Conhecer e conservar aquíferos:

como torná-los visíveis?

  • Isabella Nogueira Bittar de Castilho Barbosa Universidade Estadual de Campinas
  • Celso Dal Ré Carneiro Universidade Estadual de Campinas
  • Ana Maciel de Carvalho Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri
  • Gisele Francelino Miguel Universidade Estadual de Campinas
Palavras-chave: Geoconservação, Águas subterrâneas, Ciclo hidrológico, Geologia, Ensino de geociências, Patrimônio geológico

Resumo

Por serem praticamente “invisíveis”, grande parte da população brasileira desconhece noções elementares sobre o tema das águas subterrâneas. Coincidentemente, ainda é muito limitado o nível de conhecimento científico dos aquíferos, requerendo investimentos em pesquisa, sobretudo em épocas de escassez, quando cidades, empresas e outros agentes sociais buscam modos de garantir o abastecimento. A pesquisa que gerou este artigo investigou causas da notável defasagem na transferência de conhecimento científico para a população sobre o tema. Foram realizados três ciclos de entrevistas, para recuperar respostas sobre a importância das águas subterrâneas para o País e para levantar argumentos sobre formas de aproximar a sociedade ao conhecimento sobre ciclo da água, sua dinâmica, fluxos envolvidos e interações entre esferas terrestres. Os resultados indicam que o desconhecimento dos fenômenos naturais e dos possíveis efeitos de atividades antrópicas sobre a natureza pode ser crítico no caso da gestão consciente e sustentável do recurso, porque torna a sociedade bastante vulnerável à decisões desprovidas de suporte na Ciência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Isabella Nogueira Bittar de Castilho Barbosa, Universidade Estadual de Campinas

Mestra em Ensino e História de Ciências da Terra pela Universidade Estadual de Campinas.

Celso Dal Ré Carneiro, Universidade Estadual de Campinas

Doutor em Geociências (Geoquímica e Geotectônica) pela Universidade de São Paulo. Professor colaborador do Instituto de Geociências da Universidade Estadual de Campinas.

Ana Maciel de Carvalho, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri

Professora Assistente  Nível A do Centro de Geociências pela Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri.

Gisele Francelino Miguel, Universidade Estadual de Campinas

Doutora em Ensino e História de Ciência da Terra pela Universidade Estadual de Campinas.

Referências

Brasil. Portaria de Consolidação nº 5, de 03 de outubro de 2017. Diário Oficial da União: República Federativa do Brasil, Brasília, DF, Seção 1, Suplemento, n. 190, p. 360, 2017. Disponível em: ftp://ftp.saude.sp.gov.br/ftpsessp/bibliote/informe_eletronico/2017/iels.out.17/Iels194/U_PRCMS-GM-5_280917.pdf. Acesso em: 27. 01. 2020.

Carneiro, C.D.R.; Toledo, M.C.M.; Almeida, F.F.M. (2004). Dez motivos para inclusão de temas de Geologia na Educação Básica. Revista Brasileira de Geociências, 34 (4), p. 553-560. Disponível em: http://www.ppegeo.igc.usp.br/index.php/rbg/article/view/9787/9135 Acesso em: 12. 01. 2020.

Conselho Estadual de Recursos Hídricos, 2019. Nitrato Nas Águas Subterrâneas: Desafios Frente Ao Panorama Atual. Disponível em: https://smastr16.blob.core.windows.net/igeo/2020/01/boletim_ig_nitrato.pdf. Acesso em: 27. 01. 2020.

Gonçales, V. G.; Carneiro, C. D. R., Balsalobre, B. P.; Pereira, S. Y.; Souza-Fernandes, L. C.; Gastmans, D.; Bartorelli, A.; Vilela, R. C. C. L.; Mantesso-Neto, V.; Anelli, L. E.; Piranha, J. M. (2018). Programa Aquífero Guarani-Unindo água subterrânea e história da Terra à consciência ambiental. Curitiba, PR, Brasil, Ed. CRV. DOI: 10.24824/9788544425256.5. (Série: Ensino e História de Ciência da Terra, ISBN: 978-85-444-2556-5).

