ambiente explorado para a escalada. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Webert Tadeu Resende, Universidade Federal de Juiz de Fora

Especialização em Mídias na Educação pela Universidade Federal de Juiz de Fora.

André Batista de Negreiros, Universidade Federal de São João del-Rei

Doutorado em Geografia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Professor Adjunto no Departamento de Geociências da Universidade Federal de São João del-Rei.

Referências

Baker, B. (1999). Controversy over use of rock-climbing anchors may be missing the mark. BioScience, 49(7), 529. doi: 10.1093/bioscience/49.7.529

Barbosa, H. S. L., Teixeira, P. H. S., Campos, A. C., Figueiredo, M. A., Rocha, L. C., & Negreiros, A. B. (2015). Aspectos da degradação ambiental de uma trilha recreacional na Serra do Lenheiro, São João del-Rei, MG. Revista Territorium Terram, 3(5), 32-40.

Bodens, J. P. (2013). Diretrizes para avaliação do impacto ambiental da prática de boulder em Parques Nacionais e Estaduais: O caso do Parque Estadual dos Pirineus (GO). TCC apresentado ao Departamento de Geografia, Universidade de Brasília. 77p.

Castanheira, K., Resende, W., T., Kämpf, T. A., & Zugaib, F. K. (2017). Boulder’s da Ave Maria, Serra do Lenheiro, MG. Revista online Blog de Escalada.

Contaldo de Lara, D., Barbosa Caldeira, A. (2016). A Geografia da Escalada em Minas Gerais. Belo Horizonte, Brasil, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Caderno de Geografia, 26(1), 20-34. doi: 10.5752/p.2318-2962.2016v26nesp1p20

Ferreira, A. C, Souza, E. M, Rocha, L. C, & Figueiredo, M.(2017). A Geodiversidade Presente no Campo Escola de Montanhismo (Cemonta), Serra do Lenheiro, São João del-Rei. Anais do I Colóquio Mineiro de Geoconservação e

I Simpósio Mineiro de Geopatrimônio, Ituiutaba,MG. p. 94-100.

Hammitt, W. E., Cole, D. N., Monz, C. A. (2015) Wildland Recreation: Ecology And Management. 3. ed., Wiley-Blackwell, 334p.

Ilha, A. (1983). Manifesto da Escalada Natural. Rio de Janeiro, Mimeo, 8p.

Meneguzzo, I. S., & Chaicouski, A. (2010). Reflexões Acerca dos Conceitos de Degradação Ambiental, Impacto Ambiental e Conservação da Natureza. Londrina, Revista online Geografia, 19 (1), 181-185. doi: 10.5433/2447-1747.2010v19n1p181

Vamerlati, J. S., & Cornacini, R. F. (2011). Planejamento Ambiental. Curitiba-PR. Instituto Federal de Educação e Ciência do Paraná. 131p. (Educação a Distância).

Vasconcelos, M. F. (2011). O que são campos rupestres e campos de altitude nos topos de montanha do Leste do Brasil? Revista Brasileira de Botânica, 34(2), 241-246. doi: 10.1590/S0100-84042011000200012

WWF-Brasil (2006). Manejo de Escalada: Manual sobre questões atuais e a produção de um plano de manejo. 1. ed. WWF-Brasil. 72p.

Publicado
2020-03-30
Como Citar
Resende, W. T., & Negreiros, A. B. de. (2020). Análise de impactos ambientais da prática da escalada na Serra do Lenheiro, São João del-Rei, MG. Terrae Didatica, 16, e020011. https://doi.org/10.20396/td.v16i0.8654249