Hirata, R. (2019). Entrevista sobre “divulgação das águas subterrâneas”. Málaga, Espanha. Setembro de 2019. Entrevista concedida às autoras Isabella Nogueira Bittar de Castilho Barbosa e Ana Maciel de Carvalho:

Instituto Trata Brasil. 2019. A revolução silenciosa das águas subterrâneas no Brasil: uma análise da importância do recurso e os riscos pela falta de saneamento. Disponível em: http://www.tratabrasil.org.br/images/estudos/itb/aguas-subterraneas-e-saneamento-basico/Estudo_aguas_subterraneas_FINAL.pdf. Acesso em: 04. 10. 2019.

Iritani, M. A.; Ezaki, S. (2008). As águas subterrâneas do Estado de São Paulo. Caderno de Educação Ambiental. Governo do Estado de São Paulo, Secretaria do Meio Ambiente, Instituto Geológico, São Paulo, Brasil.

Knapp, B. J.; Ross, S. R. J.; McCrae, D. L. R. (1991). Challenge of the Natural Environment. Singapore: Longman Singapore Publ. Ltd. 272p.

Martins, J.R.S.; & Carneiro, C.D.R. 2012. Plataforma continental jurídica, recursos do pré-sal e ensino de Geociências. Campinas, Terræ, 9(1):61-109. Disponível em: http://www.ige.unicamp.br/terrae/V9/T_V9_A6.html.

Orion N. 2019. The future challenge of Earth Science education research. Disciplinary and Interdisciplinary Science Education Research, 1(3): 1-8. DOI: 10.1186/s43031-019-0003-z. Acesso em: 02 .02. 2020

Pinder, G. F.; Celia, M. A. (2006). Subsurface Hidrology. John Wiley & Sons, Inc., New Jersey, United States of America. ISBN-13: 978-0-471-74243-2 (cloth) ISBN-10: 0-471-74243-0 (cloth).

Prefeitura Municipal de Ribeirão Preto. 2019. Política Municipal De Habitação (PLHIS): Plano Local De Habitação De Interesse Social. Disponível em: mailto:https://www.ribeiraopreto.sp.gov.br/files/splan/planod/plano-plhis-anexo.pdf?subject=https://www.ribeiraopreto.sp.gov.br/files/splan/planod/plano-plhis-anexo.pdf. Acesso em: 27. 01. 2020.

Rebouças A.C. (2003a). Água doce no mundo e no Brasil. In: A.C. Rebouças, B. Braga, J.G. Tundisi (Coord.) Águas Doces no Brasil. 2. ed. Escrituras, São Paulo, p. 1-35.

Rebouças A.C. (2003b). Águas subterrâneas. In: A.C. Rebouças, B. Braga, J.G. Tundisi (Coord.) Águas Doces no Brasil. 2 ed. Escrituras, São Paulo, p. 117-152.

Silva Junior, G. C. (2019). Entrevista sobre “divulgação das águas subterrâneas”. Málaga, Espanha. Setembro de 2019. Entrevista concedida às autoras Isabella Nogueira Bittar de Castilho Barbosa e Ana Maciel de Carvalho.

Todd, D. K.; Mays, L. W. (2005). Groundwater Hidrology. 3. ed. United States of America. John Wiley & Sons, Inc. ISBN 0-471-05937-4 (Cloth), ISBN 0-471-45254-8 (WIE).

Publicado
2020-04-28
Como Citar
Barbosa, I. N. B. de C., Carneiro, C. D. R., Carvalho, A. M. de, & Miguel, G. F. (2020). Conhecer e conservar aquíferos:. Terrae Didatica, 16, e020018. https://doi.org/10.20396/td.v16i0.8658299

Artigos mais lidos pelo mesmo (s) autor (es)

<< < 1 2 3 4 5